A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Logística Internacional I Pedro Calisto Luppi Monteiro Faculdades Atlântico Sul.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Logística Internacional I Pedro Calisto Luppi Monteiro Faculdades Atlântico Sul."— Transcrição da apresentação:

1 Logística Internacional I Pedro Calisto Luppi Monteiro Faculdades Atlântico Sul

2 Logística Internacional LOCALIZAÇÃO DE INSTALAÇÕES E SISTEMA DE ARMAZENAGEM.

3 Faculdades Atlântico Sul Logística Internacional SISTEMAS DE ARMAZENAGEM

4 Faculdades Atlântico Sul Logística Internacional A armazenagem é uma operação que não acrescenta valor ao produto final, mas aumenta-lhe o custo. Nenhum cliente está interessado em pagar mais por um produto só porque ele foi armazenado durante muito tempo ou esteve num armazém automático. Se esta atividade aumenta o custo sem acrescentar valor, porque não se elimina? Existem diferentes razões que justificam a armazenagem. Analisemos cada uma delas:

5 Faculdades Atlântico Sul Logística Internacional 1. Os armazéns funcionam como elemento regulador do sistema logístico. O armazém funciona como um buffer entre o fornecedor e o cliente, seja ele externo ou interno. Se as capacidades ou ritmos de funcionamento forem diferentes ou estivermos perante um produto de consumo sazonal, os armazéns são fundamentais na regularização do fluxo de materiais, mantendo um determinado nível de serviço. 2. Os armazéns permitem a combinação de um conjunto de produtos num produto final. Se, por exemplo, um cliente pretender 10 caixas de bolachas Maria e 5 caixas de papa para crianças, um armazém que tenha ambos os produtos pode preparar uma embalagem com as quantidades de bolachas e papas que o cliente pretende. Neste caso, o serviço prestado ao cliente evita a sua deslocação a diferentes locais de venda para adquirir cada um dos produtos.

6 Faculdades Atlântico Sul Logística Internacional 3. Os armazéns funcionam como ponto de consolidação que puxa os produtos dos fornecedores (fábricas, no caso de produto acabado) para um determinado local e seguidamente encaminha-os para o cliente final. 4. Os armazéns são o elemento fundamental da rede de distribuição. Uma rede com um conjunto de armazéns permite puxar os produtos da fábrica e levá-los, ao longo da malha da rede espalhada por uma determinada área geográfica, aos clientes finais.

7 Faculdades Atlântico Sul Logística Internacional 5. Os armazéns permitem gerir o nível de serviço praticado. Uma das principais razões para a existência de armazéns consiste na possibilidade de manter estoque que permita garantir um determinado nível de serviço, especialmente em termos de prazo de entrega.

8 Faculdades Atlântico Sul Logística Internacional As decisões na área da armazenagem são de dois níveis: estratégico e operacional. Ao nível estratégico, é necessário responder a questões como: 1. Número de armazéns na rede? 2. Localização dos armazéns? 3. Relacionar os armazéns da rede às fábricas existentes? 4. Relacionar os diferentes mercados aos armazéns existentes?

9 Faculdades Atlântico Sul Logística Internacional Ao nível operacional, os técnicos de logística deverão preocupar-se com: 1. Layout do armazém e soluções de armazenagem; e 2. Tipo de equipamento de movimentação a utilizar.

10 Faculdades Atlântico Sul Logística Internacional DESCRIÇÃO FÍSICA E ORGANIZAÇÃO DE ARMAZÉNS

11 Faculdades Atlântico Sul Logística Internacional Existem diferentes soluções de armazenagem que permitem resolver determinados problemas e facilitar algumas das operações. Não existe nenhuma forma ou receita mágica para selecionar o melhor sistema de armazenagem. Existem diferentes fatores que condicionam a seleção de um sistema de armazenagem. 1. Tipo e quantidades de material a armazenar 2. Custo da solução de armazenagem 3. Tipo de sistema de produção que alimenta o armazém

12 Faculdades Atlântico Sul Logística Internacional As características físicas dos produtos influenciam de forma significativa a escolha dos sistemas de armazenagem e dos métodos de movimentação. Por exemplo, os gases devem ser movimentados em reservatórios adequados, resistentes à pressão. Outros produtos obrigam a instalações com condições de ambiente especiais: regulação de temperatura, umidade, luminosidade, etc. É necessário considerar também a quantidade de material movimentado de cada vez e a freqüência de movimentação.

13 Faculdades Atlântico Sul Logística Internacional Um sistema de armazenagem permite uma diminuição da mão-de-obra direta e do número de produtos danificados e extraviados. Por outro lado, os custos indiretos ligados à gestão do sistema também serão reduzidos devido à menor burocracia e à melhor organização. De qualquer forma, uma das maiores vantagens dos sistemas de armazenagem é a utilização racional do espaço, conseguindo-se, muitas vezes, redução substancial do espaço ocupado.

