A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Modelos e Práticas de Avaliação Modelos e Práticas de Avaliação de Recursos Educativos Digitais José Luis Ramos Universidade de Évora.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Modelos e Práticas de Avaliação Modelos e Práticas de Avaliação de Recursos Educativos Digitais José Luis Ramos Universidade de Évora."— Transcrição da apresentação:

1 Modelos e Práticas de Avaliação Modelos e Práticas de Avaliação de Recursos Educativos Digitais José Luis Ramos Universidade de Évora

2 Porquê debater a qualidade de recursos digitais na Internet ? Porquê debater a qualidade de recursos digitais na Internet ? Porquê avaliar os recursos digitais existentes na Internet? Porquê avaliar os recursos digitais existentes na Internet? Que modelos e práticas de avaliação dos recursos digitais na Internet? Que modelos e práticas de avaliação dos recursos digitais na Internet? Que modelo de avaliação de recursos digitais na Internet para Portugal? Que modelo de avaliação de recursos digitais na Internet para Portugal? Questões de Partida

3 Porquê debater a qualidade de recursos digitais na Internet ? A qualidade dos recursos é um aspecto importante na qualidade da intervenção educativa, em especial no campo dos recursos digitais A qualidade dos recursos é um aspecto importante na qualidade da intervenção educativa, em especial no campo dos recursos digitais Generalizar o acesso à Internet é generalizar o acesso a recursos digitais, cuja qualidade deve ser considerada Generalizar o acesso à Internet é generalizar o acesso a recursos digitais, cuja qualidade deve ser considerada Assegurar a presença de uma perspectiva educativa no desenvolvimento dos produtos e recursos digitais Assegurar a presença de uma perspectiva educativa no desenvolvimento dos produtos e recursos digitais

4 Porquê avaliar os recursos digitais existentes na Internet? Professores/as sempre avaliaram recursos... porque seria diferente desta vez? Professores/as sempre avaliaram recursos... porque seria diferente desta vez? Os recursos digitais podem ser muito valiosos, mas a existência de muitos produtos e recursos dificulta a escolha por parte dos professores. Os recursos digitais podem ser muito valiosos, mas a existência de muitos produtos e recursos dificulta a escolha por parte dos professores. A avaliação a titulo individual seria difícil e demorada A avaliação a titulo individual seria difícil e demorada

5 A selecção baseada na descrição dos produtos e/ou publicidade podem ser inapropriadas As descrições podem não reflectir o potencial dos recursos digitais A selecção baseada na descrição dos produtos e/ou publicidade podem ser inapropriadas As descrições podem não reflectir o potencial dos recursos digitais O recurso adequado para um professor/a pode não ser para outro/a O recurso adequado para um professor/a pode não ser para outro/a

6 Uma revisão é diferente de uma avaliação: a primeira é pessoal e subjectiva, a segunda sistemática Uma revisão é diferente de uma avaliação: a primeira é pessoal e subjectiva, a segunda sistemática A existência de instrumentos e critérios ajuda a fundamentar o processo de tomada de decisões pelos professores/as A existência de instrumentos e critérios ajuda a fundamentar o processo de tomada de decisões pelos professores/as

7 Modelos e práticas de avaliação dos recursos digitais na Internet - 3 exemplos França Itália Reino Unido

8 O exemplo Francês O exemplo Francêshttp://www.educnet.education.fr/

9 Entidade pública Entidade pública Ministério da Educação Nacional Ministério da Educação Nacional MARCA RIP (R econnu d I ntérêt Pédagogique) MARCA RIP (R econnu d I ntérêt Pédagogique)

10 Objectivos 1. Orientar os professores e as escolas no mundo do multimédia e permitir identificar os produtos que respondem às necessidades do Sistema Educativo 2. Apoiar projectos de desenvolvimento de software educativo e de recursos digitais on-line 3. Apoiar a utilização de recursos audiovisuais livres de direitos de utilização (TV, Vídeos, CDROM, etc.) por parte das Escolas e da Comunidade Educativa

11 Parcerias Ministério da Educação Nacional : MARCA RIP MARCA RIP+ Indústria de Conteúdos: Grupos de Parcerias de Editores - 45

12 Dispositivos do sistema de avaliação 1. Apresentação de Produtos para obter o direito ao uso da Marca RIP 2. Software Educativo - Multimédia CD-ROM, DVD, Vídeos, incluindo documentação pedagógica 3. Conteúdos e Recursos na Internet : Espaço Digital dos Saberes, incluindo documentação pedagógica

13 Dispositivos do sistema de avaliação 4.Comissão Multimédia de Avaliação : a atribuição da marca RIP e as necessidades do sistema educativo 5.Recursos : Professores Avaliadores/ Especialistas de Conteúdo 6.Estado e representantes dos diferentes sectores da Educação e Indústria: composição da Comissão Multimédia

14 Dispositivos de informação e distribuição 1.Lista de produtos, resultado da atribuição da marca RIP 2.Portais de Recursos KNE : Kiosque Digital da Educação, Canal Digital dos Saberes, lesite, les 3 references 3.Apoio Financeiro às Escolas e datapasse educacion 4.Poder de definir prioridades nacionais, através de iniciativas da Administração e parcerias público/privado

15 Papel do Estado e modelo económico Assegurar qualidade dos recursos que entram na Escola e que correspondem aos interesse do Sistema Educativo, através da Marca RIP Estimular a produção e distribuição de produtos didácticos de qualidade Apoiar as Escolas no acesso aos recursos, dotando-as de meios financeiros para subscrição e aquisição de títulos Assegurar o desenvolvimento do sistema através de estudos e avaliações externas, racionalizando o processo de tomada de decisões: estudos sobre o impacto da marca RIP, questionários, acordos, etc.

