A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

C ENÁRIO A TUAL GLOBALIZAÇÃO DOS MERCADOS ABERTURA ECONÔMICA AUMENTO DA CONCORRÊNCIA COMPETITIVIDADE DAS ORGANIZAÇÕES QUALIDADE, PRODUTIVIDADE, CUSTOS,

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "C ENÁRIO A TUAL GLOBALIZAÇÃO DOS MERCADOS ABERTURA ECONÔMICA AUMENTO DA CONCORRÊNCIA COMPETITIVIDADE DAS ORGANIZAÇÕES QUALIDADE, PRODUTIVIDADE, CUSTOS,"— Transcrição da apresentação:

1 C ENÁRIO A TUAL GLOBALIZAÇÃO DOS MERCADOS ABERTURA ECONÔMICA AUMENTO DA CONCORRÊNCIA COMPETITIVIDADE DAS ORGANIZAÇÕES QUALIDADE, PRODUTIVIDADE, CUSTOS, MODERNIZAÇÃO DOS MEIOS DE PRODUÇÃO, ENTREGA CONFIÁVEL, ETC.

2 MUDANÇA DE PARADIGMA PREÇO DE VENDA = CUSTO DE PRODUÇÃO + LUCRO CUSTO DE PRODUÇÃO = PREÇO DE VENDA - LUCRO

3 MECANISMO DE INFLUÊNCIA DA PRODUTIVIDADE PRODUTIVIDADE CUSTOS COMPETITIVIDADE LUCRO CRESCIMENTO Fonte: Administração da Produção e Operações. Daniel Augusto Moreira

4 RELAÇÃO ENTRE QUALIDADE E PRODUTIVIDADE MELHORQUALIDADE CUSTOS DIMINUEM GRAÇAS A: q MENOS RETRABALHO q MENOS ERROS q MENOS ATRASOS E OBSTÁCULOS q MELHOR USO DO TEMPO q MELHOR UTILIZAÇÃO DE MÁQUINAS E INSUMOS MAIOR PRODUTIVIDADE PRODUTIVIDADE CONQUISTA DE MERCADOS COM MELHOR QUALIDADE E MENORES PREÇOS E MENORES PREÇOSMANUTENÇÃODOSNEGÓCIOS Fonte: Gestão da Produção e Operações Celso Contador AMPLIAÇÃO DO MERCADO DE TRABALHO

5 Índices de produtividade da indústria automobilística brasileira em comparação às de outros países País Produtividade (horas necessárias para montar um carro*) Automação (operações por computador, em %) Idade dos Modelos (total de anos que o modelo está em produção**) Japão17382,2 EUA25313,8 Europa37304,4 Sud. Asiático 34194,4 México4074,7 Brasil48411,4 Fonte: Womack (1991 ) * O total de horas inclui o trabalho direto, indireto, administrativo e técnico. ** Total de anos que o produto médio está em produção.

6 CUSTO BRASIL Portos de Santos e Rio de Janeiro Portos de Santos e Rio de Janeiro Custo médio de embarque de uma tonelada de aço não-plano: Porto de Antuérpia (Bélgica) – US$ 4,50 Porto de Santos – US$ 35 Custo total de embarque de um container: Porto de Antuérpia (Bélgica) – US$ 95, envolvendo 10 trabalhadores Porto de Santos – US$ 526, envolvendo 35 trabalhadores Custo médio de embarque de uma tonelada de soja: Estados Unidos – US$ 20 Brasil – US$ 65 Custos

7 CUSTO BRASIL Portos de Santos e Rio de Janeiro Portos de Santos e Rio de Janeiro Fonte: Geraldo Ribeiro Vieira, 1998 Tempo de demora para carga e descarga de uma embarcação: Porto de Roterdã – no máximo 87 minutos Porto do Rio de Janeiro – tempo médio de 528 minutos Demora Embarque de uma tonelada de aço não-plano: Porto de Roterdã – 30 trabalhadores Porto do Rio de Janeiro – 73 trabalhadores Trabalhadores

8 DEFINIÇÕES DE PRODUTIVIDADE É a relação entre o valor do produto e/ou serviço produzido e o custo dos insumos para produzi-lo. É a relação entre o produzido (output) e os recursos empregados para produzi-lo (input). É a razão entre o faturamento da empresa e os custos totais incorridos (Taxa de Valor Agregado).

9 MODELO I-T-O PARA UM SISTEMA PRODUTIVO

10 EFICÁCIA, EFICIÊNCIA E PRODUTIVIDADE Eficácia: uma decisão ou ação é tanto mais eficaz quanto mais próximos dos objetivos estabelecidos chegaram os resultados obtidos, ou seja, EFICÁCIA = RESULTADOS OBTIDOS / METAS. Eficiência: é a relação entre o que se obteve (output) e o que se consumiu em sua produção (input), medidos na mesma unidade. Produtividade: pode ser definida como a capacidade de produzir partindo-se de uma certa quantidade de recursos.

