A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Joal Teitelbaum Diretor Presidente do Conselho Diretor do PGQP 07 de Novembro de 2006.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Joal Teitelbaum Diretor Presidente do Conselho Diretor do PGQP 07 de Novembro de 2006."— Transcrição da apresentação:

1 Joal Teitelbaum Diretor Presidente do Conselho Diretor do PGQP 07 de Novembro de 2006

2 1 SÉCULO DE QUALIDADE 4 Estágios A Qualidade como processo: Inspeção Final e o Conceito de descarte do produto. Foco no Produto. 1ª Grande Guerra (14/18) 1 Década de 60 Deming e Juran no Japão A Revolução do Quality Mind O conceito da Administração participativa (CCQs, TQC, 5Ss) 2 Qualidade Americana e Européia. Surge o TQM – Gerenciamento da Qualidade Total A Era do Cliente – produtos confiáveis e preços baixos e entregas rápidas. Década de 80 3 A Estratégia da Competitividade Total Qualidade é premissa e obrigação design – inovação – certificações – responsabilidade social (BSC – 6 Sigma) 4

3 Evolução da Gestão da Qualidade PRODUTOS PROCESSOS SISTEMAS CADEIA DO NEGÓCIO QUALIDADE DE VIDA E SOCIEDADE Complexibilidade Tempo CUMULATIVO

4 Os Modelos de Gestão estão mais próximos. A Gestão da Qualidade e suas Tendências As Técnicas e Ferramentas mais aprimoradas. Necessidade crescente de garantia da Qualidade da Gestão. Novos conceitos precisam ser incorporados no Sistema. Líderes e profissionais melhor preparados. Fazer mais com menos ( competitividade ).

5 Modelos de Gestão mais utilizados Gestão Critérios de Excelência/Acreditação Hospitalar Certificação Normas ISO 9000/14000/OHSAS/SA 8000 Fundamentos e Princípios Visão sistêmica Foco no cliente Liderança Abordagem por processos Valorização e envolvimento das pessoas Aprendizado e Melhoria contínua Resultados

6 Modelos de Gestão e Ferramentas mais usados ISO 9001 CRITÉRIOS DE EXCELÊNCIA PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO / BSC TQM SEIS SIGMA SA 8000 CCQ ISO Ss / MASP TQC OHSAS Sistema Integrado de Gestão BENCHMARKING

7 Condicionantes da Competitividade PARA SER COMPETITIVA, UMA ORGANIZAÇÃO PRECISA: Fazer a coisa certa, melhor que os outros e de maneira inovadora definir o seu posicionamento e suas estratégias competitivas ter eficácia operacional para realizar suas estratégias com êxito

8

9 O que somos hoje Convicções claras e fundamentais O que queremos ser (sonho)VISÃOVISÃO MISSÃOMISSÃO VALORESVALORES DIRETRIZES ESTRATÉGICA S Formulação da Estratégia

10 PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO ORIENTAÇÕES ESTRATÉGICAS VISÃO NEGÓCIO MISSÃO PRINCÍPIOS E VALORES Análise do Ambiente (Oportunidades / Ameaças) Análise da Situação (Pontos Fortes / Pontos Fracos) PRIORIZAÇÃO DE OBJETIVOS FORMULAÇÃO DE ESTRATÉGIAS DEFINIÇÃO DE PROJETOS E AÇÕES

11 Garantir o equilíbrio das contas públicas Responsabilidade Financeira Resultado para a Sociedade Foco de Atuação Visão Desenvolver a economia local Modernização da gestão pública Desenvolver uma cidade empreendedora Modernizar e integrar as tecnologias de informação Capacitar os colaboradores do serviço municipal Ser a cidade brasileira com melhor qualidade de vida, em um ambiente sustentável e participativo, através do respeito à pluralidade e da Governança Solidária Local. Promover a Inclusão Social Promover a sustentabilidad e Ambiental Fomentar as atividade industriais de alta tecnologia, construção civil e turística Promover a proteção à infância e adolescência Melhorar o acesso aos serviços de saúde Colaborar para melhorar a segurança da população Recuperar as áreas Aprimorar o saneamento degradadas da cidade básico Social Ambiental Economia Descentralizar o planejamento e a execução das ações Fomentar a intersetorialidad e Assegurar a comunicação com a população Aumentar a efetividade da arrecadação Alavancar formas alternativas de investimento Financeiro PREFEITURA DE PORTO ALEGRE Validação André Transparência Assegurar o atendimento básico da população carente Buscar a excelência operacional dos processos de suporte Governança Solidária Local Criar uma ambiência favorável aos negócios Construir a visão de cidade futura Alavancar a cultura de responsabilidade social

