A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

PSICOLOGIA SOCIAL E DIREITOS HUMANOS ESPECÍFICA PSICOLOGIA APPROBARE – CONCURSO:ANALISTA DE POLÍTICAS PÚBLICAS DA PBH Leonel Cardoso dos Santos.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "PSICOLOGIA SOCIAL E DIREITOS HUMANOS ESPECÍFICA PSICOLOGIA APPROBARE – CONCURSO:ANALISTA DE POLÍTICAS PÚBLICAS DA PBH Leonel Cardoso dos Santos."— Transcrição da apresentação:

1 PSICOLOGIA SOCIAL E DIREITOS HUMANOS ESPECÍFICA PSICOLOGIA APPROBARE – CONCURSO:ANALISTA DE POLÍTICAS PÚBLICAS DA PBH Leonel Cardoso dos Santos

2 Características do livro (PSO e DH) Resultado de um encontro (XIII Encontro Mineiro de Psicologia Social) – teoricamente diverso 8 artigos em um eixo teórico 12 artigos com reflexões a partir de práticas profissionais e de pesquisa Textos que fogem do eixo dos DH ou de ume relação intrínseca com a argumentação dos DH Número expressivo de textos que articulam a discussão entre instituição e uso do aporte psicanalítico na prática profissional ou de pesquisa

3 Psicologia social e direitos humanos – artigo 1 Psicologia e Direitos Humanos: Aspectos Históricos, teóricos e práticos (Marília Novais da Mata Machado) - O foco do texto é realizar uma interseção entre o campo dos Direitos Humanos (DH) e das práticas profissionais desenvolvidas nos diversos campos da Psicologia. - As características da atuação profissional na Psicologia abarcam a luta pelos direitos humanos. Isso por conta dos atendimentos aos grupos, instituições e nos contextos comunitários, além dos atendimentos individuais. -Multiplicidade teórica e metodológica: possui caráter muitas vezes experimental.

4 Psicologia social e direitos humanos – artigo 1 Psicologia Educacional: direitos civis, sociais, políticos e culturais por meio da liberdade, fraternidade, justiça, participação e responsabilidade. Psicologia Comunitária: direitos civis por meio da fraternidade, justiça e participação. Psicologia Social e Psicologia do Trabalho: direitos civis, políticos, econômicos e sociais a partir de valores como liberdade, fraternidade, justiça, participação e responsabilidade. Psicologia nos diversos campos institucionais: liberdade e participação, estando na esfera dos direitos civis. Psicologia e meio ambiente: o valor da responsabilidade no campo dos direitos políticos. Psicologia em campos da saúde pública e coletiva: defesa de direitos civis e políticos a partir da responsabilidade e da participação.

5 Psicologia social e direitos humanos – artigo 2 Psicologia e Direitos Humanos (Cornelis Johanes Van Stralen) O objetivo do texto: apresentar um panorama dos Direitos Humanos, desde sua concepção, desenvolvimento no cenário brasileiro, além de apresentar uma pequena análise do contexto da discussão no inicio do século XXI. Três modos de concepção dos direitos humanos: -visão naturalista -visão subjetiva - Ideia do contrato social

6 Psicologia social e direitos humanos – artigo 2 Tipificação dos direitos humanos: Direitos Civis: relativos a liberdade das pessoas em relação à religião, pensamento, reunião e economia. São direitos que fazem referencia à esfera individual. Direitos Políticos: buscam respaldar a liberdade da participação política do individuo. Aqui está a liberdade de voto, o direito a votar e ser votado, bem como a possibilidade de formação e participação em partidos políticos. Direitos Sociais: que salvaguardam as condições básicas de vida, por meio da garantia de acessos ao trabalho, saúde, educação, moradia e proteção contra miséria.

7 Psicologia social e direitos humanos – artigo 2 - Característica dos direitos sociais no histórico brasileiro: concedidos como benefícios sociais - Direitos sociais concedidos antes da efetivação plena de direitos civis e individuais - A cidadania no Brasil marcada por grandes ambiguidades, haja vista que formalmente os direitos civis e políticos estariam assegurados, mesmo com grande parcela da população privada das liberdades previstas nos direitos civis e dos direitos sociais.

