A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

PREVALÊNCIA DE SÍNDROME METABÓLICA EM PROFISSIONAIS MOTORISTAS. Avany F. Pereira, Ana Elisa. M. Rinaldi, Wilson Luvizotto Medina, João Felipe Mota Franz.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "PREVALÊNCIA DE SÍNDROME METABÓLICA EM PROFISSIONAIS MOTORISTAS. Avany F. Pereira, Ana Elisa. M. Rinaldi, Wilson Luvizotto Medina, João Felipe Mota Franz."— Transcrição da apresentação:

1 PREVALÊNCIA DE SÍNDROME METABÓLICA EM PROFISSIONAIS MOTORISTAS. Avany F. Pereira, Ana Elisa. M. Rinaldi, Wilson Luvizotto Medina, João Felipe Mota Franz H. P. Burini, Roberto C. Burini CeMENutri -Centro de Metabolismo em Exercício e Nutrição. Departamento de Saúde Pública - Faculdade de Medicina de Botucatu- UNESP.

2 RESUMO Introdução: A Síndrome Metabólica (SM) é representada pelo conjunto de alterações metabólicas que elevam o risco para desenvolvimento e/ou agravam as doenças crônicas não- transmissíveis. Objetivo: Avaliar a prevalência de SM e seus componentes em universo de motoristas da UNESP. Métodos: Foram estudados 87 homens com média de idade de 46+7 anos e IMC de 28,6 + 3,9 kg/m 2. Para análise das concentrações de glicose, triglicerídios e HDL-colesterol realizou-se coleta de sangue após jejum de 12 horas pelo método enzimático colorimétrico. A circunferência da cintura foi medida com fita métrica inelástica e inextensível no ponto médio entre a última costela e a crista ilíaca. Para diagnóstico da SM foi utilizado o critério do NCEP/ ATPIII, Para o cálculo das prevalências e médias utilizou-se análise estatística descritiva e teste t- student (dependente) para verificar diferença entre as médias, com nível de significância de 5%. Resultados: Pode-se observar que o componente mais prevalente foi o HDL-colesterol (60,9%), seguido dos triglicerídios (47,1%) e circunferência da cintura (39%). Dentre os participantes do estudo 26,4% (n=23) apresentaram SM. Dos quatro componentes avaliados todos apresentaram valores médios significativamente diferentes quando comparados aos não portadores de SM. O principal componente observado nos indivíduos sem SM foi a hipertrigliceridemia (100%), seguida da hiperadiposidade abdominal (91%), HDL-colesterol reduzido (87%) e hiperglicemia (30%). Conclusões: Foi observada elevada prevalência de SM com ênfase na hipertrigliceridemia e hiperadiposidade abdominal nos motoristas avaliados. Este fato sugere a necessidade de intervenção com mudança do estilo de vida, objetivando a redução do risco associado a SM. Apoio: CNPq/CAPES/FAPESP.

3 INTRODUÇÃO Síndrome Metabólica FATORES DE RISCO DOENÇAS CRÔNICAS NÃO TRANSMISSÍVEIS Hiperglicemia HDL-reduzido Hipertensão Arterial Hiperadiposidade abdominal (+) Hipetrigliceridemia SEDENTARISMO MÁ ALIMENTAÇÃO

4 OBJETIVO Avaliar a prevalência de síndrome metabólica e de seus componentes em universo de motoristas da UNESP.

5 INDIVÍDUOS Todos os participantes do estudo assinaram o termo de consentimento livre e esclarecido. Pesquisa aprovada pelo comitê de ética e pesquisa da Faculdade de Medicina de Botucatu Foram estudados 87 homens Profissionais motoristas da UNESP.

6 MÉTODOS Medida de pressão arterial: - Avaliação Clinica (aparelho digital OMRON, mod. HEM-413C) Avaliação da composição corporal: - Peso corporal e estatura (Balança digital do tipo plataforma); - Índice de Massa Corporal (IMC) = kg/m 2 (WHO,2002) - Circunferência de cintura: Fita inelástica e inextensível. Padrões de normalidade: Homens <102 cm, Mulheres < 88 cm. Dosagens Bioquímicas: - Glicose e triglicerídios (Química seca - Johnson & Johnson 750/950) - HDL-colesterol – método enzimático colorimétrico CRITÉRIO DIAGNÓSTICO DE SÍNDROME METABÓLICA: NCEP/ ATP III (2001)

7 ANÁLISE ESTATÍSTICA Análise estatística descritiva Teste T- student dependente para verificar diferença entre as médias Nível de significância – 5%

8 RESULTADOS HDL-colesterol (mg/dL) 98 25Glicose (mg/dL) 85 9 PAD (mmHg) PAS (mmHg) 46 7 Idade (anos) Indivíduos (n=87) Variáveis Tabela 1 – Caracterização geral da amostra PAS- pressão arterial sistólica; PAD- pressão arterial diastólica; IMC – índice de massa corporal. Triglicerídios (mg/dL) ,6 3,9IMC (kg/m 2 ) Circunferência de cintura (kg/m 2 ) 40 7,

9 RESULTADOS % Indivíduos Figura 1 – Prevalência de síndrome metabólica

10 RESULTADOS Figura 2 – Percentual de componentes mais prevalentes nos portadores de Síndrome Metabólica HDL-reduzido TG- hipertrigliceridemia %

11 CONCLUSÕES - Foi observada elevada prevalência de SM com ênfase na hipertrigliceridemia e na hiperadiposidade abdominal nos motoristas avaliados. -Este fato sugere a necessidade de intervenção com mudança de estilo de vida, objetivando a redução do risco associado a SM.


Carregar ppt "PREVALÊNCIA DE SÍNDROME METABÓLICA EM PROFISSIONAIS MOTORISTAS. Avany F. Pereira, Ana Elisa. M. Rinaldi, Wilson Luvizotto Medina, João Felipe Mota Franz."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google