12

13 Heróis apagando incêndio Muitos problemas Pouco progresso Pouco tempo livre Planos são cumpridos Tempo para pensar Melhorias contínuas Poucos problemas Do Círculo Vicioso para o Círculo Virtuoso

14 PP DD AA CC PLANEJAR onde se quer Chegar: META Definir como chegar lá: MEIOS CAPACITAR as pessoas, se necessário EXECUTAR o que foi planejado VERIFICAR os resultados obtidos, comparando-os com as Metas AGIR sobre as causas, em caso de não atingimento do planejado O Ciclo do PDCA PDCA: O Método Básico do GQT

15

16 1.1 MILHÃO DE PESSOAS 7.5 MIL ORGANIZAÇÕES COM ADESÃO 130 MIL ACESSOS/MÊS NO PORTAL Organizações Diplomadas 303 Organizações Premiadas 250 MIL PESSOAS COM CAPACITAÇÃO UMA REDE COM 77 COMITÊS Voluntários do PGQP Resultados

17 Quem somos Uma organização auto-sustentável e não Governamental, que atua através de um sistema de Rede de Comitês, utilizando trabalho voluntário. 100 Entidades na Liderança 15 mil Agentes multiplicadores

18 Quem somos Missão: Promover a competitividade do Estado e a qualidade de vida das pessoas, através da busca da Excelência em Gestão. Visão : Ser referência mundial na promoção da competitividade da sua região.

19 Estrutura do PGQP

20 Estrutura do Conselho Superior do PGQP Jorge Gerdau Johannpeter Aloysio Bohnen Presidente Vice-Presidente FECOMÉRCIO FIERGS SCT SEBRAE FARSUL FEDERASUL SEDAI DIEESE Comitê Gráfico Comitê Papel/Papelão Comitê Santa Cruz do Sul Joal Teitelbaum Paulo Tigre Comitê Plástico Comitê Farmacêutico Comitê Serra Gaúcha Bolivar Moura Comitê Vale do Taquari Comitê Vale dos Sinos Comitê Transportes Comitê SENAI

21 Estrutura do Conselho Diretor do PGQP Joal Teitelbaum Bolivar Moura Diretor Presidente Diretor Vice-Presidente Paulo Tigre Diretor Vice-Presidente Controle Décio Schnack Diretor de Mobilização Claus Suffert Diretor Técnico Fernando Mattos Diretor Relações Institucionais José Paulo Martins Diretor de Marketing Eduardo Guaragna Diretor de Planejamento Estratégico João Polanczyk Diretor da Área Pública

22 Aprendizado e Crescimento Processos Clientes e sociedade Resultado Rev. em Ser referência mundial na promoção da qualidade e gestão para a competitividade da sua região - Soluções de valor agregado - Melhoria da imagem/valorização da marca - Facilitador de acesso à gestão - Otimizar resultados -Ganho de mercado -Pesquisa e Inovação Fidelização por relacionamento e soluções Pró- atividade na busca da competitividade do Estado - Infra-estrutura - Liderança - Capacitação - Alinhamento na gestão e comunicação - Atuação por segmento - Novas competências - Estrutura de Organização - Comunicação com Comitês - Margem por produtos - Rentabilidade por segmentos - Custos Financeira - Conscientização e influência - Informações relevantes - Projetos complementares - Nível estrutural - Projetos auto-sustentáveis - Credibilidade - Competência - Produtividade dos recursos - Eficiência - Banco de dados relacional - BI – Inteligência no negócio - segmentação - Reconhecimento - Motivação - Capacitação - Mobilização - Cultura de Mudança e Inovação - Melhoria sistêmica - PNQ - Benchmarking - novas soluções Cultura e gestão Tecnologia informação Organização e competências Soluções Influência Desenvolver soluções adequadas aos segmentos, visando fidelização Elevar a eficácia das Organizações Mobilizar e qualificar o setor público Articular iniciativas Estratégicas relevantes à competitividade Ser reconhecido como modelo no 3o. Setor Buscar Auto sustentação do negócio PGQP Estimular a inovação Implementar processo de relacionamento com o cliente (CRM) Mobilizar lideranças Criar alianças e relacionamentos visando soluções e articulações Implementar práticas de governança Aprimorar captação e gestão de recursos Alcançar a Excelência em gestão Manter Incentivo ao trabalho voluntário Desenvolver Sistemas de T. I. como suporte Potencializar a rede de Comitês Adequar e capacitar a S.E. Promover a competitividade do estado para melhoria da qualidade de vida das pessoas - resultados sobre competitividade -Transparência - Liderança no CS/CD - Atendimento a requisitos - priorizando os clientes atuais

23 Congresso Internacional Evento anual, que reúne aproximadamente participantes. Está em sua 7ª edição.

24 O Que Disponibilizamos às Organizações Acesso Facilitado e Baixo Investimento INFORMAÇÃO CONHECIMENTO MÉTODO DIAGNÓSTICO TREINAMENTO CERTIFICAÇÃO RECONHECIMENTO

