A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

SELEÇÃO NATURAL E DERIVA GÊNICA. A melhor definição de seleção natural seria a sobrevivência diferencial. A luta pela sobrevivência ou sobrevivência do.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "SELEÇÃO NATURAL E DERIVA GÊNICA. A melhor definição de seleção natural seria a sobrevivência diferencial. A luta pela sobrevivência ou sobrevivência do."— Transcrição da apresentação:

1 SELEÇÃO NATURAL E DERIVA GÊNICA

2 A melhor definição de seleção natural seria a sobrevivência diferencial. A luta pela sobrevivência ou sobrevivência do mais forte são metáforas! SELEÇÃO NATURAL

3 A seleção natural não é um agente ativo e nem uma vontade consciente. É uma avaliação estatística da diferença de sobrevivência nos organismos que passam modificações para os descendentes e através de um longo tempo resulta em especiação. SELEÇÃO NATURAL

4 A sobrevivência diferencial é que determina um processo de descendência com modificação na população. Pode atuar em vários níveis de organização da vida de genes individuais, conjunto de genes, indivíduos, populações e espécies. SELEÇÃO NATURAL

5 Assume-se geralmente que o indivíduo como unidade de atuação da seleção natural. A sobrevivência diferencial deve-se então a diferenças entre fenótipos determinadas por diferenças em um mais locos gênicos. SELEÇÃO NATURAL

6

7 A seleção não é um processo aleatório mas direcionado. Ex: Pedregulhos organizados em uma praia. SELEÇÃO NATURAL

8 Pré-condições para a seleção natural operar: Excesso de fecundidade Competição por recursos SELEÇÃO NATURAL

9 Condições para a seleção natural operar: Reprodução – formação de novas gerações. Hereditariedade – os descendentes devem ter características semelhantes aos ancestrais. SELEÇÃO NATURAL

10 Condições para a seleção natural operar: Variação de caracteres individuais entre os membros da população – diferenças entre indivíduos. Variação da aptidão do organismo – o indivíduo deve variar a quantidade de descendentes na população de acordo com o caractere herdável. SELEÇÃO NATURAL

11 A aptidão não tem sentido atlético em evolução, ela se refere à maior ou menor probabilidade de reprodução de um indivíduo em relação à média da população. Indivíduos com maior aptidão deixam mais genes como os dele na população. SELEÇÃO NATURAL

12 Todas as pré-condições e condições devem existir para que ocorra a seleção natural. A seleção natural explica a evolução ou ausência de evolução e a adaptação. SELEÇÃO NATURAL

13 Ação da Seleção Natural em um caráter: Direcional Quando um determinado caráter tem uma aptidão maior do que outros. Ex: Caracóis e eficiência no uso energético. SELEÇÃO NATURAL

14 Ação da Seleção Natural em um caráter: Direcional SELEÇÃO NATURAL

15 Ação da Seleção Natural em um caráter: Estabilizadora Nenhum caráter tem uma aptidão maior do que os outros. Tende a favorecer valores médios nas populações Ex: Peso de bebes ao nascer em países mais pobres. SELEÇÃO NATURAL

16 Ação da Seleção Natural em um caráter: Estabilizadora SELEÇÃO NATURAL Pequenos demais nascem prematuros e grandes demais tem maior probabilidades de lesões durante o parto.

17 Ação da Seleção Natural em um caráter: Disruptiva Os caracteres extremos tem maior aptidão do que o caráter central. Ex: Sobrevivência de tentilhões africanos SELEÇÃO NATURAL

18 Ação da Seleção Natural em um caráter: Disruptiva SELEÇÃO NATURAL

19 Ação da Seleção Natural em um caráter: SELEÇÃO NATURAL

20 A sobrevivência se dá sempre em relação ao meio – exemplo da anemia falciforme na África subsaariana. SELEÇÃO NATURAL

21 A mudança do acido glutâmico para valina altera a forma das hemácias. SELEÇÃO NATURAL

22 Em relação à malária, indivíduos heterozigóticos para a anemia falciforme que tem células normais e células defeituosas tem uma vantagem em relação a indivíduos sem anemia falciforme. A célula defeituosa não permite a reprodução do plasmodium e por isso há uma seleção desses indivíduos em relação aos sadios. SELEÇÃO NATURAL