11 FORMULAÇÃO GERAL DA PRODUTIVIDADE onde: P t = produtividade absoluta no período t Q t = produção obtida no período t I t = insumos utilizados no período t, na obtenção da produção Q t. Os insumos são chamados também de fatores de produção.

12 MEDIDAS DE PRODUTIVIDADE ÍNDICES PARCIAIS : são aqueles que levam em conta apenas um insumo, tais como a mão-de-obra, ou as matérias-primas, ou o capital, ou a energia, etc. ÍNDICES GLOBAIS : levam em conta dois ou mais insumos como denominador da equação. Subdivide-se em três tipos: – Produtividade Total dos Fatores (PTF): quando os insumos considerados são a mão-de-obra e o capital; – Produtividade Múltipla dos Fatores (PMF): quando outros fatores (principalmente matérias-primas e energia) além da mão-de-obra e do capital são considerados; – Produtividade Total da Empresa (PTE): é a relação entre o output total e a soma de todos os fatores de input.

13 MEDIDAS DE PRODUTIVIDADE A produtividade pode ser medida em quatro níveis, quais sejam: Produtividade da Operação Produtividade Parcial da Empresa Produtividade Total da Empresa Produtividade da Nação

14 EXEMPLO DE PRODUTIVIDADE DA OPERAÇÃO SITUAÇÃO 1) Um operário, trabalhando em uma máquina, produz, em uma hora, 10 peças. 2) Dois operários, trabalhando em duas máquinas, produzem, em uma hora, 20 peças. 3) Melhorando o método de trabalho, um homem opera duas máquinas e produz, em uma hora, 20 peças. PRODUTIVIDADE 10 peças / homem-hora 10 peças / hora-máquina 20 peças homem-hora 10 peças / homem-hora PRODUÇÃO 10 peças / hora 20 peças / hora

15 PORQUE MONITORAR A PRODUTIVIDADE NA EMPRESA? AS MEDIDAS DE PRODUTIVIDADE SÃO USADAS COMO FERRAMENTA GERENCIAL PARA: verificar o acerto de decisões tomadas no passado sobre mudanças na organização, tais como: introdução de novos produtos; mudanças na política de investimentos; modificações nos processos produtivos; mudanças no arranjo físico, na capacidade produtiva, no balanceamento da linha de produção, etc. atestar a utilidade de programas de treinamento em setores ou atividades específicas; medir a produtividade do sistema de manutenção da empresa, etc.

16 AS MEDIDAS DE PRODUTIVIDADE SERVEM PARA COMPARAR O DESEMPENHO DE UNIDADES DE UMA MESMA EMPRESA, COM DIFERENTES LOCALIZAÇÕES GEOGRÁFICAS obter uma idéia global de desempenhos comparados. a existência de programas de medida faz com que as pessoas passem a incorporar a produtividade nas suas preocupações rotineiras de trabalho; estimula uma competição sadia entre departamentos e outras unidades operacionais de uma mesma empresa; como meio de recompensar salarialmente a produtividade de pessoas ou grupo de pessoas mais produtivas. AS MEDIDAS DE PRODUTIVIDADE PODEM SER USADAS COMO INSTRUMENTO DE MOTIVAÇÃO

17 BENEFÍCIOS ADVINDOS DO AUMENTO DA PRODUTIVIDADE Redução dos preços dos produtos. Redução da jornada de trabalho. Aumento da competitividade da empresa. Geração de empregos. Aumento darenda-per-capita. Etc.

18 Relaçãocapital-trabalho. Treinamento e capacitação da mão-de-obra. Inovação e tecnologia. Fatoresgerenciais. Restrições legais. Escassez de recursos de produção. Etc. FATORES QUE INFLUENCIAM A PRODUTIVIDADE

19 MEIOS PARA AUMENTAR A PRODUTIVIDADE 1. Via Capital Aquisição de máquinas e equipamentos mais produtivos. 2. Via Trabalho Estudo de Métodos de Trabalho Eliminação das atividades não essenciais ao trabalho. Aumento da eficiência do trabalho. Eliminação da duplicidade do trabalho. Simplificação máxima do trabalho. Redução da paralisações (tempo de espera) de máquinas, equipamentos e mão-de-obra. Diminuição dos riscos de acidentes e da fadiga no desempenho do trabalho. Eliminação dos desperdícios (de energia, de tempo, de material, etc.).

