A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

P ROGRAMA M ENTORES CCR - C ONSELHO C ONSULTIVO R EGIONAL 24/03/13 – 19h Iniciaremos o treinamento às 19 hs pontualmente (horário de Brasília) Por favor,

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "P ROGRAMA M ENTORES CCR - C ONSELHO C ONSULTIVO R EGIONAL 24/03/13 – 19h Iniciaremos o treinamento às 19 hs pontualmente (horário de Brasília) Por favor,"— Transcrição da apresentação:

1 P ROGRAMA M ENTORES CCR - C ONSELHO C ONSULTIVO R EGIONAL 24/03/13 – 19h Iniciaremos o treinamento às 19 hs pontualmente (horário de Brasília) Por favor, aguarde alguns minutos Lembre-se de colocar o seu telefone em mute

2 Agenda - Treinamento dos CCRs/SREs Data: 24 Março 2013 – 19h – 20h30 Presidida por: Presidente Claudio Costa Dirigida por: Paulo Araujo Oração de Abertura:Osvaldo Bassi Amato – Mensagem abertura (5) Jusselio - Objetivos dos Mentores; Prioridades; Diretrizes do FPE (10) Gunn – Responsabilidades dos Coordenadores; Organizar o trabalho com troca de experiências: Sandro Silva (RJ) ; Charles Martins (Campinas) (20) Paulo - Recursos da Comunidade; Perspectiva de Carreira; Avaliação de Escolas; Quando terminar o acompanhamento ao membro (15) Amato - Como funciona o atendimento à distância (2,5) Gunn - Como funciona o atendimento em grupo (2,5) Jusselio - Relatórios (5) Amato – Treinamentos dos Mentores (5) Perguntas e Respostas (15) Pres. Costa – Mensagem de encerramento (10) Oração de encerramento:

3 Mensagem Abertura Homero Amato HISTÓRICO O Conselho Consultivo Nacional foi criado em 2005 pelo Elder Neil Andersen que na época presidia a Área Brasileira. O CCN foi formado nos moldes do NAC – National Advisory Council da Marriott School of Management da BYU - Universidade Brigham Young que é constituído por cerca de 300 proeminentes líderes empresariais, governamentais, que assessoram o quadro docente, discente e administradores da universidade promovendo a excelência em gerenciamento e principalmente o compromisso de princípios de valores éticos de liderança. A 1ª Reunião do CCN ocorreu no dia 28 Junho 2005 e os lideres daquela época eram os irmãos Francisco Valim, Manoel Amorim e Carlos W. Martins. O secretário era o irmão Ronald Gunn. Tínhamos 24 membros envolvidos no CCN e hoje fazem parte do CCN todos os coordenadores do Conselho Consultivo Regional e que são divididos nos 34 Conselhos de Coordenação e mais de 500 irmãos e irmãs que são os valorosos Mentores desse programa tão inspirado. Nesses últimos anos o CCN auxiliou o programa do Fundo Pérpetuo de Educaçào designando oradores entre seus membros para os serões promovidos pelo comitê de bem estar, conscientizando a juventude SUD a preocupar-se e preparar-se academicamente para o futuro.

4 Mensagem Abertura Homero Amato NOVAS DIRETRIZES A Primeira Presidência apresentou novas diretrizes para o aperfeiçoamento do FPE, e uma delas foi a introduçào do papel dos Mentores, membros fiéis da Igreja que com toda certeza darão uma grande contribuição na formaçào acadêmica e profissional dos futuros líderes da Igreja e da comunidade brasileira. Como Mentores, servimos dando de nosso tempo e talentos sem obter ganho financeiro mas todos sabemos da grande recompensa que advem em servir ao próximo. Trata-se de um trabalho voluntário de orientar, aconselhar, acompanhar e apoiar principalmente 2 ou mais missionários retornados ou líderes e membros da Igreja a também buscarem sua autossuficiência. O manual de instruções 2, na seção 6.1 ensina que a autossuficiência é a capacidade, o compromisso e o esforço de satisfazer as necessidades espirituais e materiais da vida para si próprio e a família. O Elder Robert C. Gay, autoridade geral, membro do 1º quórum dos Setentas e chairman do programa FPE explicou: Ao ajudarmos os membros da Igreja a se tornarem autossuficientes, eles se tornam muito mais capacitados a fazer parte da Igreja e passam a contribuir para seu crescimento real. Ser Mentor do CCN não é ter um chamado feito pelos líderes eclesiásticos das Alas ou Estacas. Cada Mentor foi indicado por suas qualidades de liderança, experiência e maturidade profissional. Ser um Mentor não nos desobriga de nossos chamados eclesiásticos em nossas Alas e Estacas. Todos nós e nossos Mentores iremos servir junto com os gerentes e funcionários dos CA - Centro de Autossuficiência, antigo SRE – Serviços de Recursos de Emprego. Formamos um time unido e focado. A Presidência de Área irá mensalmente acompanhar nosso trabalho dando a orientação, inspiração e a direção a ser seguida. As escrituras indicam claramente que temos que edificar Sião. Em D & C 97:21 lemos: Portanto, em verdade, assim diz o Senhor: Que Sião se regozije, pois isto é Sião – OS PUROS DE CORAÇÀO. O Profeta Enoque, no livro de Moisés declarou: E o Senhor chamou seu povo Sião, porque eram unos de coração e vontade e viviam em retidão; e não havia pobres entre eles. O profeta Nefi disse: E abençoados os que procurarem estabelecer a minha Sião naquele dia, pois terão o dom e o poder do Espirito Santo; e se perseverarem até o fim, serão levantados no último dia e serão salvos no reino eterno do Cordeiro – I Néfi 13: 37.

