A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Filme Radiográfico João Lúcio Mação Júnior 27-05-2008 Curso de Atualização em Radioproteção.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Filme Radiográfico João Lúcio Mação Júnior 27-05-2008 Curso de Atualização em Radioproteção."— Transcrição da apresentação:

1 Filme Radiográfico João Lúcio Mação Júnior Curso de Atualização em Radioproteção

2 Índice 1) Introdução 2) História 3) Estrutura que envolve o filme 4) Estrutura do filme 5) Processo físico 6) Processamento do filme 7) Classificação

3 1) Introdução As imagens médicas são gravadas em filmes radiográficos. A produção da imagem final passa por 2 etapas: 1 o - Exposição do filme à radiação, formação da imagem 2 o - Processamento do filme por uma série de soluções químicas

4 1) Introdução Formado por : – Capa protetora – Camada de emulsão – Base.

5 2) 2) História Roentgen, em seu artigo sobre raio x, já citou a utilização de placas para registro radiográfico Carl Schleussner em 1896 desenvolveu uma placa com uma camada grossa de brometo de prata.

6 Placas não conseguiam absorver raio x e possuiam baixo contraste As placas apresentavam sérios problemas, como: -Peso -Preço -Defeitos de fabricação Preferência por placas ao invés de filmes

7 Estopim para a mudança: –Demanda muito grande –Fragilidade no campo de batalha –Invasão da Bélgica Ultilização de filme já existentes com base de Nitrato de celulose 1918 primeiro filme com propósito radiográfico com emulsão dupla 1ª 1ª Guerra Mundial (1914)

8 Base de acetato de celulose Filme com base azul, que deu mais sensibilidade, e com tela intensificadora de Tungstato de Cálcio 1964 base de poliester

9 1972 desenvolvido um filme para mamografia com emulsão de um lado 1973 telas intensificadoras com terras raras e evolução dos grãos de prata e corante anti-halo (usados hoje em dia)

10 3) Estrutura que envolve o filme Casa do Filme ! Chassi

11 Telas Intensificadoras (Ècrans) Sensibilização (5% raio x e 95% luz visível) Tungstato de Cálcio (CaWO 4 ) azul e ultravioleta Terras Raras (Gd 2 O 2 S:Tb) verde

12 O Processo de Produção da Luz Visível O raio-x incide no ècran Desta interação surge luz visível. A luz visível produzirá praticamente todas as sensibilizações que ocorrerão no filme. Cabe destacar que o raio-x também tem a capacidade de sensibilizar o filme.

13 4) Estrutura do filme Capa Protetora Camada de emulsão(gelatina) Adesivo Base –Corante anti-halo

14 Capa Protetora Película de Proteção - Abrasão - Atrito causado pela manipulação do técnico ou nos rolos da processadora - Grudamento das folhas dentro da caixa Adesivo Elemento de ligação entre a base e a camada de emulsão

15 Base Características físicas: -Possui boa estabilidade dimensional -Adequada absorção de água, facilitando o processo de revelação -Translucida -Corante azulado, par diminuir o cansaço visual Corante anti-halo adicionado em filmes com dupla camada de emulsão

16 Camada de Emulsão Características físicas: - Formado por haletos de prata misturados à gelatina, que os mantém em suas posições relativas. - Aos microcristais de Brometo de Prata é adicionada uma pequena quantidade de iodeto de prata (até 10%), para aumentar a sensibilidade Componente de ativação no qual a imagem é formada I + Br +Ag

17 5) Processo de formação da Imagem A formação da imagem ocorre devido a sensibilização dos haletos de prata Este primeiro processo de sensibilização é denominado Imagem Latente Impureza Ag com 1 elétron na camada O Br com 7 elétrons na camada N I com 7 elétrons na camada O Ag * + Br + I

18 Formação da Imagem Latente: Seqüência de interação do fóton com o microcristal a) a)Fóton atinge o microcristal; b) b)O elétron extra do haleto Br – ou I – é liberado; c) c)Os haletos saem do microcristal enquanto os elétrons livres se dirigem para a impureza; d) d)Os elétrons criam uma região negativa que atrai os íons positivos de prata; e) e)Os íons Ag+ incorporam os elétrons livres e se tornam prata metálica; f) f)Maior concentração de prata metálica, maior degradação do microcristal.

19 6) Processamento de Filme É um processo físico- químico que tem como objetivo tornar visível a imagem latente O processo se dá em quatro etapas: –Revelação –Fixação –Lavagem –Secagem

20 Revelação A etapa de revelação consiste da colocação do filme em uma solução química composta de várias substâncias para que a prata metálica fique enegrecida e visível.

21 águaSolvente Evita a oxidação rápida dos agentes reveladores Sulfato de Sódio Preservativo Inchar e suavizar a emulsão para que os agentes redutores possam atingir os grãos expostos. Proporciona a alcalinidade necessária para os agente redutores Carbonato de Sódio Ativador Evita que os agentes redutores produzam velamento Brometo de Potássio Restritor Produzir lentamente os tons negros e o contraste na imagem Hidroquinona Os agentes reveladores convertem os cristais de brometo de prata expostos em prata metálica negra Produz rapidamente os tons de cinza na imagem Fenidona Agente Redutores Função Especial Substância Química Função Geral Revelação:

22 Fixação Consiste em retirar os cristais não sensibilizados e criar uma barreira protetora sobre a imagem para que ela não sofra ação do tempo. Mantém o equilíbrio químico entre as substâncias no fixador Sulfato de sódio Preservativo Líquido para dissolver os produtos químicos águaSolvente Contrai e endurece a emulsão Cloreto de alumínio Endurecedor Elimina os cristais de brometo de prata não expostos Triossulfato de amônia Agente Fixador Determina a suspensão da revelação, neutralizando o revelador. Fornece a acidez requerida Ácido acéticoNeutralizador Função Especial Substância Química Função Geral

23 Lavagem Retirada da solução fixadora Água Secagem Secagem do filme Ar quente

24 - Cada tipo de filme se comporta de maneira diferente como mostra as curvas - Quanto mais sensível for o filme maior será seu grau de escurecimento Obs: O fator sensibilidade está relacionado com velocidade do filme 7) Classificação por Velocidade ou Sensibilidade

25 Medição da Densidade Ótica É o grau de escurecimento Podemos nos valer do exemplo: 100 unidades de luz incide sobre o filme e apenas 10 unidades (10%) atravessa, logo a densidade será: Log(100/10)=1 +claro 100 unidades incide e apenas 1 unidade passa (1%): Log(100/1)=2 +escuro

26 Contraste são os diferentes tons de cinza

27 Contraste O conceito de contraste é fundamental na radiologia. Seu valor muda de filme para filme dependendo da finalidade. Curvas de sensibilidade de dois filmes distintos baixo contraste alto contraste

28 Tipo de filme Condições de revelamento -Revelador pode estar oxidado ou contaminado Véu -Alterações secundárias como, calor, umidade, condições de revelação,vapores químicos e etc.. Técnica Radiográfica Fatores que podem afetar o contraste

29 Fim


Carregar ppt "Filme Radiográfico João Lúcio Mação Júnior 27-05-2008 Curso de Atualização em Radioproteção."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google