A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

A contribuição da Medicina Física e de Reabilitação na Doente Mastectomizada.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "A contribuição da Medicina Física e de Reabilitação na Doente Mastectomizada."— Transcrição da apresentação:

1

2 A contribuição da Medicina Física e de Reabilitação na Doente Mastectomizada

3 Agentes Físicos (tradição) Fisioterapia (D. – de 26/03/1951) Medicina Física e de Reabilitação (D.L. – 225/70 de 18/05/1970) Fisiatria Frank Krusen (1936) (physikos- físico e iatreia- arte de curar) Medicina Física e de Reabilitação Serviço de MFR do CHLN – HSM (Dir. Drª Corália Pinto Soares)

4 Medicina Física e de Reabilitação Serviço de MFR do CHLN – HSM (Dir. Drª Corália Pinto Soares)

5 Medicina Física e de Reabilitação Serviço de MFR do CHLN – HSM (Dir. Drª Corália Pinto Soares)

6 Medicina Física e de Reabilitação Serviço de MFR do CHLN – HSM (Dir. Drª Corália Pinto Soares)

7 Medicina Física e de Reabilitação Serviço de MFR do CHLN – HSM (Dir. Drª Corália Pinto Soares)

8 Hospital Escolar de Santa Marta (Director: Dr. Francisco Formigal Luzes) Consulta de Fisioterapia Serviço de Agentes Físicos (1928) Pessoal: 2 Médicos, 4 Ajudantes Secções: Electroterapia, Electrodiagnóstico, Radiações, Cinesioterapia Serviço de MFR do CHLN – HSM (Dir. Drª Corália Pinto Soares) Medicina Física e de Reabilitação

9 Serviço de MFR do CHLN – HSM (Dir. Drª Corália Pinto Soares)

10 1º Director: Dr. Francisco Formigal Luzes (1º Presidente – Sociedade Portuguesa de Medicina Física – 13 de Abril de 1954) Integrado no grupo dos serviços auxiliares de diagnóstico e de terapêutica Pioneirismo Hidroterapia (piscina terapêutica) Electrodiagnóstico Medicina Física e de Reabilitação

11 Serviço de MFR do CHLN – HSM (Dir. Drª Corália Pinto Soares)

12 Medicina Física e de Reabilitação Serviço de MFR do CHLN – HSM (Dir. Drª Corália Pinto Soares)

13 Plano de Acção Nacional de Medicina Física e de Reabilitação (1992) Comissão Nacional de Planeamento da Medicina Física e de Reabilitação (1994) Rede de referenciação de Medicina Física e de Reabilitação (2001) Rede de referenciação de Medicina Física e de Reabilitação (2003) Rede Nacional de Cuidados Continuados Integrados (2006) Medicina Física e de Reabilitação Serviço de MFR do CHLN – HSM (Dir. Drª Corália Pinto Soares)

14 França - 0,67/1000 Espanha - 0,22/1000 Portugal –Planeado - 0,2 /1000; 2000 camas –Existente camas (0,028/1000) Medicina Física e de Reabilitação Serviço de MFR do CHLN – HSM (Dir. Drª Corália Pinto Soares)

15 A M.F.R. é a especialidade médica que tem por função coordenar e assegurar a aplicação de todas as medidas que visam prevenir e reduzir ao mínimo inevitável as consequências funcionais, físicas, psíquicas, sociais e económicas das deficiências e das incapacidades Medicina Física e de Reabilitação Serviço de MFR do CHLN – HSM (Dir. Drª Corália Pinto Soares)

16 A M.F.R. é uma especialidade médica autónoma, cujo objectivo reside na promoção da função física e cognitiva, da actividade (incluindo os comportamentos), da participação (incluindo a qualidade de vida) e na modificação dos factores pessoais e ambientais; é responsável pela prevenção, diagnóstico, tratamento e organização do programa de reabilitação dos indivíduos com patologia médica incapacitante e co-morbilidades, em todos os grupos etários. in Livro Branco de Medicina Física e de Reabilitação Medicina Física e de Reabilitação Serviço de MFR do CHLN – HSM (Dir. Drª Corália Pinto Soares)

17 Medicina Física e de Reabilitação Serviço de MFR do CHLN – HSM (Dir. Drª Corália Pinto Soares)

18 Especialidade Médica independente Reconhecida a nível nacional e internacional Pertencente à União Europeia dos Médicos Especialistas (UEMS) Procura contribuir de modo científico para a reabilitação/recuperação do indivíduo afectado funcionalmente por uma doença ou por um traumatismo Tem uma abordagem própria no exame clínico e na avaliação da funcionalidade Interessa à maioria das áreas médicas, particularmente quando estão em causa situações potencialmente incapacitantes Medicina Física e de Reabilitação Serviço de MFR do CHLN – HSM (Dir. Drª Corália Pinto Soares)

