A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Curso de Especialização em Assistência e Atenção Farmacêutica Profa. Msc. Edyane Cardoso Lopes Parte II Santa Maria, agosto de 2008.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Curso de Especialização em Assistência e Atenção Farmacêutica Profa. Msc. Edyane Cardoso Lopes Parte II Santa Maria, agosto de 2008."— Transcrição da apresentação:

1 Curso de Especialização em Assistência e Atenção Farmacêutica Profa. Msc. Edyane Cardoso Lopes Parte II Santa Maria, agosto de 2008

2 ATENÇÃO FARMACÊUTICA

3 Pharmaceutical care Atencion farmaceutica Seguimiento farmacoterapeutico Atenção farmacêutica

4 Três periodos mais mportantes da farmacia no século XX O tradicional O de transição O de desenvolvimento da atenção ao paciente HEPLER & STRAND, 1990

5 PERIODO DE TRANSIçÃO MEADOS DOS ANOS 60 (EUA) FARMACIA CLINICA « Pratica orientada ao paciente » « Controle do uso do medicamento » Serviços centrados no medicamento e sua distribuição nos sistemas biológicos – Farmacocinética Clinica

6 PERIODO DE TRANSIçÃO Legados da FARMACIA CLINICA - Farmacocinética Clinica - Dosificação Farmacocinética - Monitorização Terapêutica - Farmacias Satélites - Centros de Informações sobre Medicamentos

7 Os medicamentos não possuem doses, são os pacientes que as tem. CIPOLLE, 1986

8 MARCO HISTORICO 1990 Opportunities and responsabilities in the Pharmaceutical Care Charles D. HEPLER, Linda M. STRAND American Journal of Hospital Pharmacy, 1990

9 Opportunities and responsabilities in the Pharmaceutical Care Charles D. HEPLER, Linda M. STRAND American Journal of Hospital Pharmacy, 1990 O artigo faz uma analise da oportunidade proporcionada pelos fatos hitoricos, para a que a FARMACIA amadureça como profissão, aceitando sua responsabilidade social de reduzir a morbi-mortalidade relacionada com o medicamento. « Não é suficiente dispensar o medicamento correto, nem promover serviços farmacêuticos sofisticados, nem inventar novas funções. Ha que dirigir seus esforços ao bem estar social »

10 FARMACËUTICOMEDICAMENTOINDIVIDUO ATENçÃO FARMACÊUTICA

11 Atenção Farmacêutica Reorientação da pratica profissional, Mudança do objeto de trabalho do farmacêutico

12 Provisão responsável da farmacoterapia com o objetivo de alcançar resultados definidos que melhorem a qualidade de vida dos pacientes. Charles Hepler / Linda Strand (1990) Pharmaceutical Care

13 No basta recetar medicamentos y que las farmacias los vendan. Hay que hacer un seguimiento del paciente, única garantía de conseguir que el fármaco sea cien por cien eficaz. Y aquí, el papel clave lo tiene el farmacéutico, ese profesional que conoce a la mayoría de sus clientes y puede hacer un seguimiento pormenorizado del tratamiento. Atención Farmacéutica: la farmacia del futuro Colegio de Farmacéuticos de Madrid

14 Atenção Farmacêutica Serviços realizados de forma a contribuir para a prevenção e a detecção de resultados negativos da farmacoterapia, fazem parte dos objetivos da prática da Atenção Farmacêutica.

