A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

CAP. 1 Unidade 7 O espaço urbano no mundo contemporâneo.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "CAP. 1 Unidade 7 O espaço urbano no mundo contemporâneo."— Transcrição da apresentação:

1 CAP. 1 Unidade 7 O espaço urbano no mundo contemporâneo

2 População urbana mundial 1975 – 38% 2001 – 48% 2015* – 54% *previsão Tendência demográfica: concentração em cidades; A industrialização acelerou o processo de urbanização e este, por sua vez, configura-se como um processo desigual: de um lado países altamente urbanizados e outros essencialmente rurais;

3 É um processo de transformação de espaços naturais e rurais em espaços urbanos acompanhado de êxodo rural (migração campo-cidade); Urbanização

4 Cidades aparecem desde a antiguidade! Babilônia (Mesopotâmia) – na época centro de poder e negócios; Roma No período feudal cidades perdem importância – menor volume de troca; MAIOR importância a partir do capitalismo comercial e industrial principalmente, nos países hoje, na maioria, desenvolvidos; Pós-2ªGM o processo passou a influenciar países em desenvolvimento como na América Latina e Leste- sudeste asiático; Já o Sul da Ásia e a África Subsaariana constituem regiões pouco urbanizadas (limitadas a algumas capitais);

5

6 A relação urbanização-industrialização é menor hoje: Descentralização industrial – novas regiões de atração industrial para as cidade médias; O setor terciário (comércios e serviços) é o que mais tem crescido nas cidades. Tendências - Padrão de cidades (parecidas entre si): Valores e modos de vida urbano-industriais difundiram-se com a globalização (modelo norte- americano); Exemplo: grandes torres/ edifícios comerciais e residenciais/ shopping Center.

7 Cidades com características particulares ou multifuncionais: Multifuncionais: São Paulo, Nova Iorque, Paris e Tóquio; Portuárias: Santos, Roterdã; Turística: Ouro Preto. Cancun; Industrial: Cubatão; Religiosa: Aparecida, Meca, Jerusalém, Fátima; Política-Administrativa: Pretória, Brasília;

8 Todos os países industrializados são urbanizados exceto China e Índia. Em contrapartida, existem países sem a presença de um parque industrial mas que são urbanizados, exemplo: Venezuela, Kuwait, Uruguai etc.

9 Fatores que condicionam a urbanização Atrativos: Onde? – Comum em países desenvolvidos e regiões modernas de países emergentes; - desenvolvimento industrial como processo gerador de empregos (setor industrial e de serviços); - Revolução Agrícola (fruto da Revolução Industrial) que resulta em uma modernização da agricultura (mecanização) provocando a transferência de pessoas para as cidades.

10 A partir da Revolução Industrial as principais cidades tiveram um rápido crescimento e deterioração da qualidade de vida: -Presença de cortiços; -Falta de Saneamento Básico – doenças e epidemias; -Ausência de leis trabalhistas e baixa renda.

11 Posteriormente a situação melhorou... -Crescimento dos salários; -Conquista de direitos trabalhistas (jornada de trabalho, férias,descanso semanal etc) -Intervenção governamental nas condições de habitação. saneamento, transporte etc.

12 Repulsivos (típicos de países subdesenvolvidos) - ligados às péssimas condições de vida no meio rural: - estrutura fundiária concentrada; - baixos salários; - falta de apoio ao trabalhador; - técnicas arcaicas de cultivo. - Isso provocou a transferência de população para as metrópoles gerando a MACROCEFALIA URBANA, onde o maior percentual da população urbana está concentrada em uma mesma região. (crescimento VELOZ, DESORDENADO E CONCENTRADO) – pág 475 ; - Consequências: Marginalização, submoradias, desemprego, subemprego, violência, aumento da criminalidade.

13 Desigualdade e segregação espacial O espaço urbano é fragmentado há presença de espaços comerciais, financeiros, industriais, residenciais e de lazer; Formação de cidades policêntricas: bairros com ruas principais que sediam o comércio, serviços e o fluxo de pessoas; Cidade: conjunto de lugares que as pessoas vivenciam parcialmente; Desigualdades sociais se materializam na paisagem urbana: quanto maiores as desigualdades dos grupos sociais maiores as diferenças de moradia, acesso a serviços públicos e de qualidade de vida;

14 Segregação espacial – separação ou isolamento de espaço ou grupo (condições sócio-econômicas); Melhora da qualidade de vida em um bairro de população pobre tem maior chance de se concretizar quando a comunidade se organiza para melhorar seu cotidiano e reivindicar seus direitos; Exemplo: condomínios fechados (medo da violência) e busca por tranquilidade e segurança, porém isto acentua a exclusão social reduzindo espaços públicos e aumenta os espaços privados de circulação restrita.

15 Subemprego e submoradia Em países subdesenvolvidos a capacidade de absorção de grandes quantidades de migrantes vindos da zona rural é insuficiente, o que gera aumento do número de desempregados e subempregados; A má remuneração leva a formação de áreas com um nível mais precário de moradia como favelas e cortiços; A solução do problema de moradia, especialmente em ambientes urbanos, passa pela iniciativa dos governos em proporcionar o acesso de forma segura, habitável, salubre e sustentável.

