A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

VIGILÂNCIA EM SAÚDE AMBIENTAL dos riscos associados aos DESASTRES de origem ANTROPOGÊNICA, resultante de acidentes com produtos químicos perigosos SMS/SPjunho/2011.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "VIGILÂNCIA EM SAÚDE AMBIENTAL dos riscos associados aos DESASTRES de origem ANTROPOGÊNICA, resultante de acidentes com produtos químicos perigosos SMS/SPjunho/2011."— Transcrição da apresentação:

1 VIGILÂNCIA EM SAÚDE AMBIENTAL dos riscos associados aos DESASTRES de origem ANTROPOGÊNICA, resultante de acidentes com produtos químicos perigosos SMS/SPjunho/2011

2 Levantamento Acidentes com Produtos Químicos Perigosos

3 Número de acidentes com produtos químicos perigosos, Brasil, Fonte: P2R2 / MMA

4 Número de acidentes por tipo (atividade ou transporte), Brasil, Fonte: P2R2 / MMA

5 Número de acidentes por produto químico, Brasil, Fonte: P2R2 / MMA

6 Discrepância entre fontes de comunicação

7 Comparação entre fontes de notificação P2R Portaria No 104, de 25/1/2011, notificação imediata (em 24h) de desastre de origem antropogênica

8 LEVANTAMENTO IMPACTOS PARA A SAÚDE PÚBLICA (Organização Mundial da Saúde/WHO)

9 WHO/2004 Cerca de pessoas morreram no mundo em função de intoxicação não intencional Desse total, 91% ocorreram em países em industrialização Calcula-se que a intoxicação não intencional causou a perda de 7,4 milhões de anos de vida saudável (conforme método DALY – número de anos de vida perdidos em função de doenças, incapacidade ou óbitos prematuros)

10 Levantamento Impactos nas condições de vida e saúde

11 Danos mencionados nos registros de acidentes, 2009

12 LEVANTAMENTO IMPACTOS PARA A SAÚDE PÚBLICA (SINAN)

13 SINAN 2007 a 2009 Total de registros = Exclusão das duplicidades = registros (97% dos dados do banco)

14 Intoxicações exógenas 2007 – 2009 Fonte: SINAN / SVS / MS Organização: EPISUS/Saúde do Trabalhador e CGVAM

15 Circunstância da intoxicação Produtos Químicos: acidental X ambiental Fonte: SINAN / SVS / MS Organização: EPISUS/Saúde do Trabalhador e CGVAM Total de registros % Ambiental % Acidental 1043%

16 Estratégias, no âmbito do SUS, para enfrentamento dos eventos de importância para a saúde pública relacionados aos desastres

17 Estruturação da Vigilância em Saúde Ambiental dos Riscos Associados de Desastres – VIGIDESASTRES

18 DSAST CGSAT Núcleos CGVAM VIGIAGUAVIGIPEQ VIGIDESASTRES Desastres de origem natural Fatores Físicos Desastres de origem antropogênica

19 OBJETIVOS do VIGIDESASTRES Desenvolver um CONJUNTO DE AÇÕES a serem ADOTADAS CONTINUAMENTE pelas autoridades de saúde pública para: Reduzir a exposição da população e dos profissionais de saúde dos riscos associados aos desastres Reduzir a exposição da população e dos profissionais de saúde dos riscos associados aos desastres Minimizar doenças e agravos decorrentes dos desastres Minimizar doenças e agravos decorrentes dos desastres Fortalecer a atuação dos serviços de saúde no gerenciamento dos desastres Fortalecer a atuação dos serviços de saúde no gerenciamento dos desastres

20 Atuação baseada na gestão do risco Fonte: OPAS (adaptado) MODELO DE ATUAÇÃO DO VIGIDESASTRES

21 Ações /pactuação para enfrentamento dos desastres

22 Linha 1: Instituir o Comitê de Saúde e Desastres ou, em caso de comitês já existentes, incluir o tema Saúde e Desastres Linha 2: Elaborar Plano de Prevenção, Preparação e Resposta aos Desastres, com participação de diferentes atores do SUS Organizar a atuação do SUS frente aos desastres

23 deliberativo e consultivoorganizar e orientar a atuação É uma organização colegiada aberta, de cunho deliberativo e consultivo, a fim de organizar e orientar a atuação do setor saúde, no âmbito da gestão estadual/municipal do SUS, na prevenção, preparação e resposta aos desastres de origem natural e antropogênicos. COMITÊ DE SAÚDE E DESASTRE

