A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Comunidades surdas, escolas e o trabalho de interpretes Dra. Gladis Perlin - UFSC.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Comunidades surdas, escolas e o trabalho de interpretes Dra. Gladis Perlin - UFSC."— Transcrição da apresentação:

1 Comunidades surdas, escolas e o trabalho de interpretes Dra. Gladis Perlin - UFSC

2 Convite a uma leitura possível de alguns marcadores que estudantes surdos indicam com vistas a uma pedagogia de surdos para a formação de professores...

3 A pedagogia e os surdos: três tempos moderno: modelos a copiar critico: tolerância cultural: identidade

4 Qual pedagogia para a formação de professores? Não aquela pedagogia que muitos citam como modelo, mostram objetivações, atentam para a necessidade de normalidade; nem aquela pedagogia hibrida, mesclada, multicultural, mas a pedagogia que brota dos espaços da memória do povo surdo, aquela pedagogia que os surdos trazemos desde séculos como um sonho, uma nostalgia, e que nos momentos, longe da vigilância colonial, colocamos em pratica.

5 O sujeito da pedagogia? O sujeito da pedagogia dos surdo não é o deficiente, o sujeito com uma falta, o sujeito anormal; nem o sujeito menos válido, subalterno, diverso, com menos capacidades como visto nas pedagogias preparadas para nós surdos. O sujeito da pedagogia dos surdos é diferença e potencialidade.

6 Cultura: A cultura e uma questão de auto-superação tanto quanto de auto-realização. Se ela celebra o eu, ao mesmo tempo também o disciplina estética e asceticamente. (Eagleton 2005)

7 Elementos para a formação pedagógica

8 P osições de Interidentificação : enfatiza o fato de ser surdo atentando subjetividades inerentes conduz a diferença do povo surdo

9 Transmitir saberes culturais: traz a diferença cultural trabalha com artefatos culturais não foge aos conteúdos curriculares não foge a diferença com os não surdos

10 Língua de sinais: como língua de instrução como instrumento no currículo como instrumento de acesso para outras línguas como língua da pedagogia de surdos

11 Atitudes intercambiais Intercultural/pedagogia cultural Professor bilíngüe Português como segunda língua Interpretes (quando as necessidades são maiores)

12 Concluindo: formação pedagógica uma pedagogia constituída na diferença Que permaneça em questões culturais Que permita acessar a identidade como cultura, sujeito e povo. Que não fuja dos conteúdos curriculares


Carregar ppt "Comunidades surdas, escolas e o trabalho de interpretes Dra. Gladis Perlin - UFSC."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google