A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Diabetes - A criança na Escola -. O que é a diabetes Aumento anormal e crónico de glicose no sangue Origem da glicose = Hidratos de carbono = “açúcares”

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Diabetes - A criança na Escola -. O que é a diabetes Aumento anormal e crónico de glicose no sangue Origem da glicose = Hidratos de carbono = “açúcares”"— Transcrição da apresentação:

1 Diabetes - A criança na Escola -

2 O que é a diabetes Aumento anormal e crónico de glicose no sangue Origem da glicose = Hidratos de carbono = “açúcares” Transformada a partir dos alimentos Produzida pelas células Armazenada no fígado e músculo A glicose é transformada em energia Precisamos de energia para tudo! Para viver!

3 Diabetes Mellitus tipo 1 Vs tipo 2 Diabetes Mellitus tipo 1  Destruição das células  dos ilhéus pancreáticos, de causa auto-imune, causando deficiência absoluta de insulina Diabetes Mellitus tipo 2  Deficiência relativa de insulina devido a insulinorresistência, associada a defeito progressivo na secreção de insulina Obesidade Hipertensão arterial Dislipidémia

4 Na criança sem diabetes Pâncreas Energia Reservas Alimentos Reservas Alimentos

5 Na criança com diabetes tipo 1 Energia Pâncreas Reservas Alimentos Reservas Alimentos Destruição das células

6 Perda líquidos Desidratação Fome celular Açúcar elevado sangue = Hiperglicémia Açúcar elevado sangue = Hiperglicémia

7 Diabetes Mellitus tipo 1 Criança sem diabetes Produção natural de insulina Glicémia (açúcar no sangue) Normal Criança com diabetes Sem produção natural de insulina Glicémia (açúcar no sangue) Elevada

8 Diabetes Mellitus tipo 1… Como se trata? 70-140mg/dL A VALIAÇÃO DA G LICÉMIA A DMINISTRAÇÃO DE I NSULINA A LIMENTAÇÃO S AUDÁVEL E XERCÍCIO F ÍSICO

9 Como se trata? A VALIAÇÃO DA G LICÉMIA Antes das refeições Antes, durante e após o exercício físico Sempre que sintomas de hipoglicémia

10 Como se trata? A DMINISTRAÇÃO DE I NSULINA Imitar a secreção fisiológica de insulina pelo pâncreas Manter a glicémia normal Evitar as complicações a curto e longo prazo 70-140mg/dL

11 Como se trata? A DMINISTRAÇÃO DE I NSULINA 70-140mg/dL Insulina Rápida (refeições) Insulina Lenta (ceia) Glicémia

12 Como se trata?

13 A DMINISTRAÇÃO DE I NSULINA Insulina Rápida Insulina lenta

14 Como se trata? A DMINISTRAÇÃO DE I NSULINA

15 Como se trata? A DMINISTRAÇÃO DE I NSULINA – BOMBAS DE INSULINA

16 Como se trata? A LIMENTAÇÃO S AUDÁVEL Pode-se comer de tudo, fazendo uma contagem correta dos equivalentes e administrando a insulina Não é necessária rigidez nos horários das refeições Doces em dias de festa 3 refeições principais 3 lanches

17 A LIMENTAÇÃO S AUDÁVEL C ONTAGEM DE HIDRATOS D E C ARBONO Como se trata? Tabelas de equivalentes Leitura de rótulos Balança Tabelas de equivalentes Leitura de rótulos Balança 1 equivalente ou porção = 12 g de hidratos de carbono 1 equivalente ou porção = 12 g de hidratos de carbono

18 A LIMENTAÇÃO S AUDÁVEL C ONTAGEM DE HIDRATOS D E C ARBONO Como se trata?

19

20 E XERCÍCIO F ÍSICO Antes do exercício físico Pode-se diminuir a dose da Insulina Rápida em média 20% Glicémia Durante o exercício físico Glicémia a cada 45´ Ingere hidratos de carbono se necessário Após o exercício físico Glicémia (pode existir hipoglicémia ou hiperglicémia transitória) Como se trata? Aumenta a sensibilidade à insulina

