A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Paulo Varela Sendin, Engº Agrº

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Paulo Varela Sendin, Engº Agrº"— Transcrição da apresentação:

1 O PAPEL DO TERCEIRO SETOR NA DEFINIÇÃO DE ARRANJOS LOCAIS DE INOVAÇÃO: O CASO DA ADETEC
Paulo Varela Sendin, Engº Agrº ADETEC - Associação do Desenvolvimento Tecnológico de Londrina XXII Simpósio de Gestão da Inovação Tecnológica – Salvador, BA – Novembro, 2002

2 Desenvolvimento da Região de Londrina 1930/1980
Desbravamento e rápida colonização: pequena propriedade e exploração cafeeira    “Capital do Café” até meados da década de 70. Mercado, Economia e fatores climáticos (geada de 1975): Erradicação do Café Opção por culturas anuais mecanizadas (Soja, Milho, Trigo) Conseqüência: concentração de propriedades e de renda Perda da “identidade cultural”: Londrina passa a ser a “Ex-Capital do Café” Permanência do Café como “cultura”: Estádio do Café; Shopping Catuaí; Hotel Sumatra Busca de uma nova identidade

3 Londrina de Capital do Café a Tecnópolis
MUNDIAL DO CAFÉ IDENTIDADE Desestruturação SOJA BÓIA-FRIA Conhecimento Inovação TI PEQUENA PROPRIEDADE + CAFEICULTURA FLORESTA Ganho de Qualidade Construção Civil Serviços´(Saúde / Telecom) 1920 1930 1940 1950 1960 1970 1980 1990 2000 2010 2020

4 Criação da ADETEC: Discussões Iniciais - 1988
Poucos participantes e reuniões informais (IAPAR e UEL) Preocupação inicial com baixa disponibilidade de informações organizadas Proposta de um Centro de Estudos Estratégicos e de um Centro de Informações Estatísticas Integração das entidades de Ensino e Pesquisa da Região: UEL, CESULON, IAPAR, EMBRAPA/Soja Idéia de um Conselho Deliberativo: comunidade acadêmica, empresarial e política da região para direcionar as atividades das estruturas propostas. Razoável detalhamento das propostas, mas o voluntarismo do processo e a impossibilidade de institucionalização inviabilizaram a implementação.

5 O Projeto Rumos do Norte: 1990
Retomada das discussões em fevereiro de 1990, com apoio político (Câmara Municipal) e financeiro (Banco Bamerindus) Propostas de debates sobre os rumos do desenvolvimento de Londrina e região Participação da Sociedade e boa cobertura da imprensa local Proposta do “Encontro do Norte do Paraná” Evento realizado em 01 de junho de 1990 usando os nomes de Movimento Rumos do Norte ou Projeto Rumos do Norte: ênfase no caráter regional e não apenas Londrina

6 O Projeto Rumos do Norte: 1990
Discussão prévia (18 a 26 de maio) dos temas em 8 reuniões. Mobilização regional, com reuniões ocorrendo também em outras cidades que não Londrina Participação de cerca de 200 lideranças locais/regionais nas reuniões prévias e perto de 160 pessoas no evento, que foi realizado em torno de 5 painéis: Ciência e Tecnologia Questões Sociais Agropecuária Indústria Comércio/Serviços.

7 Resultado do Rumos do Norte
Despertar sobre os aspectos principais do “Desenvolvimento Econômico” e diferenças com “Crescimento Econômico” Percepção da necessidade de se institucionalizar o processo Proposta de criação da Fundação Rumos do Norte visando “... ações concretas na área científica, de qualquer ordem, para a retomada e a dinamização do desenvolvimento do Norte do Estado do Paraná ...” Permanência futura (na criação da ADETEC) dos conceitos sobre a necessidade de embasamento científico-tecnológico do Desenvolvimento, da importância da abordagem regional e de que a melhor forma de institucionalizar o processo seria através de uma ONG ou entidade do Terceiro Setor

8 Proposta de um Pólo Tecnológico – 1992/93
Fins de 1992: elaboração pelo Profº Ivan Dias, da UEL, do documento Proposta de Industrialização de Londrina baseada no Desenvolvimento de um Pólo Tecnológico, discutido intensamente junto a lideranças locais, tanto no meio técnico-acadêmico como junto à Sociedade em geral. Boa receptividade em vários setores e destaque na mídia local Comparava a região de Londrina com outros pólos de desenvolvimento no Brasil como São Carlos, SP; Campinas, SP; São José dos Campos, SP, Santa Rita do Sapucaí, MG e Florianópolis, SC. Foco na boa disponibilidade de infra-estrutura tecnológica na região e necessidade de articulação entre esses ativos e deles com o setor produtivo. A proposta induziu um debate na comunidade local resgatando as discussões anteriores, como as do Rumos do Norte

