A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

PROPOSTA DE ADEQUAÇÃO CURRICULAR PARA O CURSO DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES NA MODALIDADE NORMAL Col. Est. Wolff Klabin Prof. Rosângela Menta Mello.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "PROPOSTA DE ADEQUAÇÃO CURRICULAR PARA O CURSO DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES NA MODALIDADE NORMAL Col. Est. Wolff Klabin Prof. Rosângela Menta Mello."— Transcrição da apresentação:

1 PROPOSTA DE ADEQUAÇÃO CURRICULAR PARA O CURSO DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES NA MODALIDADE NORMAL Col. Est. Wolff Klabin Prof. Rosângela Menta Mello

2 Princípios Pedagógicos As categorias que dão sustentação a esses princípios são: o trabalho a ciência a cultura.

3 Cultura aqui entendida como sendo um terreno de tensionamentos, onde se enfrentam diferentes concepções de vida social.

4 O trabalho enquanto valor de uso, manifestação da vida é um princípio educativo fundamental a ser socializado desde a infância. Todavia, o trabalho, como valor de troca, sob as relações capitalistas ou anterior a elas é, para a grande massa de trabalhadores, um tormento. (FRIGOTTO,1996)

5 É a ciência que coloca para nós o postulado de que o mundo da escola é o mundo dos saberes: saber ciência, saber cultura, saber experiência, saber agir, saber sentir, saber olhar, saber pensar... é o mundo do conhecimento.

6 O Trabalho como princípio educativo O trabalho é o eixo do processo educativo porque é através dele que o homem, ao modificar a natureza, também se modifica numa perspectiva que incorpora a própria história da formação humana.

7 A educação estabelece as bases científicas do trabalho humano num processo de socialização que liberta os homens do reino da necessidade para inaugurar o reino da liberdade.

8 No Ensino Médio podemos vislumbrar uma dedicação maior à compreensão das ciências de base, a uma profissão como uma forma de conceber a ciência não- desvinculada da técnica e da tecnologia, e a algumas formas de arte.

9 Os docentes deverão ter presente o compromisso com aqueles conhecimentos, no sentido de que, eles serão ensinados pelos futuros professores das crianças de 0 a 10 anos de idade

10 O professor, como todo ser social, é portador de história, carrega uma gama de sentidos e significados sociais que configuram toda a sua atividade de aprender e ensinar.

11 O objeto e o trabalho do professor é o seu semelhante e os meios de trabalho é o próprio professor e a relação social, num processo de trabalho complexo.

12 O conhecimento escolar é o núcleo fundamental da práxis pedagógica do professor, pressupõe por um lado o domínio dos conteúdos que serão objeto do processo ensino-aprendizagem e, por outro, o domínio das formas através das quais se realiza este processo.

13 Trabalho este aqui entendido como a forma pela qual se dá a produção do conhecimento no interior da escola.

14 A Práxis como princípio curricular A formação do professor em si mesma já é uma práxis, isto é, a teoria e a prática ao mesmo tempo.

15 A práxis marxista supera a visão imediata e ingênua ao acentuar criticamente os condicionantes sociais, econômicos, ideológicos - históricos, que resultam da ação dos homens. (VÁZQUEZ: 1977)

16 Alunos devem enfrentar todas as dimensões do trabalho de professor como práxis, como atividade humana condicionada pelo modo de produção de vida predominante

17 As atividades desenvolvidas na operacionalização do currículo, como aulas, oficinas, seminários, estágios realizados nas escolas de Educação Infantil e Ensino Fundamental, e as vivências artísticas deverão propiciar a compreensão de prática docente como práxis.

