A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Prof.: José Correia - Universidade Estadual Vale do Acaraú -UVA LOGÍSTICA EMPRESARIAL.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Prof.: José Correia - Universidade Estadual Vale do Acaraú -UVA LOGÍSTICA EMPRESARIAL."— Transcrição da apresentação:

1 Prof.: José Correia - Universidade Estadual Vale do Acaraú -UVA LOGÍSTICA EMPRESARIAL

2 Logística Empresarial Galvão Novaes divide a evolução da Logística Empresarial em quatro fases: Atuação segmentada; Atuação rígida; Integração flexível; Integração Estratégica SCM; Prof.: José Correia -

3 Logística Empresarial Atuação segmentada: Originou-se na Segunda Guerra Mundial; Não havia os sofisticados sistemas de comunicação e de informática disponíveis hoje; Estoque era o elemento chave no balanceamento da cadeia de suprimento; Grande quantidade de estoque gerado e com freqüente revisões; Não se preocupavam com o estoque e sim lotes econômicos para o transporte; O método de controle de estoque EOQ (Economic Order Quantity); Grande importância para a manufatura na indústria, pois planejava segundo seus critérios; Prof.: José Correia -

4 Logística Empresarial Atuação Rígida: Utilização do MRP e MRP II para o sistema de programação da produção; Processos produtivos mais flexíveis, possibilitando maiores variedades; Planejamento rígido, sem flexibilidade no dia-a-dia, programação cobrindo períodos longos; Era necessário maior racionalização da cadeia de suprimentos, menores custos e maior eficiência; Utilização da multimodalidade no transporte de mercadorias; Introdução da informática em 1960, otimizando estoques, seqüenciando produção, entre outros; Busca inicial da racionalização integrada da cadeia de suprimento, más ainda muito rígida, pois não permitia correção dinâmica, do planejamento ao longo do tempo; Prof.: José Correia -

5 Logística Empresarial Integração Flexível: Início no fim dos anos 80; Integração dinâmica e flexível entre os componentes da cadeia de suprimento, em dois níveis, dentro da empresa e cliente-fornecedor, na chamado dois a dois; Utilização do EDI (Intercâmbio Eletrônico de Dados) entre fornecedores e clientes, permitindo ajustes freqüentes ao processo de fabricação; Maior preocupação com a satisfação do cliente, seja ele o final ou o do dois a dois; Busca do estoque zero, ou melhor, busca permanente da redução dos estoques; Prof.: José Correia -

6 Logística Empresarial Integração Estratégica SCM: Integração de forma abrangente, cobrindo toda a cadeia de suprimento; Tratamento das questões Logísticas de forma estratégicas, passando a ser um diferencial; Utilização das empresas virtuais, que são fabricantes de produtos de grande valor agregado; Utilização da internet e da tecnologia e intercâmbio da informação; Surgimento de uma nova concepção no tratamento dos problemas logísticos, o SCM, havendo uma grande relação entre todos os elementos da cadeia. Prof.: José Correia -

7 Logística de Hoje Gestão de materiais e da informação; Planejamento e controle da produção e estoques; Embalagem, acondicionamento e manuseio; Transporte; Localização de fábricas, centros de distribuição e pontos de venda/serviços; Previsão de demanda; Fluxos... Prof.: José Correia -

8 Tendências Globalização, parcerias (alianças); Crescimento do E-business; Apoio prestado pelos Sistemas de Informação Empresarial: ERP, SCM; Estabelecimento de canais de comunicação através da Internet: Facilidade de acesso; Custo reduzido de utilização; Resultado: uma efetiva integração Empresarial: Gestão de materiais e informações; Planeamento colaborativo; Acompanhamento da produção e distribuição; Prof.: José Correia -

9 Logística nas organizações Prof.: José Correia - A concepção de logística de agrupar as atividades relacionadas com o fluxo de produtos e serviços para administrá-las de forma coletiva é uma evolução natural do pensamento administrativo. Os ganhos potenciais resultantes de se rever a administração das atividades logísticas está transformando a disciplina numa área de importância vital para uma grande variedade de empresas.

