A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

IMPERIALISMO. Século XIX Capitalismo liberal (laissez-faire); Inglaterra: oficina do mundo; Desenvolvimento tecnológico; Produção em massa: reduzia os.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "IMPERIALISMO. Século XIX Capitalismo liberal (laissez-faire); Inglaterra: oficina do mundo; Desenvolvimento tecnológico; Produção em massa: reduzia os."— Transcrição da apresentação:

1 IMPERIALISMO

2 Século XIX Capitalismo liberal (laissez-faire); Inglaterra: oficina do mundo; Desenvolvimento tecnológico; Produção em massa: reduzia os custos; A riqueza acumulava-se na mão da burguesia, que vivia a Belle èpoque.

3 Surgimento de grandes complexos industriais; Empresas e bancos se unem; As crises econômicas eram vistas como naturais; A expansão industrial e o baixo consumo criavam competição por novos mercados; Entre 1880 e 1914 EUA, Europa e Japão dividiram o mundo: Conferência de Berlim (1885): define as áreas dos europeus na África; Guerra dos Bôers ( ); Domínio do Egito; Guerra dos Cipaios ( );

4

5

6 Predominam ideias de superioridade cultural como o darwinismo social, a missão civilizatória. Influência dos EUA no Japão (1854) Guerra Franco-prussiana (1870); A expansão econômica fez nascer a competição econômica e fortaleceu o nacionalismo entre os Estados europeus. O terreno estava pronto para a guerra.

7 Primeira Guerra Mundial ( ) Causas: Partilha da África e Ásia (insatisfação da Itália e Alemanha que ficaram com territórios pequenos e desvalorizados) Concorrência econômica entre as potências européias e corrida armamentista. Alemanha versus França: conquista de Alsácia e Lorena pela Alemanha rica em ferro e carvão. Alemanha versus Inglaterra: crescimento alemão assustava a Europa. Países germânicos (liderados pela Alemanha): pangermanismo;

8 Países eslavos (liderados pela Rússia): paneslavismo. Formação de blocos: tríplice entente (Inglaterra, França e Rússia); Tríplice Aliança (Alemanha, Áustria e Itália). Região balcânica: interessa também sua saída para o Mar Mediterrâneo.

9

10 Início da Guerra Estopim (começo): assassinato do príncipe do Império Austro-Hungaro Francisco Ferdinando A guerra espalha-se pela Europa e por outras nações do mundo. Brasil participa ao lado da Tríplice Entente, enviando enfermeiros e medicamentos Guerra de Trincheiras

11

12

13 Novas Tecnologias de Guerra A participação das Mulheres como operárias na indústria de armamentos. Uso de aviões, submarinos e tanques de guerra. O Fim da Guerra 1917 : entrada dos EUA e derrota da Tríplice Aliança (Alemanha e Império Austro-Húngaro) O Tratado de Versalhes : imposições aos derrotados, Resultado da Guerra : 10 milhões de mortos / cidades destruídas / Campos arrasados

14

15

16

17

18 REVOLUÇÃO RUSSA CONCEITO GERAL: Movimento social ocorrido na Rússia em 1917 que levou ao poder pela 1ª vez na história a classe operaria implantando o socialismo de Karl Marx. Causas: Empobrecimento do povo russo notadamente no campo (80% agricultura). Fome, gravíssimas injustiças sociais (domingo sangrento – 1905) Atraso tecnológico e militar Entrada da Rússia na 1ª guerra mundial e as sucessivas derrotas O fraco poder da Duma A criação dos soviets A divisão do movimento operário russo em mecheviques e bolcheviques. A Revolução de fevereiro de 1917 se mostrou ineficaz

19

20

21 Principais acontecimentos e características: Lênin defende em abril todo poder aos soviets e paz, terra e pão, Trotsky organiza o exercito vermelho, Os bolcheviques tomam o poder a 25 de outubro O comunismo de guerra bolcheviques X brancos A saída da Rússia da 1ª Guerra Mundial (Brest-Litovsky) A NEP: doses de capitalismo no socialismo A morte de Lênin e o confronto Stalin X Trotsky Criação dos planos qüinqüenais Stalin o consolidador da URSS e traidor da causa socialista

22 Conseqüências: Fortalecimento dos movimentos operários em todo mundo inclusive no Brasil Criação de partidos comunistas em todo mundo inclusive no Brasil (1922) Implantação do socialismo na China e em outros países do mundo Criação por parte da burguesia da idéia do perigo vermelho em todo mundo Tentativa em varias partes do mundo da implantação de governos socialistas.

