A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

O currículo mínimo foi uma das principais ações desenvolvidas pela Secretaria de Estado de Educação no início do ano letivo de 2011, marcado pelo começo.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "O currículo mínimo foi uma das principais ações desenvolvidas pela Secretaria de Estado de Educação no início do ano letivo de 2011, marcado pelo começo."— Transcrição da apresentação:

1

2 O currículo mínimo foi uma das principais ações desenvolvidas pela Secretaria de Estado de Educação no início do ano letivo de 2011, marcado pelo começo da implantação do novo Programa de Educação do Estado. Ao adotar o currículo mínimo, a SEEDUC promoveu, para todas as escolas da rede estadual, uma expectativa comum sobre o que deve ser ensinado e aprendido a cada ano de ensino. CURRÍCULO MÍNIMO

3 OBJETIVO Estabelecer harmonia em uma rede de ensino múltipla e diversa, uma vez que propõe um ponto de partida mínimo. HISTÓRICO 2011 – desenvolvimento de Currículos Mínimos para os anos finais do Ensino Fundamental e para o Ensino Médio Regular, nos seguintes componentes: Matemática, Língua Portuguesa/Literatura, História, Geografia, Filosofia e Sociologia. 2012 – revisão do Currículo Mínimo das seis disciplinas mencionadas e elaboração do Currículo Mínimo de outras seis disciplinas (Ciências/Biologia, Física, Química, Língua Estrangeira, Educação Física e Arte). 2012 – elaboração dos Currículos Mínimos específicos para as turmas de Educação de Jovens e Adultos e Ensino Médio Normal – formação de professores. 2013 – elaboração dos Currículos Mínimos Produção Textual e Resolução de Problemas Matemáticos.

4 FORMAÇÃO CONTINUADA Iniciado em 2012, a SEEDUC e a Fundação CECIERJ, apoiadas pelas universidades do Consórcio CEDERJ, prepararam cursos que capacitam o professor para uso do Currículo Mínimo. A metodologia da formação contempla a elaboração de planos de trabalho que buscam a autonomia autoral do professor; O Programa tem carga horária de 180 horas de aperfeiçoamento. Além dessas, são oferecidas disciplinas completando outras 200, para caracterizar um curso de Especialização, com duração de 11 meses. Prevê-se que, durante sua realização, o professor deve dedicar às atividades quatro horas semanais, além dos encontros presenciais de três horas cada. Atualmente a formação continuada abrange as áreas de Biologia, Ciências, Física, Geografia, História, Língua Portuguesa, Matemática, Química e Sociologia. MATERIAIS DE APOIO AO CURRÍCULO MÍNIMO

5 MATERIAIS DE APOIO Teleaulas do Programa Autonomia: A articulação Currículo Mínimo x Programa Autonomia é apresentada em dois documentos: Catálogos e Orientações Metodológicas. Plano Mensal de atividades do Programa Mais Educação: conteúdos e habilidades alinhadas ao Currículo Mínimo, que também podem ser utilizados como atividades complementares nas aulas de Língua Portuguesa e Matemática. Orientações Pedagógicas: sugestões de atividades e de avaliação, dicas de recursos pedagógicos relacionados ao conteúdo e articulação dos temas do bimestre aos livros didáticos do PNLD. Recursos Digitais: sugestões de links que podem auxiliar no planejamento das aulas. Nos links disponíveis, você pode acessar repositórios que apresentam conteúdos relacionados ao Currículo Mínimo, como sugestões de atividades e recursos multimídia. Atividades Autorreguladas: atividades pedagógicas que propiciam aos alunos o desenvolvimento das habilidades e competências nucleares previstas no currículo mínimo, por meio de atividades roteirizadas.

6 A educação do Rio teve grandes conquistas nestes últimos anos Salto representativo no IDEB IDEB 2009/2010 IDEB 2010/2011 IDEB 2013/2014 1 o 2 o 3 o 4 o 5 o 6 o 7 o 8 o 9 o 10 o 11 o 12 o 13 o 14 o 15 o 16 o 17 o 18 o 19 o 20 o 21 o 22 o 23 o 24 o 25 o 1 o 2 o 3 o 4 o 5 o 6 o 7 o 8 o 9 o 10 o 11 o 12 o 13 o 14 o Goiás (3,8) São Paulo / Rio Grande do Sul (3,7) Rio de Janeiro (3,66) 26 o 15 o 1o2o1o2o 4o4o Fonte: Relatório da UNESCO – “EFA Global Monitoring Report”de 2013/2014; Relatório OCDE – “Education at a Glance” de 2013; INEP – ranking do IDEB; Clippings

7 … e ao mesmo tempo, atender demandas emergentes do séc 21 Temos que enfrentar desafios que vem sendo carregados ao longo dos anos… No entanto, ainda temos um longo caminho 7 Elevar a qualidade do ensino Aumentar índices de aprendizagem e conclusão dos estudos Investir na formação dos professores Apresentar soluções que atendam a diversas realidades e arranjos curriculares … Preparar o jovem como cidadão para um mundo globalizado, em rápida transição Preparar o jovem para o mundo do trabalho Auxiliar o jovem a trilhar seu próprio caminho Dialogar com os interesses dos jovens do séc 21 … … e ao mesmo tempo, atender demandas emergentes do séc 21 Temos que enfrentar desafios que vem sendo carregados ao longo dos anos…