21 E XERCÍCIO F ÍSICO Informação aos colegas/professores Conhecimento prévia da existência de esquema de insulina e de material da Diabetes. Usar ficha de identificação, ter sempre companhia Usar calçado apropriado, ingerir água Estar atento a hipoglicemias durante e algumas horas após o exercício Ter acesso a hidratos carbono de absorção rápida e lenta Como se trata? Aumenta a sensibilidade à insulina 100mg/dL) 80-125mg/dL  ingerir hidratos de carbono e depois pode praticar exercício 151-249mg/dL  pode praticar exercício físico >250mg/dL  avaliar cetonémia. Se < 0,6, corrigir hiperglicémia

22 Como agir em caso de…

23 Como agir em caso de… Hipoglicémia C AUSAS Contagem incorreta de equivalentes Insulina Rápida administrada em excesso Exercício físico intenso Saltar refeição Doença aguda (vómitos, por exemplo) Álcool Variabilidade individual Glicémia <70mg/dL

24 Como agir em caso de… Hipoglicémia C OMO C ORRIGIR 1º Avaliar glicémia. <70mg/dL  açúcar 2º Reavaliar glicémia após 5 minutos <100 mg/dL  açúcar 3º Reavaliar glicémia após 10 minutos <100mg/dL  açúcar 4º Reavaliar glicémia após 10 minutos <100mg/dL  Glucagen >100 mg/dL  comer Açúcar Se peso < 30Kg – 9g Se peso > 30Kg – 15g Açúcar Se peso < 30Kg – 9g Se peso > 30Kg – 15g

25 Como agir em caso de… Hipoglicémia C OMO C ORRIGIR Se: Alterações da fala Alterações do comportamento Convulsões Alterações da visão Alteração ou perda de consciência Hipoglicémia grave Depende da ajuda de terceiros para corrigir Hipoglicémia grave Depende da ajuda de terceiros para corrigir Não dar nada por via oral

26 Como agir em caso de… Hipoglicémia C OMO C ORRIGIR Hipoglicémia grave Depende da ajuda de terceiros para corrigir Hipoglicémia grave Depende da ajuda de terceiros para corrigir Se alteração do estado de consciência/coma administrar Glucagen ® por via intramuscular Deve atuar a pessoa mais próxima, no momento. Chamar 112, acompanhar o aluno e contactar encarregado de educação O Glucagen deve estar no frigorífico da escola

27 Como agir em caso de… Hiperglicémia Oferecer bastante bebidas não açucaradas para evitar a desidratação Administrar insulina adicional para reduzir os níveis elevados de glicose. Se: Glicémia > 250 mg/dl Avaliar cetonémia (corpos cetónicos no sangue)

28 Perda líquidos Desidratação Fome celular Açúcar elevado sangue = Hiperglicémia Açúcar elevado sangue = Hiperglicémia

29 Perda líquidos Desidratação Fome celular Vómitos Dor abdominal Desorientação Sonolência  coma Vómitos Dor abdominal Desorientação Sonolência  coma Corpos cetónicos “tóxicos” Corpos cetónicos “tóxicos” Açúcar elevado sangue = Hiperglicémia Açúcar elevado sangue = Hiperglicémia “Queimar” gorduras Para ter energia “Queimar” gorduras Para ter energia

30 Como agir em caso de… Hiperglicémia Avisar os pais Procurar assistência médica Na sua forma extrema, hiperglicemia + desidratação levam ao Coma diabético = cetoacidose Avisar os pais Procurar assistência médica Na sua forma extrema, hiperglicemia + desidratação levam ao Coma diabético = cetoacidose Se corpos cetónicos positivos (> 0,6) Se corpos cetónicos positivos (> 0,6) Se açúcares elevados + vómitos

31 Material sempre Disponível Plano de indicações médicas e esquema de insulina Glicómetro e tiras para determinação da glicémia; lancetas Caneta de Insulina Rápida Pacotes de açúcar Lanche Glucagen® deve existir facilmente disponível, mesmo nas viagens (geleira)

32 Diabetes Mellitus tipo 1… O que muda? Vigilância das glicémias Insulinoterapia Alimentação saudável (contagem de equivalentes) Cuidados no exercício físico Consultas médicas regulares E STILO DE VIDA SAUDÁVEL !

33 Diabetes Mellitus tipo 1… O que não muda?

34 Diabetes - A criança na Escola - Obrigada!


Carregar ppt "Diabetes - A criança na Escola -. O que é a diabetes Aumento anormal e crónico de glicose no sangue Origem da glicose = Hidratos de carbono = “açúcares”"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google