14 Faculdades Atlântico Sul Logística Internacional Produtos a granel, grandes peças unitárias, pequenos volumes, etc., necessitam de tratamento e técnicas de movimentação diferentes. Para este tipo de produção utilizam-se equipamentos especializados pouco flexíveis. Para a produção em lotes são necessários equipamentos de movimentação que manipulem cargas unitárias. As soluções de armazenagem para este tipo de produção exigem, normalmente, mais espaço que as anteriores.

15 Faculdades Atlântico Sul Logística Internacional Outro fator importante diz respeito à estrutura e características do edifício destinado ao armazém. Na maior parte dos casos, não é possível construir um armazém de novo, tornando-se necessário aproveitar o existente. Essas limitações poderão levar a adaptações nos equipamentos de movimentação ou nas próprias estruturas de armazenagem.

16 Faculdades Atlântico Sul Logística Internacional Carga unitária Um fator extremamente importante na armazenagem é o volume ou carga a movimentar e a armazenar. Um determinado volume a armazenar terá de ser levantado e depositado no solo diversas vezes, o que leva a refletir sobre a dimensão, peso e formato do volume.

17 Faculdades Atlântico Sul Logística Internacional O conceito de carga unitária surge como resposta a estas preocupações: uma carga constituída por embalagens arranjadas ou acondicionadas de modo que possibilite o seu manuseamento, transporte e armazenagem através de meios mecânicos e como uma unidade. A introdução deste conceito nos sistemas de movimentação e armazenagem de materiais permite otimizar a utilização dos equipamentos de movimentação, transformando a empilhadeira de garfos no principal meio de movimentação.

18 Faculdades Atlântico Sul Logística Internacional Existem diferentes dispositivos que permitem a formação da carga unitária, sendo o palete o mais amplamente utilizado. Um palete consiste num estrado horizontal, com uma altura mínima compatível com a movimentação por meio de equipamento mecânico apropriado, utilizado como suporte para o agrupamento, armazenagem, movimentação e transporte de mercadorias. As dimensões dos paletes variam de acordo com as necessidades de cada empresa ou país. Na Europa, convencionou-se uma medida básica de mm com a qual se combinam outras (800 mm, mm, mm e mm), conforme a área de cada material (europaletes).

19 Faculdades Atlântico Sul Logística Internacional Existem diferentes tipos de paletes, dos quais se destacam dois grupos: 1. Paletes de duas ou quatro entradas 2. Paletes de uma ou duas faces

20 Faculdades Atlântico Sul Logística Internacional

21 Faculdades Atlântico Sul Logística Internacional Além da seleção do tipo de palete, é necessário definir a forma de acondicionamento da mercadoria. Existem diferentes formas de preparar uma carga unitária a partir de caixas, latas ou outro tipo de embalagem. Os paletes não se aplicam a todos os tipos de materiais. Os produtos a granel, como parafusos, molas, porcas, etc., são movimentados em embalagens especiais.

22 Faculdades Atlântico Sul Logística Internacional Os sobressalentes de automóveis, com as suas variadas formas e dimensões, exigem também embalagens especiais de movimentação e transporte. Peças de grande comprimento (barras, tubos e perfis) exigem também soluções próprias. Devido à diversidade de produtos existentes, torna-se extremamente importante que os técnicos de logística encontrem, com a sua criatividade, soluções especiais de movimentação e armazenagem para produtos de dimensões, formatos e características não-standard. Por exemplo: como iríamos armazenar pára-brisas de automóveis?

23 Faculdades Atlântico Sul Logística Internacional Atualmente, as paletes são utilizadas nas diferentes fases da cadeia logística, desde a produção até à armazenagem e distribuição. Existem três métodos diferentes para determinar o número de paletes a utilizar num sistema de armazenagem: a 80% da área total de armazenagem x Nº de níveis de paletes. Área da face do palete

24 Faculdades Atlântico Sul Logística Internacional 2. Peso total do material a armazenar. Peso de cada carga unitária para paletes + 10% p/ paletes vazias 3. Nº máximo de unidades a armazenar Nº de unidades por palete

25 Faculdades Atlântico Sul Logística Internacional Apresenta-se, seguidamente, uma lista de fatores que devem ser considerados na concepção de um palete: 1. Peso; 2. Resistência; 3. Dimensão; 4. Necessidade de manutenção; 5. Material empregue na construção 6. Umidade (para as paletes de madeira); 7. Dimensão das entradas para os garfos dos empilhadeiras;

26 Faculdades Atlântico Sul Logística Internacional 8. Custo; 9. Tipo de construção; 10. Capacidade de carga; 11. Tipo de carga; 12. Capacidade de empilhamento; 13. Possibilidade de manipulação.


Carregar ppt "Logística Internacional I Pedro Calisto Luppi Monteiro Faculdades Atlântico Sul."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google