23

24 Período entre-guerras saldo (para a Europa) da Primeira Guerra Mundial: prejuízos, destruição, desemprego, crise; saldo para os EUA: crescimento econômico, American Way of Life; A quebra da Bolsa de Valores de Nova York (1929) afeta o mundo; Plano New Deal (Roosevelt) – fim da crise: investimento em obras públicas, empregos, controle da produção

25 Surgimento do Fascismo e do Nazismo Nazismo (Alemanha): líder Adolf Hitler Fascismo (Itália): líder Mussolini Princípios: -Totalitarismo - Nacionalismo - Militarismo - Culto ao líder - Propaganda - anticomunismo - antiliberalismo

26 Fascismo na Itália Itália: não recebeu territórios após a Primeira Guerra Mundial crise: camponeses e operários – simpáticos ao comunismo soviético. Elite: medo do comunismo e apoio ao regime autoritário. Mussolini (Duce): prendeu e matou opositores, censura a imprensa e tirou a Itália da crise.

27 Causas da Segunda Guerra Mundial Projetos militares: Alemanha, Itália e Japão (Eixo) com intenções expansionistas Desrespeito ao Tratado de Versalhes por parte da Alemanha (produção de armamentos, aumento do exército) 1939: Alemanha invade a Polônia: Inglaterra e França declaram guerra à Alemanha

28 Segunda Guerra Mundial ( ) -EIXO (Alemanha, Itália e Japão) x ALIADOS (Inglaterra, URSS, França e EUA) -Eixo liderado por Hitler -Hitler persegue, prende em campos de concentração e ordena o assassinato de aproximadamente 5 milhões de judeus (Holocausto). -Brasil entra na guerra ao lado dos Aliados: FEB ( força expedicionária Brasileira) envia os pracinhas para lutar em Monte Cassino na Itália (vitórias brasileiras)

29

30

31

32 Desenrolar dos conflitos -Ofensiva japonesa: ataque a Pearl Harbor em 1941 e entrada dos EUA na guerra a 1945: reação dos Aliados -O Dia D: ataque dos aliados na Normandia -1945: Alemanha assina a rendição e suicídio de Hitler -1945: EUA jogam bombas Atômicas no Japão (Hiroshima e Nagasaki)

33 Estado de Israel Fundado em 1948, após o Plano de Partilha elaborado pela Assembléia da Organização das Nações Unidas (ONU). A população palestina rejeitou o acordo e milícias deram início a uma onda campanhas que objetivavam o controle de territórios dentro e fora das fronteiras estabelecidas. A partir deste acontecimento, paralelamente o movimento sionista, conhecido como nacionalismo judaico, também ganhou força e passou a reivindicar a existência do Estado de Israel e o direito à autodeterminação do povo judeu.

34 A proposta da ONU e a proclamação do Estado de Israel foram o ponto de partida para a série de conflitos do país com palestinos e nações árabes vizinhas; o Egito, Jordânia,Líbano, Síria e o Iraque também atacaram a região judaica para conquistar território. As tensões permeiam a estabilidade do Oriente Médio até os dias de hoje.

35 Guerra dos Seis dias, ocorrida em 1967: Israel passou a dominar a faixa de Gaza, o deserto do Sinai (Egito), a Cisjordânia, Jerusualém Oriental (Jordânia) e as colinas do Golã (sul do Líbano). Israel assinou a paz com o Egito em 1979 (Acordos de Camp David) e Jordânia em Deixou o sul do Líbano no ano Em dezembro de 1987, começou nos territórios ocupados a revolta popular palestina, conhecida como "intifada", que terminou em 1993, deixando um saldo de mortos palestinos e 400 israelenses.

36 Em 28 de setembro de 2000 começou a "segunda intifada", quando o líder da direita israelense, Ariel Sharon, visitou a Esplanada das Mesquitas em Jerusalém Oriental, o que provocou a morte de palestinos e de israelenses durante os últimos cinco anos. Em 1993, o Acordo de Paz de Oslo representou o início das negociações com a população palestina. Pelo tratado, a faixa de Gaza e a Cisjordânia passariam a ser domínio da Autoridade Palestina, sob o comando de Yasser Arafat. Em agosto de 2005, tropas israelenses e alguns acampamentos judeus bateram em retirada da região.

