A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

METODOLOGIA DO ENSINO DE HISTÓRIA E GEOGRAFIA Gabriele Rosa e Maiane Rosa.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "METODOLOGIA DO ENSINO DE HISTÓRIA E GEOGRAFIA Gabriele Rosa e Maiane Rosa."— Transcrição da apresentação:

1 METODOLOGIA DO ENSINO DE HISTÓRIA E GEOGRAFIA Gabriele Rosa e Maiane Rosa

2 INFORMAÇÕES SOBRE O LIVRO: Metodologia do Ensino de História e Geografia é um livro integrante da Coleção do Magistério – Série Formação do Professor – Coordenada pelos estudiosos Selma Garrido Pimenta e José Carlos Libâneo e de autoria de Heloísa Dupas Penteado. A Coleção é destinada à formação do professor das Séries Iniciais (Normalistas) e o livro do qual tratamos foi publicado no ano de 1994, pela Cortez Editora.

3 A Organização do Livro: O livro de organiza em três partes: A primeira (com um Capítulo) faz um panorama geral da área e do Ensino das Ciências Humanas. A segunda parte (com dois capítulos) apresenta uma discussão sobre os Eixos Geradores do Conhecimento e sobre a Metodologia dos Componentes História e Geografia no 1º Grau. A terceira parte do livro (dividida em seis capítulos) procura apresentar, de forma bastante prática, os conteúdos e formas de trabalho com os mesmos em cada série. Além disso, discute a formação do professor e a atuação do aluno-mestre em sala de aula.

4 PARTE I O Ensino de Ciências Humanas Capítulo I – As Ciências Humanas - Área do conhecimento humano; - OBJETO DE ESTUDO: O homem e suas relações - FOCO DO LIVRO: História e Geografia. - As Ciências Humanas no 1º Grau; - Contribuição das Ciências Humanas para a formação do aluno de 1º Grau.

5 HISTÓRIA: Estudar o homem através dos tempos, nos diferentes lugares em que tem vivido; GEOGRAFIA: Estuda as relações do homem com o espaço em que está situado. Geografia Física; Geografia Humana;

6 AS CIÊNCIAS HUMANAS NO PRIMEIRO GRAU Inseridas na Educação Básica através das disciplinas História e Geografia; Essa redução das Humanas causava preocupação. Pois, apesar dos dois componentes serem muito importantes para a formação do educando, as Ciências Humanas não se reduziam a elas; (hoje o nível médio também é parte da Educação Básica)

7 Por que um motivo de preocupação? A escola constitui um canal social de acesso da população ao conhecimento sistematizado, organizado já produzido pelas Ciências Humanas; A oportunidade de acesso vem sendo, de alguma maneira, garantida; O acesso da população ao conhecimento produzido pelas Ciências Humanas vem sendo negligenciado.

8 CONTRIBUIÇÕES DAS CIÊNCIAS HUMANAS PARA A FORMAÇÃO DO ALUNO DE 1º GRAU Conhecer que o homem é um ser construtor e criador; Que faz a sua construção através de sua ação, de seu trabalho sobre a natureza, juntamente com outros homens, para garantir a sua sobrevivência. A vida social construída pelo homem é reconstruída ao longo das gerações; que essa reconstrução não significa necessariamente avanços ou melhorias.

9 PARTE II Proposta de Ensino de História e Geografia Capítulo II – Eixos Geradores do Conhecimento; Capítulo III – Metodologia de Ensino de História e Geografia no 1º Grau.

10 EIXOS GERADORES DO CONHECIMENTO: FORMA COMO SE CARACTERIZA O ENSINO DA HISTÓRIA NAS ESCOLAS: - Heróis desvinculados do seu contexto; - Apego à ordem cronológica dos acontecimentos; A História se desenvolvendo num sentido único FORMA COMO SE CARACTERIZA O ENSINO DA HISTÓRIA NAS ESCOLAS: - Extensas listas de acidentes geográficos; - Extensa lista de números;

11 EIXOS GERADORES DO CONHECIMENTO: A TENDENCIA MAIS RECENTE: Três princípios: - O processo de aprendizagem do homem ocorre mais facilmente quando se dá do próximo para o distante; - O processo dá-se de maneira mais fácil quando sai do concreto ao abstrato; - O processo de aprendizagem realiza-se de maneira mais acessível quando se caminha da parte para o todo.

