A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

O PROCESSO DE PESQUISA UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA CURSO DE ECONOMIA TÉCNICAS DE PESQUISA EM ECONOMIA GIL, A. C. R (2002), cap. 8.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "O PROCESSO DE PESQUISA UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA CURSO DE ECONOMIA TÉCNICAS DE PESQUISA EM ECONOMIA GIL, A. C. R (2002), cap. 8."— Transcrição da apresentação:

1 O PROCESSO DE PESQUISA UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA CURSO DE ECONOMIA TÉCNICAS DE PESQUISA EM ECONOMIA GIL, A. C. R (2002), cap. 8

2 2 As técnicas Coleta de dados secundários (dados de papel), constituídos de material escrito Pesquisas de campo (via observação direta ou interrogação) Entrevista pessoal Entrevista por telefone Questionário auto-aplicado Questionário aplicado por entrevista

3 3 QUESTIONÁRIO Consiste em rol de questões propostas por escrito O auto-aplicado é respondido pelo pesquisado E o aplicado é respondido pelo pesquisador O questionário aplicado com entrevista é o formulário

4 4 VANTAGENS DO QUESTIONÁRIO Atinge grande número de pessoas Implica menores gastos com pessoal (pesquisadores) Garante anonimato Resposta quando convier Não expõe pesquisados à influência do pesquisador Favorece tabulação e análise dos dados

5 5 DESVANTAGENS DO QUESTIONÁRIO Exclui quem não sabe ler e escrever Impede auxílio de informante Impede conhecimento das circunstâncias em que foi respondido Não há garantia de preenchimento Não é possível complexidade Podem ter itens dúbios (subjetivos)

6 6 TIPOS DE QUESTÃO Fechadas Apresenta-se um conjunto de respostas (ver p. 138) Observação: Há casos em que mais de uma resposta é possível, mas não se deve oferecer um número muito grande de alternativas para não prejudicar escolhas

7 7 TIPOS DE QUESTÃO Abertas Apresenta-se a pergunta com um espaço para a resposta Tem a vantagem de não forçar o enquadramento da resposta em questões pré-estabelecidas Mas dificulta o processo de tabulação, devendo ser restringidas em número

8 8 TIPOS DE QUESTÃO Dependentes Uma questão que depende da outra Ver p. 140/141

9 9 CONTEÚDO DAS QUESTÕES Podem se referir ao que as pessoas sabem (fatos) ao que pensam, esperam, sentem ou preferem

10 10 QUESTÕES SOBRE FATOS Dados concretos sobre sexo, idade, naturalidade, estado civil, número de filhos, etc. Normalmente são respondidas com sinceridade, a não ser que o pesquisado suponha que as respostas derivem conseqüência negativa

11 11 QUESTÕES SOBRE ATITUDES E CRENÇAS Fenômenos subjetivos (p. 141/142) Difíceis de responder porque nem sempre se tem opinião sobre o tema ou um única idéia formada

12 12 QUESTÕES SOBRE COMPORTAMENTO Comportamento passado ou presente de uma pessoa é um indicador de como se comportaria em condições similares

13 13 ESCOLHA DAS PERGUNTAS Regras Têm que estar relacionadas ao problema Não se deve incluir perguntas que podem ser respondidas por outras formas Deve-se considerar efeitos sobre tabulação/análise Deve-se evitar perguntas que envolvam questões de intimidade

14 14 NORMAS PARA FORMULAÇÃO DE PERGUNTAS Formulação clara, concreta e precisa Considerar perfil do pesquisado Pergunta deve possibilitar uma única interpretação Não deve sugerir respostas Devem referir-se a uma única idéia por vez

15 15 NÚMERO DE PERGUNTAS Regra geral: 30

16 16 ORDEM DAS PERGUNTAS Técnica do funil Cada questão posterior deve ser mais específica Ver exemplo p. 143

17 17 APRESENTAÇÃO DO QUESTIONÁRIO Apresentação gráfica (deve facilitar ao máximo) Diagramação Tipo de papel caracteres

18 18 APRESENTAÇÃO DO QUESTIONÁRIO (p. 144) Instruções para preenchimento Introdução do questionário

19 19 PRÉ-TESTE DO QUESTIONÁRIO Prova preliminar Busca evidenciar as falhas na sua elaboração Normalmente se aplica de 10 a 20 pessoas

20 20 ENTREVISTA Técnica de interação social (diálogo assimétrico, em que uma parte é fonte de informação e a outra busca coletar dados) Normalmente são face a face (podendo ser por telefone)

21 21 VANTAGENS Não exige que pesquisado saiba ler e escrever É flexível Capta expressão corporal, tom de voz, etc. Possibilita esclarecer questões Permite maior profundidade na obtenção de dados Oferece maior garantia de obtenção de respostas

22 22 DESVANTAGENS Custo de treinamento de pessoal Tempo despendido Ausência de anonimato Influência do pesquisador (opiniões, aspecto pessoal) Dificuldade de tabulação e análise de dados

23 23 Obs. Ver vantagens e desvantagens de entrevista por telefone (p. 147)


Carregar ppt "O PROCESSO DE PESQUISA UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA CURSO DE ECONOMIA TÉCNICAS DE PESQUISA EM ECONOMIA GIL, A. C. R (2002), cap. 8."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google