A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Conceitos de multidisciplinaridade, transdisciplinaridade e interdisciplinaridade Anita Liberalesso Neri Gerontologia Unicamp Maio 2007

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Conceitos de multidisciplinaridade, transdisciplinaridade e interdisciplinaridade Anita Liberalesso Neri Gerontologia Unicamp Maio 2007"— Transcrição da apresentação:

1 Conceitos de multidisciplinaridade, transdisciplinaridade e interdisciplinaridade Anita Liberalesso Neri Gerontologia Unicamp Maio 2007

2 Anita Liberalesso Neri2 Nova cartografia das ciências Ciências de fronteira: Novas disciplinas constituídas nas interfaces de duas disciplinas tradicionais. Exs: Bioquímica, Biofísica, Geofisica, Biomatemática, Biodemografia, Neuropsicologia, Psicolinguística, Engenharia Genética Interciências: Novas disciplinas constituídas pela contribuição de várias outras. Exs: Ecologia, Ciências cognitivas, Cibernética.

3 Inter, multi e transdisciplinaridade Implicam em esforços de pesquisa que envolvem investigadores provenientes de várias disciplinas, cada uma com os próprios objeto, paradigmas, teorias, metodologias e linguagens. Corresponderiam às mesmas formas de fazer ciência?

4 Anita Liberalesso Neri4 Pesquisa multidisciplinar Esforços coordenados de várias disciplinas para alcançar um objetivo comum. Pesquisadores de diferentes disciplinas colaboram e compartilham resultados. As contribuições das várias disciplinas são complementares, não integrativas. Não há integração de conceitos, epistemologias e metodologias. A integração entre as disciplinas é restrita ao compartilhar dos resultados das pesquisas.

5 Anita Liberalesso Neri5 Pesquisa transdisciplinar Mais foco nos desafios de sociedades complexas do que nos da pesquisa acadêmica. Integração de fontes científicas e não- científicas. A meta é desenvolver compreensão ou soluções novas para um problema. Geração de um novo quadro de referência que integra e ultrapassa as perspectivas disciplinares.

6 6 Pesquisa interdisciplinar Os pesquisadores trabalham juntos, cada um em sua perspectiva disciplinar, mas fazem intercâmbio de conceitos e de metodologias. Combinação de métodos e conceitos de várias disciplinas. Integração de várias disciplinas e criação de um produto unificado com potencial para, no futuro, dar origem a um novo paradigma ou a uma nova disciplina.

7 Anita Liberalesso Neri7 Na vida real A interdisciplinaridade é uma decorrência natural da pesquisa relevante e de qualidade, não uma causa ou uma condição A interdisciplinaridade é uma decorrência natural da pesquisa relevante e de qualidade, não uma causa ou uma condição (S. Schwartzman, 2007). A multi, a inter e a transdisciplinaridade existem sobretudo na prática. Dependem de sólida formação disciplinar.

8 Perfis de fragilidade em idosos brasileiros Pesquisa multicêntrica e interdisciplinar com idosos recrutados na comunidade Rede FIBRA

9 Anita Liberalesso Neri9 Fragilidade Síndrome de declínio de energia que ocorre em espiral e que é baseada num tripé de alterações relacionadas ao envelhecimento Sarcopenia Desregulação neuroendócrina Disfunção imunológica Linda Fried (2003)

10 Anita Liberalesso Neri10 Trajetória molecular Variações gênicas expressas em estresse oxidativo, perdas mitocondriais, encurtamento de telômeros, danos ao DNA e envelhecimento celular, em interação recíproca com doenças inflamatórias e desregulação neuroendócrina sarcopenia, osteopenia, declínio da função imunológica, déficits cognitivos, antecedentes de anorexia, problemas hematológicos e no metabolismo da glicose.

11 Anita Liberalesso Neri11 Trajetória fisiológica Redução de energia Aumento da dependência Maior susceptibilidade a agressores

12 Anita Liberalesso Neri12 Trajetória clínica Lentidão Debilidade Perda de peso Baixo nível de atividade Fadiga Seu diagnóstico não se baseia numa queixa principal. Presença sutil e assintomática.

13 Anita Liberalesso Neri13 Pressupostos Fragilidade como condição multifatorial, histórica, associada a variáveis genético-biológicas e sócio- culturais Variabilidade na expressão da fragilidade Os indivíduos não são passivos frente às perdas da velhice e à fragilidade Estilos de vida, redes de suporte e recursos pessoais influenciam as manifestações de fragilidade e seus efeitos

14 Anita Liberalesso Neri14 Hipóteses Existem diferentes perfis de fragilidade, perfis esses associados a combinações entre condições de gênero, idade, renda, escolaridade, status conjugal,saúde e de funcionalidade física e mental. Variáveis subjetivas sensíveis a gênero, idade, renda e escolaridade moderam a relação entre fragilidade biológica e a funcionalidade física e mental. Há diferenças nas relações entre fragilidade biológica, saúde, funcionalidade e bem-estar subjetivo em grupos com diferentes níveis de bem-estar social.

15 Anita Liberalesso Neri15 Objetivos 1)Determinar a prevalência e investigar as características da síndrome de fragilidade em mulheres e homens idosos com 65 anos ou mais, residentes na comunidade, em diferentes regiões geográficas do Brasil, com diferentes níveis de renda e escolaridade, diferentes estados conjugais e tipos de arranjos domiciliares. 2) Analisar indicadores clínicos e auto-relatos de saúde, funcionalidade física e mental, marcadores biológicos de doenças e bem-estar subjetivo.