9 A criação da ADETEC Fundação da ADETEC: 23.setembro reunião realizada na Folha de Londrina. Estrutura inicial: Conselho Deliberativo, 3 Membros Honorários e 14 Membros Efetivos, representando entidades: Folha de Londrina, UEL, Prefeitura Municipal, Câmara Municipal de Londrina, CODEL, SENAI, IAPAR, SERCOMTEL, TELEPAR, FUNTEL, COPEL, EMBRAPA/Soja, ACIL e SEBRAE. Diretoria Executiva, 7 membros vinculados à Folha de Londrina, CODEL, Câmara Municipal, SERCOMTEL, FIEP, UEL e ACIL. Diretoria Técnica: analisar propostas e formular políticas no âmbito científico-tecnológico, integrada por 9 membros ligados à UEL, SENAI, IAPAR, TELEPAR, FUNTEL, COPEL e SEBRAE.   Objetivo forma da ADETECl: “... articular ou aprovar projetos, programas, e todo tipo de ação voltado para o desenvolvimento tecnológico de Londrina e região, que resultem em progresso social e cultural de sua população”.

10 Atuação da ADETEC: 1993 / 2002 (1) Região de Londrina: de “arranjo de inovação” para “sistema de inovação” Reconhecimento da necessidade de construção de uma “cultura” favorável à inovação na região Implantação da Incubadora Industrial de Londrina – INCIL, gerenciada pela ADETEC de 1995 a 1999 com grande sucesso Implantação do Núcleo SOFTEX em 1995, hoje com cerca de 45 associados Lançamento em 1998 da RURALTECH – Mostra Competitiva do Agronegócio, que, ao longo de 5 anos, premiou 28 projetos

11 Atuação da ADETEC: 1993 / 2002 (2) Criação, em 1996, do Prêmio Destaque Tecnológico de Londrina, com apoio do Banco do Brasil, que em 7 edições agraciou 30 pessoas, instituições e grupos de pesquisa Evento sobre desenvolvimento tecnológico regional, denominado Jornada Tecnológica, realizado desde 1994, onde se debate esse tema com a presença de especialistas nacionais e internacionais Na V Jornada Tecnológica, no final de 1998, foi elaborada uma Carta de Intenções, assinada por diversas lideranças locais, manifestando o compromisso com a implantação de um pólo tecnológico na região

12 Atuação da ADETEC: 1993 / 2002 (3)  Elaboração de um diagnóstico sobre as potencialidades e problemas tecnológicos regionais (2000) Edição do livro Os segmentos econômicos de Londrina e região: análise das potencialidades e problemas visando a estruturação de um Pólo de Inovação Tecnológica (2001) Diversos papers produzidos pela equipe da ADETEC e apresentados em eventos da área de Gestão de C&T Aprovação e financiamento, pela FINEP, do Programa Londrina Tecnópolis, que está sendo executado no ano de 2002.

13 Conclusões Processo de estruturação altamente dependente das características dos atores (pessoas e organizações) envolvidos, dificultando extrapolação da experiência. Necessidade de um Project Champion (pessoa ou grupo) altamente comprometido com a “causa”, para motivar e liderar a comunidade. Imprescindível se dispor na região de estruturas de C&T de um razoável porte, para construir algo como um “arranjo local de inovação”, ou “sistema local de inovação” ou, no futuro, chegar a se ter uma Tecnópolis digna desse nome. Redirecionamento da economia brasileira: maior abertura para os mercados externos e a nova situação de competição tem impacto na aceitação das idéias levantadas pela entidade.

14 “Nada é mais forte do que uma idéia cuja época tenha chegado”
Conclusões A partir de 1994: estabilização econômica, discussão do papel do Estado, descentralização administrativa, importância dos blocos regionais de comércio, nova legislação sobre patentes e propriedade intelectual, novos conceitos da “sociedade do conhecimento” contribuíram para a consolidação da ADETEC. Mudanças positivas mais recentes no Sistema Nacional de C&T (Fundos Setoriais, discussão da política de C&T com a Sociedade, nova Lei de Inovação) vão acelerar os processo de inovação tecnológica e reforçar o papel e as possibilidades de atuação de entidades como a ADETEC na definição de arranjos e sistemas locais de inovação. Necessidade de uma análise mais detalhada da “história da ADETEC”, antes que o passar do tempo limite o acesso aos documentos e atores relevantes para essa análise. Importante também que essa análise seja feita por pessoas que não participaram diretamente do processo, para garantir maior isenção “Nada é mais forte do que uma idéia cuja época tenha chegado”

15 ADETEC – Associação do Desenvolvimento Tecnológico de Londrina
Obrigado Paulo Varela Sendin, Engº Agrº Gerente Sistema de Informações e Apoio a Projetos - SIAP / ADETEC ADETEC – Associação do Desenvolvimento Tecnológico de Londrina - Fone/Fax: (43)


Carregar ppt "Paulo Varela Sendin, Engº Agrº"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google