12 Metodologia de Ensino de História e Geografia no 1º Grau. Condições de Aprendizagem e Níveis de ensino - O professor como mediador entre condições internas e externas - Três níveis: Específicos da série; Ampliação; Exploratório.

13 PARTE III Metodologia do Ensino de História e Geografia CAPÍTULO 4 – A 1ª SÉRIE (OU 2º ANO) Idéias Norteadoras - Identidade Social do aluno; - Objetivos a serem atingidos:. Exploração e uso organizado do espaço escolar;. Vivência organizada das relações sociais escolares;. Introdução à contagem do tempo cronológico;. Desenvolvimento dos conceitos de natureza e cultura.

14 O 1° Semestre: Vivência e Conteúdo Relações Sociais A atuação do professor - Combinados Ex: Banheiro e água - O que será trabalhado? Tempo - Será trabalhada a idade das crianças; - O que é o dia do aniversário; - A data e o mês em que estão.

15 Espaço Será trabalhado com a criança o espaço escolar, onde primeiramente ela fará um breve passeio pela escola e poderá representar através de escrita (se já tiver o domínio), desenhos. - Onde fica a nossa sala? - Quais são as salas que ficam mais próximo a nossa? - Fica perto do banheiro? - Fica perto da cantina?

16 2° Semestre: Natureza e Cultura - Levantamento de conhecimentos prévios; - Observações orientadas; - Registro das respostas alcançadas; - Jogos e brincadeiras-exercícios. - Questões sobre o que é Natural e o que é Cultura; - Definir com a classe o que é Natureza e o que é Cultura; - Registros no caderno (se já tiver o domínio), desenho.

17 Ampliação dos conceitos Aprofundamento no conceito Natureza: - Estabelecer conceitos iniciais de rio, mar, lago, montanha, planalto, morro etc. - Questionar se é natureza ou Cultura; - Criar jogos corporais coletivos; - Fazer registros no caderno; - Criar com os alunos cartazes; - Utilizar desenhos, imagens ou fotos para mostrar aos alunos; - Construir maquetes. O último bimestre do ano letivo deverá ser dedicado a um detalhamento do conceito de cultura, orientados pelos itens indicados na proposta programática: habitação, vestuário, brinquedos, meios de transporte, alimentação etc. * Utilizar o mesmo procedimento anterior.

18 PARTE III Metodologia do Ensino de História e Geografia CAPÍTULO 5 – A 2ª SÉRIE (OU 3º ANO) Idéias norteadoras Já foi trabalhado o conceito de relações sociais no nível exploratório, e deve continuar sendo abordado no início de cada ano letivo ate a 4ª serie. Tempo - Na 2ª serie, o conceito de tempo, nas suas dimensões meteorológicas e cronológicas, será trabalhado no decorrer de todo o ano letivo por meio de registros diários e sistemáticos. - Será colocado todos os dias na lousa a data completa do dia; - As condições meteorológicas que serão representadas em quadrinhos e ficarão fixados na parede, assim os alunos irão tirar conclusões sobre o seu estado; - Será trabalhado também com as crianças o passado, presente e futuro, mostrando para eles que o dia de ontem foi passado e que o dia de amanhã será futuro.

19 Conceito Específico da Série Será retomada a questão da localização da sala de aula, pois quando foi trabalhado eles eram 1ª serie e estavam em outra sala de aula; - O tamanho do espaço escolar. - Serão feitos jogos e brincadeira-exercício para que os alunos possam descobrir mais coisas sobre o tempo e o espaço e assim aprendam brincando. 1° semestre – divisões espaciais A criança está na fase de operações mentais concretas, portanto, mesmo que o assunto não tenha sido dado em sala o conteúdo fronteiras e domínios, por exemplo, através de um jogo, por estar sendo falado tempo todo nesta palavra, a criança interioriza a idéia e o conceito da palavra. Eles aprenderam a partir da experiência. - Domínio e fronteira. Jogos feitos na sala ou no recreio; - Ao explicar o assunto, não mecanizar respostas; - Representar fronteiras e domínios através de desenhos, mostrando como fizeram no jogo.