19 A contribuição da Medicina Física e de Reabilitação na Doente Mastectomizada EPIDEMIOLOGIA Portugal : - É o tipo de cancro + frequente na mulher novos casos/ano (Li ga Portuguesa contra o cancro) Serviço de MFR do CHLN – HSM (Dir. Drª Corália Pinto Soares)

20 A contribuição da Medicina Física e de Reabilitação na Doente Mastectomizada TRATAMENTO - Cirurgia com esvaziamento ganglionar - RT - QT - Hormonoterapia ( cirurgias efeitos da RT) Serviço de MFR do CHLN – HSM (Dir. Drª Corália Pinto Soares)

21 A contribuição da Medicina Física e de Reabilitação na Doente Mastectomizada COMPLICAÇÕES - cicatrizes viciosas - alterações articulares (ombro) - alterações neurológicas - alterações respiratórias - alterações posturais - linfedema Serviço de MFR do CHLN – HSM (Dir. Drª Corália Pinto Soares)

22 A contribuição da Medicina Física e de Reabilitação na Doente Mastectomizada COMPLICAÇÕES prevenidas ou diminuídas Intervenção da Medicina Física e de Reabilitação Serviço de MFR do CHLN – HSM (Dir. Drª Corália Pinto Soares)

23 A contribuição da Medicina Física e de Reabilitação na Doente Mastectomizada LINFEDEMA Serviço de MFR do CHLN - HSM, Dir. Drª Corália Pinto Soares

24 A contribuição da Medicina Física e de Reabilitação na Doente Mastectomizada... uma acumulação de líquido no espaço intersticial, rico em proteínas, que surge devido a uma inadequada drenagem linfática e que se caracteriza pelo aparecimento de edema, inflamação crónica e fibrose... DEFINIÇÃO Serviço de MFR do CHLN – HSM (Dir. Drª Corália Pinto Soares)

25 A contribuição da Medicina Física e de Reabilitação na Doente Mastectomizada CLASSIFICAÇÃO ( etiologia ) - 1ário : congénito precoce tardio - 2ário : infecções traumatismos neoplasias cirurgia RT Serviço de MFR do CHLN – HSM (Dir. Drª Corália Pinto Soares)

26 A contribuição da Medicina Física e de Reabilitação na Doente Mastectomizada CLASSIFICAÇÃO (severidade clínica) * Estadio 0 : sub-clínico * Estadio 1 : edema diminui com elevação do membro; mole (sinal de godet) * Estadio 2 : edema não diminui com elevação do membro; duro * Estadio 3 : alterações tróficas (International Society of Lymphology) Serviço de MFR do CHLN – HSM (Dir. Drª Corália Pinto Soares)

27 A contribuição da Medicina Física e de Reabilitação na Doente Mastectomizada CLASSIFICAÇÃO (severidade clínica - edema) * Leve : volume < 20% * Moderado : volume 20-40% * Severo : volume > 40% Serviço de MFR do CHLN – HSM (Dir. Drª Corália Pinto Soares)

28 A contribuição da Medicina Física e de Reabilitação na Doente Mastectomizada DIAGNÓSTICO : * Clínica ( dor, sensação de peso,...) * Medição perímetro (+ frequente) - articulação MCF, - punho - 15cm acima epicôndilo - 10cm abaixo epicôndilo * Medição volume (+ preciso) * Bioimpedância * Métodos de Imagem Clínico Serviço de MFR do CHLN – HSM (Dir. Drª Corália Pinto Soares)

29 A contribuição da Medicina Física e de Reabilitação na Doente Mastectomizada TRATAMENTO : Não tem cura… MAS, pode ser controlado Papel importante da Medicina Física e de Reabilitação Serviço de MFR do CHLN – HSM (Dir. Drª Corália Pinto Soares)

30 A contribuição da Medicina Física e de Reabilitação na Doente Mastectomizada TRATAMENTO - Farmacológico ( antibióticos, diuréticos, benzopironas, …) - Cirúrgico ( casos extremos ) Terapia Linfática Descongestiva Serviço de MFR do CHLN – HSM (Dir. Drª Corália Pinto Soares)

31 A contribuição da Medicina Física e de Reabilitação na Doente Mastectomizada TERAPIA LINFÁTICA DESCONGESTIVA * Cuidados com a pele * Massagem de drenagem linfática manual * Bandas multicamadas/ Manga elástica * Pressoterapia * Exercício Serviço de MFR do CHLN – HSM (Dir. Drª Corália Pinto Soares)

