A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Ética e Serviço Social Profa. Jurema Alves Pereira 2012.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Ética e Serviço Social Profa. Jurema Alves Pereira 2012."— Transcrição da apresentação:

1 Ética e Serviço Social Profa. Jurema Alves Pereira 2012

2 Estrutura da Apresentação 1)Fundamentos Éticos 2) Ética e Serviço Social 3) Projeto ético-político do Serviço Serviço

3 1. Fundamentos éticos Filosofia – Caracterizada pela capacidade de indagar sobre a essência das coisas, ela não pertence a vida cotidiana, sendo necessário uma abstração, ou ainda ao necessidade de uma atitude crítica.

4 Fundamentos éticos Desta forma a postura da filosofia é de questionamento e indagação. Não é um saber desinteressado. Está implícito: se algo está assim, não poderia ser diferente? A Filosofia: Indaga criticamente a realidade, entendendo que ela pode vir a ser de outra forma. Perspectiva radical: ir às raízes dos fenômenos/ir além da aparência.

5 Fundamentos éticos Toda filosofia oferece uma forma de vida; toda filosofia é a crítica de uma forma de vida e, ao mesmo tempo, sugestão de outra forma de vida. (Heller, 1983 apud Barroco, 2000) Portanto, a práxis deve ser a categoria central da filosofia que tem por perspectiva interpretar o mundo, mas também ser um guia na sua transformação.

6 não se pode destacar a filosofia da política; ao contrário, pode-se demonstrar que a escolha e a crítica de uma concepção de mundo são, também elas, fatos políticos (Gramsci) É preciso que a crítica tenha a ver com a realidade, com o mundo concreto… Fundamentos éticos

7 Ética e Moral podem ser compreendidas das seguintes maneiras: são sinônimos ora com dimensões diferenciadas para a vida social, sendo Moral a relação com a prática e Ética com a teoria; ou a ética é a filosofia da moral, ciência da moral ou teoria moral e a moral como instância prática de realização dos valores éticos; ou a ética e a moral são indistintas; ou A moral refere-se ao indivíduo e a ética à sociedade. Fundamentos éticos

8 O que vai diferenciar as várias tendências é a concepção de homem nelas inscrita; pois se a ética é um componente específico do humano, é a apreensão dos fundamentos do ser humano que desvelará os fundamentos da ética. (Barroco, 2000) Fundamentos éticos

9 Para os gregos que viveram a experiência da pólis, ethos remete ao logos (razão) e ao domínio humano da natureza. Só o homem regido pela razão pode romper o domínio da natureza para instituir um mundo de liberdade. Fundamentos éticos

10 A ética é um espaço específico de reflexão sobre o modo constitutivo do homem como sujeito ético, ou seja, sujeito racional capaz de escolher valores e ações que conduzam à liberdade, entendida como um bem. O homem é um ser ético e as raízes éticas devem ser buscadas na história. Fundamentos éticos

11 Além de reflexão e sistematização filosófica, a ética é práxis. Diz respeito à prática social de homens e mulheres, em suas objetivações na vida cotidiana e em suas possibilidades de conexão com as exigências éticas conscientes da genericidade humana. O fundamento da ética é a Liberdade. Fundamentos éticos

12 A moral é fruto do processo de desenvolvimento da sociabilidade humana e seu espaço é da cultura. O campo da moral é um espaço de criação e realização de normas e deveres, de atitudes, desejos e sentimentos de valor. A moral e os valores são sempre sociais e históricos: são construções culturais objetivas inscritas nas relações inerentes à reprodução da vida social. Fundamentos éticos

13 As determinações que incidem sobre a eleição de certos valores morais só podem ser entendidos na totalidade social, isto é levando em consideração a complexa rede de mediações entre necessidades e interesses sócio- econômicos e político-culturais, e as possibilidades de escolha dos individuos sociais. Fundamentos éticos

14 Nas sociedades ocidentais, a moral é influenciada pela cultura religiosa. Reproduz normas pautadas em proibições articuladas à noção de pecado e de culpa. Acredita-se que os individuos tenham livre arbítrio para escolher entre o bem e o mal, mas com tais valores já definidos a priori. (Moral conservadora) Fundamentos éticos

15 Na sociedade capitalista onde a (re)produção das relações sociais são predominantemente mercantil, a moral funda-se na posse de bens materiais, na competição,na transformação das relações em coisas. Há a valorização do privado, do egoísmo ético onde é virtuoso quem obtiver mais vantagens sobre os outros. Exs. -Lei de Gerson -A minha liberdade acaba onde começa a tua (individualismo) Fundamentos éticos

16 A moral surge historicamente como necessidade social e sua forma de ser é dada pela regulamentação de normas e deveres. Ela tem origem na base fundante da existência humana: o trabalho Fundamentos éticos

17 Pelo Trabalho, o homem se autoproduz, estabelece relações com a natureza, com os outros homens e consigo mesmo. Portanto, é uma atividade social, cuja realização cria valores e costumes, desenvolve habilidades e sentimentos, formas de comunicação, de intercâmbio e conhecimento. Cria cultura e a sua própria história. Fundamentos éticos

