A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

1) Num treinamento de grande volume e de grande intensidade, nos esporte em que as "performances" de pico são produzidas já na infância (patinação, artística,

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "1) Num treinamento de grande volume e de grande intensidade, nos esporte em que as "performances" de pico são produzidas já na infância (patinação, artística,"— Transcrição da apresentação:

1 1) Num treinamento de grande volume e de grande intensidade, nos esporte em que as "performances" de pico são produzidas já na infância (patinação, artística, ginástica olímpica, etc.), o metabolismo de manutenção pode, em princípio, prevalecer sobre o metabolismo construtivo, o que implica um entrave aos processos de crescimento do organismo infantil ou uma diminuição da capacidade total do esforço. PARTICULARIDADES CONDICIONADAS AO CRESCIMENTO NA CRIANÇA E NO ADOLESCENTE

2 2 ) No músculo, apenas uma semana após um estímulo de treinamento já pode haver modificações funcionais e morfológicas; esse fenômeno não ocorre no osso, cartilagem, tendões e ligamentos, senão ao cabo de semanas. Esse lento processo de adaptação, aliado à sensibilidade, às sobrecargas, agravado pelo crescimento, exige portanto, nas crianças, uma progressividade rigorosa da carga, a fim de assegurar, às estruturas de sustentação passivas do movimento, um prazo suficiente, e de evitar que se ultrapasse a carga-limite, o que poderia acarretar sequelas.

3 3 ) Até o começo da puberdade os meninos e as meninas, do ponto de vista da força muscular, correlacionada com a estrutura hormonal, distinguem-se bem pouco. 4) Pouco antes da fase de puberdade a concentração de testosterona decuplica nos meninos, e, nas meninas a subida é nitidamente menor. Por causa desse grande salto hormonal, que é correlacionado com outras transformações orgânicas, inicia-se o diformismo sexual. Isto determina uma divergência muito grande de fatores físicos e de "performance entre meninos e meninas.

4 6 ) A subida da testosterona produz uma indução enzimática que, entre outras coisas, provoca uma melhoria da capacidade de trabalho anaeróbico. 7 ) O número das mitocôndrias - como local da produção aeróbica de energia é maior nas crianças que nos adultos. 5 ) Modificação do nível de testosterona (g / 100ml) na infância e na adolescência.

5 rápido desenvolvimento do cérebro: já aos 6 anos ele atinge 90-95% de desenvolvimento do cérebro do adulto. o crescimento geral do corpo, em contrapartida, não atingiu ainda nem a metade do corpo do adulto. a interconexão crescente das células, nervosas já nos primeiros anos é de grande importância para o potencial funcional posterior. admite-se que esse brotamento das fibras é produzido com uma particular intensidade até os três anos, podendo ser intensificado por convenientes estímulos proporcionados por atividades físicas.

6 numa perspectiva motora, é importante fornecer à criança pequenos estímulos suficientes para o desenvolvimento de suas estruturas em rede e também para a formação plástica de suas áreas cerebrais. a velocidade de crescimento diminui constantemente até a idade adulta. a exceção é constituída pelo aceleramento passageiro do crescimento na época pubertaria. Esses saltos de crescimento ocorrem em geral entre 11 e 13 anos nas meninas, entre 13 a 15 nos meninos. as crianças, como os adolescentes, não crescem de modo contínuo, mas por saltos.

7 O tecido cartilaginoso e as funções ainda não ossificadas são muito sujeito a danos por pressões e tensões fortes, em virtude do seu crescimento desnivelado. A necessidade de vitaminas, de minerais e de alimentos da criança, é maior do que do adulto. A tolerância individual a carga, por parte do aparelho ósseo, cartilaginoso, tendinoso e ligamentos, impõe o limite, à forma, do treinamento na infância e na adolescência, pois as estruturas em via de crescimento do aparelho motor passivo ainda não têm a resistência à carga como o do adulto

8 o início da puberdade marca uma ruptura profunda no desenvolvimento psicofísico da criança e do adolescente. Por suas modificações revolucionarias a puberdade não tem equivalente na vida adulta quando o desenvolvimento é normal, a idade cronológica e a idade biológica coincidem. Nas pessoas com desenvolvimento precoce (acelerado), o desenrolar das fases é adiantado em um ou vários anos. Nas pessoas tardias, o atraso atinge igualmente um ou vários anos. É preciso constatar que há, nos tipos de desenvolvimento, um crescimento harmonioso da capacidade orgânica de "performance", das dimensões, dos órgãos e do sistema esquelético. O metabolismo é 20% a 30% mais elevado nas crianças do que nos adultos.