10 Importância econômica Prof.: José Correia - A logística tem um importância em escala global. Na economia mundial, sistemas logísticos eficientes foram bases para o comércio e a manutenção de um alto padrão de vida nos países desenvolvidos. Um sistema logístico eficiente permite uma região geográfica explorar sua vantagens inerentes. O sistema permite então que o custo do país (custos logísticos e de produção) e a qualidade desse produto sejam competitivos com aqueles de qualquer outra região.

11 Principais mudanças econômicas que afetam a logística. GLOBALIZAÇÃO AUMENTO DAS INCERTEZAS ECONÔMICAS PROLIFERAÇÃO DE PRODUTOS MENORES CICLOS DE VIDA DOS PRODUTOS MAIORES EXIGÊNCIAS DE SERVIÇOS Prof.: José Correia -

12 Globalização Prof.: José Correia - As implicações para a logística são várias e importantes. – Aumentam o número de clientes e os pontos de vendas, – Crescem o número de fornecedores e dos locais de fornecimento. – Aumentam as distâncias a serem percorridas e a complexidade operacional. – Envolve legislação, cultura e modos de transporte.

13 Aumento das incertezas econômicas Prof.: José Correia - A crescente troca de bens e serviços entre as nações aumentou substancialmente a interdependência e a volatilidade econômica. Mudanças ou crises nacionais têm reflexo regional imediato e tendem a espalhar-se numa escala mundial. Mudanças de câmbio, recessão, novas regulamentações, aumento no preço do petróleo, são incertezas que afetam a economia global, criando grandes dificuldades para a previsão de vendas e o planejamento de atividades.

14 Proliferação de produtos Prof.: José Correia - É uma resposta das empresas aos efeitos da globalização. O impacto sobre a logística não poderia ser maior. Aumento no número de insumos e de fornecedores, maior complexidade no planejamento e controle da produção, maior dificuldade para o custeio de produtos e para planejar e controlar os estoques, maior dificuldade na previsão de vendas. Tudo isso se refletindo em maiores custos e mais complexidade logística.

15 Menores ciclos de vida dos produtos Prof.: José Correia - São conseqüência direta da política de lançamento contínuos e cada vez mais rápidos de novos produtos. Novos produtos tendem a tornar obsoletos produtos antigos, diminuindo portanto o seu ciclo de vida. Os produtos antigos tendem a perder o seu valor, gerando uma perda de rentabilidade das empresas. Sendo que este custos é representativo em alguns segmentos, como de vestuário e de informática.

16 Maiores exigências de serviços Prof.: José Correia - A competitividade vem tornando os clientes e consumidores cada vez mais exigentes. A forte pressão por redução de estoques vem induzindo clientes institucionais para compras mais freqüentes e em menores quantidades, com exigência de prazos de entrega cada vez menores, livres de atrasos e erros. Por outro lado, o consumidor final valoriza cada vez mais a qualidade dos serviços na hora de decidir que produtos ou serviços comprar. A demora na entrega ou a falta do produto, implicam na perda do cliente.

17 Mudanças econômicas Prof.: José Correia - Em seu conjunto, esse grupo de mudanças econômicas vem transformando a visão empresarial sobre logística, que passou a ser vista não mais como uma simples atividade operacional, um centro de custos, mais sim como uma atividade estratégica, uma ferramenta gerencial, fonte potencial de vantagens competitiva.

18 Problemas de logística Prof.: José Correia - A relevância da logística é influenciada diretamente pelos custos associados a suas atividades. Fatores de peso estão influenciando o incremento dos custos logísticos. Dentre eles, o aumento da competição internacional, as alterações populacionais, e crescente escassez de recursos e a atratividade cada vez maior da mão-de-obra no terceiro mundo.

