A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

DOR TORÁCICA Abordagem do doente com dor torácia Paulo Bettencourt Maio, 2004.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "DOR TORÁCICA Abordagem do doente com dor torácia Paulo Bettencourt Maio, 2004."— Transcrição da apresentação:

1 DOR TORÁCICA Abordagem do doente com dor torácia Paulo Bettencourt Maio, 2004

2 Dor Percepção Dor somática Dor visceral

3 Homem de 65 anos, com história de hipertensão, pelas 9 h da manhã, quando corria no parque da cidade, teve uma sensação de aperto retro-esternal. Parou e10 minutos depois deixou de ter dor. Retomou a corrida, mas pouco depois, voltou a ter dor, mais intensa, com irradiação para o braço esquerdo, acompanhada de dispneia, sudação intensa e vómitos.Foi transportado ao SU, ainda com a dor.

4 Características Gerais Sintoma que mais vezes leva o doente ao médico A lista de causas potenciais é longa e diversa Muitas causas são benignas, mas algumas com risco de vida O diagnóstico baseia-se na história clínica, no exame objectivo, em exames complementares, criteriosamente seleccionados

5 CAUSAS DE DOR TORÁCICA Cardíaca Gastrintestinal Pulmonar Outras; parede …. etc

6 Causas de Dor Torácica Total-113.5

7 TIPOS DE DOR TORÁCICA Recorrente - ligeira a moderada Intensa e prolongada

8 DOR RECORRENTE Angor Pectoris Músculo-esquelética Outras causas

9 Dor Intensa e Prolongada Enfarte agudo do miocárdio Aneurisma dissecante da aorta Embolia pulmonar Pericardite aguda Outras causas

10 Angor Pectoris Doença coronária Estenose aórtica grave Cardiomiopatia hipertrófica Insuficiência Mitral Hipertensão pulmonar

11 Características da Dor Anginosa Sensação de aperto Duração curta (2-10 min) e de intensidade moderada Localização retro-esternal (pescoço, maxila inferior, braços, epigastro).Radiação ombro e braço esquerdo Despertada pelo esforço, emoções, frio, etc.

12 Dor não Anginosa Dor muito localizada Dor de muito curta duração 30 min. Quando ocorre exclusivamente em repouso* Dor em pontada, latejante,terebrante *Excepção:angina de Pinzmetel

13 Diagnóstico de Angina História clínica - factores de risco Exame físico - 4º som,taquicardia, hipertensão,sopro de regurgitação mitral, discinesia contractil Administração de nitroglicerina sublingual Alterações do ECG Cintigrafia de perfusão miocárdia Coronariografia

14 Dor Músculo-Esquelética Envolvimento radicular (nocturna, relacionada com a postura, com movimento, com tosse;alívio com analgésicos, com repouso,etc.) Costo-condral ou costo-esternal (síndroma de Tietze) Traumatismos (tosse) Síndroma do estreito torácico (compressão de vasos e nervos) Patologia do ombro Herpes zoster

15 Outras Causas de Dor Patologia do hiato esofágico, úlcera péptica, patologia biliar e pancreática Hipertensão pulmonar Prolapso da válvula mitral?

16 Dor Prolongada Enfarte agudo do miocárdio Aneurisma dissecante da aorta Embolia pulmonar Pericardite aguda Outras causas

17 Enfarte do Miocárdio Dor intensa em aperto,opressão,queimor Retro-esternal, com irradiação para o braço esquerdo, para ambos os braços ou para o pescoço Duração >30 min. Acompanhada de dispneia, de indigestão, suores frios Pode ser silencioso

18 Diagnóstico de Enfarte História de angor e factores de risco Alterações no exame objectivo Alterações do ECG Subidas enzimáticas – marcadores de necrose miocárdio

19 Aneurisma Dissecante da Aorta Hipertenso com idade >40 anos Dor muito intensa, a romper A localização relaciona-se com o local da ruptura:anterior na aorta ascendente, no dorso na aorta descendente Isquemia de territórios:hemiplegia,cegueira, isquemia de membros etc.