16 Anita Liberalesso Neri16 3)Verificar relações conjuntas entre as variáveis indicadoras da síndrome de fragilidade e variáveis de natureza sócio-demográfica, variáveis indicadoras de saúde e funcionalidade física e mental, marcadores biológicos de doenças e qualidade de vida percebida, relações essas indicadas por conglomerados das variáveis consideradas. 4) Estabelecer perfis de risco de fragilidade tomando-se como base esses conglomerados.

17 Anita Liberalesso Neri17 5) Comparar diferentes grupos, caracterizados por diferentes Índices de Desenvolvimento Humano quanto aos perfis de risco para fragilidade. 6) Validar medidas diagnósticas de fragilidade para uso na atenção primária em saúde na velhice.

18 Anita Liberalesso Neri18 Participantes idosos recrutados na comunidade 65 anos e mais Amostra casualizada por quotas em duas fases 20 cidades das regiões Norte, Nordeste, Sudeste, Sul e Centro-Oeste Diferentes e contrastantes IDHs municipais Belém, Parnaíba, Fortaleza, Santa Cruz, Recife, João Pessoa, Aracaju, Rio de Janeiro – Zona Norte, Juiz de Fora, Belo Horizonte, Butantã e Ermelino Matarazzo em São Paulo, Amparo, Ribeirão Preto, São José do Rio Preto, Concórdia, Ivoti e Cuiabá

19 Anita Liberalesso Neri19 Variáveis sócio-demográficas gênero, idade, etnia, renda, chefia familiar, escolaridade, status conjugal, tipo de arranjo domiciliar, origem rural ou urbana, tempo de residência na região, ocupação atual e anterior

20 Anita Liberalesso Neri20 Variáveis antropométricas peso, altura, IMC, circunferência de cintura e de quadril.

21 Anita Liberalesso Neri21 Variável clínica pressão arterial Marcadores biológicos apolipoproteína E colesterol e frações, triglicérides, glicemia, hemograma proteína C reativa

22 Saúde física auto-relatada 1)Número de doenças 2)Número de internações hospitalares no último ano 3)Número de visitas ao médico no último ano 4)Ter recebido visita de algum profissional de saúde, em domicilio, no último ano 5)Ter passado acamado mais de 14 dias no último ano. 6)Número de quedas no último ano, segundo auto- relato 7) Número de fraturas no último ano

23 Anita Liberalesso Neri23 8)Dispor de um cuidador informal se precisar 9) Incontinência urinária ou fecal auto-relatada 10) Qualidade do sono 11) Dificuldade visual 12)Dificuldade auditiva 13) Dor 14) Etilismo 15)Tabagismo 16) Saúde bucal

24 Anita Liberalesso Neri24 Capacidade funcional auto-relatada 1) AAVDs (atividades avançadas de vida diária) 2) Ajuda necessária para realizar AVDs e AIVDs 3) Nível de atividade física habitual 4) Status mental (teste de desempenho) 5) Problemas de memória episódica ou confusão mental

25 Anita Liberalesso Neri25 Bem-estar subjetivo 1)Satisfação global com a vida. Individual e comparada a outros da mesma idade 2) Satisfação referenciada a domínios e a comparação social Saúde física Saúde bucal Memória para lembrar as coisas do dia-a-dia Capacidades para fazer e resolver as coisas do dia-a-dia

26 Anita Liberalesso Neri26 Amizades Ajuda que recebe das outras pessoas para cuidar das coisas do dia-a-dia Cuidados que recebe dos outros para cuidar da saúde Atenção e carinho que recebe das pessoas com quem convive Condições do ambiente físico (clima, atrativos,poluição) Condições da moradia Acesso aos serviços de saúde Meios de transporte Segurança no domicilio Segurança nas ruas

27 Anita Liberalesso Neri27 Fenótipo de fragilidade 1) Perda de peso não intencional, conforme auto-relato 2) Fadiga avaliada por auto-relato 3) Força de preensão manual 4) Nível de atividade física avaliado por auto- relato 5) Velocidade da marcha

28 Rede FIBRA Médicos Enfermeiras Fisioterapeutas Geneticistas Dentistas Fonoaudiólogas Psicólogos Sociólogos Antropólogos Estatísticos Demógrafos UNICAMP: FCM, FE e FOP USP RP: Faculdade de Medicina UFMG: Depto. de Fisioterapia UERJ: Depto. de Psiquiatria APOIO: CNPq Edital 17/2006

29 Anita Liberalesso Neri29 A interdisciplinaridade é uma decorrência natural uma decorrência natural de pesquisa relevante e de qualidade, não uma causa ou uma condição (S. Schwartzman, 2007).

30 A atração exercida pela ciência não é explicação suficiente para a decisão de estabelecer um novo campo. Igualmente importantes são a força da personalidade dos indivíduos envolvidos, sua disposição de assumir riscos, sua capacidade de capturar apoio e atenção públicos, sua capacidade de trabalhar em grupos interdisciplinares, e finalmente, a disponibilidade de fundos externos em apoio a novos enfoques de pesquisa. (Bass e Ferraro, 2000)

31 Anita Liberalesso Neri31 Obrigada!


Carregar ppt "Conceitos de multidisciplinaridade, transdisciplinaridade e interdisciplinaridade Anita Liberalesso Neri Gerontologia Unicamp Maio 2007"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google