19 Sucesso do cliente Prof.: José Correia - Para se pensar em logística, temos que pensar que ela depende diretamente do sucesso dos meus clientes, pois sem isto não haverá o que distribuir ou armazenar, o sucesso integrado é ponto chave para a primeira questão. Manter as bases de dados de cada um dos clientes, utilizar de modelos de previsão para fazer sugestões sobre a quantidade a ser pedida, isto são facilitadores que irão contribuir para a excelência em logística.

20 O Produto LogísticoProf. José Correia Slide 20 de 17 O Produto Logístico O Produto Logístico é um conjunto de características que podem ser manipulados pelo profissional de logística, que, quando bem manipulados, podem gerar um diferencial competitivo; O produto é o centro do foco no projeto do sistema logístico porque é o produto o objeto do fluxo entre os elementos da cadeia de valor;

21 O Produto Logístico Slide 21 de 17 O Produto Logístico Um produto é a saída ou o resultado de qualquer atividade ou processo (Juran); O produto é formado de uma parte física e de uma parte intangível. A parte física é composta do material, volume, peso, forma geométrica, desempenho e durabilidade. A parte intangível é composta pelo serviço pós venda, pela reputação, pela satisfação proporcionada, pela assistência; Qualquer oferta de total de produto da empresa será uma combinação de características físicas e intangíveis (serviço); Os produtos podem ser classificados em produtos de consumo e produtos industriais. Prof. José Correia

22 O Produto LogísticoProf. José correia Slide 22 de 17 O Produto Logístico Os produtos de consumo são classificados em três tipos: Produtos de conveniência: são produtos que os consumidores compram com freqüência, de imediato, com pouca comparação. Exigem ampla distribuição, mas o elevado custo de distribuição é compensado pelo aumento potencial das vendas. Exigem alto nível de serviço para fidelizar o cliente. Ex: cigarros, refrigerantes, serviços bancários, alimentos... Produtos de comparação: são aqueles que os clientes estão dispostos a pesquisar e comparar antes de adquirir, assim, o número de pontos de estocagem e o nível de serviço são inferiores se comparados ao produtos de consumo. Ex: roupas, carros, móveis, assistência médica...

23 O Produto Logístico Slide 23 de 17 O Produto Logístico Os produtos de consumo são classificados em três tipos: Produtos de especialidade: são os produtos pelos quais os consumidores estão dispostos a despender uma enorme quantidade de esforço, e esperar por muito tempo, para adquiri-lo. Os consumidores buscam marcas particulares de produtos e serviços. Os custos de distribuição podem ser os mais baixos que qualquer outra categoria, ex: automóveis de luxo, roupas finas, jóias, serviços especializados (consultorias)... Prof. José Correia

24 O Produto Logístico Slide 24 de 17 O Produto Logístico Produtos Industriais: São produtos, ou serviços, destinados a outras empresas e que são parte integrante de outro produto ou serviço. Tradicionalmente, os produtos industriais são classificados conforme o grau de processamento que a industria compradora incorpora neste produto, tais como matérias-prima e componentes (que fazem parte do produto final), equipamentos e instalações prediais (que são usados para o processamento) e insumos administrativos (que não fazem parte do produto final). Compradores industriais não parecem mostrar preferência por níveis de serviços diferenciados, levando a classificação acima indiferente para a elaboração de uma estratégia de distribuição. Compradores industriais buscam outra aspectos em seus fornecedores: qualidade, custo, inovação, desenvolvimento de projetos em conjunto, parcerias estratégica...(ou seja: SCM). Prof. José Correia

25 A curva ABC é uma das ferramentas mais usadas na logística e precisa ser bem entendida. A Curva ABC, também chamada de Classificação ABC ou Teorema de Pareto (em homenagem ao seu criador), nasceu quando Pareto percebeu que 80% da riqueza estava nas mãos de apenas 20% da população. Isto ficou conhecido como regra 80/20 e é muito utilizada em processos administrativos e na logística como veremos a seguir. logística CURVA ABC