15 Atenção Farmacêutica É realizada para o beneficio direto do paciente, e o farmacêutico aceita a responsabilidade direta da qualidade desta assistência. Esta baseada em um acordo entre o paciente e o provedor (Farmacêutico)

16 Habilidades para realizar Atenção Farmacêutica a) conhecimentos e habilidades em farmacia e farmacologia clinica b)Capacidade de gerenciar o sistema de distribuição de farmacos, c)Capacidade de desenvolver relações com o paciente e demais profissionais de saude d)Deve haver um numero suficiente de provedores para servir a sociedade

17 Atenção Farmacêutica no Brasil

18 Portaria de 30 de outubro de 1998 Aprova a política nacional de medicamentos Diretrizes da Política Nacional de Medicamentos Assegurar o acesso da população a medicamentos seguros, eficazes e de qualidade, ao menor custo possível, os gestores do SUS nas 3 esferas de governo, atuando em estreita pareceria, dverão concentrar esforços no sentido de que o conjunto das ações direcionadas para o alcance deste propósito estejam balizadas pelas seguintes diretrizes

19 Portaria de 30 de outubro de 1998 Aprova a política nacional de medicamentos Diretrizes da Política Nacional de Medicamentos 1.Adoção de uma relação de medicamentos essenciais 2.Regulamentação sanitária de medicamentos 3.Promoção do Uso Racional dos Medicamentos 4.Desenvolvimento científico e tecnológico 5.Reorientação da Assistência Farmacêutica 6.Promoção da produção de medicamentos 7.Garantia da segurança, eficácia e qualidade dos medicamentos 8.Desenvolvimento e capacitação de recursos humanos

20 Portaria de 30 de outubro de 1998 Aprova a política nacional de medicamentos Diretrizes da Política Nacional de Medicamentos - PRIORIDADES o Revisão da RENAME o Reorientação da Assistência Farmacêutica o Promoção do Uso Racional dos Medicamentos o Organização das atividades de Vigilância Sanitária de medicamentos

21 Atenção Farmacêutica no Brasil : Trilhando Caminhos Atenção Farmacêutica no Brasil : Trilhando Caminhos Brasília, setembro de 2001 Consolidação de um trabalho iniciado no final do ano de 2000, a partir de uma consulta realizada através da pagina da Organização Pan-Americana de Saúde, com a apresentação de experiências e reflexões sobre Atenção Farmacêutica. Apresentação da proposta de pré-consenso sobre Atenção Farmacêutica e de estratégias para o seu desenvolvimento no pais.

22 Atenção Farmacêutica no Brasil : Trilhando Caminhos Atenção Farmacêutica no Brasil : Trilhando Caminhos É um modelo de prática farmacêutica, desenvolvida no contexto da Assistência Farmacêutica. Compreende atitudes, valores éticos, comportamentos, habilidades, compromissos e co- responsabilidades na prevenção de doenças, promoção e recuperação da saúde, de forma integrada à equipe de saúde.

23 Atenção Farmacêutica no Brasil : Trilhando Caminhos Atenção Farmacêutica no Brasil : Trilhando Caminhos É a interação direta do farmacêutico com o usuário, visando uma farmacoterapia racional e a obtenção de resultados definidos e mensuráveis, voltados para a melhoria da qualidade de vida.

24 Atenção Farmacêutica no Brasil : RESOLUÇÃ0 CFF 357/2001 Atenção Farmacêutica no Brasil : RESOLUÇÃ0 CFF 357/2001 É um conceito de prática profissional no qual o paciente é o principal beneficiário das ações do farmacêutico. A ATENÇÃO é o compêndio das atitudes, comportamentos, compromissos, inquietudes, valores éticos, funções, conhecimentos, responsabilidades e habilidades do farmacêutico na prestação da farmacoterapia, com objetivo de alcançar resultados terapêuticos definidos na saúde e qualidade de vida do paciente É um conceito de prática profissional no qual o paciente é o principal beneficiário das ações do farmacêutico. A ATENÇÃO é o compêndio das atitudes, comportamentos, compromissos, inquietudes, valores éticos, funções, conhecimentos, responsabilidades e habilidades do farmacêutico na prestação da farmacoterapia, com objetivo de alcançar resultados terapêuticos definidos na saúde e qualidade de vida do paciente

