A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

EMPREENDEDORISM O. Conceito Empreendedorismo – livre tradu ç ão da palavra entrepreneurship, utilizado p/designar os estudos relativos ao empreendedor.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "EMPREENDEDORISM O. Conceito Empreendedorismo – livre tradu ç ão da palavra entrepreneurship, utilizado p/designar os estudos relativos ao empreendedor."— Transcrição da apresentação:

1 EMPREENDEDORISM O

2 Conceito Empreendedorismo – livre tradu ç ão da palavra entrepreneurship, utilizado p/designar os estudos relativos ao empreendedor. Empreendedor – é aquele que destr ó i a ordem econômica existente pela introdu ç ão de novos produtos e servi ç os, pela cria ç ão de novas formas de organiza ç ão ou pela explora ç ão de novos recursos e materiais. (Joseph Schumpeter – 1949) Empreender – pôr em execu ç ão. (dicion á rio)

3 O Velho Modelo Econômico (Manufatura) Dirigidos pelos modelos cl á ssicos Recursos escassos eram os materiais raros For ç a de Trabalho (poder dos m ú sculos) Retornos pequenos Econômia de escala Barreiras de entrada Ativos F í sicos Sobrevivência dos Maiores

4 O novo modelo econômico (a era da inova ç ão empreendedora) Dirigido por novos modelos de neg ó cios Recursos escassos são imagina ç ão e conhecimento Retornos maiores Baixas barreiras de entrada Ativos intelectuais Poder do Conhecimento Sobrevivência dos Mais R á pidos

5 Porque empreendedorismo? Reino Unido Em 1998 publicou um relat ó rio a respeito do seu futuro competitivo, o qual enfatizava a necessidade de se desenvolver uma s é rie de iniciativas para intensificar o empreendedorismo na região. Alemanha Tem estabelecidos v á rios programas que destinam recursos financeiros e apoio na cria ç ão de novas empresas. Na d é cada de 90, aproximadamente 200 centros de inova ç ão foram criados, provendo espa ç o e outros recursos para empresas start-ups. Fran ç a Iniciativa para promover o ensino do empreendedorismo nas universidades, particularmente para engajar os estudantes. Incubadoras baseadas nas universidades estão sendo criadas; uma competi ç ão nacional para novas empresas de tecnologia foi lan ç ada; e uma funda ç ão de ensino de empreendedorismo foi estabelecida.

6 Início do Empreendedorismo no Brasil 1981 – FGV no Curso de Especializa ç ão em Administra ç ão – foi estendido para a Gradua ç ão – a FEA/USP ofereceu o Programa de Forma ç ão de Empreendedores – UNB criou a Escola de Empreendedores – em MG e criado o Programa REUNE.

7 Iniciativas come ç am a aumentar … Softex Empretec Brasil Empreendedor Come ç a a haver a figura do capitalista de risco Crescimento das incubadoras de empresas Ensino de Empreendorismo nas Universidades Entidades de apoio ( SEBRAE,Endeavor, Instituto Empreendedor do Ano da Ernst Young, etc.)

8 Realidade Brasileira Valor Negativo do Trabalho Estigma do Fracasso Sonho pouco vinculado ao Trabalho Busca da Estabilidade Aversão ao Risco Cultura da Dependência Imagem negativa do Empres á rio S í ndrome do Empregado.

9 Quem são os Empreendedores? O empreendedor tem um modelo que o influencia. Tem iniciativa, autonomia, autoconfiança, otimismo, necessidade de realização. O fracasso é visto como um resultado. Energia Luta contra padrões impostos. Diferencia-se. Tem a capacidade de ocupar um intervalo não ocupado por outros no mercado. Tem forte intuição. Como no esporte, o que importa não é o que se sabe, mas o que se faz. Comprometimento. Ele crê no que faz. Orientado para resultados.