16 Violência Urbana A violência não está necessariamente associada a pobreza; Há países mais pobres que o Brasil que apresentam índices bem menores de violência urbana; A violência é maior em países de desenvolvimento intermediário, com acentuada desigualdade socioeconômica; EUA – maior desigualdade entre os países desenvolvidos (alia-se a cultura armamentista e a livre comercialização de armas de fogo);

17 Em qualquer país a violência ocorre de forma desigual: Brasil - Público alvo: jovens entre 15 e 24 anos homens negros Os estados violentos não são os mais pobres e sim os que apresentam as maiores desigualdades! - Maranhão - mais pobre e o menos violento -RJ e SP – mais ricos e violentos Tal situação varia de cidade para cidade: metrópoles como Nova Iorque e Tóquio (menor violência);

18 Pode variar também entre municípios e bairros diferentes: a violência é menor em Moema (bairro infra- estruturado e policiado), por exemplo, e maior no Jardim Ângela (bairro periférico); A importância do capital social: Quanto maior o envolvimento da população com a família, escola, igrejas, associações comunitárias, centros de esporte e lazer menor é a propensão às ações criminais.

19 Rede e hierarquia urbana Rede urbana é formada por cidades que se interligam umas as outras, pelos sistemas de transporte e comunicações, meios onde ocorrem fluxos de pessoas, mercadorias, informações e capitais.

20 Em países desenvolvidos são mais densas e articuladas devido aos altos índices de industrialização e de urbanização, de uma economia diversificada e mercado interno de alto consumo; Em países subdesenvolvidos, principalmente os de baixo nível de industrialização e urbanização, são desarticuladas, com cidades mais dispersas no território sem formar uma rede;

21 As cidades mais densas e articuladas estão presentes nas regiões que formam megalópoles como o nordeste e a costa oeste dos EUA, o sudeste da ilha de Honshu no Japão ou porção ocidental da Europa; Outras redes: São Paulo, Cidade do México ou Buenos Aires; A medida que a globalização avança, acentua-se os fluxos planetários que têm como pólos as cidades globais;

22

23 As cidades na economia global A partir da 3ª Revolução Industrial (Técnico-científica) e com o aumento na velocidade dos meios de transporte e as telecomunicações foi possível reduzir o tempo de deslocamentos das pessoas, mercadorias e informações entre os lugares. Tal situação evoluiu com o tempo. Durante um longo período da história humana a informação circulava à mesma velocidade das pessoas e das mercadorias. Com o avanço tecnológico todas as modalidades de circulação foram aceleradas inclusive do transporte da informação (em tempo real);

24 Os avanços tecnológicos tem favorecido a dispersão da produção pelos lugares que oferecem maiores possibilidades de lucro e ampliando o COMANDO DAS GRANDES CIDADES cujas redes se expandem – Exemplo: São Paulo – centro de serviços e de negócios não só do Brasil, mas da América do Sul. A maioria das cidades globais tem influência regional, poucas influenciam o mundo inteiro;

25 Conceitos Cidades Globais (55) – possui papel de comando na rede urbana mundial. É sede de importantes empresas e apresenta grande densidade de objetos técnicos conectando-a aos fluxos globais.Quanto maiores as ofertas de bens, serviços e a densidade e a qualidade de infra-estrutura urbana, maior o poder e a influência de uma cidade global (classificação qualitativa); Megacidades – Cidades com mais de 10 milhões de habitantes (classificação quantitativa); apenas 4,3% da população mundial reside em megacidades.Das 20 maiores 15 estão em países subdesenvolvidos.

26 Poder de polarização : alfa(8-12), beta(7-9) e gama(4-6)

27 Cap. 3 - Impactos ambientais urbanos O espaço consumido pela malha urbana é 10 vezes maior que o ocupado por ela; Tal espaço consome grande quantidade de energia e matéria-prima. Porém, há os subprodutos destas atividades gerando resíduos sólidos (lixo), líquidos (esgoto) e gasosos (fumaça, gases); Muitas vezes por não serem aproveitadas acumulam-se, causando desequilíbrios em escala local, regional e até global;

28 Poluição (polluere – manchar, sujar) Poluição é qualquer alteração prejudicial provocada no meio ambiente. Com o crescimento populacional houve aumento dos impactos ambientais; Existem vários tipos de poluição.

29 Poluição do ar É a emissão de gases e materiais particulados na atmosfera; Vilões: Veículos automotores (CO), indústrias e centrais termelétricas; No transporte urbano há o predomínio de veículos particulares. O automóvel é um item de alto valor na atual sociedade de consumo (símbolo de status). Tal situação agrava não só a poluição mas os congestionamentos;

30 Poluição do ar - Soluções Transporte coletivo de qualidade e integrado (não poluidores ou elétricos como trólebus, trens e metrô); Pedágios nas principais vias de trânsito; Rodízio de veículos para aliviar o trânsito e diminuir emissão de gases (sobretudo no inverno onde é comum a inversão térmica); Presença de catalisadores em escapamentos; Redução da emissão pela presença de filtros nas chaminés das indústrias.