25 Sistema de Avaliação 2006 Excelência PNQ AVALIAÇÃO DA GESTÃO 250 e 500 Nível 1 e Nível Nível 3 Prêmio Nacional da Qualidade Critérios de Excelência RELATÓRIO DE GESTÃO 1000

26 Critérios de Excelência Hoje – PNQ/PGQP ® Modelo de Excelência da FNQ

27 Prêmio Qualidade RS Objetivos Instrumento de reconhecimento às organizações que demonstrem, em avaliações especializadas, um modelo de gestão em sintonia com os critérios do Sistema de Avaliação adotado pelo PGQP. Nível 1 Nível 2 Nível 3

28 PRÊMIO QUALIDADE RS Evento anual, que reúne em torno de pessoas, para reconhecer as organizações que mais se empenharam na busca pela qualidade e competitividade. Esse evento está na sua 11ª edição.

29

30 EMPRESAS GAÚCHAS NA CONQUISTA DO PNQ A CONQUISTA DA CLASSE MUNDIAL -Copesul -Gerdau Aços Finos Piratini -Santa Casa -Dana -Joal Teitelbaum Escritório de Engenharia ® Modelo de Excelência da FNQ

31

32 Reconhecimentos Prêmio Qualidade RS – Troféu Bronze Prêmio Top de Marketing – ADVB/RS Prêmio Qualidade RS – Troféu Prata 2000 Prêmio Qualidade RS – Troféu Ouro 2001 Prêmio Qualidade RS – 2º Troféu Ouro Prêmio Top Ser Humano 2002 Prêmio Nacional da Qualidade ® Prêmio de Acreditação PALC 2003 Prêmio Qualidade RS Troféu Diamante 2004 Prêmio Top de Marketing – ADVB/RS

33 Hospital Pompéia – Caxias do Sul Taxa de Reclamações dos Clientes (%)

34 Hospital Pompéia – Caxias do Sul Média de Permanência (dias)

35 Faturamento anual em R$ (milhões) Hospital Mãe de Deus

36 Comitê Setorial da Saúde / Resultados 351 Adesões Pessoas Envolvidas 117 Organizações da Saúde com mais de 100 pontos 32 Organizações da Saúde Premiadas 04 Hospitais e 01 clínica Acreditados 08 Em processo de Acreditação SIPAGEH – cerca de 142 Hospitais, sendo 18 de fora do Estado participando do Sistema. 650 pessoas treinadas no SIPAGEH No Brasil: 50 hospitais acreditados 300 hospitais estão em processo de acreditação

37 Unimed – Porto Alegre Receita Líquida (R$)

38 PMG - Programa de Melhoria da Gestão Objetivos: Implementar uma metodologia para a melhoria da gestão dos serviços de saúde alinhada com padrões nacionais e internacionais. Estabelecer um Sistema de Gestão baseado em processos nas Organizações do Serviço de saúde. Saúde

39 Cronograma de Implementação - PMG PASSO 7: Avaliação PASSO 6: Reuniões de Acompa- nhamento PASSO 5: Implemen- tação PASSO 4: Capacitação FundamentosFundamentos Des. LíderesDes. Líderes Ger. ProcessosGer. Processos Ger. ProjetosGer. Projetos PASSO 3: Planeja- mento da Implemen- tação PASSO 2: Diagnóstico Inicial PASSO 1: Workshop de Sensibiliza- ção 12 Meses

40 Gestão do paciente Internação Ambulatório Pronto atendimento SAME Gestão de materiais Compras Suprimentos Gestão estratégica Indicadores e Metas BSC Custos hospitalares Gestão financeira Faturamento hospitalar Contas a pagar Contas a receber Gestão básica hospitalar Programa de Melhoria da Gestão Saúde

41 Programa de Melhoria da Gestão FATORES CRÍTICOS DE SUCESSO Custeio; Fontes de financiamento; Adesão; Compromisso.

42 Saúde Programa de Melhoria da Gestão PGQP Entidades de Classe Governo Capacitação Assessoria Acompanhamento Gerencial MERCADO Corpo Gestor dos Hospitais EXECUÇÃO - PGQP (CSS) - Parceiros (técnicos) - Consultorias (Credenciados) PROMOÇÃO FINANCIAMENTO Alianças/Parceria

43 Uma organização que não gera bons resultados é irresponsável Peter F. Drucker Uma Sociedade Moderna é aquela que tem instituições bem Administradas. O que esperam de nós...


Carregar ppt "Joal Teitelbaum Diretor Presidente do Conselho Diretor do PGQP 07 de Novembro de 2006."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google