A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

OPERAÇÕES NO MERCADO DE CAPITAIS – 4ª aula OMCA03 29/02.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "OPERAÇÕES NO MERCADO DE CAPITAIS – 4ª aula OMCA03 29/02."— Transcrição da apresentação:

1 OPERAÇÕES NO MERCADO DE CAPITAIS – 4ª aula OMCA03 29/02

2 ANÁLISE FUNDAMENTALISTA A análise fundamentalista busca, basicamente, avaliar a saúde financeira das empresas, projetar seus resultados futuros e determinar o preço justo para as suas ações. Para isso, os analistas levam em consideração os chamados fundamentos da empresa, isto é, todos os fatores macro e microeconômicos que influenciam no seu desempenho. A partir de uma minuciosa análise de todos eles, é possível projetar os resultados da companhia no longo prazo, em geral num período de cinco a dez anos. A análise fundamentalista é uma foto do momento da empresa, que permite aos analistas projetar o futuro.

3 ANÁLISE GRAFISTA OU TÉCNICA A análise gráfica,também conhecida como técnica,demonstra como foi o comportamento dos preços. Se a análise fundamentalista indicará as ações nas quais investir, a análise gráfica indicará qual o melhor momento para realização do investimento. Diferentemente da análise fundamentalista, a análise técnica não considera importantes aspectos internos da empresa estudada, como pay-out, lucro etc, mas sim o comportamento dos preços da ação no mercado, ou seja, a participação dos investidores e sua influência na formação do preço dos ativos. A principal informação para a análise técnica é o histórico de preços, pois se baseia no princípio de que se podem prever suas tendências futuras com base no comportamento passado. Assim, de acordo com a escola técnica, existem séries/preços no mercado e estes apresentam padrões perceptíveis, competindo ao analista identificar tais tendências e fazer sua interpretação a respeito.

4 Outros índices GERAIS da Bolsa IBrX-50 - Índice Brasil ações mais líquidas do mercado a vista; IBrX- Índice Brasil 100 ações mais líquidas do mercado à vista; IVBX- Índice Valor Bovespa 50 ações de segunda linha; MLCX- Índice Mid Large Cap Ações de empresas de maior capitalização; SMLL- Índice Small Cap; Ações de empresas de menor capitalização.

5 Índices SETORIAIS da Bolsa IEE - Índice de Energia Elétrica Ações mais líquidas do setor de energia elétrica; ITEL- Índice de Telecomunicações Todas as companhias do setor de telecomunicações; INDX- Índice do Setor Industrial Ações mais representativas do setor industrial; IMOB- Índice Imobiliário Ações mais representativas do setor imobiliário; ICON- Índice de Consumo Ações de empresas de menor capitalização.

6 RISCO

7 ASPECTOS DE RISCO Risco é uma consequência da decisão livre e consciente de expor-se a uma situação na qual se têm um objetivo mas porém havendo a possibilidade de perda.

8 ASPECTOS DE RISCO - 2 Risco financeiro é uma consequência da decisão livre e consciente de expor-se a uma situação na qual há a expectativa de ganho sabendo-se que há a possibilidade de perda ou dano. Logo, a incerteza é um componente necessário mas não suficiente para o conceito de risco financeiro.

9 Mercado Financeiro Basicamente: O mercado financeiro faz a ligação entre as pessoas ou empresas que têm dinheiro e as pessoas ou empresas que precisam de dinheiro. Para que isto ocorra é preciso um intermediário - os bancos. O mercado financeiro leva o dinheiro de quem tem para quem não tem, cobrando uma taxa que chamamos juros.

10 Mercado de crédito: Cuida dos empréstimos bancários. Quando você paga juros para um banco significa que o banco lhe emprestou dinheiro, ou seja, investiu em você. Isto pode ocorrer quando você usa o cheque especial, desconta duplicatas, desconta cheques, faz um financiamento, etc. RISCO DE CRÉDITO

11 Mercado de câmbio Cuida da relação entre as moedas dos países. Muitos países adotaram o dólar para comparar com a sua moeda, Assim, quando um negócio é feito entre dois países o dólar é a base cambial. No Brasil quem pode ter conta em dólares é só o Banco Central e alguns bancos autorizados. Além dos bancos, quem negocia com dólares são: os importadores - que precisam comprar dólares para pagar suas compras; os exportadores - que recebem dólares, vendem aos bancos e ficam com reais e os investidores estrangeiros: que trazem dólares para investir, trocam por reais e quando vão embora compram dólares novamente.