8 Psicologia social e direitos humanos – artigo 3 Interface entre Psicologia e Direitos Humanos (Neuza Guareschi) O objetivo deste artigo é tratar das relações entre Psicologia e Direitos humanos com base em dois aspectos principais: O caráter universal de concepção do ser humano dentro dos DH; Os DH em seu aspecto governamental, como políticas públicas, e o modo de inserção da Psicologia nesse campo.

9 Psicologia social e direitos humanos – artigo 3 -internacionalização dos direitos humanos; -relativização cultural; - Como efeito tem-se o desafio da alteridade: como pensar os DH de modos não generalizantes, informados pelas diferenças da cultura, mas ao mesmo tempo garantindo direitos básicos. -Substituição do homem abstrato: mulher, negros/as, gays, transexuais, indígenas... -Denúncia de valores democráticos em prol da manutenção das diferenças como desigualdades (Relação entre universalidade e etnocentrismo) -Psicologia e universalismos

10 Psicologia social e direitos humanos – artigo 3 A relação Psicologia – DH adquire um caráter estatal no contexto das políticas públicas. Características da concepção governamental: igualdade e universalidade (os sujeitos tem, com base nas políticas criadas e desenvolvidas, as mesmas oportunidades na garantia dos direitos) -apagamento das diferenças culturais -Psicologia e sua relação com as noções de público e privado

11 Psicologia social e direitos humanos – artigo 4 Relação entre Psicologia e Direitos Humanos: Construindo a visibilidade (Marcus Vinicios de Oliveira Silva) -Objetivo de analisar os nexos entre Psicologia e DH (sua obviedade esconde características dessa relação). -Psicologia e a força de teorias positivistas em contexto brasileiro, o que mantém a disciplina como isenta dos compromissos políticos; -Psicologia no contexto do regime militar -Papel dos DH na política

12 Psicologia social e direitos humanos – artigo 4 -A transformação da psicologia como profissão (reflexões do campo psi e expansão da disciplina – décadas de 70, 80 e 90); -Contato da Psicologia com novos temas e espaços contribui para uma mudança nos enquadres mais tradicionais da disciplina. -Patrocínio estatal dos DH. Gerações dos DH: direitos de primeira geração: liberdades civis e direitos políticos; direitos de segunda geração: direitos sociais, econômicos e culturais; direitos de terceira geração: direitos dos povos, autodesenvolvimento e solidariedade

13 Psicologia social e direitos humanos – artigo 5 Psicologia Política e Direitos Humanos: Tensões da relação indivíduo e bem comum (Marco Aurélio Máximo Prado) -O texto visa discutir o paradoxo contido no limite entre os direitos individuais e o bem comum. Os direitos humanos seriam uma tentativa de dar respostas a esse paradoxo. -Paradoxo expresso na pergunta: Podemos viver juntos? Tensão entre comunidade e individualidade e a garantia desses dois aspectos no campo político.

14 Psicologia social e direitos humanos – artigo 5 Duas perspectivas de DH: -naturalista: direitos são garantidos pela constatação da condição humana; -culturalista: coletividade e as regulamentações jurídicas são as bases; Espaços políticos como espaços de disputas: -Liberal, -Comunitarista,

15 Psicologia social e direitos humanos – artigo 5 Psicologia é um campo privilegiado nessa discussão, pois é lócus de construção das categorias explicativas sobre sujeito. Psicologia e implicação democrática: -Uma análise da expulsão histórica dos temas propriamente políticos do interior da Psicologia; -Uma noção de cidadania; -A ênfase em uma lógica histórica na compreensão dos problemas e fenômenos -Características de contexto social, histórico, e cultural como processos constituintes do fenômeno psicológico.

