A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

VIH Portugal Lisboa, 27 e 28 de Março de 2009 1 Prevenção e Tratamento Como asseguram os países o acesso continuado à medicação e aos consumíveis ? O Contributo.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "VIH Portugal Lisboa, 27 e 28 de Março de 2009 1 Prevenção e Tratamento Como asseguram os países o acesso continuado à medicação e aos consumíveis ? O Contributo."— Transcrição da apresentação:

1 VIH Portugal Lisboa, 27 e 28 de Março de Prevenção e Tratamento Como asseguram os países o acesso continuado à medicação e aos consumíveis ? O Contributo das Farmácias Portuguesas João Silveira Associação Nacional das Farmácias

2 2 O Contributo das Farmácias Portuguesas Diferentes níveis de intervenção no VIH/sida – Promoção da saúde e prevenção da doença – Diagnóstico e detecção precoce – Terapêutica

3 3 Farmacêutico / Farmácias Acessível e disponível Competências e conhecimento Relação de proximidade e confiança da população Garante da qualidade do circuito do medicamento Código Deontológico (Ordem dos Farmacêuticos) 2692

4 4 1 - Promoção da saúde e prevenção da doença Objectivo – Melhorar o conhecimento, prevenir e aconselhar Melhorar a acessibilidade – À informação – Aos meios de prevenção Redução de riscos segunda mão – Programa Diz não a uma seringa em segunda mão

5 5 Programa de Troca de Seringas Objectivo: - Prevenir a transmissão endovenosa e sexual do VIH na população utilizadora de drogas injectáveis - Evitar a partilha de seringas facilitando o acesso a material esterilizado - Evitar o abandono e a re-utilização de seringas, recolhendo-as para destruição - Promover a utilização do preservativo - Divulgar informação personalizada sobre a infecção VIH/sida O Programa de Troca de Seringas não se resume à distribuição e recolha de material de injecção é também um instrumento contra o estigma e a exclusão social.

6 6 Redução de riscos Programa Diz não a uma seringa em segunda mão – Início em Outubro de 1993 – Parceria Coordenação Nacional para a Infecção VIH/sida – ANF – Mais de 44 milhões de seringas recolhidas desde o início do programa – Mais de 7 mil novas infecções por VIH evitadas / 10 mil UDI nos primeiros 8 anos do programa – Poupança superior a 400 milhões de euros

7 Programa de Troca de Seringas 1º KIT º KIT º KIT 2006/7

8 Programa de Troca de Seringas 44 milhões de seringas recolhidas Casos sida nos UDIs

9 9 2 - Diagnóstico e detecção precoce O diagnóstico precoce da infecção VIH/sida é fundamental para uma estratégia consistente e eficaz de prevenção da transmissão da infecção e de desenvolvimentos da doença: O conhecimento real da infecção permite mobilizar recursos e respostas adequadas, reduzir a negação, estigma e discriminação que a rodeiam A detecção precoce permite iniciar o tratamento numa fase mais adequada da infecção, aumentando a qualidade e a esperança de vida do indivíduo. O conhecimento da seropositividade VIH contribui para a redução de comportamentos de risco

10 10 Experiência piloto em Espanha Ministerio de Sanidad (Plano Nacional sobre Sida) e Comunidades Autonomas Projecto pioneiro para promover o diagnóstico precoce do VIH/sida em Espanha 51 farmácias do País Basco e Catalunha Início em Março 2009 Avaliação em Dezembro de 2009 População alvo – Indivíduos maiores de 16 anos que se dirijam uma farmácia participante no ensaio piloto solicitando a realização do teste rápido para o VIH

11 11 Experiência piloto em Espanha (2) Resultados (Março a Dezembro 2009) - Catalunha : 31 farmácias 1820 testes rápidos 14 positivos - País Basco: 20 farmácias 2885 testes rápidos 24 positivos

12 12 Detecção Precoce nas Farmácias Portuguesas Objectivo Disponibilizar o teste rápido para detecção do VIH aos utentes da farmácia, com idade igual ou superior a 18 anos Facilitar o acesso e aumentar a detecção precoce do VIH Assegurar o aconselhamento pré e pós teste Encaminhar os indivíduos com resultados reactivos (+) para as unidades hospitalares com intervenção nesta área, de modo a confirmar o resultado e a iniciar o tratamento/acompanhamento rapidamente. Disponibilizar informação e aconselhamento à população em geral sobre comportamentos risco e medidas preventivas

13 Terapêutica Situação actual – Anti-retrovíricos, comparticipados a 100%, dispensados exclusivamente nos hospitais Objectivo – Promover a acessibilidade e a adesão à terapêutica – Melhorar a qualidade de vida dos doentes – Combater a discriminação e o estigma associados aos doentes VIH/SIDA.

14 14 Diagnóstico Precoce e Terapêutica Proposta das Farmácias Envolvimento das farmácias de acordo com determinados critérios – Geográficos – Epidemiológicos – Participação em projectos relacionados Programa de Troca de Seringas Programas Terapêuticos de Administração de Metadona, Naltrexona, Buprenorfina – Gabinete personalizado e autonomizado – Pelo menos 2 farmacêuticos – Formação inicial obrigatória – Garantia de articulação com outros níveis de cuidados Programa com avaliação continuada

15 15 Associação de Farmacêuticos dos Países de Língua Portuguesa Resolução Resolução Funchal, 28 Novembro de 2002 Maputo, 9 de Março de 2005 Cidade da Praia, 23 de Abril de 2008Compromisso Garantia de qualidade do circuito dos medicamentos Promoção da saúde e prevenção da doença Diagnóstico e detecção precoce Tratamento Desenvolvimento profissional contínuo

16 16

17 17 Os farmacêuticos e as farmácias portuguesas continuam empenhados na luta contra a infecção VIH/sida


Carregar ppt "VIH Portugal Lisboa, 27 e 28 de Março de 2009 1 Prevenção e Tratamento Como asseguram os países o acesso continuado à medicação e aos consumíveis ? O Contributo."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google