20 Representações espaciais - Fazendo desenhos dos jogos, inicia-se nos alunos um trabalho com a representação espacial; - O professor deve mostrar ao aluno que quando uma coisa faz de conta que é outra, esta coisa é uma representação; - Trabalhar com figuras para mostrar representações. Representações convencionais do espaço terrestre Mostrar aos alunos que eles também podem fazer representações da Terra. A professora deverá ir mostrando aos alunos as representações já trabalhadas como gravuras, fotos etc, e em seguida apresentar a classe uma fotografia da Terra tirada pelos cosmonautas e contar de onde a foto foi tirada. - o que vêm na foto? - o que falta da Terra na foto? Globo, mapa-múndi e planta Mostrar para os alunos as outras formas de representar a Terra.

21 O 2° semestre: conceitos específicos e em nível de ampliação Do continente ao município No primeiro mês do segundo semestre retorna-se ao planisfério para uma retomada: - fazer leituras coletivas de continentes e oceanos, com destaque ao nosso continente; - questioná-los sobre o tamanho dos países e compará-los com o nosso; - mostrar a organização:. o estado esta dentro do pais;. o pais esta dentro do continente;. o continente é o domínio de terra maior;. o pais é um pedaço do continente;. o estado é um pedaço do pais. Será aplicado da mesma forma para o município.

22 Zona rural e zona urbana: natureza, cultura e tempo - trabalhar zona rural e zona urbana; - fazer maquetes para representa-las; - fazer comparações; Estas são atividades que trabalham simultaneamente conceitos específicos da série – espaço – e no nível de retomada e ampliação, os conceitos de natureza e cultura.

23 PARTE III Metodologia do Ensino de História e Geografia CAPÍTULO 6 – A 3ª SÉRIE (OU 4º ANO) Dois conteúdos são eixos de trabalho nesta série: o espaço e o tempo. (registro sistemático do tempo cronológico e das condições do tempo, através de ficha de registro).

24 O PRIMEIRO SEMESTRE: Pontos Cardeais: - durante uma semana, no início e no término de cada dia, deve-se levar os alunos a observar onde está o sol, em relação ao prédio da escola e registrar através de desenho; - Quando o horário do período escolar não possibilitar a observação, o professor deverá informar o local onde nasce o sol ou onde se põe, em relação ao prédio da escola e registrar no desenho; - Ao final, o professor deverá trabalhar as respostas obtidas: - O sol nasce sempre do mesmo lado e se põe sempre do mesmo lado. Após o domínio destes conhecimentos, explicar que o sol nasce ao LESTE e se põe ao OESTE.

25 O ESPAÇO EM MOVIMENTO: A movimentação do espaço, nas séries iniciais do Ensino Fundamental, deve ser explorada com atividades bem concretas (dimensões totalmente dominadas pela vista). No caso da terceira série (4º ano), esse trabalho se complica pelos conceitos específicos ao ano. Trabalhar com Movimento Giratório da Terra requer que a criança já tenha trabalhado com: - Propriedades topológicas do espaço; - Espaço em Movimento;

26 O autor apresenta jogos que podem ajudar a criança a compreender as dimensões da superfície, as fronteiras e o espaço em movimento. Para evidenciar o movimento de rotação da terra podemos desenvolver as seguintes atividades com as crianças: - Observação das sombras e sua posição em relação a um foco de luz; - Observação de sombras e do seu deslocamento, quando o objeto iluminado se movimenta; - O sol, como foco de luz, sempre na mesma posição com relação à terra; - Movimento de Rotação: sentido (direção) e sua conseqüência (dia e noite).

27 LEITURA DAS HORAS: Ensinar a ler horas inteiras explicando que o ponteiro grande tem que sair do 12 e dar uma volta inteira no relógio para passar uma hora; Ensinar a ler as meias horas; Ensinar que os espaços entre os algarismos do relógio podem ser divididos em cinco partes iguais; Explicar que o tempo que o ponteira leva de um pontinho para o outro é um minuto.