18 O desenvolvimento dessas capacidades no processo de autoconstrução do ser social se efetiva por meio do trabalho, aqui concebido como a principal forma de práxis. Nas ações transformadoras da realidade (práxis) está em movimento a capacidade humana de projetá-las idealmente. Fundamentos éticos

19 Capitalismo = produção de mercadoria fundante no trabalho assalariado. Trabalho humano = valor de uso/ valor de troca D-M-D trabalho concreto - trabalho abstrato Força de trabalho transformada em mercadoria. Trabalhador e capitalista trocam equivalentes, ou seja, salário por trabalho = cria valor excedente (mais-valia), produzida no processo de produção, mas obtida pelo capitalista na circulação Mercadoria: misteriosa/ forma fantasmagórica = fetichismo (coisas adquirem vida própria). Fundamentos éticos

20 O Serviço Social é um fenômeno típico de uma sociedade capitalista, em seu estágio monopolista. Portanto, conhecer a natureza de sua ética só adquire objetividade se analisada em função das necessidades e possibilidades inscritas em tais relações sociais. 2-Ética e Serviço Social

21 A ética profissional dá visibilidade à sociedade acerca da direção social e da qualidade do exercício profissional. Isto requer sistematizações do posicionamento e compromissos políticos da categoria com determinados valores e principios, que devem constar a partir de referenciais teóricos, no Código de ëtica profissional. Ética e Serviço Social

22 1a Formulação Ética – 1947 Tríade: neotomismo/pensamento conservador/positivismo Princípios: -Respeito a lei de Deus; -Bem comum; -Dignidade da pessoa humana; -Caridade Cristã; -Em relação aos usuários: o Serviço Social trata com pessoas humanas desajustadas e ainda, nas relações profissionais, sugere evitar fazer quaisquer alusões ou comentários desairosos sobre a conduta do colega. Ética e Serviço Social

23 1965 – 1o Código de Ética Prevalece as noções e valores tradicionais, de cunho conservador e cristão, ainda embasado numa visão de mundo aristotélico-tomista – sociabilidade essencial da pessoa humana, sendo a caridade um elemento intrínseco à fé. Princípios: -ênfase na família; defesa da liberdade abstrata subjetivada do indivíduo; preconização dos princípios da ordem, hierarquia e disciplina;falta de predisposição para teorizar; defesa da tradição social; posicionamento contra a decadência da cultura como signo da sua difusão entra as massas, dentre outros. Ética e Serviço Social

24 Código de Ética de 1975 Nele ainda se mantém os pressupostos neotomistas. O valor central é a pessoa humana. Exigências do bem comum legitimam a ação disciplinadora do Estado. Aprofundam-se os vinculos teóricos-metodológicos do Serviço Social com o estrutural-funcionalismo, expressando o adensamento da lógica racionalista, cientificista, asséptica e a-histórica, como parâmetros técnico-operativos ao desencadeamento da prática profissional… agir, quando perito, com isenção de ânimo e imparcialidade… Ética e Serviço Social

25 Código de Ética de 1986 Recusa da neutralidade e o reconhecimento da dimensão política da profissão. Inova com a noção de historicidade e da determinação material como uma das mediações fundantes do ser social. Afirma o homem como ser histórico, social, prático, criador; com isto deixa de ser percebido como sendo determinado pela vontade e autoridades divinas. Buscou superar uma visão metafísica e idealista do real. Ética e Serviço Social

26 Código de Ética de 1993 Reafirmou os avanços obtidos no código anterior e propôs alterações que expressam o amadurecimento teórico e filosófico da categoria face à necessidade de explicitar o real significado social da profissão e as implicações ético-políticas de sua intervenção. Desponta como instrumento de defesa não só para a categoria, como, também para o usuário. Tem a liberdade, a justiça e a democracia como princípios fundamentais. Ética e Serviço Social

27 Projetos societários são projetos coletivos com perspectivas macroscópicas – projetos de classe. Há necessariamente uma dimensão política, que envolve relações de poder. Fenômeno próprio da democracia política – possuem estruturas flexíveis e são cambiantes. Projeto Ético-político do Serviço Social

28 Projetos coletivos são aqueles relacionados as profissões.São construidos a partir dos referenciais teóricos e da organização da categoria, por meio de suas representações. Também possuem estruturas dinâmicas. As relações que se dão no interior da categoria são sempre tensas, havendo uma disputa por hegemonia. (Pluralismo/ecletismo) Projeto Ético-político do Serviço Social

29 Congresso da Virada – 1979 Marco do projeto ético-político do Serviço Social. Fica claro que o projeto Ético-político do Serviço Social tem futuro. Netto, Projeto Ético-político do Serviço Social

30 Referência ao Código de Ética 1.Importância pela fundamentação e por atravessar o projeto profissional como um todo; 2.Uma indicação ética só adquire efetividade histórico-concreta quando se combina com uma direção político- profissional. Projeto Ético-político do Serviço Social

31 Recomendações para uma agenda política contemporânea Não ter nehnum medo de estar absolutamente contra a corrente política do nosso tempo (neoliberalismo) Não transigir em idëias, não aceitar nenhuma diluição de princípios; Não aceitar nenhuma instituição estabelecida como imutável. Projeto Ético-político do Serviço Social


Carregar ppt "Ética e Serviço Social Profa. Jurema Alves Pereira 2012."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google