12 Mercado de câmbio 2 Diariamente os bancos ficam vendendo e comprando dólares dos importadores, exportadores, investidores estrangeiros e de outros bancos. No fim do dia, faz-se um balanço: para se apurar qual a variação do dia. (Ptax800 e Pcot300) RISCO CAMBIAL

13 Mercado aberto: Refere-se às empresas que têm Capital Aberto, que são as Sociedades Anônimas. Empresa de Capital Aberto significa que qualquer pessoa pode ser sócia daquela empresa, desde que compre partes da empresa, por exemplo: através da compra de ações. As negociações das ações são feitas na bolsa de valores, como já foi mencionado, onde o preço é público, assim todos podem comprar pelo mesmo preço, que é definido pela oferta e procura, ou seja: o mercado! RISCO DE MERCADO

14 Risco de Liquidez Problemas de Liquidez no mercado financeiro. Exemplo: Quebra de Banco ou a quase quebra. (Panamericano)

15 LEGAL Mudanças nas leis que regem determinados negócios podem ter reflexos diretos nas suas rentabilidades. Exemplo: A limitação ou a proibição da utilização de um determinado indexador sobre alguns tipos de operações podem provocar perdas significativas. RISCO LEGAL

16 Risco Operacional ·Ausência de controle; ·Ausência de informações, etc.

17 Risco Trabalhista - Greve; - Contingência legal; - Fraude.

18 Gestão do Risco A gestão do risco consiste em obter informações adequadas para conhecer melhor a situação de risco e/ou intervir nela, tendo como resultado a melhoria da qualidade das decisões nesta situação, com possibilidade de perda ou dano. Os componentes da perda potencial (componente negativo do risco) são: (1) magnitude, (2) chance de ocorrência e (3) grau de exposição.

19 Definição de Risco e Retorno Se estamos interessados em investir num certo ativo, devemos estar bem informado acerca da incerteza associada ao seu retorno. Portanto, a caracterização do retorno de um ativo deve envolver o conhecimento acerca das futuras distribuições de probabilidades da variável aleatória em questão. Muitas distribuições de probabilidades podem ser caracterizadas através de seus momentos.

20 RISCO PAÍS

21 Risco País - Conceito: Emergin Markets Bond Index (EMBI), ou seja: Índice da Dívida de Mercados Emergentes. Basicamente o EMBI mede o grau de "perigo" que um país representa para o investidor estrangeiro. - Criado em 1993 pelo JP Morgan. - Composto por 21 países emergentes. - A divulgação do índice é mensal.

22 RISCO PAÍS Cada 100 pontos de risco representa 1% de juros que o país devedor deverá pagar a mais sobre o Treasuries americanos. Se o risco estiver a 900 pontos e o Treasurie a 5%a.a., o preço de captação será 14%a.a. - Tem como finalidade servir de referência para novas captações do governo e das empresas privadas, uma vez que reflete rapidamente a percepção que os investidores têm sobre o emissor.

23 EVOLUÇÃO DO RISCO PAÍS – BRASIL 2010

24 EVOLUÇÃO DO RISCO PAÍS – ARGENTINA 2010

25 Agências de Classificação de Risco Existem algumas agências que fazem a classificação de risco, as mais importantes são: Moodys, Standar & Poors, Fitch e Coface. Metodologias diferentes, porém os critérios que levam à decisão de Risco Soberano são relativamente os mesmos, a saber: - Estabilidade Monetária; - Liquidez Externa; - Passivos Governamentais; - Passivo da Dívida Fiscal; - Peso da Dívida externa pública; - Peso da Dívida externa privada; - Perspectiva de crescimento econômico; - Reformas Econômicas; - Risco político sob controle; - Risco geográfico.

26 Agências de Classificação de Risco – 2 A Coface, com sede em Paris, é um dos maiores conglomerados financeiros na França, com patrimônio líquido superior a 12,7 bilhões de Euros (Dez/2009). A Coface (Compagnie Française d´Assurance pour le Commerce Extérieur) ocupa uma reconhecida posição de liderança mundial em gerenciamento e soluções de crédito, atendendo a 135 mil empresas de todos os portes, setores e nacionalidades no mundo inteiro.

27 Agências de Classificação de Risco – 3 Há mais de 60 anos no mercado, com presença direta em 67 países e no total de mais de 90 países, por meio da parceria com a rede global CreditAlliance, a Coface possui funcionários e atende a clientes sendo mais de 45% dos 500 maiores grupos corporativos do mundo.

28 Agências de Classificação de Risco Exemplo de definição de ratings; - Ratings Américas – COFACE.

29 ÍNDICES

30 TJLP metodologia/aplicabilidade (ANEXO)

31 IGPM metodologia/aplicabilidade (ANEXO)

32 IPA IPCs INCC IGP-DI IPCA INPC IPC - S IPC – FIPE IPV

33 Diferença entre mercado a Termo, Opções e Futuro. (ANEXO)


Carregar ppt "OPERAÇÕES NO MERCADO DE CAPITAIS – 4ª aula OMCA03 29/02."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google