24 Áreas do SUS com atuação em Desastres Secretaria de Saúde Secretaria de Saúde Vigilância em Saúde Ambiental Vigilância em Saúde Ambiental Vigilância Epidemiológica Vigilância Epidemiológica Vigilância Sanitária Vigilância Sanitária Saúde do Trabalhador/CEREST Saúde do Trabalhador/CEREST APS APS Atenção Especializada: Atenção Especializada: SAMU SAMU UPA UPA Hospitais Hospitais Saúde Mental Saúde Mental CIAT/CIT CIAT/CIT LACEN LACEN CIEVS CIEVS Conselho de Saúde Conselho de Saúde Análise de Situação em Saúde Análise de Situação em Saúde Comunicação em Saúde Comunicação em Saúde Educação em Saúde Educação em Saúde Setor de Planejamento Setor de Planejamento Setor Financeiro Setor Financeiro Setor de Engenharia e Obras Setor de Engenharia e Obras Outros Outros

25 Defesa Civil / Corpo de Bombeiros Defesa Civil / Corpo de Bombeiros Meio Ambiente Outras secretarias (Meio Ambiente, Assistência Social, Educação, Trabalho e Renda, Engenharia e Obras, Transportes, Planejamento e Orçamento, Finanças, Agricultura, Habitação, Comunicação, etc.) Representantes dos Poderes Legislativo e Judiciário Representantes dos Poderes Legislativo e Judiciário Forças Armadas Polícia Militar Polícia Rodoviária Polícia Rodoviária Departamento de Trânsito Departamento de Trânsito Conselhos Estaduais/Municipais Companhia de Água e Saneamento Companhia de Energia Elétrica Companhias de Telecomunicações Instituições acadêmicas de pesquisa Instituições acadêmicas de pesquisa Organização que represente o Organização que represente o setor industrial Organização que represente Organização que represente os trabalhadores (da indústria, do transporte,...) Empresas de Tecnologia da Informação Indústria de medicamentos, antídotos Indústria de medicamentos, antídotos e insumos hospitalares Outros Áreas para além do SUS com atuação em Desastres

26 conferencia/orientacoes-cesd.pdf/view

27 Identificar os cenários e prioridades regionais/locais Elaborar e validar no âmbito do Comitê de Saúde e Desastre Contemplar a atuação de todos os atores do SUS de acordo com suas competências Definir ações baseadas no modelo de Gestão do Risco: Redução, Manejo e Recuperação PLANO DE SAÚDE e DESASTRE

28 Preparação para Resposta do SUS aos acidentes químicos

29 1.Apresentação 2.Introdução 3.Fundamentos conceituais 4.Aspectos gerais para atuação do setor saúde em acidentes com produtos químicos perigosos 4.1. Preparação e resposta do setor saúde: aspectos gerais 4.2. Plano de preparação: equipamentos, recursos e facilidades 4.3. Plano de preparação: fontes de informação 4.4. Resposta ao acidente químico 4.5. Tratamento das vítimas 4.6. Capacitação e orientação 4.7. Comunicação com o público 4.8. Investigação do acidente Preparação para Resposta do SUS aos acidentes químicos

30 5. Aspectos específicos para atuação do setor saúde em acidentes com produtos químicos perigosos 5.1. Preparação e resposta do setor saúde 5.2. Definição de acidente químico 5.3. Algumas formas de classificação dos acidentes químicos 5.4. Características específicas dos acidentes químicos 6. Consideração final 7. Literatura Consultada Preparação para Resposta do SUS aos acidentes químicos

31 Preparação para Resposta do SUS aos acidentes químicos

32 Preparação para Resposta do SUS aos acidentes químicos

33 Desenvolvimento social Cidades SAMU Promoção Situação Saude Cenário nacional sobre atuação das SES em acidentes químicos

34 SES com atuação no tema acidentes químicos Fonte: Inventário de Vigilância em Saúde Ambiental, 2009/2010 Organização: ASISAST/DSAST/SVS/MS 15 SES com atuação

35 Participação da SES em Comissão-Estadual P2R2 Fonte: P2R2 – Comissão Nacional Organização: ASISAST/DSAST/SVS/MS 15 SES CE-P2R2

36 Atuação da SES em acidentes químicos e participação em CE-P2R2 Fonte: Inventário de Vigilância em Saúde Ambiental e P2R2 – Comissão Nacional Organização: ASISAST/DSAST/SVS/MS 11 SES

37


Carregar ppt "VIGILÂNCIA EM SAÚDE AMBIENTAL dos riscos associados aos DESASTRES de origem ANTROPOGÊNICA, resultante de acidentes com produtos químicos perigosos SMS/SPjunho/2011."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google