16 Psicologia social e direitos humanos – artigo 6 Psicologia e Direitos Humanos - As relações entre ciência e ética na perspectiva do Instituto Rousseau, em Genebra (1920 – 1940) (Regina Helena de Campos Freitas) - Este artigo busca mostrar a partir de alguns aspectos da Psicologia da Educação como se constituiu no Instituto Rousseau a noção entre ciência e ética entre os anos de 1920 e Resgatar de aspectos como afirmação da autonomia e auto- regulação individual/noções de sujeito e direitos, nas quais a criança é pensada. Direitos esses que deve ser garantidos pelo estado

17 Psicologia social e direitos humanos – artigo 6 -Presentismo das teorias psicológicas; -Aspecto ético do desenvolvimento de teorias psicológicas: servem a dominação ou a resolução de problemas sociais? Características de uma Psicologia da Educação: A correção das teorias a partir da aplicação científica; A prevenção deve se torna foco de preocupação. Tal prerrogativa é resultado da observação de pessoas portadoras de doenças mentais. Viu-se relação entre severos erros educacionais e a saúde mental. A importância da infância na formação da personalidade. Aspecto esse derivado da influência da teoria freudiana.

18 Psicologia social e direitos humanos – artigo 6 As bases filosóficas do Instituto Rousseau são: -O cultivo de um espírito científico, por meio da observação dos fenômenos da natureza e auxilio do conhecimento acumulado nos livros; -Conceber a criança como igual; -Propiciar à criança a tomada de iniciativa no processo educativo; Mudança no pensamento tradicional sobre a criança.

19 Psicologia social e direitos humanos – artigo 7 Interface entre a Psicologia Social e a Educação: As contribuições do Interacionismo Simbólico de G. H. Mead (Ruth Bernardes de SantAna) - O objetivo do texto é apresentar e discutir a relação entre a Psicologia Social e a Educação Infantil a partir do interacionismo simbólico de George Mead. -Análise das práticas educativas levando em conta a relação educador/a e criança; -Instituições educativas e seu papel na formação da criança

20 Psicologia social e direitos humanos – artigo 7 - Potência ativa do indivíduo; -Psiquismo e condicionantes socio-culturais; -A construção do self se dá a partir das interações ocorridas na primeira infância. Nessas interações participam os diversos processos de cristalização social; - Importância do jogo

21 Psicologia social e direitos humanos – artigo 8 Psicologia, Direito e Direitos Humanos: Perspectiva Transdisciplinar (Bráulio de Magalhães Santos) -S ubsídios para a construção de uma atuação que leve em conta a complexidade dos direitos humanos e sua necessidade consequente de uma formulação que enseje a compreensão de todos os aspectos do ser humano. -Parte da necessidade da negativa à fragmentação, seja ela a dos DH, seja a da construção da atuação profissional engajada na luta e garantia desses mesmos direitos (unidade humana e dignidade intrínseca).

22 Psicologia social e direitos humanos – artigo 8 Formas de articulação disciplinar: - A multidisciplinaridade: Relação duas ou mais disciplinas ou áreas de conhecimento. Todavia tal tarefa não traz mudanças ou alterações nas disciplinas. -Pluridisciplinaridade: a junção de duas disciplinas na construção de um sistema de pensamento. Aqui as disciplinas permanecem no mesmo nível hierárquico. -A Interdisciplinaridade: acolhimento as contribuições de uma disciplina a outra. Aqui as relações envolvem uma interação marcada pela co-propriedade e reciprocidade na produção do conhecimento.

23 Psicologia social e direitos humanos – artigo 8 Transdisciplinaridade: Mantém as especificidades de cada uma das disciplinas, entretanto considera que todos os aspectos da realidade na construção do conhecimento. Essa profundidade exige uma eliminação dos rígidos limites disciplinares em prol da construção de apropriações sobre os problemas que se apresentam simultaneamente nas diferentes disciplinas e subdisciplinas. -Classificação dos DH em gerações já apresenta reduções; -Divisão política e econômica dos países em dois blocos; -efeitos negativos da globalização é que geram a necessidade de concepção transdisciplinar


Carregar ppt "PSICOLOGIA SOCIAL E DIREITOS HUMANOS ESPECÍFICA PSICOLOGIA APPROBARE – CONCURSO:ANALISTA DE POLÍTICAS PÚBLICAS DA PBH Leonel Cardoso dos Santos."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google