5 Propósito Autossuficiência Convidar e ajudar os pobres e necessitados entre nós, que sejam dignos e determinados, a viverem a autossuficiência temporal e espiritual do evangelho de Cristo, através da fé, da educação, do trabalho e do poder do sacerdócio.

6 Propósito do CCN O propósito do CCN é dar apoio aos membros (principalmente aos missionários retornados, novos candidatos ao Fundo Perpétuo de Educação e líderes eclesiásticos com necessidades) a tornarem- se autossuficientes. Não é um chamado eclesiástico. O trabalho dos Mentores no CCN não visa substituir as responsabilidades atuais dos lideres do Sacerdócio; é um recurso adicional de apoio.

7 Objetivos Mentores Ajudar os membros a: encontrarem um emprego/melhor emprego entenderem que o curso técnico pode oferecer as melhores condições para esse objetivo identificarem carreiras com boas perspectivas na sua região escolherem escolas que oferecem boas probabilidades de sucesso buscarem primeiro os recursos da comunidade antes de pensar no FPE (Fundo Perpétuo de Educação), quando necessitam de ajuda financeira

8 Cont.... entenderem que O FPE deve ser utilzado somente em casos de real necessidade (quando a família de fato não tem condições financeiras) e a importância de honrar os compromissos com o FPE ou de outras fontes de recursos aprenderem os princípios de autossuficiência, incluindo o pleno pagamento do dízimo, mesmo pelos mais pobres. Objetivos Mentores

9 Prioridades Missionários retornados dentro de 24 meses Missionários retornados dentro de 24 meses Líderes desempregados/subempregados (bispos e Presidências Estacas) Líderes desempregados/subempregados (bispos e Presidências Estacas) Participantes/Candidatos FPE Participantes/Candidatos FPE Outros Outros

10 Diretrizes FPE Ênfase em formação técnica ou tecnológica (até 30 meses) que leva o membro mais rapidamente a um emprego Elevação dos padrões para uso do FPE – Novos Requisitos Servir ativamente em um chamado na Igreja Considerar os recursos da comunidade antes de aplicar para o FPE Membro da Igreja há pelo menos 1 ano homens abaixo de 26 anos, ser missionário retornado

11 Responsabilidades Coordenadores CCRs Ser Mentor Ser Mentor Em conjunto aos SREs (futuros Centros de Autossuficiência), coordenar as designações dos Mentores (quem vai atender quais jovens) Em conjunto aos SREs (futuros Centros de Autossuficiência), coordenar as designações dos Mentores (quem vai atender quais jovens) Designar palestrantes para Serões Designar palestrantes para Serões Identificar novos candidatos para serem Mentores e informar seus dados básicos de contato. Objetivo: ter pelo menos 3 mentores em cada estaca/distrito Identificar novos candidatos para serem Mentores e informar seus dados básicos de contato. Objetivo: ter pelo menos 3 mentores em cada estaca/distrito

12 Identificar necessidades de treinamento e realizar treinamentos Identificar necessidades de treinamento e realizar treinamentos Quando convidado, participar nas Reuniões do Conselho de Coordenação, (formado por Setenta de Área, Presidentes de Estaca e Missão) nos assuntos de Autossuficiência, FPE, Educação, etc Quando convidado, participar nas Reuniões do Conselho de Coordenação, (formado por Setenta de Área, Presidentes de Estaca e Missão) nos assuntos de Autossuficiência, FPE, Educação, etc Acompanhar o trabalho dos Mentores e enviar relatórios trimestrais à respeito Acompanhar o trabalho dos Mentores e enviar relatórios trimestrais à respeito Responsabilidades Coordenadores CCRs

