A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

DOR ABDOMINAL NA CRIANÇA. Referência bibliográfica: Mota JAC, Leão E, Ferreira RA. Dor abdominal. In: Leão E et al.Pediatria Ambulatorial. Belo Horizonte:

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "DOR ABDOMINAL NA CRIANÇA. Referência bibliográfica: Mota JAC, Leão E, Ferreira RA. Dor abdominal. In: Leão E et al.Pediatria Ambulatorial. Belo Horizonte:"— Transcrição da apresentação:

1 DOR ABDOMINAL NA CRIANÇA

2 Referência bibliográfica: Mota JAC, Leão E, Ferreira RA. Dor abdominal. In: Leão E et al.Pediatria Ambulatorial. Belo Horizonte: Coopmed; 2005,4 ed, p Mota JAC, Leão E, Ferreira RA. Dor abdominal. In: Leão E et al.Pediatria Ambulatorial. Belo Horizonte: Coopmed; 2005,4 ed, p

3 É uma das queixas mais comuns em pediatriaÉ uma das queixas mais comuns em pediatria Geralmente são de curta duração, leves, de causa benigna, auto- limitadasGeralmente são de curta duração, leves, de causa benigna, auto- limitadas

4 Causas freqüentes em nosso meio: parasitoses intestinais e contaminações alimentares Causas freqüentes em nosso meio: parasitoses intestinais e contaminações alimentares Em crianças: problemas originários em outras áreas podem vir acompanhados de dor abdominal (linfadenite mesentérica?)Em crianças: problemas originários em outras áreas podem vir acompanhados de dor abdominal (linfadenite mesentérica?) No entanto é sintoma fundamental para a identificação de condições cirúrgicas agudasNo entanto é sintoma fundamental para a identificação de condições cirúrgicas agudas

5 Na anamnese e no exame físico: Dificuldades com a criança pequena Dificuldades com a criança pequena Ouvir a criança maior Ouvir a criança maior Exame físico sempre completo Exame físico sempre completo

6 Origem da dor abdominal Visceral(mediada pelo SN autônomo):Visceral(mediada pelo SN autônomo): distensão ou contração de vísceras ocas distensão ou contração de vísceras ocas distensão de vísceras sólidas distensão de vísceras sólidas processos isquêmicos processos isquêmicos

7 Origem da dor abdominal Parietal (somática ou peritônio- parietal):Parietal (somática ou peritônio- parietal): transmitida pelo SN cérebro-espinhal transmitida pelo SN cérebro-espinhal surge quando o peritônio parietal é acometido surge quando o peritônio parietal é acometido localizada, aumenta com a movimentação e com o aumento da pressão abdominal localizada, aumenta com a movimentação e com o aumento da pressão abdominal há contratura de parede abdominal há contratura de parede abdominal

8 Origem da dor abdominal Irradiada: é sentida em local diverso do órgão acometido (mas com inervação comum)Irradiada: é sentida em local diverso do órgão acometido (mas com inervação comum)

9 Origem da dor abdominal Psicogênica: distúrbios psicológicos mecanismos neuro-hormonais alterações de tônus e motilidade intestinais/secretoras/vasculares dorPsicogênica: distúrbios psicológicos mecanismos neuro-hormonais alterações de tônus e motilidade intestinais/secretoras/vasculares dor É real É real Abordagem deve ser efetiva Abordagem deve ser efetiva

10 Origem da dor abdominal Doenças sistêmicas: mecanismos às vezes não conhecidoDoenças sistêmicas: mecanismos às vezes não conhecido

11 A abordagem da dor abdominal depende:A abordagem da dor abdominal depende: processo agudo, recente, único ou recidivante processo agudo, recente, único ou recidivante ou ou problema crônico, recorrente, no momento sem sintomas problema crônico, recorrente, no momento sem sintomas

12 Dor abdominal aguda:Dor abdominal aguda: Anamnese e exame físico cuidadosos, completos e rápidos; reforço no exame abdominal Anamnese e exame físico cuidadosos, completos e rápidos; reforço no exame abdominal Valorizar o aspecto da criança Valorizar o aspecto da criança Investigar: evolução e características da dor, problemas concomitantes (febre, vômitos, hábito intestinal, distúrbios gênito- urinários ou respiratórios, alimentação e traumas) Investigar: evolução e características da dor, problemas concomitantes (febre, vômitos, hábito intestinal, distúrbios gênito- urinários ou respiratórios, alimentação e traumas)

13 Causas de dor abdominal aguda:Causas de dor abdominal aguda: RN (infecções GI, ITU, sepsis, malformações do trato GI e GU): criança que não vai bem, vômitos, distensão abdominal, hipotermia RN (infecções GI, ITU, sepsis, malformações do trato GI e GU): criança que não vai bem, vômitos, distensão abdominal, hipotermia Lactentes: RGE; cólica idiopática do primeiro trimestre; meteorismo; malformações GI; infecções GI; transgressões/ alergias/ intolerâncias alimentares: hérnias encarceradas; invaginação intestinal Lactentes: RGE; cólica idiopática do primeiro trimestre; meteorismo; malformações GI; infecções GI; transgressões/ alergias/ intolerâncias alimentares: hérnias encarceradas; invaginação intestinal