23 Seleção gerada pelo homem, seja diretamente: na criação de animais e agricultura. Também pode ocorrer indiretamente no aumento de resistência por bactérias. SELEÇÃO ARTIFICIAL

24 Processo de seleção por meio do uso de antibióticos SELEÇÃO ARTIFICIAL

25 É o efeito do acaso nas populações. Atua alterando a frequência de um gene na população. A deriva gênica tem 2 efeitos na população: Reduz a diversidade genética Tem um efeito maior em populações menores. DERIVA GÊNICA

26 DERIVA GÊNICA – REDUÇÃO DE DIVERSIDADE GENÉTICA O elefante marinho do Norte tem uma diversidade genética reduzida, provavelmente, devido a um gargalo de garrafa provocado pela caça na década de No final do sec 19, a caça reduziu o seu tamanho efectivo para 20 indivíduos. Entretanto, a sua população cresceu para os mas os seus genes ainda conservam a marca do gargalo de garrafa que sofreram há cerca de 100 anos: a sua diversidade genética (nº de alelos) é muito menor do que a da população de elefantes marinhos do Sul.

27 DERIVA GÊNICA – GRANDE EFEITO EM POPULAÇÕES PEQUENAS Há um elevado número de asmáticos na Ilha Tristão da Cunha. A Ilha Tristão da Cunha está situada no meio do Atlântico Sul, a 1500 milhas de qualquer outra massa terrestre. É a Ilha habitada mais remota do mundo.

28 DERIVA GÊNICA – GRANDE EFEITO EM POPULAÇÕES PEQUENAS DERIVA GÊNICA Outra característica desta Ilha é que metade dos seus 261 habitantes sofre de asma. Não havia poluição atmosférica Não havia indústria Os ventos eram tão fortes que o ar estava sempre a ser renovado e estava livre de partículas e poluentes. Sob o ponto de vista da qualidade do ar, a ilha Tristão da Cunha era o local mais seguro do mundo.

29 DERIVA GÊNICA – GRANDE EFEITO EM POPULAÇÕES PEQUENAS A resposta deveria estar nos genes. Na Ilha existiam apenas 7 sobrenomes, o que significa que o gene pool da população é muito homogêneo.

30 Para a criação da geração seguinte, os indivíduos de uma população produzem gametas, geralmente, em grande número. Mas só uma pequena fracção dos gametas produzidos se une com sucesso para dar origem a indivíduos adultos. A geração seguinte é uma pequena amostra de todas as combinações possíveis de todos os gametas produzidos na geração anterior. DERIVA GÊNICA

31 O carácter aleatório inerente a este processo de amostragem pode gerar flutuações no valor das frequências alélicas. Este efeito pode acumular-se ao longo de várias gerações e pode resultar na fixação, ou na extinção, de um ou mais alelos na população. A flutuação das frequências alélicas em resultado de processos estocásticos (aleatórios) recebeu o nome de deriva gênica. DERIVA GÊNICA

32 Depende do tamanho da população, sendo menos importante em populações maiores e ajudando um alelo a se fixar em populações menores. Em média o tempo para fixação de um alelo é de 2N gerações. DERIVA GÊNICA

33 Exercício de deriva gênica: Uma população de 4 indivíduos tem 2 com a característica pintado. A frequência desse alelo p é igual a 0,5. Ao acaso cada indivíduo tem a chance de ter 0, 1 ou 2 filhotes. Simule a evolução dos alelos pintado e liso na população ao longo das gerações. DERIVA GÊNICA

34


Carregar ppt "SELEÇÃO NATURAL E DERIVA GÊNICA. A melhor definição de seleção natural seria a sobrevivência diferencial. A luta pela sobrevivência ou sobrevivência do."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google