10 Quem são os Empreendedores? Trabalhador incansável. Sonhador realista. É racional, mas usa também a parte direita do cérebro. Líder. Sistema próprio de relações com empregados. Líder de banda. Orientado para o futuro. Dinheiro como uma das medidas de desempenho Rede de relações moderadas. Rede interna é também muito importante. Conhecimento do negócio. Cultiva a imaginação e aprende a definir visões

11 O empreendedor é alguém que sonha e tenta transformar o seu sonho em realidade (Dolabela) Quem é o empreendedor? O empreendedor é algu é m capaz de identificar, agarrar e aproveitar oportunidade, buscando e gerenciando recursos para transformar a oportunidade em neg ó cio de sucesso (Timmons) O empreendedor imagina, desenvolve e realiza visões (Filion)

12 Em qualquer defini ç ão de empreendedorismo encontra-se, pelo menos, os seguintes aspectos referente ao empreendedor: Iniciativa para criar / inovar e paixão pelo que faz Utiliza os recursos dispon í veis de forma criativa transformando o ambiente social e econômico onde vive. Aceita assumir riscos e a possibilidade de fracassar.

13 O que é o empreendedor INVENTOREMPREENDEDOR A GRANDE MAIORIA GERENTE, ADMINISTRADOR ALTA BAIXA Criatividade e inovação Habilidades Gerenciais e know how em Business

14 Quem escolhe o que faz tem 50 vezes mais chance de ficar milionário Mark Albion, Making a Life, Make a Living (VOCÊ s.a.) Investigou profissionais com diploma de MBA nas melhores escolas americanas, há 20 anos Primeira opção de emprego: 83% (1245) escolheram emprego por causa do salário, depois fariam o realmente desejavam; 17% fariam o que lhes interessavam, não importa qual o montante de $$. 20 anos depois: entre os 1500, encontrou 101 multimilionários. Somente 1 pertencia ao primeiro grupo

15 As pessoas lembram-se de: l1l1 0 % d o q u e l ê e m l2l2 0 % d o q u e o u v e m l3l3 0 % d o q u e v ê e m l5l5 0 % d o q u e v ê e m e o u v e m l7l7 0 % d o q u e r e p e t e m l9l9 0 % d o q u e r e p e t e m e r e f a z e m

16 Há três coisas que nunca voltam atrás: a flecha lançada, a palavra pronunciada e a oportunidade perdida É melhor estar preparado para uma oportunidade e não ter nenhuma do que ter uma oportunidade e não estar preparado Um otimista vê uma oportunidade em cada calamidade. Um pessimista vê uma calamidade em cada oportunidade

17 Idéia e oportunidade Idéias não são necessariamente oportunidades A oportunidade deve se ajustar ao empreendedor Características da oportunidade: atraente, durável, tem uma hora certa, é ancorada em um produto ou serviço que cria ou adiciona valor para o seu comprador É um alvo móvel. Se alguém a vê, ainda há tempo de aproveitá-la. Um empreendedor habilidoso dá forma a uma oportunidade onde outros nada vêem, ou vêem muito cedo ou tarde. Não é questão de usar técnicas, checklists e outro métodos

18 Fontes de idéias Pesquisa universitária Olhar nas ruas Idéias que deram certo em outros lugares Experiência enquanto consumidores Experiência no emprego Mudanças demográficas e sociais Caos econômico, crises, atrasos Como usar as capacidades e habilidades pessoais Franquias

19 Frases para Pensar Esta geringon ç a tem inconvenientes demais para ser levada a s é rio como meio de comunica ç ão. Ela não tem nenhum valor para n ó s. (Memorando interno da Western Union sobre o telefone em 1876) Quem pagaria para ouvir uma mensagem enviada a ningu é m em particular? (S ó cios de David Sarnof, fundador da RCA, em resposta a sua consulta urgente sobre investimentos em r á dio nos anos 20) O conceito é interessante e bem estruturado, mas, para merecer uma nota melhor do que 5, a id é ia deveria ser vi á vel. (Examinador da Univ.de Yale sobre tese de Fred Smith propondo um servi ç o confi á vel de malote. – Smith viria a ser o fundador da Federal Express)