26 Da mesma forma que boa parte da riqueza estava concentrada em uma pequena parcela da população, nas empresas boa parte do trabalho é devido a poucos produtos, a maioria dos custos de estoque deve-se a poucos itens caros e grande parte da receita vem de poucos produtos. Tendo isto em mente, deve-se direcionar recursos, esforços e pessoal para fazer com os itens mais importantes, mais caros e os clientes mais rentáveis sejam atendidos com atenção especial.trabalhorecursos

27 Na logística, a Curva ABC é muito usada para controlar o estoque. Alguns produtos são mais importantes que outros e precisam ser tratados como tal. Pode separar os itens no estoque segundo algum critério: giro do produto, proporção sobre o faturamento, margem de lucro, custo do estoque, ou outro parâmetro escolhido.produtos Onder utilizada a Classificação (ou Curva) ABC ? CURVA ABC

28 Estratégia Logística e PlanejamentoProf. José Correia Slide 28 de 16 Atividades chave da Logística Padrões de serviço ao cliente (c/ marketing): Determinar as necessidades/desejos dos clientes; Determinar a reação dos clientes aos serviços; Estabelecer o nível de serviços a clientes; Transportes: Seleção de modal e do serviço de transportes; Consolidação de fretes; Roteiro do transporte; Seleção de equipamentos; Processamento de reclamações; Auditoria de tarifas;

29 Estratégia Logística e Planejamento Slide 29 de 16 Atividades chave da Logística Administração de Estoques: Políticas de estocagem de matéria-prima e produtos acabados; Previsão de vendas a curto prazo; Combinação de produtos em pontos de estocagem; Número, tamanho e local dos pontos de estocagem; Estratégias JIT, de empurrar e puxar Fluxo de informações: Procedimento de interface dos estoques com pedidos de vendas; Método de transmissão de informações de pedido; Regras de pedido; Prof. José Correia

30 Estratégia Logística e Planejamento Slide 30 de 16 Atividades Suporte da Logística Armazenagem: Determinação do espaço; Disposição do estoque e desenho das docas; Configuração do armazém; Localização do estoque; Manuseio de Materiais: Seleção de equipamentos; Políticas de reposição de equipamentos; Procedimentos de coleta de pedidos; Alocação e recuperação de materiais; Compras: Seleção de fontes de suprimentos; O momento da compra; Quantidade a ser comprada; Prof. José Correia

31 Estratégia Logística e Planejamento Slide 31 de 16 Atividades Suporte da Logística Embalagem protetora para: Manuseio; Estocagem; Proteção contra perdas e danos; Cooperação com produção/operações para: Especificar quantidades agregadas; Seqüência e tempo do volume da produção; Alimentação e retirada de produtos das linhas/células; Manutenção da Informação: Coleta, arquivamento e manipulação da informação; Análise de dados; Procedimentos de controle; Prof. José Correia

32 Estratégia Logística e Planejamento Slide 32 de 16 Planejamento Logístico Objetivos do serviço ao cliente Estratégias de estoque níveis de estoque; disposição; controle; Estratégias de transporte modais de transporte; Roteirização; programação; fretes ; Estratégias de Localização número, tamanho e local; escolha do estoque que atenderá a demanda; planejamento da rede logística; Prof. José Correia

33 Estratégia Logística e Planejamento Slide 33 de 16 Objetivos do Serviço ao Cliente Afeta diretamente o projeto do sistema logístico. Baixos níveis de serviço permitem o uso de poucos locais de estoque e meios de transportes baratos, um alto nível de serviço exige o oposto. No entanto, quando o sistema estiver pressionado a aumentar seu nível de serviço, o custo logístico aumentará desproporcional ao aumento do nível de serviço. Portanto o primeiro passo do planejamento do sistema logístico é a determinação do nível de serviço apropriado. Prof. José Correia