16 O exemplo italiano O exemplo italianohttp://www.bdp.it/software/

17 Entidade pública Ministério da Educação INDIRE Ministério da Educação INDIRE Bolino de Qualitá Bolino de Qualitá

18 Objectivos 1.Promover a qualidade dos recursos didácticos multimédia 2.Apoiar a utilização de recursos por parte das Escolas e da Comunidade Educativa, assegurando o acesso através de Centros de Recursos

19 Dispositivos de avaliação 1.Produto para avaliação/certificação/ Formulários de apresentação 2.Instrumentos de avaliação e critérios de avaliação –2 avaliadores /experts –2 Escolas (propõe a tua escola para avaliação e produtos avaliados ficam na Escola) 3.Avaliação positiva : selo de qualidade

20 Dispositivos de informação e distribuição 1.Relatórios de 2 Avaliadores/ Especialistas 2.Relatos de Utilização educativa na Escola e de outras Escolas 3.Base de dados pesquisáveis, com acesso público/descrição resumida do produto e ligação para local da empresa/entidade

21 Dispositivos de informação e distribuição 1.Informação sobre produtos disponíveis no Portal 1.Consulta grátis nos 45 Centros (bibliotecas e mediatecas) distribuídos pelo país 1.Comercialização do software educativo no mercado e em 10 Centros

22 Papel do Estado e modelo económico Assegurar qualidade dos recursos didácticos que entram na Escola Assegurar qualidade dos recursos didácticos que entram na Escola Estimular a produção e distribuição de produtos didácticos de qualidade Estimular a produção e distribuição de produtos didácticos de qualidade Apoiar as Escolas no acesso aos recursos, quer através de recursos financeiros (para aquisição e subscrição) quer através do acesso aos produtos na rede de bibliotecas e mediatecas Apoiar as Escolas no acesso aos recursos, quer através de recursos financeiros (para aquisição e subscrição) quer através do acesso aos produtos na rede de bibliotecas e mediatecas

23 O exemplo Inglês

24 Entidades públicas e privadas Entidades públicas e privadas BECTA BECTA Sem certificação Sem certificação Não existe propriamente UM sistema, mas sim diversidade de abordagens, modelos e práticas de avaliação dos recursos digitais onde é estimulada a participação dos diversos actores sociais e educativos e são consideradas as necessidades das diferentes minorias existentes no país.

25 Diversidade de Modelos e práticas de avaliação BECTA- informação e formação dos Professores BECTA- informação e formação dos Professores TRE- Teachers Resource Network: modelo colaborativo para partilha de recursos e actividades, através de base de dados TRE- Teachers Resource Network: modelo colaborativo para partilha de recursos e actividades, através de base de dados TEEM – sistema de avaliação de recursos digitais – avaliação de conteúdo e em contexto de sala de aula. Sem certitificação TEEM – sistema de avaliação de recursos digitais – avaliação de conteúdo e em contexto de sala de aula. Sem certitificação PIN – Parents Information Network – revisão de produtos e recursos digitais pelos Pais PIN – Parents Information Network – revisão de produtos e recursos digitais pelos Pais

26 Government Education Ministry DfES Curriculum Agency QCA School inspectorate Publishers associations Teacher training Agency TTA Teacher Organisations NAHT

27 Dispositivos de avaliação 1. Apresentação de recursos, software e recursos digitais on-line, para avaliação 2. Instrumentos e critérios de avaliação 3. Avaliação de conteúdo e avaliação em contexto de sala de aula 4. Recursos: Professores/avaliadores com experiência de avaliação

28 Dispositivos de informação e distribuição 1. Portal TEEM Relatórios de Avaliadores/ Especialistas, de avaliação de conteúdo e sala de aula 2. Base de dados pesquisáveis, com acesso público/descrição resumida do produto e ligação para local da empresa/entidade 3. Guias e Catálogos de Software e de Recursos Digitais periódicos 4. Exposições anuais

29 Dispositivos de informação e distribuição Aposta na Informação – Portais diversos com informação sobre recursos digitais – Campanhas de sensibilização, programas e outras iniciativas dedicadas à questão da qualidade, mas também a outras temáticas. Ex. Segurança na Internet, copyright, informação e recursos para necessidade educativas especiais Aposta na Formação – Guias para orientação dos professores e dos pais, workshops, seminários, exposições, etc.

30 Papel do Estado e modelo económico Assegurar qualidade dos recursos educativos digitais e a liberdade de escolha individual e institucional Assegurar qualidade dos recursos educativos digitais e a liberdade de escolha individual e institucional Estimular a produção e distribuição de produtos didácticos de qualidade Estimular a produção e distribuição de produtos didácticos de qualidade Apoiar as Escolas no acesso aos recursos, através de um sistema de créditos ( ELC) dotando-as de meios financeiros para subscrição e aquisição de títulos, Apoiar as Escolas no acesso aos recursos, através de um sistema de créditos ( ELC) dotando-as de meios financeiros para subscrição e aquisição de títulos, Promover o conhecimento científicos das realidades através de estudos e avaliações em parcerias com Universidades e Centros de Investigação Promover o conhecimento científicos das realidades através de estudos e avaliações em parcerias com Universidades e Centros de Investigação

31 Que modelo de avaliação de recursos digitais para Portugal? 1.Modelos colaborativos baseados na partilha de recursos digitais. Vantagens e Inconvenientes 2.Modelos de mercado baseado na produção, oferta e procura de produtos e recursos digitais. Vantagens e Inconvenientes 3.Qual o papel do Estado? Questões em aberto

32 Questão dos recursos produzidos pelos professores e alunos


Carregar ppt "Modelos e Práticas de Avaliação Modelos e Práticas de Avaliação de Recursos Educativos Digitais José Luis Ramos Universidade de Évora."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google