20 Diagnóstico de Aneurisma Dissecante História clínica Alterações objectivas Rx, ECO, TAC, Ressonância, Aortografia

21 Embolia Pulmonar Dor pleurítica, ocasionalmente retro- esternal Dispneia Apreensão, tosse, hemoptise

22 Diagnóstico de Embolia Dispneia e dor torácica, de início súbito, em doente com factores de risco Rx, ECG, Gasometria, Cintigrafia de ventilação perfusão pulmonar, TAC, Angiografia

23 Pericardite Aguda Dor pleurítica ou retro-esternal, de início súbito.Agravamento com movimentos respiratórios, deglutição e com o decúbito; alívio na posição de sentado Localização no précordio

24 Diagnóstico de Pericardite Atrito pericárdico Derrame pericárdico ECG, ECO

25 Outras Causas de Dor Prolongada Pneumotorax Pneumonia Ruptura espontânea do esófago Colecistite aguda, úlcera péptica

26 Diagnóstico de Outras Causas de Dor Prolongada História e exame objectivo Rx, exames analíticos

27 Diagnóstico Diferencial da Dor Torácica

28 O clínica tem mais semelhanças com o detective do que com o cientista No modelo detectitive parte-se do geral para o individual (da doença para o doente) enquanto o inverso acontece com o modelo científico... casos clínicoscomo exercício de modelo de detective* *R.S.Downie, J.Macnaugton- Clinical Judgement:Evidence in Practice; 2000 Detective vs. Cientista

29 Homem de 65 anos, com história de hipertensão; pelas 9 h da manhã, quando corria no parque da cidade, teve uma sensação de aperto retro-esternal. Parou, 10 minutos depois deixou de ter dor. Retomou a corrida, mas pouco depois, voltou a ter dor, mais intensa, com irradiação para o braço esquerdo, acompanhada de dispneia, sudação intensa e vómitos. Foi transportado ao SU, mantendo a dor. Realizou ECG - com supradesnivelamento de 3 mm de ST em V2,V3, V4. A dor teve uma duração aprox. de 45 min. CASO CLÍNICO

30 DISCUSSÃO O que fazer logo que o doente chega ao SU?

31 Ao doente foi administrado fibrinolítico, com analgesia e normalização do ECG

32 Na manhã seguinte, o ECG mostrou uma pequena onda Q eT bifásica. CPK 980 U/L, c/15%de fracção CPK-MB e Troponina I 10.8 ng/ml. Evoliu sem intercorrênicas

33 Recomendações para o ambulatório?

34 Mulher de 27 anos, recorre ao SU por dor torácica esquerda nas últimas 24 h, que se acentuava com os movimentos respiratórios. Estava ansiosa e dispneica. Não tinha tosse, expectoração hemoptoica, sibilos, edemas dos membros inferiores. Antecedentes irrelevantes excepto o uso da pilula e o consumo de 20 cigarros/dia. Mulher ligeira- mente obesa, com desconforto respiratório, temperatura axilar de 38.0 C, pulso radial de115/min.TA140/80mmHg, freq.resp.26/min, ausc. pulmonar e cardíacas, normais. Adomen- com ruídos intestinais; sem hepato e espleno- megalia. Sem cianose e sem edemas das extremidades. Hemoglobina 14.5 g/dL; hematócrito 42%; leucograma 6000/mm3, 74% de N e 26%. CASO CLÍNICO

35 DISCUSSÃO Hipóteses de diagnóstco?

36 Rx pulmonar -silhueta cardíaca normal, pequeno infiltrado no lobo inferior esquerdo. ECG c/taquicardia mas sem isquemia. Gasometria arterial-pH 7.49,Pco2 32 mmHg, Po2 60 mmHg. Gram (expectoração) com flora normal. Que outros exames realizar?

37 -Que tratamento instituir?


Carregar ppt "DOR TORÁCICA Abordagem do doente com dor torácia Paulo Bettencourt Maio, 2004."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google