A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

O PROCESSO DE PESQUISA UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA CURSO DE ECONOMIA TÉCNICAS DE PESQUISA EM ECONOMIA GIL, A. C. R (2002), cap. 3-9.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "O PROCESSO DE PESQUISA UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA CURSO DE ECONOMIA TÉCNICAS DE PESQUISA EM ECONOMIA GIL, A. C. R (2002), cap. 3-9."— Transcrição da apresentação:

1 O PROCESSO DE PESQUISA UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA CURSO DE ECONOMIA TÉCNICAS DE PESQUISA EM ECONOMIA GIL, A. C. R (2002), cap. 3-9

2 2 DELINEAMENTO DA PESQUISA Em termos de aspectos materiais de pesquisa, tipo Local de realização Recursos disponíveis Coleta de dados Controle de fatores determinantes do fato ou fenômeno a ser pesquisado

3 3 DELINEAMENTO DA PESQUISA Classificação básica Pesquisas bibliográficas Pesquisas documentais Levantamentos Estudos de caso

4 4 PESQUISA BIBLIOGRÁFICA É aquela em que os dados são obtidos de fontes bibliográficas (material já elaborado com a finalidade explícita de ser lido: livros, revistas, etc.) Etapas Escolha do tema Levantamento bibliográfico preliminar Formulação do problema Elaboração de plano provisório Identificação das fontes Localização das fontes Leitura do material/fichamento Construção lógica do trabalho Redação do texto

5 5 PESQUISA DOCUMENTAL Assemelha-se à bibliográfica, com a diferença da natureza das fontes (materiais que não receberam tratamento analítico ou que podem ser reelaborados de acordo com os objetivos da pesquisa) Exemplos: dados censitários, dados de registros, documentos oficiais, documentos pessoais

6 6 PESQUISA DOCUMENTAL Utilização de dados de registro e de recenseamentos Amplitude dos dados de registros (registrados quando da ocorrência de um fato) e recenseamentos (coletados periodicamente). Ex.: Dados demográficos (nascimentos, óbitos, casamentos, etc.) Dados educacionais (matrículas, aprovações, evasão, etc.) Dados sobre criminalidade Dados eleitorais Dados sobre saúde Dados sobre atividade comercial e industrial Registro de veículos automotores Dentre outros

7 7 PESQUISA DOCUMENTAL Utilização de dados de registro e de recenseamentos Séries históricas É a forma que se ordena os dados de registro e recenseamento: cronologicamente Possibilita a análise de sua dimensão histórica

8 8 PESQUISA DOCUMENTAL Utilização de dados de registro e de recenseamentos Utilização de índices Os dados e registros de recenseamentos permitem a construção de índices (ou pelas próprias instituições que os coletam ou pelo pesquisador que os usa) Ex.: Índices de comércio intra-indústria

9 9 PESQUISA DOCUMENTAL Utilização de dados de registro e de recenseamentos Contribuindo em pesquisas ex-post facto Utilize dados de registro e recenseamento para comparar duas cidades da mesma região com relação ao tempo de fundação, tamanho e características socioculturais. Se todos estes fatores forem muito semelhantes até o momento em que numa delas se instala uma indústria, as mudanças ocorridas a partir daí poderão ser atribuídas a esse fato (o único fator relevante observado em uma e não em outra)

10 10 PESQUISA DOCUMENTAL Utilização de dados de registro e de recenseamentos Contribuindo em pesquisas ex-post facto Este foi um exemplo de operação retrospectiva: controle após estímulo (variável independente é a instalação da indústria, controlada com base em informações previamente conhecidas. As mudanças observadas nas cidades são variáveis dependentes)

11 11 PESQUISA DOCUMENTAL Qualidade dos dados de registros e de recenseamento Vantagens na utilização dos dados Custo menor (já foram coletados) Dados obtidos continuadamente Não requer colaboração dos informantes (como no caso de questionários e entrevistas) Aplicam-se a pesquisa de maior dimensão relativa

12 12 PESQUISA DOCUMENTAL Limitações de dados de registros e recenseamentos Deficiências de definição e classificação Podem estar organizados com objetivo diferente de sua pesquisa Pode haver mudanças na forma de classificá-los Problemas de registro Exemplo: custos para registro de nascimento

13 13 PESQUISA DOCUMENTAL Limitações de dados de registros e recenseamentos Falseamento e ocultação de informações Por exemplo, dados sobre renda pessoal na Receita Federal

14 14 PESQUISA DOCUMENTAL Etapas da pesquisa documental Definição dos objetivos Em geral, referem-se à descrição de características de determinado grupo, fato ou fenômeno Pode-se também buscar a relação entre as variáveis. Ex.: Perfil socioeconômico dos candidatos a determinado cargo público

15 15 PESQUISA DOCUMENTAL Etapas da pesquisa documental Elaboração de plano de trabalho Determinação de dados a serem obtidos e forma de organização, de análise e interpretação

16 16 PESQUISA DOCUMENTAL Etapas da pesquisa documental Coleta de dados Pode ser que ajude utilizar folhas/arquivos com campos próprios para o registro de diversas informações requeridas Talvez seja o caso de copiar o material com os dados para posterior tratamento

17 17 PESQUISA DOCUMENTAL Etapas da pesquisa documental Análise e interpretação Pode ser o caso de usar procedimentos estatísticos e matemáticos