25 I Conferência Nacional de Assistência Farmacêutica Brasília, Setembro de 2003

26 Política Nacional de Assistência Farmacêutica Art. 1o Aprovar a Política Nacional de Assistência Farmacêutica, estabelecida com base nos seguintes princípios: I - a Política Nacional de Assistência Farmacêutica é parte integrante da Política Nacional de Saúde, envolvendo um conjunto de ações voltadas à promoção, proteção e recuperação da saúde e garantindo os princípios da universalidade, integralidade e eqüidade; Aprovada nos dias 05 e 06 de maio de 2004 pelo Plenário do Conselho Nacional de Saúde

27 Política Nacional de Assistência Farmacêutica II - a Assistência Farmacêutica deve ser compreendida como política pública norteadora para a formulação de políticas setoriais, entre as quais destacam-se: -as políticas de medicamentos, -de ciência e tecnologia, -de desenvolvimento industrial e -de formação de recursos humanos, dentre outras, garantindo a intersetorialidade inerente ao sistema de saúde do país (SUS) e cuja implantação envolve tanto o setor público como privado de atenção à saúde;

28 Política Nacional de Assistência Farmacêutica III - a Assistência Farmacêutica trata de um conjunto de ações voltadas à promoção, proteção e recuperação da saúde, tanto individual como coletivo, tendo o medicamento como insumo essencial e visando o acesso e ao seu uso racional.

29 Vigilância Sanitária Uso RACIONAL de MEDICAMENTOS Informação e controle da qualidade Produção Dispensação Programação seleção Aquisição Armazenamento Distribuição Prescrição Assistência Farmacêutica (DUPIN,)

30 Política Nacional de Assistência Farmacêutica Aprovada em dias 05 e 06 de maio de 2004 pelo Plenário do Conselho Nacional de Saúde IV - as ações de Assistência Farmacêutica envolvem aquelas referentes à Atenção Farmacêutica, considerada como um modelo de prática farmacêutica, desenvolvida no contexto da Assistência Farmacêutica e compreendendo atitudes, valores éticos, comportamentos, habilidades, compromissos e co-responsabilidades na prevenção de doenças, promoção e recuperação da saúde, de forma integrada à equipe de saúde.

31 Política Nacional de Assistência Farmacêutica Aprovada em dias 05 e 06 de maio de 2004 pelo Plenário do Conselho Nacional de Saúde IV -... É a interação direta do farmacêutico com o usuário, visando uma farmacoterapia racional e a obtenção de resultados definidos e mensuráveis, voltados para a melhoria da qualidade de vida. Esta interação também deve envolver as concepções dos seus sujeitos, respeitadas as suas especificidades bio- psico-sociais, sob a ótica da integralidade das ações de saúde. Atenção Farmacêutica

32 Morbimortalidade relacionada aos medicamentos

33 Ao se administrar medicamentos, se espera: - Curar uma doença - Reduzir ou eliminar sintomas - Impedir ou reduzir a progressão de uma doença - Prevenir doenças ou sintomas No entanto, quando se administram medicamentos, esta sempre presente a possibilidade de resultados que diminuam a qualidade de vida do paciente.

34 Morbimortalidade relacionada aos medicamentos - Prescrição inadequada - Distribuição inadequada - Comportamento inadequado - Idiossincrasia do paciente - Monitorização inadequada

35 Morbidade relacionada aos medicamentos É a manifestação clinica ou social dos Problemas Relacionados aos Medicamentos (PRMs), não resolvidos. É então precedida por um PRM Se manifesta como: Falha no tratamento Novo problema de saude

36 Morbidade relacionada aos medicamentos A Atenção Farmacêutica implica em 3 funções primordiais em nome do paciente: 1 – Identificar PRMs protenciais ou reais 2 – Resolver os PRMs reais 3 – Prevenir os PRMs potenciais (HEPLER & STRAND)


Carregar ppt "Curso de Especialização em Assistência e Atenção Farmacêutica Profa. Msc. Edyane Cardoso Lopes Parte II Santa Maria, agosto de 2008."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google