31 Poluição do solo Lixo é todo resíduo sólido descartado pela atividade humana. Com o aumento das atividades urbanas e industriais houve um aumento do padrão de produção e consumo e hábitos contribuindo para a produção de milhões de toneladas de lixo por dia: - consumismo; - modismos passageiros; - rápida obsolência tecnológica (ex:lixo eletrônico); - produtos descartáveis.

32 O lixo contém materiais que podem e devem ser reaproveitados como o material orgânico por exemplo; Destino do lixo após a coleta: Lixões (depósitos a céu aberto) e os aterros sanitários (enterrados e compactados); Problemas: - Proliferação de insetos e ratos que podem transmitir doenças; - produção do chorume (substância líquida e ácida fruto da decomposição da matéria orgânica) que infiltra no solo contaminando o lençol freático; - acúmulo de materiais não biodegradáveis;

33 Soluções para o lixo Lixo hospitalar: incineração (grande risco de contaminação) Lixo domiciliar: - Orgânico (restos de alimentos): produção de adubos e fertilizantes nas usinas de compostagem.É possível coletar o gás metano (combustível) através da fermentação deste tipo de lixo (rico em matéria orgânica e minerais)estes uma vez recuperados podem ser incorporados ao solo; - Inorgânico: através de bons serviços de coleta seletiva e da reciclagem (papéis, vidros, plásticos ou metais); Tais ações necessitam de uma sociedade cada vez mais consciente e compromissada em colaborar.

34 Poluição das águas A água corresponda a ¾ da superfície do planeta; Sua distribuição é desigual: - 97,5% água salgada (a dessalinização é de custo alto); - 2,5% água doce - 69% - geleiras; - 30% lençóis freáticos; - 0,9% presentes no solo ou pântanos; - 0,3% disponível em rios e lagos. Fontes de água doce são as que mais recebem poluentes – Exemplo: ocupação de áreas de mananciais devido ao povoamento desordenado, inclusive ilegal;

35 A poluição ocorre com o lançamentos de resíduos orgânicos acima da capacidade de absorção pelos organismos decompositores ou de resíduos inorgânicos não biodegradáveis; A poluição dos aquíferos (águas subterrâneas), devido a atividade agrícola, é muito comum devido à utilização de pesticidas ou mesmo com o chorume presente nos lixões; Na cidade especificamente, devido ao elevado consumo, há grande volume de efluentes industriais (poluição tóxica) e de esgotos domésticos. Aqui a água utilizada é devolvida ao meio ambiente parcial ou totalmente poluída. O excesso de matéria orgânica por exemplo, ajuda proliferar a população de algas comprometendo a qualidade da água;

36 Solução para o problema da poluição das águas TRATAMENTO Sistema de captação e tratamento de esgoto domiciliares e industriais; Fossas sépticas. Tal setor atualmente demanda elevados investimentos, assim como os projetos de despoluição dos rios por exem- plo.

37 Cap. 2 Pág. 492 e 496 Etapas do processo de urbanização e estruturação da rede urbana brasileira Até 1930 – Arquipélago econômico: As migrações e a urbanização ocorriam em escala regional onde as atividades econômicas desenvolviam- se de forma independente, esparsa e com pouca integração pelo território. Ex: café em São Paulo, Cana- de-açúcar, tabaco e cacau na Zona da Mata Nordestina,pecuária e policultura no Sul etc.

38 A partir de 1930 – com mais infra-estruturas de transporte e telecomunicações o mercado se unificou com tendência de concentração no Sudeste a partir da atividade urbano-industrial. Época marcada pela grande atração populacional em direção ao Rio de Janeiro e São Paulo (metrópoles); 1950 – 1980 Intenso êxodo rural e migração inter-regional com forte aumento de população metropolitana das regiões Sudeste, Nordeste e Sul. Concentração de população em cidades que cresciam velozmente.

39 A partir da Década de 80: Tendência de crescimento populacional em metrópoles regionais e cidades médias com migração urbana-urbana que partem tanto das pequenas como das grandes cidades.

40 Metrópoles brasileiras REGIÃO METROPOLITANA Conjunto de municípios contíguos e integrados sócio e economicamente a uma cidade central, com serviços públicos e infra-estruturas comuns".

41 Conurbação À medida que cidades vão se expandindo horizontalmente, ocorre a CONURBAÇÃO, ou seja, se tornam contínuas e integradas, onde os problemas de infra-estrutura urbana passam a ser comuns ao conjunto de municípios da metrópole. Exemplo: ABC paulista.

42 Brasil 26 regiões metropolitanas; 2 metrópoles nacionais: São Paulo e Rio de Janeiro (polarizam o país inteiro). Há a presença de sedes dos grandes bancos e indústrias do país, os centros de pesquisa mais avançados, as bolsas de valores, os grandes grupos de comunicação, os melhores hospitais etc.


Carregar ppt "CAP. 1 Unidade 7 O espaço urbano no mundo contemporâneo."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google