28 O SEGUNDO SEMESTRE: MOVIMENTO DE TRANSLAÇÃO AS ESTAÇÕES DO ANO O CONCEITO DE TEMPO COM DURAÇÃO REPRESENTAÇÃO DO TEMPO

29 PARTE III Metodologia do Ensino de História e Geografia CAPÍTULO 7 – A 4ª SÉRIE (OU 5º ANO) Construção da linha do tempo da História do Brasil; Utilização da estrutura conceitual básica na compreensão da cultura do branco colonizador; Utilização da estrutura conceitual básica na compreensão da cultura negra no Brasil;

30 O PRIMEIRO SEMESTRE: REPRESENTAÇÃO TEMPORAL DA HISTÓRIA DO BRASIL Para garantir a aprendizagem deste conteúdo a autora recomenda que se comece pela pergunta: Quantos anos tem o Brasil? e verificar se os alunos conhecem a data em que foi descoberto o Brasil. Se o aluno não souber, o professor deve fornecer estas informações. Depois disso ela propõe a construção de uma linha do tempo. Aproveitar para falar com as crianças sobre a contagem do tempo em cem anos (séculos). Para este assunto é necessário garantir a aprendizagem: - Da duração de um século; - Da data de inicio e fim de cada século; - Da tuilização dos algarismos romanos para a identificação numérica dos séculos.

31 AINDA NO PRIMEIRO SEMESTRE: A Cultura Indígena... - Para o trabalho com a cultura Indígena a autora propõe que o professor se certifique de que as informações trabalhadas são verdadeiras com o objetivo de evitar informações esteriotipadas e incorretas. POSSIBILIDADES: Dramatização; Confecção de cartazes; Entrevista com um índio; Visita a museus.

32 A CULTURA DO COLONIZADOR: Questionar as crianças com relação ao modo de vida do homem branco português que chegou ao Brasil em 1500, de onde eles vieram, por onde vieram e o que vieram fazer aqui. POSSIBILIDADES: Registro do roteiro no mapa-mundi; Utilização de figuras com vistas a identificar os tipos de família, os modos de vida, os meios de transporte, entre outras coisas.

33 O SEGUNDO SEMESTRE: CONCEITOS ESPECÍFICOS E EM NÍVEL DE AMPLIAÇÃO A ORGANIZAÇÃO DA VIDA BRASILEIRA PELO BRANCO A CULTURA DO NEGRO As características da África; O processo de rapto dos negros dos seus países de origem. Sentimentos e reações do povo africano com os sofrimentos impostos; As Leis, seus interesses e suas conseqüências; Tempo de duração da escravidão e tempo de liberdade; O que aconteceu com os negros depois da Abolição? Como vivem hoje os negros no Brasil?

34 ESTRATÉGIAS... Organizar pequenos roteiros de entrevista para um encontro com personagens negros da localidade. Leitura de textos sobre a vida nos engenhos, nas fazendas. Gravuras também podem ser utilizadas. (importante garantir que, assim como na cultura indígena, informações equivocadas não sejam trazidas)

35 PARTE III Metodologia do Ensino de História e Geografia CAPÍTULO 8 – A FORMAÇÃO DO PROFESSOR: Para a formação do professor: - A recuperação da experiência do aluno-mestre com História e Geografia ao longo da sua formação; - O ensino de História e Geografia que está se processando nas Séries Iniciais do 1º Grau atualmente; - Fazer com que o aluno-mestre seja um elemento ativo do seu próprio processo de ensino-aprendizagem. - Conhecer o aluno real e concreto.

36 PARTE III Metodologia do Ensino de História e Geografia CAPÍTULO 9 – A ATUAÇÃO DO ALUNO-MESTRE - o porquê de se aprender historia e geografia; - o ensino produtivo em oposição ao ensino reprodutivo; - livro didático e execução das aulas. Porque aprender Historia e Geografia? Para ser um sujeito ativo, criativo e conseqüente em seu meio, como ser social, e em seu campo de trabalho, como profissional, é preciso estar sensível aos processos históricos em curso no meio em que se vive. Boa parte da população mundial vê a historia e a geografia como meras matérias decorativas, e não vêm a importância de se estudar essas disciplinas.

37 - Falta de entusiasmo do professor; - Falta de interesse por parte dos alunos com relação aos conteúdos estudados; - Há alunos que cobram autoridade do professor; - Características geo-sócio-históricas X alunos. Princípios do ensino produtivo em oposição ao ensino reprodutivo - Evitar informações prontas e acabadas; - Buscar compreensão da realidade em vez de buscar memorização; - Despertar a curiosidade da criança.


Carregar ppt "METODOLOGIA DO ENSINO DE HISTÓRIA E GEOGRAFIA Gabriele Rosa e Maiane Rosa."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google