A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

DISCIPLINA: Teorias e Estruturas Organizacionais Prof. Ms. Maria Teresa Grimaldi Larocca.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "DISCIPLINA: Teorias e Estruturas Organizacionais Prof. Ms. Maria Teresa Grimaldi Larocca."— Transcrição da apresentação:

1 DISCIPLINA: Teorias e Estruturas Organizacionais Prof. Ms. Maria Teresa Grimaldi Larocca

2 O ESTRUTURALISMO E A TEORIA DA BUROCRACIA ABORDAGEM ESTRUTURALISTA DA ADMINISTRAÇÃO Abordagem Estruturalista Teoria da Burocracia Teoria Estruturalista ênfase na estrutura ênfase na estrutura, nas pessoas e no ambiente

3 O ESTRUTURALISMO E A TEORIA DA BUROCRACIA O Estruturalismo proporcionou uma visão do todo da organização Não uma visão fragmentada Relaciona as organizações com o seu ambiente externo, que é a sociedade de organizações, caracterizada pela interdependência relação de intercâmbio com o ambiente

4 O ESTRUTURALISMO E A TEORIA DA BUROCRACIA ESTRUTURALISMO: As organizações são parte de um sistema mais amplo, um sistema social São sistemas menores inseridos em sistemas maiores

5 O ESTRUTURALISMO E A TEORIA DA BUROCRACIA Estruturalismo = análise interna, elementos internos de um sistema Considera o relacionamento das partes na constituição do todo Totalidade e interdependência

6 O ESTRUTURALISMO E A TEORIA DA BUROCRACIA Para o Estruturalismo, na organização não existe nada que esteja isolado Toda a estrutura se inter-relaciona Suas partes estão associadas e se complementando

7 O ESTRUTURALISMO E A TEORIA DA BUROCRACIA Origem do pensamento estruturalista = MAX WEBER ORIGEM – confronto entre os clássicos e os humanistas Fazia-se necessário uma teoria que visualizasse a organização de uma forma mais abrangente (complexidade social, estrutura, econômica) necessidade de se visualizar a organização de forma ampla, complexa, em que participam diferentes grupos sociais

8 O ESTRUTURALISMO E A TEORIA DA BUROCRACIA Isto equivale a dizer que a simples transformação de um de seus componentes, os reflexos desta ação são sentidos nos outros elementos do sistema (CHIAVENATO, 1993)

9 CARACTERÍSTICAS DO ESTRUTURALISMO 1.há uma totalidade 2.há interdependência das partes 3.o todo é maior que a simples soma das partes 4.há comparação entre as partes e, entre essas e o todo Como as partes integram o todo e o todo se constitui das partes, nem o todo e nem as partes são mais o mesmo todo e as mesmas partes, porque sofrem mudanças constantes e contínuas entre si.

10 O ESTRUTURALISMO E A TEORIA DA BUROCRACIA MAX WEBER Weber enquadra-se no chamado Estruturalismo Fenomenológico, parte do princípio de que as estruturas proporcionam pontos focais e de apoio para as análises teóricas, mas nunca podem ser encaradas como reproduções fiéis da realidade está em constante mutação e em permanente intercâmbio com o ambiente. Na visão Weberiana nenhum sistema conceitual pode reproduzir fielmente a realidade, bem como, nenhum conceito tem a capacidade de captar totalmente a diversidade presente em um fenômeno particular. O tipo ideal Weberiano ilustra esta questão claramente pois é uma construção instrumental criada para ser usada pelo cientista como uma espécie de guia, através das diversas situações e para permitir a comparação do modelo com a realidade empírica, e não como uma representação fotográfica da realidade

11 TEORIA ESTRUTURALISTA O Homem Organizacional A teoria estruturalista focaliza o homem organizacional, ou seja, o homem que desempenha papeis em diferentes organizações. O homem moderno, ou seja o homem organizacional, para ser bem sucedido em todas as organizações, precisa ter as seguintes características de personalidade: 1.Flexibilidade 2.Tolerância às frustrações 3.Capacidade de adiar as recompensas 4.Permanente desejo de realização

12 O ESTRUTURALISMO E A TEORIA DA BUROCRACIA para estudar as organizações, os estruturalistas utilizam uma análise organizacional mais ampla do que a de qualquer outra teoria anterior, pois pretendem conciliar a teoria clássica e a teoria das relações humanas, baseando-se também na teoria da burocracia. assim, análise das organizações do ponto de vista estruturalista é feita a partir de uma abordagem múltipla que leva em conta simultaneamente os fundamentos da teoria clássica, da teoria das relações humanas e da teoria da burocracia.