9 . * A PRECISÃO adquirida durante os treinos de determinados movimentos e em determinadas condições é específica, manifestando-se só em condições e em movimentos em que foi adquirida. 1- HEREDITARIEDADE E TREINO * A PRECISAO é urna capacidade motora como a rapidez, a força, a resistência, a flexibilidade e a agilidade. A precisão é tão importante para o futebolista/desportista como qualquer outra qualidade física. * A PRECISÃO é em grande medida hereditária. A precisão herdada é generalizada.

10 * Os sistemas sensoriais das crianças (visão, sensibilidade - muscular e articular) desenvolvem-se com velocidade até aos anos. Com esta idade já são capazes de executar muitos movimentos com a precisão dos adultos. A idade mais indicada para o treino da TÉCNICA é entre os 11 e os anos; é a idade da puberdade. O aparelho muscular forma-se definitivamente entre esta idade e os anos. * Os "programas locomotores" aprendidos na idade propícia ficam com a pessoa por toda a vida. Por isso, o técnico que trabalha com futebolistas jovens tem de saber exatamente o quê e quando lhes deve ensinar. Antes do tempo pode ser nocivo e difícil. Depois do tempo, difícil ou inútil.

11 * Para executar as principais ações técnicas de futebol, são necessárias a rapidez e a precisão. No entanto, a elevação das exigências para com a precisão afeta negativamente a velocidade. Por sua vez, o aumento da velocidade afeta negativamente a precisão. A precisão de jovens atletas treina-se baseando-se no desenvolvimento de capacidades motoras na seguinte seqüências: 2 PARTICULARIDADE ETÁRIAS DOS FUTEBOLISTAS - ATÉ OS 10 ANOS: sensibilidade motora e freqüência dos movimentos; - DOS 11 AOS ANOS: velocidade (sem força); - DEPOIS DE 15 ANOS: capacidades de força/ rapidez.

12 A melhor idade para o desenvolvimento da velocidade e da precisão é entre 11 e anos. Nesta idade o treinador deve exigir das crianças uma execução rápida e precisa dos exercícios. * Na puberdade, as alterações (principalmente hormonais) que se operam no organismo da pessoa, reduzem a velocidade e a precisão, e, por conseguinte, afetam negativamente a técnica. * O AMADURECIMENTO PRECOCE não se deve ser confundido com TALENTO – A idade cronológica nem sempre coincide com a motora.

13 *Escolher os exercícios de modo a não tolher a coordenação natural dos movimentos. As imitações só são úteis nas etapas iniciais para dominar a forma do movimento. *Para treinar a precisão nos exercícios de velocidade criar condições que obriguem o futebolista a variar a velocidade. * Treinar cada ação técnica com grande número de repetições, com intervalos entre cada série. *Aproximar o máximo possível cada exercício do movimento praticado no jogo (não descuidando da características das faixas etárias),

14 Figura 130: Alterações do tamanho corporal das proporção entre os segmentos corporais durante o crescimento( DEMETER,1991,p.10)

15

16 GINÁSTICA OLÍMPICA Média de altura e peso da equipe olímpica feminina dos EUA (Folha de São Paulo, 26 de dezembro de 1993)

17 ÁPICE ESPORTIVO Segundo Pini e Carazzatto(1999) é considerado como o momento do desempenho máximo do atleta, quando bate seus recordes e tem suas maiores vitórias, aquele caracterizado pelo desenvolvimento máximo de três fatores: físico-motor, mental e técnico Para os autores, o desenvolvimento físico-motor faz-se conforme a curva mostrada na figura abaixo, em que verificamos um ganho de 30% no primeiro ano de vida, 10% nos 6 anos seguintes, 20% de 7 a 12 anos, 30% de 12 a 20 anos e finalmente 10% até os 25 anos, quando atingimos o ápice físico e motor do ser humano, que se prolonga até os 27 anos.