18 18 LEVANTAMENTO POR AMOSTRAGEM É o caso de pesquisas sobre custo de vida, salários, desemprego, etc. Desenvolve-se com base em amostra, a partir da qual se tira conclusões sobre o universo (diferente do censo, que pesquisa todo o universo) Vantagens Conhecimento direto da realidade (a investigação torna-se mais livre para interpretações dos pesquisadores) Economia e rapidez Variáveis podem ser quantificadas, o que permite sua análise estatística/matemática Desvantagens Vieses decorrentes em percepções que os entrevistados têm de sua realidade e de si Incapacidade de obter informações sobre fatores interpessoais e institucionais, dado que o que se levanta são dados referentes à percepção das pessoas Indica uma visão estática do fenômeno estudado (mas não às tendências, à variação ou à mudanças estruturais)

19 19 LEVANTAMENTO POR AMOSTRAGEM Fases Definição de objetivos Operacionalização dos conceitos Delimitação do universo Identificação dos dados a serem coletados Escolha da técnica de coleta Determinação do tipo de amostragem Seleção da amostra Organização do trabalho de campo Previsão da análise dos dados

20 20 Exemplo de objetivos Na Pesquisa de Orçamentos Familiares (POF) Obter a distribuição de renda e as despesas das unidades de consumo da população do município A Conhecer a importância relativa dos dispêndios, com cada item nos gastos das unidades de consumo pesquisadas (obter ponderação de índices de preços)

21 21 Exemplo de operacionalização de conceitos Há diferenças entre conceito de taxa de desemprego no IBGE (População economicamente ativa com 15 anos ou mais) e no DIEESE (pessoas com 10 anos ou mais, desde que já tenham trabalhado ou procurado emprego)

22 22 Exemplo de delimitação de universo O universo ou população é o conjunto do qual serão retiradas as amostras Há casos em que seus componentes não são facilmente identificados Ex. Pesquisas de orçamentos familiares que definem unidades de consumo, podem incluir formas de organização de grupos como repúblicas de estudantes

23 23 Exemplo de identificação dos dados a serem coletados É quando se seleciona quais dados farão parte do questionário ou a entrevista Ver p. 109 os dados que constam na POF

24 24 Técnica de coleta de dados Veremos a parte como elaborar questionários e entrevistas (formas mais usadas)

25 25 Processo de amostragem Tipos Amostragem aleatória simples Atribua a cada elemento da população um número e depois os selecione Para garantir que esta seleção seja ao acaso, pode-se utilizar tábuas de números aleatórios Ex.: População de 500 elementos, assinale na tábua abaixo os números que compõem a amostra cujos três últimos algarismos são menores do que 500. Ver p. 111

26 26 Processo de amostragem Tipos Amostragem Sistemática Sua aplicação requer que a população seja ordenada de modo que seus elementos são identificados pela posição. Ex.: Conjunto de candidatos a um concurso Ver amplitude da amostra na p.112

27 27 Processo de amostragem Tipos Amostragem Estratificada Quando se divide o universo em estratos (subgrupos da população). Ex>: Mulheres maiores de 18 anos, Mulheres menores de 18 anos;Homens maiores de 18 anos e homens menores de 18 anos (ao invés de menores e maiores de 18 anos)

28 28 Processo de amostragem Tipos Amostragem por conglomerados Ex.: Amostra por quarteirões de uma cidade (vantagem de lista de população de conglomerados ao invés da população total)

29 29 Processo de amostragem Tipos Amostragem por estágios Útil quando os elementos estão dispersos em grande área: como estado ou país. Então, primeiro se faz uma seleção de microrregiões, depois os municípios, depois bairros, quarteirões, domicílios

30 30 Processo de amostragem Tipos Amostragem por acessibilidade É o menos rigoroso: seleciona elementos a que tem acesso

31 31 Processo de amostragem Tipos Amostragem por tipicidade Seleciona-se um subgrupo da população que possa ser representativo de toda esta população. Ex.: Escolha de cidade típica para representar perfil de um país no que diz respeito à nível de industrialização, etc.

32 32 Processo de amostragem Tipos Amostragem por quotas. Típica em pesquisas eleitorais Fases Classificação da população em função das propriedades tidas como relevantes para o fenômeno a ser estudado Determinação da proporção da população a ser colocada em cada classe, com base no que se conhece da população Fixação de quotas para cada entrevistador

33 33 Extensão da amostra Determina quão representativa uma amostra é das características do universo Ou seja, determina o número suficiente de observações Depende da extensão do universo, do nível de confiança estabelecido, do erro de predição máximo permitido e da percentagem em que o fenômeno se verifica Rever cálculo p. 118

34 34 Trabalho de campo Importância de assegurar Constituição de equipes Atribuições diferenciadas na PNAD (p. 120) Treinamento das equipes (em termos de objetivos da pesquisa, de sua organização, dos conceitos básicos, da forma e conteúdo das questões) Procedimentos de campo Listagem (das unidades a serem pesquisadas) e seleção (amostragem) Entrevistas Controle de qualidade da coleta dos dados Verificar se há dúvidas ou erros no preenchimento de formulários ou questionários

35 35 Previsão da análise dos dados Codificação (já indicada no questionário) Tabulação Análise estatística

36 36 Exemplos de levantamento Perfil socioeconômico dos estudantes da UFJF Identificação das condições de trabalho das mulheres em indústrias de MG

37 37 ESTUDOS DE CASO Etapas-chave Formulação do problema adequado ao delineamento da pesquisa Ex: Não há como propor um problema macro como um estudo de caso Definição de uma unidade-caso Em termos estritos é um indivíduo, mas pode ser estendido para grupo, organização, processo, etc.


Carregar ppt "O PROCESSO DE PESQUISA UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA CURSO DE ECONOMIA TÉCNICAS DE PESQUISA EM ECONOMIA GIL, A. C. R (2002), cap. 3-9."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google