A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

LOGÍSTICA EMPRESARIAL – 3 Modais em Transportes. URBANAINTERURBANAINTERNACIONAL PASSAGEIROSÔNIBUSTREMMETRÔ AUTOMÓVEL PARTICULAR TAXIVANÔNIBUSAUTOMÓVELPARTICULARAVIÃOTREMÔNIBUSNAVEGAÇÃOAUTOMÓVELPARTICULARAVIÃO.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "LOGÍSTICA EMPRESARIAL – 3 Modais em Transportes. URBANAINTERURBANAINTERNACIONAL PASSAGEIROSÔNIBUSTREMMETRÔ AUTOMÓVEL PARTICULAR TAXIVANÔNIBUSAUTOMÓVELPARTICULARAVIÃOTREMÔNIBUSNAVEGAÇÃOAUTOMÓVELPARTICULARAVIÃO."— Transcrição da apresentação:

1 LOGÍSTICA EMPRESARIAL – 3 Modais em Transportes

2 URBANAINTERURBANAINTERNACIONAL PASSAGEIROSÔNIBUSTREMMETRÔ AUTOMÓVEL PARTICULAR TAXIVANÔNIBUSAUTOMÓVELPARTICULARAVIÃOTREMÔNIBUSNAVEGAÇÃOAUTOMÓVELPARTICULARAVIÃO CARGASCAMINHÃOVANMOTOCICLETACAMINHÃOTREMNAVEGAÇÃODUTONAVEGAÇÃOCAMINHÃOTREMAVIÃODUTO T IPODEDEMANDA ESCALA DOS FLUXOS DE TRANSPORTES

3 SISTEMAS INTERMODAL E MULTIMODAL A otimização das operações de transportes inclui a utilização conjunta de vários tipos de modais, de forma a obter o máximo de cada um deles.

4 SISTEMAS INTERMODAL E MULTIMODAL É a integração de todos os tipos de transportesÉ a integração de todos os tipos de transportes. Eficiência, rapidez e segurança não podem ser comparados separadamente quando se decide transportar qualquer mercadoriaEficiência, rapidez e segurança não podem ser comparados separadamente quando se decide transportar qualquer mercadoria.

5 INTERMODALIDADE Utilização conjunta de mais de um modal, onde são utilizados documentos fiscais individuais para cada tipo de modal. Lei 9.611, de 19 de fevereiro de 1988, regulamentou a figura do operador de transporte multimodal ( OTM ), que pode realizar operações porta a porta ( da origem ao destino ) regidas por um único contrato. Há necessidade de possuir ativos necessá rios à execução do transporte.

6 MULTIMODALIDADE Integração total da cadeia de transporte, de modo a permitir um gerenciamento integrado dos modais utilizados, bem como das operações de transferência, com a aplicação de um único documento. Uma das maiores dificuldades apresentadas na utilização está na operação de transbordo de carga de um modal para outro.

7 Tipos de Transportes RodoviárioRodoviário Aéreo Aéreo FerroviárioFerroviário Áquaviário Áquaviário DutosDutos

8 Logística dos Transportes (cenários para o ano e 2010) Carga Transportada Shell Planet 55,6% Rodovia-1997: 55,6% 37,2% 37,2% 39,7% 39,7% 22,6 Ferrovia-1997: 22,6% 30,4% 30,4% 30,5% 30,5% 17,1 Aquaviário-1997:17,1% 24,9% 24,9% 22,0% 22,0% 4,3 Dutos-1997: 4,3% 6,0% 6,0% 5,5% 5,5% 0,4 Aéreo-1997: 0,4% 1,5% 1,5% 2,3% 2,3% FONTE: PLANET-UFRJ e SHELL

9 TRANSPORTE E CARGAS Rodovia: ideal para cargas de peso médio e para distâncias de 500 km, com prazo de entregaRodovia: ideal para cargas de peso médio e para distâncias de 500 km, com prazo de entrega em torno de 24 horas. em torno de 24 horas.

10 TRANSPORTE E CARGAS Ferrovia : Ferrovia : indicada para cargas pesadas, com valor agregado relativamente baixo e ou menos visadas, com o prazo de entrega bem equacionado.indicada para cargas pesadas, com valor agregado relativamente baixo e ou menos visadas, com o prazo de entrega bem equacionado. Deve ser utilizado para distâncias superiores a 500 km e inferiores a km.Deve ser utilizado para distâncias superiores a 500 km e inferiores a km.

11 TRANSPORTE E CARGAS Aéreo : cargas leves de maior valor agregado, distâncias acima de km e menor tempo para entrega.Aéreo : cargas leves de maior valor agregado, distâncias acima de km e menor tempo para entrega.