20 Frases para Pensar Quem se interessaria em ouvir os atores? (H.M.Warner, da Waner Brothers, no auge do cinema mudo em 1927) Se eu tivesse pensado a respeito disso, não teria feito a experiência. A literatura est á cheia de exemplos mostrando que isso não pode ser feito. (Spencer Silver, sobre seu projeto que resultou nos adesivos Post-It da 3M) Tudo que poderia ser inventado j á o foi. (Charles H. Duell, diretor do Departamento de Patentes dos EUA em 1899, ao propor o fechamento da se ç ão de registro de novas patentes)

21

22 Conjunto de Realiza ç ão Busca de Oportunidades e iniciativa: Faz as coisas antes de solicitado ou for ç ado pelas circunstâncias; Age para expandir o neg ó cio a novas á reas, produtos ou servi ç os; Aproveita oportunidades fora do comum para come ç ar um neg ó cio, obter financiamento, equipamentos, terrenos, local de trabalho ou assistência.

23 Conjunto de Realiza ç ão Persistência: Age diante de um obstáculo significativo; Age repetidamente ou muda de estratégia, a fim de enfrentar um desafio ou superar um obstáculo; Assume responsabilidade pessoal pelo desempenho necessário ao atingimento de metas e objetivos.

24 Conjunto de Realiza ç ão Correr riscos calculados: Avalia alternativas e calcula riscos deliberadamente; Age para reduzir os riscos ou controlar os resultados; Coloca-se em situa ç ões que implicam desafios ou riscos moderados.

25 Conjunto de Realiza ç ão Exigência de qualidade e eficiência: Encontra maneiras de fazer as coisas melhor, mais r á pido, ou mais barato; Age de maneira a fazer coisas que satisfazem ou excedem padrões de excelência; Desenvolve ou utiliza procedimentos para assegurar que o trabalho seja terminado a tempo ou que o trabalho atenda padrões de qualidade previamente combinados.

26 Conjunto de Realiza ç ão Comprometimento: Faz um sacrif í cio pessoal ou despende um esfor ç o extraordin á rio para completar uma tarefa; Colabora com os empregados ou se coloca no lugar deles se necess á rio para terminar um trabalho. Se esmera em manter os clientes satisfeitos e coloca em primeiro lugar a boa vontade a longo prazo, acima do lucro a curto prazo.

27 Conjunto de Planejamento Busca de Informa ç ões: Dedica-se pessoalmente a obter informa ç ões de clientes, fornecedores e concorrentes; Investiga pessoalmente, como fabricar um produto ou fornecer um servi ç o; Consulta especialistas para obter assessoria t é cnica ou comercial.

28 Conjunto de Planejamento Estabelecimento de Metas: Estabelece metas e objetivos que são desafiantes e que têm significado pessoal; Define metas de longo prazo, claras e espec í ficas; Estabelece objetivos de curto prazo mensur á veis.

29 Conjunto de Planejamento Planejamento e monitoramento sistem á tico: Planeja dividindo tarefas de grande porte em subtarefas com prazos definidos; Constantemente revisa seus planos levando em conta os resultados obtidos e mudan ç as circunstanciais; Mant é m registros financeiros e utiliza-os para tomar decisões.

30 Conjunto de Poder Persuasão e rede de contatos: Utiliza estrat é gias deliberadas para influenciar ou persuadir os outros; Utiliza pessoas-chave como agentes para atingir seus pr ó prios objetivos; Age para desenvolver e manter rela ç ões comerciais.

31 Conjunto de Poder Independência e autoconfian ç a: Busca autonomia em rela ç ão a normas e controles de outros; Mant é m seu ponto de vista mesmo diante da oposi ç ão ou de resultados desanimadores; Expressa confian ç a na sua pr ó pria capacidade de complementar uma tarefa dif í cil ou de enfrentar um desafio.


Carregar ppt "EMPREENDEDORISM O. Conceito Empreendedorismo – livre tradu ç ão da palavra entrepreneurship, utilizado p/designar os estudos relativos ao empreendedor."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google