37 A eleição do Hamas, grupo que é contra a formação do Estado judaico, em janeiro de 2006 para a liderança do Conselho Legislativo Palestino, congelou as negociações entre Israel e a Autoridade Palestina. No mês de janeiro, o então premiê Ariel Sharon sofreu um derrame cerebral e entrou em coma, sendo substituído por Ehud Olmert, que em março foi confirmado ao posto de primeiro- ministro, após a vitória de seu partido centrista, o Kadima, nas eleições do país. O conflito contra a guerrilha xiita libanesa Hisbolá em 2006 foi outro ponto marcante para o Estado Judeu, que depois de comemorar diversos sucessos militares recebeu há dois anos seu primeiro forte golpe na região.

38 O presidente norte-americano George W. Bush mediou a Conferência de Anápolis no mês de novembro de As principais questões abordadas foram a retirada de israelenses da Cisjordânia, as fronteiras do Estado da Palestina, a condição de Jerusalém e dos refugiados palestinos.

39 Quem foi Golda Meir? Foi ministra do exterior e primeira-ministra de Israel (1969), uma das mulheres mais reconhecidas das relações internacionais entre os anos 50 a 70. Nascida na Rússia e criada nos EUA, ela emigrou para a Palestina em 1921, onde foi militante. A líder estava à frente do Estado de Israel em seu momento mais dramático: durante a Guerra do Yom Kippur, na qual tropas egípcias e sírias atacaram Israel em meio às comemorações do Dia do Perdão judaico.

40

41 COM A INTIFADA CRESCE A VIOLÊNCIA E A INTOLERÂNCIA EM ISRAEL LINCHAMENTO DE SOLDADOS ISRAELENSES POR PALESTINOS

42 Líder do Hezbolah Líder do Hamas, morto por Israel Homens-bomba Crianças israelenses em contato com armamento pesado. Yitzak Rabin & Arafat Apesar de várias tentativas de acordos de paz, cresce o ódio e o terrorismo na região e no mundo.

43 Cerco à Igreja da Natividade em Belém Jovem palestino e soldado israelense Bebê palestino morto no conflito Judeus ortodoxos

44 Jenin – destruição de casas de palestinos Campo de refugiados palestinos Enterro do rabino linchado por palestinos Soldado judeu ferido

45 Holocausto judaico – II GG – Holocausto palestino (?) – Israel Menino palestino preso pelos israelenses Crianças palestinas aprendendo a atirar Acordo de paz?

46 A LUTA PELA PÁTRIA QUE ANTES ERA EXCLUSIVA DOS HOMENS, SE TRANSFORMOU EM LUTA DE TODOS, SEJAM VELHOS, MULHERES OU CRIANÇAS.

47 ARIEL SHARON CONSTRÓI UM MURO PARA SEPARAR PALESTINOS E ISRAELENSES. CONDENA A MORTE TODOS OS LÍDERES DE GRUPOS TERRORISTAS, COMO O SHEIKH HARMED YASSIN DO HAMAS.

48 A violência se alastra e perde-se qualquer senso de humanidade. Mulheres e crianças são usados por ambos os lados conflito num massacre irracional de civis.

49 Guerra Fria

50 O bloco capitalista Doutrina Truman: os EUA se comprometiam em ajudar econômica e militarmente a Europa; Plano Marshall: investimentos para recuperar a Europa, reforçando sua ligação com o continente; Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte): aliança militar para barrar o avanço dos soviéticos;

51 O bloco comunista Pacto de Varsóvia (união militar dos países do Leste Europeu; União para reconstrução econômica - COMECOM; Em 1955 a URSS se declara detentora da bomba atômica.

52 Guerra não declarada O acúmulo de armas era justificado como uma forma de manter a paz; Uma ampla rede de espionagem foi criada pelos dois lados, o que levou ao desenvolvimento de serviços de inteligência (CIA e KGB); A perseguição aos simpatizantes do bloco inimigo era constante em todos os países; Apesar de não haver enfrentamento direto entre as potências, vários países serviram de palco para batalhas cruéis na busca pelo domínio de áreas do globo.