12 TRANSPORTE E CARGAS AQUAVIÁRIO :AQUAVIÁRIO : Cargas diversas, tendência conteinerizada, face à rapidez na movimentação de embarque e desembarque, garantia na qualidadeCargas diversas, tendência conteinerizada, face à rapidez na movimentação de embarque e desembarque, garantia na qualidade do produto até seu destino. do produto até seu destino. Prazo de entrega bem equacionada e valor de frete considerado aceitável.Prazo de entrega bem equacionada e valor de frete considerado aceitável.

13 TRANSPORTE E CARGAS DUTOS :DUTOS : Produtos especializados na forma de gás, líquida e granulada, no sistema pipeline com terminais e rotas fixas.Produtos especializados na forma de gás, líquida e granulada, no sistema pipeline com terminais e rotas fixas. Transfere grande quantidade de produtos.Transfere grande quantidade de produtos.

14 Rodovias no Brasil Pesquisa da Confederação Nacional de Transporte – ,7 % das estradas brasileiras estão em estado precário.74,7 % das estradas brasileiras estão em estado precário. Em km há fundamentos, ondulações e buracos.Em km há fundamentos, ondulações e buracos. Para recuperar todas as rodovias são necessários investimentos de 8 bilhões de reais.Para recuperar todas as rodovias são necessários investimentos de 8 bilhões de reais.

15 Rodovias no Brasil PAVIMENTADA PAVIMENTADA TOTAL NÃO SIM Nordeste : , , , , , ,0 Brasil : , , ,0 FONTE: CONFEDERAÇÃO NACIONAL DE TRANSPORTES-2004 Total de Cargas transportadas: 517 milhões de toneladas / ano. 517 milhões de toneladas / ano.

16 FERROVIAS Extensão da malha ferroviária : Total : km Concedida : km ( 96 % ) Transporte de carga : toneladas Transporte de passageiros : 1,55 milhão de pessoas 1,55 milhão de pessoas FONTE : Anuário Exame

17 FERROVIAS A malha ferroviária é de km.A malha ferroviária é de km. O traçado da malha é 30 % mais longo que as das rodovias ( sinuosidades e fortes rampas ).O traçado da malha é 30 % mais longo que as das rodovias ( sinuosidades e fortes rampas ). Velocidade média dos trens é de apenas 23 km/hora contra 35,5 km/hora dos trens americanos.Velocidade média dos trens é de apenas 23 km/hora contra 35,5 km/hora dos trens americanos. Distâncias entre trilhos (bitolas) diferentes entre trechos da malha.Distâncias entre trilhos (bitolas) diferentes entre trechos da malha. Fonte : Agência Nacional de Transportes Ferroviários- ANFT

18 FERROVIAS Frota ferroviária : Vagões unidades Vagões : unidades Carros 108 unidades Carros : 108 unidades Locomotivas unidades Locomotivas : unidades Fonte : Associação Nacional dos Transportes Ferroviários- ANTF-2005

19 FERROVIAS Preço médio do equipamento : Nacional Importado Nacional Importado Vagões : R$ US$ Carros : R$ Locomotivas : R$ 1 milhão * US$ 2 milhões * Locomotiva importada usada e nacionalizada FONTE : Associação Nacional de Transportes Ferroviários- ANTF-2500

20 FERROVIAS

21 FERROVIAS DO NORDESTE EXTENSÃO: Km.EXTENSÃO: Km. Concessões:Concessões: Companhia Ferroviária do Nordeste – CFN Companhia Ferroviária do Nordeste – CFN AL, PE, PB, RN, CE, PI, MA ( km ). AL, PE, PB, RN, CE, PI, MA ( km ). Ferrovia Centro Atlântica – FCA Ferrovia Centro Atlântica – FCA BA, SE ( km ). BA, SE ( km ).

22 FERROVIAS DO NORDESTE

23 AQUAVIÁRIO HIDROVIÁRIO HIDROVIÁRIO O setor aquaviário tem crescido 20% ao ano.O setor aquaviário tem crescido 20% ao ano. Extensão da malha hidroviária brasileiraExtensão da malha hidroviária brasileira km km. Extensão utilizada atualmente : km (20,2 % ).Extensão utilizada atualmente : km (20,2 % ).