8 Modelo de Educação Integral na Rede Estadual de Ensino do RJ O modelo prioriza a Educação Integral, unindo a formação geral com a aquisição de competências e habilidades diferenciadas. As políticas de Educação Integral implementadas no Rio de Janeiro oferecem um tratamento contemporâneo para os desafios educacionais do século 21 e incorporam uma concepção inovadora de educação integral que conjuga um esforço combinado de superar as lacunas de aprendizagem e o baixo envolvimento dos estudantes com a escola, a o mesmo tempo que os prepara para os desafios da vida. Pressupõe inovações em componentes fundamentais da escola, implementando currículo integrado, matriz flexível e diversificada, alinhada com a realidade e interesse do jovem com foco no protagonismo juvenil e o desenvolvimento de competências socioemocionais, gerando oportunidades para que desenvolvam o seu potencial, seja capaz de realizar escolhas e elabore o seu Projeto de Vida.

9 A Educação Integral Tem como propósito o desenvolvimento pleno dos estudantes, nos âmbitos cognitivo e socioemocional Se propõe a gerar impacto na vida presente e futura, desenvolvendo o aluno para aprender ao longo da vida, para o convívio e participação social, para o mundo do trabalho e, em especial, para construir sua própria autonomia Prepara o aluno para realizar seu projeto de vida e fazer escolhas na escola e na vida DESENVOLVIMENTO INTEGRADO COMPETÊNCIAS COGNITIVAS COMPETÊNCIAS SOCIOEMOCIONAIS

10 Nota: 1) Insititucionalizado pela Deliberação CEE No. 344 de 22 de Julho de 2014 como saberes cognitivos e sócio-emocionais RESPONSABILIDADE PENSAMENTO CRÍTICO RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS ABERTURA COLABORAÇÃO COMUNICAÇÃO CRIATIVIDADE AUTOCONTROLE Matriz de competências 10 MATRIZ DE COMPETÊNCIAS PARA O SÉC. 21 QUE NORTEIA O QUE E PARA QUE ENSINAR

11 O desenvolvimento de competências que ajudam a preparar o aluno para o mercado de trabalho e para a vida vem sendo trabalhado no Colégio Estadual Chico Anysio. Os resultados favoráveis apresentados pelos estudantes da unidade – já no primeiro ano de atividade, em 2013, eles obtiveram um rendimento 50% superior à média da rede estadual no Saerjinho (Sistema de Avaliação Bimestral) – fizeram com que a Secretaria de Educação replicasse a iniciativa para outras escolas da rede. Atualmente, 13 unidades adotam esta proposta diferenciada, que já contempla cerca de 2,9 mil alunos. Colégio Estadual Chico Anysio Disciplinas divididas por áreas de conhecimento, Desenvolvimento de projetos de pesquisa, Espaço para que os alunos discutem e trabalhem seus próprios projetos de vida, Trabalho em Times, Uso de metodologias integradoras: problematização, protagonismo, presença pedagógica, aprendizagem colaborativa Componentes Inovadores Componentes Inovadores: Projeto de Vida, Estudos Orientados, Projetos de Intervenção e Pesquisa

12 O PROEMI no Rio de Janeiro Diante das possibilidades inovadoras que o PROEMI oportuniza as escolas de EM, o Estado do Rio de Janeiro propõe a união do Programa a uma proposta pedagógica que prevê o desenvolvimento cognitivo associado ao socioemocional de maneira intencional e estruturada, que é a Solução Educacional para o EM de forma simplificada. Em 2013 - estudos de uma Matriz diferenciada, com novos modelos e processos de gestão, de formação de professores, gestores e equipes técnico-pedagógicas, de acompanhamento e de avaliação, com o intuito de oferecer aos alunos do EM uma escola que se aproxima cada vez mais das necessidades e expectativas juvenis, ampliando seu tempo de aprendizagem e convivência e, conseqüentemente, suas oportunidades de aprendizagem.

13 O PROEMI no Rio de Janeiro No ano de 2014 - unidades participantes do ProEMI passaram a funcionar em horário Integral, oferecendo aos alunos mais tempo e mais espaços de aprendizagem, com uma dinâmica de trabalho e organização voltadas para esse fim. A Matriz Curricular do ProEMI - incorpora parte das inovações derivadas da proposta plena, que está em funcionamento no CE Chico Anysio (CECA),introduzindo um núcleo articulador que altera de forma gradual, mas significativa, a matriz. Foram agregados componentes curriculares que fortalecem a dimensão socioemocional da aprendizagem em Matemática, Língua Portuguesa e Ciências com a implantação dos Letramentos e Iniciação a Pesquisa à Matriz Curricular, além de oportunizar espaço no currículo para o desenvolvimento de projetos de vida dos estudantes.

14 DELIBERAÇÃO CEE Nº 344 DE 22 DE JULHO DE 2014 As inovações curriculares propostas e implementadas pelo Estado do Rio de Janeiro, foram reconhecidas pelo Conselho Estadual de Educação- CEE, que publicou a DELIBERAÇÃO CEE Nº 344 DE 22 DE JULHO DE 2014, que Define Diretrizes Operacionais para a Organização curricular do Ensino Médio da Rede Pública de Ensino do Estado do Rio de Janeiro.


Carregar ppt "O currículo mínimo foi uma das principais ações desenvolvidas pela Secretaria de Estado de Educação no início do ano letivo de 2011, marcado pelo começo."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google