13 O ESTRUTURALISMO E A TEORIA DA BUROCRACIA abordagem múltipla: a diversidade de organizações abordagem múltipla: análise inter-organizacional a análise organizacional passa a ser feita através de uma abordagem múltipla, ou seja, através da análise intra-organizacional(fenômenos internos) e da análise interorganizacional (fenômenos externos) em função da organização com as outras organizações no meio ambiente)

14 TEORIA DA BUROCRACIA

15 COMO SURGIU? a necessidade de um modelo racional capaz de caracterizar todas as variáveis envolvidas (teoria clássica e teoria das relações humanas) a necessidade de organizar as empresas que cresceram em tamanho e complexidade Para haver uniformidade de ações nas empresas, seria preciso desenvolver normas, regras e rotinas que definissem as responsabilidades

16 TEORIA DA BUROCRACIA Transformou ambientes desordenados em sistemas organizados, racionalmente estruturados; Segundo Max Weber, é um sistema que busca organizar, de forma duradoura, a cooperação de um grande número de indivíduos, cada qual detendo um função especializada

17 TEORIA DA BUROCRACIA CARACTERISTICAS: trabalho baseado em papéis e documentos, movimentados em seqüência contínua entre as várias unidades componentes da estrutura organizacional Separa-se a esfera pessoal, privada e familiar da esfera do trabalho, visto como esfera publica, de atuação do individuo.

18 TEORIA DA BUROCRACIA A BUROCRACIA DE WEBER: Caráter legal das normas e regulamentos: cobrem todas as áreas; confere as pessoas poder de coação e meio de impor a disciplina Caráter formal das comunicações: comunicação escrita; proporcionar comprovação e documentação adequadas Caráter racional e sistemática de divisão de trabalho: daqui o aspecto funcional da burocracia; estabelece atribuições a cada participante; cada participante tem seu cargo especifico, as tarefas são diferenciadas e especializadas; Impessoalidade nas relações

19 TEORIA DA BUROCRACIA Hierarquia de autoridade: Cadeia de comando com responsabilidades, deveres e privilégios específicos; firme subordinação de autoridade Competência técnica e meritocracia: a escolha da pessoa é baseada no mérito e na competência técnica; daí a necessidade de exames, concursos, testes, títulos para admissão;

20 TEORIA DA BUROCRACIA Rotinas e procedimentos – a burocracia fixa as regras e normas técnicas para o desempenho de cada cargo Completa previsibilidade do funcionamento – o modelo burocrático de Weber pressupõe que o comportamento dos membros das organizações é previsível Os funcionários devem se comportar de acordo com regras da organização Tudo é estabelecido de maneira a prever antecipadamente as ocorrências e rotinizar a execução

21 TEORIA DA BUROCRACIA PRINCÍPIOS DA ESTRUTURA BUROCRATICA: 1. Funções definidas e competências rigorosamente determinadas por leis ou regulamentos 2. Os membros do sistemas tem direitos e deveres delimitados por regras e regulamentos, aplicados igualmente a todos de acordo com cargo e função

22 TEORIA DA BUROCRACIA 3. Hierarquia definida por meio de regras explicitas, regulam o exercício da autoridade 4. O recrutamento é feito por meio de regras previamente estabelecidas, garantindo-se a igualdade formal na contratação 5. Caráter de isomorfismo - formalização

23 FUNÇÕES DA BUROCRACIA Especialização: Objetiva o crescimento da produtividade Estrutura: Dá forma e conteúdo à organização Previsibilidade: Estabilização (por regras, regulamentos e estruturas, racionalização relações humanas) => previsão sociedade anárquica Racionalidade: Julgamentos segundo critérios gerais x capricho, prestígio ou extravagância Democracia: competência como única base para manutenção de um cargo regra- impedimento

24 AS DISFUNÇÕES DA BUROCRACIA Maior internalização das regras e exagerado apego aos regulamentos: de meios para objetivos (fins) Maior despersonalização nos relacionamentos: enfatiza cargos x e não pessoas Hierarquia como base do processo decisorial: decisões nos níveis mais altos independentemente do conhecimento Excesso de Formalismo e papelório: Formalismo das comunicações

25 AS DISFUNÇÕES DA BUROCRACIA Resistência as mudanças conformidade às rotinas e procedimentos - devoção às normas (as normas se tornam absolutas), Exibição de sinais de autoridade – como enfatiza a hierarquia de autoridade, torna-se necessário indicar aqueles que detém o poder Dificuldade no atendimento aos clientes – o funcionário está completamente voltado para dentro da organização, para suas normas e regulamentos internos; fecha-se ao cliente e impede a inovação e criatividade.


Carregar ppt "DISCIPLINA: Teorias e Estruturas Organizacionais Prof. Ms. Maria Teresa Grimaldi Larocca."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google