18 Atividades Aulas Oficinas Seminários Estágios Vivências artísticas

19 O direito da criança ao atendimento escolar A formação dos profissionais de Educação Infantil e Séries Iniciais do Ensino Fundamental, inclusive os que já se encontram em plena atividade, é uma demanda legítima, para que se possa oferecer a formação mínima da modalidade normal em nível médio

20 Assim, pode-se alinhar alguns princípios em relação aos direitos das crianças, considerando especificidades das crianças de 0 a 6 anos para o seu atendimento afetivo, emocional e cognitivo, os quais devem estar transversalizando a formação dos professores, quais sejam:

21 O respeito à dignidade e aos direitos das crianças. O direito das crianças a brincar. O acesso das crianças aos bens socioculturais disponíveis.

22 A socialização das crianças por meio de sua participação e inserção nas mais diversificadas práticas sociais O atendimento aos cuidados essenciais associados à sobrevivência e ao desenvolvimento de sua identidade.

23 Organização Curricular Lei 9394/96 estabelece de forma incisiva a articulação entre o atendimento às crianças de 0 a 6 anos e a educação, pressupõe os processos de cuidar e educar

24 A implantação de um currículo que contemple as duas modalidades de formação: Educação Infantil Séries Iniciais do Ensino Fundamental Exige que, tanto as políticas educacionais quanto os profissionais estejam comprometidos assim como os aspectos didático–pedagógicos voltados exclusivamente para o atendimento às peculiaridades das aprendizagens infantis

25 O currículo deve: Formação no Ensino Médio Educação Infantil Séries Iniciais do Ensino Fundamental Exige: Políticas educacionais Aspectos didático-pedagógicos

26 A PRÁTICA DE FORMAÇÃO Carga horária de 800 horas Trabalho coletivo – Projeto pedagógico Constituem no eixo articulador dos saberes fragmentados nas disciplinas

27 1. Na primeira série As práticas pedagógicas se concentrarão nos sentidos e significados do trabalho do professor/educador, em diferentes modalidades e dimensões. O eixo será possibilitar a observação do trabalho docente pelos alunos.

28 Isso implicará em visitas às: creches; instituições que tenham maternal e pré-escola, escolas, preferencialmente na 1.ª e 2.ª séries.

29 Atividades Observações Leituras prévias e obrigatórias Discussão dos resultados das visitas

30 Relatórios escritos e orais. Mapeamento dos problemas/fenômenos educativos mais recorrentes. Aprofundar os níveis de problematização.

31 Redefinir eixos a serem trabalhados. Comparar as visões do início e do final do estágio Avaliar o seu desempenho.

32 2. Na segunda série Os alunos terão contato com situações-problema no âmbito de algumas modalidades específicas e de experiências educacionais extra-escolares. A Pluralidade Cultural, as diversidades, as desigualdades e a educação

33 As observações ocorreram em: Creches e/ou escolas regulares Instituições especializadas em diferentes necessidades especiais, Projetos alternativos de educação popular Projetos voltados para a educação indígena e/ou educação do campo

34 Espera-se com essa temática não só a ampliação da visão dos alunos acerca da natureza do trabalho do professor, mas, também, a percepção das especificidades do ofício diante de diferentes demandas sociais e políticas.

35 3. Na terceira série O problema central será Condicionantes da infância e da família no Brasil e os fundamentos da educação infantil. O resultado esperado é a produção de pesquisas e observações em instituições.

36 Outro elemento aglutinador será Artes, Brinquedos, crianças e a educação nas diferentes instituições.

37 Atividades Produção de pesquisas Observações em instituições Exposição de materiais

38 4. Na quarta série Os alunos iniciam suas experiências práticas de ensinar. Caberá aos professores criar as condições nas modalidades Práticas Pedagógicas, para que o aluno contextualize os conteúdos desenvolvidos nas aulas das disciplinas.

39 O estágio deverá possibilitar ao aluno a elaboração de materiais didáticos, a seleção adequada dos mesmos e o desenvolvimento de técnicas de ensino adequadas para as crianças.

40 Vivenciar práticas pedagógicas nas escolas


Carregar ppt "PROPOSTA DE ADEQUAÇÃO CURRICULAR PARA O CURSO DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES NA MODALIDADE NORMAL Col. Est. Wolff Klabin Prof. Rosângela Menta Mello."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google