20 CRESCIMENTO % CRESCIMENTO % Alguns resultados da implantação do CQTE na Daikin Industries, LTD., Japão (fabricantes de aparelhos de ar-condicionado). REDUÇÃO % REDUÇÃO % REDUÇÃO % REDUÇÃO %PRODUTIVIDADEDAMÃO-DE-OBRA FÁBRICA DE KANAOKA FÁBRICA DE RINKAI NÍVELDEESTOQUE PORCENTAGEMDEDEFEITUOSOS

21 MEDIDA DA PRODUÇÃO A) Medida Física da Produção 1. Parâmetros de Valor Associados à Produção. 2. Método de Laspeyres & Paasche. B) Medida Monetária da Produção 1. Parâmetros de Valor Associados à Preço ou Custo. 2. Método de Laspeyres & Paasche

22 MEDIDA FÍSICA DA PRODUÇÃO 1. Parâmetros de Valor Associados à Produção Cadeira de horas de trabalho - expressando a quantidade de trabalho contida na unidade do produto. Exemplos de aplicação (nº 14 e 15). 2. Método de Laspeyres e Paasche (índice físico) Pesos para compor uma média ponderada proporcionando uma medida única para um conjunto de produtos distintos numa mesma empresa (pondera pelos preços). Refletir a importância relativa de cada produto no conjunto de todos os produtos considerados. Exemplos de aplicação (nº 16 e 17).

23 MEDIDA MONETÁRIA DA PRODUÇÃO 1. Parâmetros de Valor Associados à Preço ou Custo Pelo valor das vendas. Pelo valor da produção. Pelo valor adicionado. Exemplos de aplicação (nº 19 e 20). 2. Método de Laspeyres e Paasche (índice monetário) Pesos para compor uma média ponderada proporcionando uma medida única para um conjunto de produtos distintos numa mesma empresa (pondera pelas quantidades). Exemplos de aplicação (nº 16 e 17).

24 MEDIDA MONETÁRIA DA PRODUÇÃO 1. Pelo Valor das Vendas - restrições -Efeito de impostos indiretos. -Efeito de descontos nos produtos. -Efeito da variação de estoques. -Consumo de estoques anteriores. -Acúmulo de estoques.

25 MEDIDA MONETÁRIA DA PRODUÇÃO 2. Pelo Valor da Produção VP é o valor da produção Q i é o número de unidades do produto c i é o custo unitário de produção m i, é o lucro unitário 3. Pelo Valor Adicionado -É por definição o valor referente a despesa de pessoal e lucro bruto.

26 LUCRO = RECEITA - DESPESA

27 CICLO DA PRODUTIVIDADE Fonte: Administração da Produção Fernando Laugeni e Petrônio Martins ESTÁGIO 1 Medida da Produtividade ESTÁGIO 2 Avaliação da Produtividade ESTÁGIO 3 Planejamento da Produtividade ESTÁGIO 4 Melhoria da Produtividade

28 ESTÁGIO 1 - MEDIDA DA PRODUTIVIDADE Diagnóstico dos Níveis de Produtividade Dados existentes ou coleta de novos dados. Cálculo dos índices parciais mais importantes. Medida de produtividade total da empresa. ESTÁGIO 2 - AVALIAÇÃO DA PRODUTIVIDADE Avaliação por Análise e Comparação das Medidas A produtividade medida deve incorporar a metodologia de cálculo mais adequada para efeito de comparações dos resultados. Procede-se a comparação com índices anteriores da própria empresa (se existirem). Técnicas de benchmarking para comparação com os níveis de produtividade dos concorrentes que apresentam bons resultados. Comparação com as empresas de classe mundial.

29 ESTÁGIO 3 - PLANEJAMENTO DA PRODUTIVIDADE Planejar os níveis de produtividade a serem atingidos no curto, médio e longo prazos Fixação de objetivos e cronograma. Escolha dos coordenadores do programa e grupos de trabalho. Identificação de problemas que geram baixa produtividade. Investigação das características dos problemas e suas causas fundamentais (método dos cinco porquês, diagrama de Ishikawa, etc.). Dimensionamento de recursos (materiais, humanos e financeiros). Estabelecimento das metas de produtividade.

30 ESTÁGIO 4 - MELHORIA DA PRODUTIVIDADE Propostas de melhoria da produtividade de curto, médio e longo prazo serão analisadas Técnicas de brainstorming para a identificação de idéias que possam se reverter em melhoria da produtividade em função dos problemas identificados. Análise das propostas à luz de dados estatísticos e técnicas de análise. Estabelecimento de planos de ação. Avaliação custo x benefício. Implementação das melhores propostas. Pertinência das propostas de melhoria da produtividade de curto prazo implantadas. O ciclo da produtividade irá se repetir.

31 PRODUTIVIDADE TOTAL DOS FATORES (PTF) Medida de eficiência na utilização conjunta de dois dos mais importantes recursos produtivos: a mão-de-obra e o capital. Formulação Básica


Carregar ppt "C ENÁRIO A TUAL GLOBALIZAÇÃO DOS MERCADOS ABERTURA ECONÔMICA AUMENTO DA CONCORRÊNCIA COMPETITIVIDADE DAS ORGANIZAÇÕES QUALIDADE, PRODUTIVIDADE, CUSTOS,"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google