18

19 Se faz 25% no primeiro ano de vida, 10% nos 6 anos seguintes, 20% de 7 a 12 anos, 20% de 10 a 17 anos, 20% de 17 a 23 anos e finalmente 5% dos 23 anos em diante. O desenvolvimento técnico, considerado na média dos vários esportes, verifica-se apenas 5% nos primeiros 7 anos, 10% de 7 a 12 anos, 40% de 12 a 16 anos, 30% de 16 a 20 anos, 15% de 20 a 24 anos, quando atinge o seu ápice. DESENVOLVIMENTO MENTAL

20 Ao considerarmos que um adulto atinge sua performance máxima de 23 a 28 anos quanto aos aspectos físicos, técnicos e mentais, e transferirmos esta relação para faixas etárias menores, teremos, segundo Pini e Carazzatto(1999); Carazzatto( 1995):

21 Crescimento ósseo: fatores influentes Existem fatores importantes que influenciam diretamente no crescimento dos ossos, tais como: fator genético, fatores nutricionais, fator físico e fatores hormonais. No fator genético, é o código genético – DNA - que determina qual será a altura máxima de cada indivíduo. Com relação aos fatores nutricionais, sabe-se que para um crescimento ósseo adequado não podem faltar proteinas e calcio, vitaminas como a C e a D. Quando há falta de proteína, o crescimento não atinge seu potencial e o resultado é a baixa estatura. A falta de cálcio leva a deformação dos ossos dos membros inferiores, problema este, conhecido como raquitismo. Site :

22 Por ser a responsável por estimular a produção de proteína, além de um excelente antioxidante, a vitamina C, quando em falta no organismo, impede que as células recebam o estímulo necessário à produção de proteína. Por ser essencial para a absorção do cálcio, a carência de vitamina D impede a absorção de cálcio pelo intestino. Há, ainda, outro fator importante, o fator físico. Neste, dois aspectos determinam o crescimento ósseo: a força de tração e força de pressão. O último fator é o hormonal. Neste, é o hormonio de crescimento (GH) que estimula o disco epifisário e periósteo. Ele é muito produzido até os 21 anos de idade, após esta idade, sua produção é diminuída drasticamente. Site :

23 Figura 1- Modificações da altura e das proporções entre os segmento corporais durante o crescimento ( modificações de acordo com Demeter,1981,p.10 Figura 2- Seleção variável conforme idade, entre altura da cabeça e do corpo de acordo com.Stratz apud Demeter,1981,p.10

24 Células nervosas e suas ligações em fibra no curso do desenvolvimento infantil. Da esquerda para a direita: recém nascido, 10 dias, 10 messes, 2 anos (ACKERT, K. Revista Clinica(1971,p.49).

25 TESTES DE APTIDÃO FÍSICA Os testes de aptidão física têm por finalidade aquilatar o estado orgânico inicial do praticante, de forma que possam ser introduzidos convencionalmente nos programas de exercícios. Neste sentido, Cooper estabelece cinco categorias de aptidão física, baseadas no consumo de oxigênio. Este consumo foi medido e calculado para cada um dos quatros agrupamentos etários, em laboratórios, com utilização de aparelhagem especial e expressos em relação ao volume absorvido (ml), ao peso corporal (Kg) do indivíduo, e o tempo gasto para realizar o trabalho previsto (min.).

26 A grande preocupação de Cooper e sua equipe, foi tornar prático os testes realizados em laboratório, levando-os para o campo. Para isto, baseou-se no teste de 15 minutos do Dr. Balke, utilizando como cobaia o pessoal da Força Aérea Americana. Sua pesquisa abrangeu teste dos seis aos 20 minutos, chegando a conclusão que o de 12 minutos aproximou-se bastante da realidade (faixa de êrro de 10%), quando comparado com os dados de laboratório. - a seguir os dois principais testes estabelecidos por Cooper e sua equipe: O de 12 minutos e o teste de 2.400metros

