A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

INTRODUÇÃO À MICROBIOLOGIA E À PARASITOLOGIA. DEFINIÇÃO A microbiologia é o ramo da biologia dedicado ao estudo dos seres microscópicos, geralmente muito.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "INTRODUÇÃO À MICROBIOLOGIA E À PARASITOLOGIA. DEFINIÇÃO A microbiologia é o ramo da biologia dedicado ao estudo dos seres microscópicos, geralmente muito."— Transcrição da apresentação:

1 INTRODUÇÃO À MICROBIOLOGIA E À PARASITOLOGIA

2 DEFINIÇÃO A microbiologia é o ramo da biologia dedicado ao estudo dos seres microscópicos, geralmente muito pequenos para serem observados a olho nu. MIKROS = PEQUENO BIOS = VIDA LOGOS = CIÊNCIA MicrobiologiaMicrobiologia

3 SURGIMENTO Especulação do homem sobre a origem da vida, sobre as fontes das doenças epidêmicas e transmissíveis, da putrefação da matéria e processos de fermentação. Civilizações antigas, as causas das doenças infecciosas eram atribuídas a natureza (cometa, desagrado a divindade), preconizava-se alguns métodos de higiene e quarentena.

4 INTERESSE BIOLÓGICO  A maioria das bactérias, vírus, fungos e parasitas produzem graves doenças nos animais, em especial nos seres humanos, atuando desta forma de maneira nociva nestes organismos.  Sistemas essenciais à sobrevivência humana. Processos industriais como a fermentação alcoólica e a do leite, além da produção de antibióticos e diversos compostos químicos.

5 ABORDAGEM HISTÓRICA  Invenção e o aprimoramento do microscópio;  Antonie van Leeuwenhoek (holandês), comerciante e hábil construtor de lentes, (final do século XVII) o primeiro a registrar descrições adequadas de suas observações.

6 Réplica do microscópio construído por Leeuwenhoek e de suas ilustrações, descrevendo os "animálculos" observados.

7 LOUIS PASTEUR  processos fermentativos resultam da atividade de microrganismos (deterioração do vinho, do vinagre e da cerveja);  utilizou o calor para destruir os agentes patogênicos contidos em alimentos l í quidos.

8 ROBERT KOCK  Em 1882, Koch descobriu o bacilo da tuberculose e, um ano depois, o microrganismo responsável pela cólera asiática;  também em 1883 foi identificada a bactéria causadora da difteria.

9 BACTÉRIAS

10  Incluídos entre os menores seres vivos conhecidos, as bactérias estão presentes em toda parte: no solo, na água, no ar e em outros seres vivos;  Embora algumas espécies causem graves enfermidades, a função biológica desses microrganismos é indispensável, principalmente nos processos de fermentação; BACTÉRIAS

11  Bact é ria é um ser procariote, isto é, não possui n ú cleo propriamente dito, como ocorre nas c é lulas vegetais e animais, e o material gen é tico, reunido numa determinada região celular, não se isola fisicamente do resto dos componentes celulares por uma membrana. Por isso, são consideradas um grupo de seres vivos à parte. BACTÉRIAS

12 VÍRUS

13  V í rus são agentes infecciosos de tamanho ultramicrosc ó pico (com diâmetro entre 20 e 250 nanômetros), 1000x menores as menores bact é rias ;  Desprovidos de estrutura celular e dependentes de outras c é lulas vivas para se multiplicarem e propagarem ; VÍRUS

14  Consistem de um n ú cleo de á cido nucl é ico (DNA ou RNA), envolto por uma c á psula externa prot é ica (caps í deo). Alguns apresentam ainda um envelope externo composto de lip í dios e prote í nas;  O á cido nucl é ico (cole ç ão de genes), e o caps í deo o protege e apresenta mol é culas que facilitam a invasão da c é lula hospedeira; VÍRUS

15  em virtude de sua simplicidade, os v í rus foram inicialmente considerados formas de vida primitivas. Esse conceito é tido como incorreto porque os v í rus, destitu í dos das estruturas respons á veis pelo exerc í cio das fun ç ões vitais, não sobreviveriam à ausência de c é lulas hospedeiras. É então mais prov á vel que os v í rus tenham evolu í do a partir das c é lulas e não o contr á rio. VÍRUS

16 FUNGOS

17  Por muito tempo inclu í dos no reino vegetal, apesar de carecerem de clorofila e possu í rem caracter í sticas muito diferentes das que apresentam as plantas, os fungos são hoje classificados em reino independente ;  Parasitos das plantas cultivadas, permitem a produ ç ão de antibi ó ticos e favorecem muitos processos de fermenta ç ão ; FUNGOS

18  Alguns são apreciados tamb é m como alimento ;  Fungo é o organismo vivo simples heterotr ó fico, isto é, incapaz de sintetizar mat é ria orgânica a partir de substâncias inorgânicas, cujo corpo é formado somente de um talo unicelular ou pluricelular ;  Semelhante à s plantas em alguns aspectos; FUNGOS

19  J á foram descritas cerca de cinq ü enta mil esp é cies ;  Os fungos encontram-se em habitats muito diversos: em meio aqu á tico, no solo, no ar, sobre part í culas em suspensão ou ainda à custa das plantas e tamb é m dos animais, que muitos deles parasitam ;  Aparecem onde quer que exista certo grau de umidade ; FUNGOS

20 PROTOZOÁRIOS*

21  Antes da inven ç ão do microsc ó pio, ningu é m teria imaginado que o min ú sculo espa ç o de uma gota d' á gua procedente de um charco pudesse ser o habitat de centenas de pequenos seres unicelulares capazes de vida independente. Esses seres são os protozo á rios ;  Protozo á rios são pequenos seres vivos, em geral microsc ó picos, unicelulares e eucariotas, do reino dos protistas ; PROTOZOÁRIOS*

22  os protozo á rios vivem na á gua ou em qualquer ambiente que conserve um alto grau de umidade e tamb é m como parasitos nos humores de animais ;  algumas esp é cies podem ser ú teis na purifica ç ão de filtros de á gua e de esgotos em esta ç ões de tratamento, mas h á tamb é m os causadores de mol é stias graves. PROTOZOÁRIOS*

23 ParasitologiaParasitologia É a ciência que estuda os organismos que vivem, temporária ou permanentemente, em outros com o objetivo de conseguir alimento, bem como, suas inter-relações. Parasitismo x Comensalismo

24 Desequilíbrio = Parasitismo DOENÇA Leishmaniose – L. amazonensis Doença de Chagas – T. cruzi Malária – Plasmodium falciparum Teníase – Teania solium Helmintos Artrópodes Protozoários*

25 Termos de Interesse em Parasitologia Fômite  objetos que podem veicular o parasita. Reservatório  organismo vivo, solo, planta ou matéria orgânica que abriga o parasita, propiciando sua sobrevivência e multiplicação. Hematofagia  ato de se alimentar de sangue. Septicemia  disseminação da infecção no hospedeiro.

26 Termos de Interesse em Parasitologia Habitat  local ou órgão onde vive determinado parasita. Hospedeiro  organismo que alberga o parasita. Hospedeiro definitivo e intermediário Vetor  artrópodo, molusco, etc, que transmite o parasita entre dois hospedeiros. Profilaxia  “Meios e métodos utilizados para prevenir, erradicar ou controlar as doenças”.


Carregar ppt "INTRODUÇÃO À MICROBIOLOGIA E À PARASITOLOGIA. DEFINIÇÃO A microbiologia é o ramo da biologia dedicado ao estudo dos seres microscópicos, geralmente muito."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google