A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Processamento das plantas. INTRODUÇÃO Modo de preparação Propriedades físicas Aspecto As características organolépticas Concentração dos princípios ativos.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Processamento das plantas. INTRODUÇÃO Modo de preparação Propriedades físicas Aspecto As características organolépticas Concentração dos princípios ativos."— Transcrição da apresentação:

1 Processamento das plantas

2 INTRODUÇÃO Modo de preparação Propriedades físicas Aspecto As características organolépticas Concentração dos princípios ativos Propriedades farmacológicas Finalidade

3 Etapas envolvidas no processamento da planta medicinal

4

5

6

7

8

9 Extratos vegetais Preparações líquidas, semi-sólidas, sólidas. são obtidos princípios ativos das drogas de origens vegetais por diversas metodologias. Representam manipulações farmacêuticas que têm o objetivo de concentrar as substâncias e reduzir as posologias, aumentar o prazo de validade e conservação de algumas drogas ou voltadas à separação dos ativos efetivamente envolvidos nos efeitos terapêuticos, retirando-se ou minimizando-se a presença de compostos indesejáveis.

10 EXTRATOS São extratos que se apresentam na forma de pós obtidos pela evaporação do extrato alcoólico ou aquoso por meio de processo industrial. A padronização emprega técnicas analíticas com o objetivo de garantir que os extratos tenham a mesma quantidade de substâncias ativas uma vez que é oriundo de um produto natural, oscilações de concentrações de ativos são corriqueiras. Assim, os extratos são padronizados por meio dos marcadores. Extrato seco Extrato seco padronizado

11 São destinados à indústria cosmética, sendo utilizados em formulações de bases aquosas e emulsões, como xampus, géis, loções, sabonetes e banhos de espuma. Os extratos fluidos são utilizados pelas indústrias de fitoterápicos, em formulações para uso interno como xaropes e energéticos. EXTRATOS GLICÓLICOS EXTRATOS FLUIDOS

12 Tintura Pode ser considerada o produto final quando disponível para uso (medicamento rotulado pronto para ser dispensado) e também matéria-prima quando utilizada para ser incorporada em formulações de uso tópico (pomadas, cremes).

13 PROCESSOS DE EXTRAÇÃO

14 Trituração – consiste na ação mecânica de ¨arrebentar¨ as paredes das células do vegetal, tornando os p.a. disponíveis para serem absorvidos pelo organismo. Maceração – processo de extração realizado à temperatura ambiente, na presença de um líquido extrator.Vários são os líquidos utilizados nesse processo como a água, o álcool, a cachaça, o vinho, os óleos. Percolação – processo semelhante a maceração, sendo um aperfeiçoamento do mesmo, utiliza-se um aparelho denominado percolador, em que o líquido extrator está em constante movimento vertical dentro da massa de planta. Infusão – processo de extração com líquido (água) á temperatura elevada. Verte-se á água quente sobre a massa de vegetal, abafa-se por alguns minutos, côa-se o preparado. Decocção – ação do calor é ainda maior, o material vegetal vai para cozimento junto com a água por um tempo que pode variar de 1 a 20 minutos. Chá serenado – preparado geralmente com plantas verdes que ficam macerando em água por um período aproximado de 8 a 10hs. Tintura – preparada pelos processos de maceração ou percolação, utiliza como liquido extrator uma proporção álcool de cereais e água, planta seca.

15 Alcoolatura – processo semelhante á tintura, diferenciando-se por utilizar planta verde como matéria prima Garrafada – preparação popularizada semelhante á tintura, deixa-se o material em maceração por um período determinado num liquido que geralmente é a cachaça Pomada – preparação farmacêutica que possui consistência semi sólida sendo destinada ao uso externo, exercendo ação protetora, emoliente e curativa Cataplasma – preparação de uso externo que consiste na aplicação sobre a parte afetada da pele de uma mistura de farinha e água ou chá da planta Compressa – usado externamente, aplicando-se um pedaço de pano embebido em chá, cozimento ou sumo da planta. Xarope – solução concentrada de açúcar em água que veicula o fitocomplexo de uma ou mais drogas vegetais.

16 Destilação

17 Cuidados na higiene e na limpeza dos materiais. 1.Utensílio a ser utilizados 2.Higiene do manipulador e do local

18

19

20 Preparados fitoterápicos

21 Flores, botões e folhas ; Colocar a planta seca ou fresca na xícara; Despejar a água quente sobre ela e abafar ; Aguardar uns 5 minutos, coar e beber Desta forma a planta preserva todo o aroma e as propriedades medicinais.