24 HIDROVIAS Cargas transportadas : toneladas Cargas transportadas : toneladas O movimento de cargas é muito baixo se O movimento de cargas é muito baixo se comparado ao de outros tipos de transporte. comparado ao de outros tipos de transporte. O Brasil é um dos países que menos usa o O Brasil é um dos países que menos usa o transporte hidroviário. transporte hidroviário. O uso das hidrovias nunca foi uma prioridade, O uso das hidrovias nunca foi uma prioridade, foi construída uma série de obras que atrapalham foi construída uma série de obras que atrapalham a navegação. a navegação. Pontes que dificultam passagem, falta de eclusas Pontes que dificultam passagem, falta de eclusas e muitas usinas hidrelétricas. e muitas usinas hidrelétricas.

25 PORTOS Extensão da costa marítima : km Extensão da costa marítima : km Número de portos : Número de portos : Tipos Quantidade Tipos Quantidade Terminais privativos fora do cais 43 Terminais privativos fora do cais 43 Portos de administração pública 36 Portos de administração pública 36 Portos de administração privada 3 Portos de administração privada 3 Total 82 Total 82

26 PORTOS Quantidade anual de carga operada nos portos Tipo Quantidade % ( toneladas ) ( toneladas ) Carga de granéis sólidos Carga de granéis líquidos Carga geral Total

27 PORTOS Tipos de navegação utilizados no transporte de carga Tipo Quantidade % (toneladas) (toneladas) Navegação de longo curso Navegação de cabotagem Outros tipos Total

28 PORTOS Quantidade anual de contêineres operados nos portos Tipo Quantidade % Navegação de longo curso Navegação de cabotagem Total

29 AQUAVIÁRIO A PREFERÊNCIA PELA CABOTAGEM:A PREFERÊNCIA PELA CABOTAGEM: Ela apresenta uma grade economia quando se trata de distância acima de km, chegando a reduzir os fretes em até 50 %.Ela apresenta uma grade economia quando se trata de distância acima de km, chegando a reduzir os fretes em até 50 %. Como o transporte aquaviário é menos sujeito a roubo de cargas, as alíquotas de seguro também são mais baratas e os produtos não sofrem danos durante a viagem.Como o transporte aquaviário é menos sujeito a roubo de cargas, as alíquotas de seguro também são mais baratas e os produtos não sofrem danos durante a viagem.

30 AQUAVIÁRIO Panorama da cabotagemPanorama da cabotagem Evolução do número de navios porta contêneires na cabotagem.Evolução do número de navios porta contêneires na cabotagem

31 AQUAVIÁRIO Desbalanceamento do fluxo de carga em contêineres( 2001 )Desbalanceamento do fluxo de carga em contêineres( 2001 ) Sul/Sudeste para Norte/Nordeste : 58 %Sul/Sudeste para Norte/Nordeste : 58 % Norte/Nordeste para Sul/Sudeste : 13 %Norte/Nordeste para Sul/Sudeste : 13 % Norte/Nordeste para Norte/Nordeste : 26 %Norte/Nordeste para Norte/Nordeste : 26 % Sul/Sudeste para Sul/Sudeste : 3 %Sul/Sudeste para Sul/Sudeste : 3 % TOTAL TRANSPORTADO(2001) : toneladasTOTAL TRANSPORTADO(2001) : toneladas FRETE GERADO (2001) : US$ 327,4 milhõesFRETE GERADO (2001) : US$ 327,4 milhões

32 AQUAVIÁRIO

33 MARÍTIMO O Brasil possui quatro hub port ( portos concentradores de cargas ) Suape – PE, Sepetiba – RJ, Suape – PE, Sepetiba – RJ, Santos – SP e Rio Grande – RS. Santos – SP e Rio Grande – RS.

34 AÉREO Quantidade de aeroportos Tipo Quantidade Aeroportos domésticos 36 Aeroportos internacionais 30 Aeródromos e pequenos aeroportos 2.624

35 AÉREO Movimentação aeronáutica anual Tipos de vôos Número de Movimento Movimento pousos e de carga passageiros pousos e de carga passageiros decolagens (toneladas) decolagens (toneladas) Domésticos Internacionais Total

36 AÉREO A grande característica é a velocidade, oferencendo tempo em trânsito mais rápido que qualquer outro modal. Para a maioria das empresas aéreas o tráfego de cargas era consequência o do tráfego de passageiros, inibindo o o crescimento do segmento de cargas neste modal. As empresas aéreas demonstram a intenção de disputar esse mercado com outros modais.

37

38 VISITE O SITE :


Carregar ppt "LOGÍSTICA EMPRESARIAL – 3 Modais em Transportes. URBANAINTERURBANAINTERNACIONAL PASSAGEIROSÔNIBUSTREMMETRÔ AUTOMÓVEL PARTICULAR TAXIVANÔNIBUSAUTOMÓVELPARTICULARAVIÃOTREMÔNIBUSNAVEGAÇÃOAUTOMÓVELPARTICULARAVIÃO."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google