27 GRAU DE APTIDÃO - 12 MINUTOS HOMENS CONDIÇÃOMenos de 30 anosDe 30 a 39 anos40 a 49 anos Mais de 50 anos I.MUITO FRACA m1.350m1.300 I.FRACAde 1600m a 2000mde 1500m a 1800m1.350 a a III- MÉDIAde 2001m a 2400mde 1800m a 2100m1.650 a a IV-BOAde 2401m a 2800mDe 2.100m a 2.500m2.100 a a V- EXCELENTEmais de 2800mmais de 2.500m MULHERES CONDIÇÃOMenos de 30 anosDe 30 a 39 anos40 a 49 anos Mais de 50 anos I.MUITO FRACA1500m1.500m I.FRACAde 1500m a 1800m1.500 a a a III- MÉDIAde 1800m a 2100m1.650 a a a IV-BOADe 2.100m a 2.650m2.000 a a a V- EXCELENTEmais de 2.650m

28 TESTES DE 2400 METROS

29 TESTE DE 12 MINUTOS ( ADAPTADO EM MÉDIA E GRANDE ALTITUDE)

30 TESTE DE VO2 MÁX. PROPOSTO POR MATSUDO, PARA CRIANÇAS, DE 8 A 13 ANOS (masculino e feminino): -CONSISTE EM CORRER A DISTÂNCIA DE METROS (EM PISTA), NO MENOR TEMPO POSSÍVEL, UTILIZANDO -SE A FÓRMULA.: Sendo Y = tempo gasto, em segundos. Exemplo: -.tempo para a distância: 5 min.e 30 segundos 5':30" = (5 x 60) + 30 = = 330"

31 Transpondo para a fórmula, teremos: V0 2 rnax = 652, = 322,17 = 47,64 ml/kg.min. 6,762 6,762 ( ver tabela)

32 ESTIMATIVA DO VO 2 Max ATRAVÉS DO TESTE DE CAMINHADA Protocolo de Rockport Walking Institute teste da milha Aplicação: indivíduos que possuem condição física reduzida ou apresentam limitações quanto à realização de protocolos mais intensos. Protocolo: percorrer metros, no menor tempo possível, em superfície plana. (ideal para pistas de atletismo) VO 2 Max ( ml.Kg.min -1 ) = 132,853 – (0,0769 x PC : 0,454) - (0,3877 x I) + (6,3150 x Sexo) – (3,2649 x T) – (0,1565 X FC) Onde: PC = peso corporal em Kg I = idade em anos Sexo = 0 para mulher e 1 para homens T = tempo para percorrer 1600 metros FC = freqüência cardíaca ao final do teste (bmp) Kline et al Estimativa of VO 2 Max from na one-mile track walk, gerender, age and body weight. Med Sci Sports Exerc.,v 19,p ,1987.

33 PROTOCOLO DE ASTRAND ADAPTADO Uma ou duas cargas de cinco minutos cada. Registra-se a FC no quarto e no quinto minuto, obtendo-se o valor médio para cada carga. A FC deverá estar entre 120 a 170 bmp. VO 2 Max = xVO 2 Max carga\ homem FC-61 VO 2 Max = xVO 2 Max carga\ mulher FC-72 VO 2 Max carga= 0,014 x carga + 0,129 onde; a carga é expressa em watts e o VO 2 em 1 mim -1

34 No caso de duas cargas deve-se calcular o VO 2 Max para as duas e então obter a média entre eles, sendo este então considerado o VO 2 Max. Por fim, deve-se aplicar um fator de correção para a idade. Isto é obtido multiplicando o VO 2 Max obtido pelo fator de correção. Onde: fator de correção = -0,009 x idade ( anos ) + 1,212.

35 FREQÜÊNCIA DO PULSO EM RELAÇÃO À IDADE IDADE ( ANOS)PULSO ( mim) 1134, , , , , , , , , , , , , ,8

36 FREQÜÊNCIA DO PULSO EM RELAÇÃO À IDADE

37 Variação da freqüência cardíaca de acordo com a posição postural do organismo( Redesenhado e modificado de Zaporvch, V2. Em Fisiologia dell Activita´ musculare. Roma > leobardo edizione Scientiãche,1967,cortesia de W.B. Company, Pniladelphia,Pennsylvania,1905)


Carregar ppt "1) Num treinamento de grande volume e de grande intensidade, nos esporte em que as "performances" de pico são produzidas já na infância (patinação, artística,"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google