22 Raiz, casca e rizoma; Colocar em uma panela; Adicionar água fria; Levar ao fogo por 1 a 20 minutos; Coar e beber.

23 Alcoolaturas Macerar 250 g da planta fresca picada em 500 ml de álcool a 80 ou 90% por um período variável entre 8 e 10 dias em local protegido da luz solar, a seguir espremer e filtrar o composto obtido. No caso de ervas secas, utiliza-se 250 a 300 g de ervas para um litro de álcool a 70% (7 partes de álcool e 3 de água).

24 Cataplasma Amassar as ervas frescas e bem limpas, aplicar diretamente sobre a parte afetada ou envolvidas em um pano fino ou gaze; Devemos observar se a planta não possue pêlos que possam irritar a pele ou se a planta tem látex que pode queimar a pele. As ervas secas misturá-la com pequenas quantidade de água para amolecer ou ainda podem ser reduzidas a pó, misturadas em água, chás ou outras preparações (farinha de mandioca ou fubá de milho e água, geralmente quente)

25 COMPRESSA

26 Gargarejo Combater afecções da garganta, amidalites e mau hálito. Faz-se uma infusão concentrada e gargareja quantas vezes for necessário. Ex.: Sálvia (mau hálito), tanchagem, malva e romã (amidalites e afecções na boca).

27 Inalação : Aparelho respiratório; Colocar a planta a ser usada numa vasilha com água fervente, na proporção de uma colher de sopa da planta fresca ou seca em ½ litro d'água, aspirar lentamente. Riscos de queimaduras!!!!!!

28 Suco O suco é obtido espremendo-se o fruto ou batendo as folhas frescas no liquidificador; Usar no momento do preparo.

29 É extraído esmagando a planta fresca em um pilão ou pano. Uso oral ou emplastro

30 TINTURA –Um vidro de boca larga escuro, ou caso não tenha usar papel alumínio para cobri-lo –Colocar 200 g da planta seca e triturada –Adicionar 1000ml da mistura hidroalcoólico ( ° GL) –Fechar bem o frasco, agitar e rotular –Macerar por 15 dias, agitando 2 vezes ao dia –Filtrar – Validade por 1 ano.

31 Xarope –Uma medida de açúcar; –Calda – Misturar a calda as plantas frescas e picadas, coloca-se em fogo baixo e mexe-se por 3 a 5 minutos, findos os quais o xarope é coado e guardado em frasco de vidro. –Adição de mel na substituição ao açúcar, não se deve aquecer.

32 Vinho medicinal O vinho deve ser puro, com alto teor alcoólico, Tinto - princípios tônicos ou adstringentes Branco - obter um produto diurético. Ervas picadas Macera-se em vinho durante alguns dias. Depois de filtrado, o produto deve ser conservado em local arejado

33 Horário de administração Café da manhã - toma-se os laxativos, depurativos, diuréticos e vermífugos (meia hora antes) ; 2 horas antes e depois das refeições principais - toma- se as preparações antireumáticas, neurotônicas (nervos), contra a febre e tosse; meia hora antes das refeições principais - preparações tônicas e antiácidas; depois das refeições principais - todas as preparações digestivas e contra gases; antes de deitar - todos os preparados protetores do fígado e laxativos.

34 Preparação Fitoterápica ValidadeObservaçõesAlterações que indicam degradação do princípios ativos Planta seca 1 anoEmbalagem fechada Ausência do aroma característico; Coloração enfraquecida; mofo, insetos, fungos e manchas. Pó6 mesesDescoloração ou mudança de cor; presença de inseto. Tintura (70°GL)1 anoFrasco escuroPerda de coloração; Precipitação acentuada de material no fundo do frasco; Turvamento. Infuso, decocto24 horasEm geladeira ou local fresco Aroma e sabor desagradáveis; Bolor. Garrafada1 anoAusência de coloração; Precipitação do material Vinho medicinal1 anoAroma de vinagre; Turvamento. Óleo medicinal1 anoAroma desagradável; Ranço; mudança de cor Xarope1 mêsFermentação; Aroma desagradável; perda de cor Pomada6 mesesEm geladeiraFungo e bolor na superfície da pomada; pontos escuros. Pomada aquosa1 semanaEm geladeiraFungo e bolor na superfície da pomada; aroma desagradável.

35 Rotulagem Nome do medicamento Composição Espécie Veículos Utilização Data de Fabricação: Data de Validade: Nome do produto Composição Prazo de validade

36


Carregar ppt "Processamento das plantas. INTRODUÇÃO Modo de preparação Propriedades físicas Aspecto As características organolépticas Concentração dos princípios ativos."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google