13 CCN – Posição Mentores (20/03/13) Confirmados443 Não aceitaram 89 Aguardando resposta/contato311 Sem /telefone151 Total905 Coordenadores Regionais 33

14 Troca Experiências Sandro Silva – Rio Janeiro Charles Martins – Campinas

15 Modelo Operação (1/3) Rio Janeiro Cada mentor acompanhará individualmente os membros sobre sua designação. Os mentores estarão sendo treinados na Reunião Trimestral de Mentores (RTM) quanto as boas práticas do papel de Mentor; Cada mentor acompanhará individualmente os membros sobre sua designação. Os mentores estarão sendo treinados na Reunião Trimestral de Mentores (RTM) quanto as boas práticas do papel de Mentor; Quando aplicável, e à medida da disponibilidade dos mentores, o acompanhamento poderá ser feito em grupo. Porém a assistência individual sempre será importante; Quando aplicável, e à medida da disponibilidade dos mentores, o acompanhamento poderá ser feito em grupo. Porém a assistência individual sempre será importante; Como instrumento de apoio, os Mentores utilizarão os materiais e orientações que receberão do CCR/CA. Também preencherão uma planilha trimestral, que será providenciada pelo CCR/CA, apontando o progresso de cada membros sobre sua responsabilidade; Como instrumento de apoio, os Mentores utilizarão os materiais e orientações que receberão do CCR/CA. Também preencherão uma planilha trimestral, que será providenciada pelo CCR/CA, apontando o progresso de cada membros sobre sua responsabilidade;

16 A RTM irá reunir trimestralmente todos os mentores para um acompanhamento do progresso do grupo. O Objetivo dessa reunião será: A RTM irá reunir trimestralmente todos os mentores para um acompanhamento do progresso do grupo. O Objetivo dessa reunião será: Acompanhar o progresso dos mentores no serviço que prestam; Acompanhar o progresso dos mentores no serviço que prestam; Acompanhar o progresso geral dos membros que estão sendo ajudados; Acompanhar o progresso geral dos membros que estão sendo ajudados; Promover o compartilhamento de boas práticas aprendidas no conselho regional e junto a outros conselhos de outras áreas do CCN; Promover o compartilhamento de boas práticas aprendidas no conselho regional e junto a outros conselhos de outras áreas do CCN; Ajudar na revisão da lista de membros que estão recebendo ajuda, quando aplicável; Ajudar na revisão da lista de membros que estão recebendo ajuda, quando aplicável; Manter a perspectiva da importância do trabalho, motivando os mentores para continuarem seus esforços e serviço. Manter a perspectiva da importância do trabalho, motivando os mentores para continuarem seus esforços e serviço. Modelo Operação (2/3) Rio Janeiro

17 O CCR/CA reportará trimestralmente o andamento e progresso dos membros ao presidente de estaca; O CCR/CA reportará trimestralmente o andamento e progresso dos membros ao presidente de estaca; O CCR também promoverá um serão por ano para cada conjunto de 3 estacas (conforme viabilidade). Este serão será preparado de forma a atingir os membros dentro de pelo menos três grupos básicos: O CCR também promoverá um serão por ano para cada conjunto de 3 estacas (conforme viabilidade). Este serão será preparado de forma a atingir os membros dentro de pelo menos três grupos básicos: 1) membros jovens que ainda estejam moldando sua formação educacional e carreira, 1) membros jovens que ainda estejam moldando sua formação educacional e carreira, 2) membros adultos com formação básica, sem um curso superior, 2) membros adultos com formação básica, sem um curso superior, 3) membros adultos que já tenham curso superior. 3) membros adultos que já tenham curso superior. Modelo Operação (3/3) Rio Janeiro

18 Recursos da Comunidade

19 Perspectiva de Carreira

20 Escolas Aprovadas

21 Escolas Aprovadas

22 Término do Acompanhamento Como o Mentor saberá quando terminar o acompanhamento ao membro? Quando o membro estiver encaminhado e não precisar mais de acompanhamento com tanta frequência. O Mentor e membro devem chegar a um consenso a respeito.

23 Atendimento à Distância

24 Atendimento em Grupo Ronald Gunn

25 Relatórios

26 Relatórios

27 Treinamentos dos Mentores Homero Amato

28 Perguntas e Respostas

29 Mensagem Encerramento Pres. Claudio R. M. Costa


Carregar ppt "P ROGRAMA M ENTORES CCR - C ONSELHO C ONSULTIVO R EGIONAL 24/03/13 – 19h Iniciaremos o treinamento às 19 hs pontualmente (horário de Brasília) Por favor,"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google