32 TERAPIA LINFÁTICA DESCONGESTIVA : FASE 1 : FASE 2 : (activa, redução;2 a 6 semanas) ( manutenção) * Cuidados com a pele * Mass. drenagem linfática manual * Bandas multicamadas * Manga elástica * Pressoterapia * Exercício … Os cuidados da doente com o membro são essenciais na manutenção dos efeitos terapêuticos… A contribuição da Medicina Física e de Reabilitação na Doente Mastectomizada Serviço de MFR do CHLN – HSM (Dir. Drª Corália Pinto Soares)

33 A contribuição da Medicina Física e de Reabilitação na Doente Mastectomizada CUIDADOS COM A PELE Profilaxia das infecções protecção nas actividades domésticas (jardinagem) protecção na higiene (unhas e depilação) prevenção de picadas evitar colheitas de sangue e medição de T.A. evitar a exposição ao calor uso de roupa larga Serviço de MFR do CHLN – HSM (Dir. Drª Corália Pinto Soares)

34 A contribuição da Medicina Física e de Reabilitação na Doente Mastectomizada MASSAGEM de DRENAGEM LINFÁTICA MANUAL -manobras de captação e reabsorção - manobras de evacuação e chamada Técnicos especializados Serviço de MFR do CHLN – HSM (Dir. Drª Corália Pinto Soares)

35 A contribuição da Medicina Física e de Reabilitação na Doente Mastectomizada BANDAS MULTICAMADAS - Ligaduras de diferentes graus de contenção em camadas - Dedos até axila - Diariamente – Fase de redução ( Fase I ) Serviço de MFR do CHLN – HSM (Dir. Drª Corália Pinto Soares)

36 A contribuição da Medicina Física e de Reabilitação na Doente Mastectomizada MANGA ELÁSTICA - Manutenção - Fase II - Circunstâncias particulares (ex: exercício; avião) Serviço de MFR do CHLN – HSM (Dir. Drª Corália Pinto Soares)

37 A contribuição da Medicina Física e de Reabilitação na Doente Mastectomizada PRESSÕES INTERMITENTES SEQUENCIAIS - Baixas pressões ( < 40 mmhg ) - Não isoladamente Serviço de MFR do CHLN – HSM (Dir. Drª Corália Pinto Soares)

38 A contribuição da Medicina Física e de Reabilitação na Doente Mastectomizada EXERCÍCIO - Recuperar amplitudes articulares e força muscular - Usar bandas multicamadas / manga elástica Serviço de MFR do CHLN – HSM (Dir. Drª Corália Pinto Soares)

39 A contribuição da Medicina Física e de Reabilitação na Doente Mastectomizada QUESTÕES ? (INVESTIGAÇÃO) Incidência? Métodos e critérios de diagnóstico? Factores que afectam o desenvolvimento do linfedema? Eficácia terapêutica? Novas Terapêuticas? (oxigénio hiperbárico, pycnogenol, …) Acessibilidade? Custos? Serviço de MFR do CHLN – HSM (Dir. Drª Corália Pinto Soares)

40 CONCLUSÃO SKILL-MIX Each country needs to determine the skill-mix of health care workers that will best meet their national health priorities. The goal is simply: to get the right workers ith the right skills in the right places doing the right things OMS (2006) ter os profissionais certos, com as competências certas, nos locais certos a fazer as coisas certas Serviço de MFR do CHLN – HSM (Dir. Drª Corália Pinto Soares)

41 CONCLUSÃO SKILL-MIX nas profissões da saúde Vantagens: maior eficiência maior acessibilidade aos serviços de saúde melhoria do desempenho de todos os profissionais ao promover o trabalho em equipa concentração de cada profissional nas suas tarefas e competências nucleares maior grau de satisfação dos profissionais 1ª abordagem em Portugal V Conferência Estatística e Qualidade na Saúde de Novembro de 2006 Escola Superior de Tecnologia de Saúde de Lisboa Serviço de MFR do CHLN – HSM (Dir. Drª Corália Pinto Soares)

42 CONCLUSÃO Serviço de MFR do CHLN – HSM (Dir. Drª Corália Pinto Soares) Quando os médicos e os outros profissionais de saúde estão organizados como uma equipa na qual existe uma razoável divisão de trabalho, ambos os aspectos económicos e de qualidade podem ser protegidos in Roemer, M. – National Health Systems of the World, vol 2 New York, Oxford University Press, 1993

43 A contribuição da Medicina Física e de Reabilitação na Doente Mastectomizada Melhoria funcional da doente Melhoria da qualidade de vida Dar mais anos à vida, mais vida aos anos… Serviço de MFR do CHLN – HSM (Dir. Drª Corália Pinto Soares)

44 A Contribuição da Medicina Física e de Reabilitação na Doente Mastectomizada Muito obrigado… Serviço de MFR do CHLN – HSM (Dir. Drª Corália Pinto Soares)

45


Carregar ppt "A contribuição da Medicina Física e de Reabilitação na Doente Mastectomizada."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google