53 Maiores Conflitos Revolução Chinesa (1949): luta nacionalista contra a opressão imperialista de Inglaterra, EUA e Japão; Guerra da Coréia ( ): o Norte desejava implantar o socialismo no país, o sul, com o apoio dos EUA e ONU consegue barrar o avanço; O Oriente Médio: o petróleo da região transformou-a em área desejada por ambos os lados. A região transforma-se num barril de pólvora ainda maior com a criação – pelos capitalistas – do Estado de Israel.

54 Muro de Berlim construída pela República Democrática Alemã (Alemanha Oriental) divisão do mundo em dois blocos: República Federal da Alemanha (RFA), capitalista; e República Democrática Alemã (RDA), socialista. Construído na madrugada de 13 de Agosto de 1961, faziam parte 66,5 km de grades metálicas, 302 torres de observação, 127 redes metálicas eletrificadas com alarme e 255 pistas de corrida para cães de guarda. Começa a ser derrubado em 9/11/1989.

55 Guerra fria Corrida espacial; Disputas ideológicas, tecnológica e esportiva, Decadência: burocracia pesada, corrupção no Estado, gastos elevados. Medidas emergenciais: Glasnort e a Perestroika queda do Muro de Berlim – Fim da URSS – 1991.

56 Revolução cubana (1959) Questão dos mísseis Aliança para o Progresso Combate ao populismo na América latina Apoio as ditaduras latino-americanas Detente (distensão ou relaxamento)

57 Primavera de Praga (1968) movimento liderado por intelectuais reformistas do Partido Comunista Tcheco, interessados em promover grandes mudanças na estrutura política, econômica e social, na Tchecoslováquia. A experiência de um "socialismo com face humana foi comandada pelo líder do Partido Comunista local, Alexander Dubcek.

58 Em Maio de 1968 (neste contexto usualmente se diz Maio de '68) uma greve geral aconteceu na França. Rapidamente ela adquiriu significado e proporções revolucionárias, mas em seguida foi desencorajada pelo Partido Comunista Francês, de orientação Stalinista, e finalmente foi suprimida pelo governo, que acusou os Comunistas de tramarem contra a República. Alguns filósofos e historiadores afirmaram que essa rebelião foi o acontecimento revolucionário mais importante do século XX, porque não se deveu a uma camada restrita da população, como trabalhadores ou minorias, mas a uma insurreição popular que superou barreiras étnicas, culturais, de idade e de classe.

59 Começou como uma série de greves estudantis que irromperam em algumas universidades e escolas de ensino secundário em Paris, após confrontos com a administração e a polícia. À tentativa do governo de de Gaulle de esmagar essas greves com mais ações policiais no Quartier Latin levou a uma escalada do conflito que culminou numa greve geral de estudantes e em greves com ocupações de fábricas em toda a França, às quais aderiram dez milhões de trabalhadores, aproximadamente dois terços dos trabalhadores franceses. Os protestos chegaram ao ponto de levar de Gaulle a criar um quartel general de operações militares para lidar com a insurreição, dissolver a Assembléia Nacional e marcar eleições parlamentares para 23 de Junho de 1968.

60 O Woodstock Music & Art Fair (informalmente chamado de Woodstock ou Festival de Woodstock) foi um festival de música anunciado como "Uma Exposição Aquariana: 3 Dias de Paz & Música", organizado na fazenda de 600 acres de Max Yasgur na cidade rural de Bethel, no estado de Nova York, Estados Unidos. Foi realizado entre os dias 15 de agosto e 18 de agosto de Originalmente, o festival deveria ocorrer na pequena cidade de Woodstock, também estado de Nova Iorque, onde moravam músicos como Bob Dylan, mas a população não aceitou, o que levou o evento para a pequena Bethel, a uma hora e meia de distância. O festival exemplificou a era hippie e a contracultura do final dos anos 1960 e começo de 70. Trinta e dois dos mais conhecidos músicos da época apresentaram-se durante um chuvoso fim de semana defronte a meio milhão de espectadores. Apesar de tentativas posteriores de emular o festival, o evento original provou ser único e lendário, reconhecido como uma dos maiores momentos na história da música popular.

61

62

63

64

65

66

67

68


Carregar ppt "IMPERIALISMO. Século XIX Capitalismo liberal (laissez-faire); Inglaterra: oficina do mundo; Desenvolvimento tecnológico; Produção em massa: reduzia os."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google