14 Causas de dor abdominal aguda: Pré-escolar (2 a 5 anos): infecções GI; trangressões alimentares; parasitoses intestinais; constipação intestinal; ITU; malformações do trato urinário, cálculos; doenças sistêmicas (Doença falciforme e Púrpura de Henoch-Schönlein); traumas; hepatites; doenças respiratórias; linfadenite mesentérica Pré-escolar (2 a 5 anos): infecções GI; trangressões alimentares; parasitoses intestinais; constipação intestinal; ITU; malformações do trato urinário, cálculos; doenças sistêmicas (Doença falciforme e Púrpura de Henoch-Schönlein); traumas; hepatites; doenças respiratórias; linfadenite mesentérica

15 Causas de dor abdominal aguda: Escolar e adolescente (assemelhando-se às dos adultos): infecções GI; distúrbios urinários e ginecológicos; constipação intestinal; apendicite; doença sistêmicas (Doença falciforme e Púrpura de Henoch- Schönlein); parasitoses; traumas; causas psicogênicas; úlceras/ gastrites/ ileites/colites; linfadenite mesentérica Escolar e adolescente (assemelhando-se às dos adultos): infecções GI; distúrbios urinários e ginecológicos; constipação intestinal; apendicite; doença sistêmicas (Doença falciforme e Púrpura de Henoch- Schönlein); parasitoses; traumas; causas psicogênicas; úlceras/ gastrites/ ileites/colites; linfadenite mesentérica

16 Exames complementares (devem ser pedidos em função do quadro clínico): hemograma, VHS, urina, funções renal e hepática, amilasemia hemograma, VHS, urina, funções renal e hepática, amilasemia RX abdômen, RX tórax RX abdômen, RX tórax RX contratados, endoscopias, US RX contratados, endoscopias, US Outros, se suspeita de doenças extra- abdominais ou sistêmicas Outros, se suspeita de doenças extra- abdominais ou sistêmicas

17 Conduta: Pacientes graves ou duvidosos internação Pacientes graves ou duvidosos internação Tratamento clínico? Cirúrgico? Tratamento clínico? Cirúrgico? Distensão abdominal, peristaltismo diminuído, massas abdominais, dor significativa, vômitos, desidratação, desnutrição, RN / lactente, imunodeprimidos internação Distensão abdominal, peristaltismo diminuído, massas abdominais, dor significativa, vômitos, desidratação, desnutrição, RN / lactente, imunodeprimidos internação Observação rigorosa; analgesia; dieta suspensa; hidratação venosa Observação rigorosa; analgesia; dieta suspensa; hidratação venosa

18 Dor abdominal crônica recorrente: Psicossomática: Psicossomática: 10 a 15% dos escolares, com interferência em atividades cotidianas, mais prevalentes em meninas 10 a 15% dos escolares, com interferência em atividades cotidianas, mais prevalentes em meninas Geralmente peri-umbilical, sem relação com a alimentação, diurna Geralmente peri-umbilical, sem relação com a alimentação, diurna

19 Psicossomática: Psicossomática: Freqüentes: ansiedade, introspecção, alterações da motilidade intestinal (inclusive nos familiares) Freqüentes: ansiedade, introspecção, alterações da motilidade intestinal (inclusive nos familiares) Exame físico normal Exame físico normal Pode persistir na vida adulta Pode persistir na vida adulta

20 Causas de dor abdominal crônica recorrente Simulação (manobre manipulativa) Simulação (manobre manipulativa) Parasitoses Parasitoses Constipação intestinal Constipação intestinal Doenças GU, hepatobiliares e ginecológicas Doenças GU, hepatobiliares e ginecológicas Má-rotação intestinal Má-rotação intestinal Alergias e intolerâncias alimentares Alergias e intolerâncias alimentares

21 Causas de dor abdominal crônica recorrente Úlceras, RGE, hérnia hiatal, colites Úlceras, RGE, hérnia hiatal, colites Doenças sistêmicas (Doença falciforme, colagenoses) Doenças sistêmicas (Doença falciforme, colagenoses) Tumores abdominais Tumores abdominais Epilepsia abdominal e enxaqueca Epilepsia abdominal e enxaqueca

22 Conduta Vai depender se a origem sugere ser orgânica ou psicogênica Vai depender se a origem sugere ser orgânica ou psicogênica Importância da anamnese detalhada, particularmente emocional Importância da anamnese detalhada, particularmente emocional Geralmente abaixo de cinco anos é orgânica Geralmente abaixo de cinco anos é orgânica Localização não peri-umbilical: sugere ser orgânica Localização não peri-umbilical: sugere ser orgânica

23 ?Conduta há prejuízo das atividades habituais? há prejuízo das atividades habituais? Há outros sintomas/sinais? Há outros sintomas/sinais? História familiar História familiar Propedêutica específica (na dependência da suspeita clínica): Propedêutica específica (na dependência da suspeita clínica): Laboratoriais Laboratoriais Imagem Imagem Bacteriológicos Bacteriológicos

24 Conduta Avaliação por especialistasAvaliação por especialistas Testes alimentares de prova Testes alimentares de prova EndoscopiasEndoscopias Apoio psicoterapêuticoApoio psicoterapêutico Nunca menosprezar a queixaNunca menosprezar a queixa


Carregar ppt "DOR ABDOMINAL NA CRIANÇA. Referência bibliográfica: Mota JAC, Leão E, Ferreira RA. Dor abdominal. In: Leão E et al.Pediatria Ambulatorial. Belo Horizonte:"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google