34 Estratégia Logística e Planejamento Slide 34 de 16 Estratégia de Localização O escopo dos problemas de localização de instalações é considerar todos os movimentos de produtos e custos associados desde o ponto de origem até o cliente final, incluindo pontos de estocagem, cross docking, varejistas, etc. Atender os clientes diretamente da planta industrial ou direcionar os produtos para pontos de estocagem intermediários afetam diretamente o custo logístico, assim como o nível de serviço ao cliente. Encontrar a distribuição de baixo custo é a essência da estratégia de localização. Prof. José Correia

35 Estratégia Logística e Planejamento Slide 35 de 16 Estratégia de Estoques A estratégia de estoque refere-se ao método de gerenciamento. Puxar ou empurrar representam duas possibilidades. Os métodos de revisão do estoque e determinação da quantidade a ser pedida são outras possibilidades. Determinar os níveis de estoque nas linhas de produção e em cada armazém, bem como sua disposição física representam os problemas da estratégia de estoques. A estratégia adotada pela empresa afetará as decisões de localização, e por isso estoques é considerado um problema logístico Prof. José Correia

36 Estratégia Logística e Planejamento Slide 36 de 16 Estratégia de Transportes Decisões de transporte envolvem seleção de modal, tamanho do carregamento, roteirização e programação. Essas decisões são influenciadas pela distância do armazém até os clientes e as plantas, os quais também influenciam as decisões de localização. Os níveis de estoques também influenciam as decisões de transporte através do tamanho dos carregamentos. Cada área de decisão (estoque, localização e transporte) está inter- relacionada com as outras e não deve ser planejada sem considerar os efeitos de compensações (trade-offs). Prof. José Correia

37 Estratégia Logística e Planejamento Slide 37 de 16 Trade-offs Logísticos CUSTO SERVIÇO DE TRANSPORTE ferroviáriorodoviário aéreo Custo Total Custo Estocagem Custo do serviço de transporte Prof. José Correia

38 Estratégia Logística e Planejamento Slide 38 de 16 Trade-offs Logísticos CUSTO MELHOR SERVIÇO AO CLIENTE Custo Total Custo de vendas perdidas Custo de transporte, processamento de pedidos e estocagem ESTABELECENDO O NÍVEL DE SERVIÇO AO CLIENTE 0% 100% Prof. José Correia

39 Estratégia Logística e Planejamento Slide 39 de 16 Trade-offs Logísticos CUSTO MAIOR PONTOS DE ESTOCAGEM Custo Total Custo de transportes Custo de estocagem DETERMINANDO O NÚMERO DE ARMAZÉNS Receita Prof. José Correia

40 Estratégia Logística e Planejamento Slide 40 de 16 Trade-offs Logísticos CUSTO NÍVEIS DE ESTOQUES Custo Total Custo de vendas perdidas Custo de manutenção dos estoques DETERMINANDO O NÍVEL DE ESTOQUE Prof. José Correia

41 Estratégia Logística e Planejamento Slide 41 de 16 Trade-offs Logísticos CUSTO TAMANHO DO LOTE DE PRODUÇÃO Custo Total Custo de produção Custo de manutenção dos estoques DETERMINANDO O LOTE DE PRODUÇÃO Prof. José Correia

42 Fundamentos de Transporte Slide 42 de 24 Fundamentos de Transporte VELOCIDADE Dutoviário AquaviárioFerroviárioRodoviário Aeroviário CONSISTÊNCIA Dutoviário AquaviárioFerroviárioRodoviário Aeroviário CAPACIDADE MOVIMENTAÇÃO Dutoviário AquaviárioFerroviárioRodoviárioAeroviário DISPONIBILIDADE Dutoviário AquaviárioAeroviárioFerroviário Rodoviário FREQÜÊNCIA Aquaviário AeroviárioFerroviárioRodoviário Dutoviário - + Prof. José Correia

43 O Produto Logístico Slide 43 de 17 Ciclo de Vida do Produto Do ponto de vista do marketing e vendas: introdução Cresci- mento maturidade declínio Evolução do Tempo Volume de Vendas Prof. José Correia


Carregar ppt "Prof.: José Correia - Universidade Estadual Vale do Acaraú -UVA LOGÍSTICA EMPRESARIAL."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google