A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

DOR ABDOMINAL CRÔNICA E RECORRENTE Dr. Paulo Matos de Castro.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "DOR ABDOMINAL CRÔNICA E RECORRENTE Dr. Paulo Matos de Castro."— Transcrição da apresentação:

1 DOR ABDOMINAL CRÔNICA E RECORRENTE Dr. Paulo Matos de Castro

2 24% DAS CONSULTAS PEDIÁTRICAS 13-27% DOS ESCOLARES TÊM DOR ABDOMINAL SEMANAL DEFINIÇÃO: DOR ABDOMINAL CRÔNICA: ACIMA DE 01 MÊS DOR ABDOMINAL RECORRENTE: ACIMA DE TRÊS MESES, SEGUINDO OS CRITÉRIOS DE APLEY E NORA NAISH ( 1957): TRÊS EPISÓDIOS DE DOR SUFICIENTEMENTE GRAVE PARA AFETAR SUA ATIVIDADE POR UM PERÍODO NÃO MENOS DE 03 MESES

3 CLASSIFICAÇÃO: MENORES DE 04 ANOS: DAC ORGÂNICA DAC POR SOMATIZAÇÃO DAC POR SOMATIZAÇÃO DAC ( DIAGNÓSTICA ) DAC ( DIAGNÓSTICA ) MAIORES DE 04 ANOS: DAC ORGÂNICA DAC POR SOMATIZAÇÃO DAC POR SOMATIZAÇÃO DAC FUNCIONAL ( SINTOMA )- BASEAR-SE PELOS CITÉRIOS DE ROMA III: DAC FUNCIONAL ( SINTOMA )- BASEAR-SE PELOS CITÉRIOS DE ROMA III: A- DISPEPSIA FUNCIONAL A- DISPEPSIA FUNCIONAL B- S. DO INTESTINO IRRITÁVEL B- S. DO INTESTINO IRRITÁVEL C- MIGRÂNEA ABDOMINAL C- MIGRÂNEA ABDOMINAL D- DOR ABDOMINAL FUNCIONAL D- DOR ABDOMINAL FUNCIONAL D-1: SÍNDROME DA DOR ABDOMINAL FUNCIONAL D-1: SÍNDROME DA DOR ABDOMINAL FUNCIONAL

4 METODOLOGIA GERAL PARA O DIAGNÓSTICO: 1- ESTABELECER MELHOR RELAÇÃO DE CONFIANÇA POSSÍVEL COM A CRIANÇA E OS PAIS 2- VALORIZAR A ATITUDE DA CRIANÇA, PAIS ( RELAÇÃO ENTRE AMBOS ) 3- PESQUISAR DOENÇAS ORGÂNICAS DO TGI DOS PAIS, PSIQUIÁTRICOS, FAMILIARES E VALORIZAR A PRESENÇA DE: 3.1: FATORES OU ACONTECIMENTOS ESTRESSANTES DA VIDA ( RELAÇÃO COM A DOR, PIORA DOS SINTOMAS) 3.2: DINÂMICA FAMILIAR: ANSIEDADE, DEPRESSÃO POR PARTE DOS PAIS, TRANSTORNOS DE CONDUTA) 4- HISTÓRIA E EXAME FÍSICO DETALHADOS: 4.1- DOR: DURAÇÃO, LOCALIZAÇÃO, NATUREZA, FATORES DESENCADEANTES OU QUE MELHORAM OU PIORAM, RELAÇÃO COM ALIMENTAÇÃO,EVACUAÇÃO ( V. HÁBITO INTESTINAL ).

5 4.2- QUEIXAS GASTROINTETINAIS: ERUCTAÇÕES, NÁUSEAS, VÔMITOS, REGURGITAÇÃO, DISTENSÃO ABDOMINAL, PIROSE 4.3-QUEIXAS EXTRA-INTESTINAIS: CEFALÉIA, AURA, SINT. URINÁRIOS, CRESCIMENTO E DESENVOLVIMENTO, AVALIAÇÕES E TRATAMENTOS PRÉVIOS, HISTÓRIA COMPATÍVEL COM CÓLICAS DO LACTENTE, DIARRÉIA FUNCIONAL E RGE, FREQUÊNCIA DE FALTAS ESCOLARES 5-EXAME FÍSICO:EXAME DO ABDÔMEN, FEZES NA AMPOLA RETAL,, INSPEÇÃO DA ÁREA PERIANAL 6-ESTADO NUTRICIONAL DO PACIENTE: PESO/IDADE, ESTATURA/IDADE, PESO/ESTATURA ( COMPARAÇÃO COM OS VALOES DE REFERÊNCIA DO NATIONAL CENTER FOR HEALTH STATISTICS –NCHS). 7-ATENTAR PARA OS SINAIS DE ALARME: GASTROENTEROLOGY 2006;130: CHILDHOOD FUNCIONAL GASTROINTESTINAL DISORDERS; 7.1: DOR PERSISTENTE NOS QUADRANTES SUPERIOR DIREITO OU INFERIOR DIREITO, DISFAGIA,VÔMITOS PERSISTENTES, MELENA, HEMATOQUÉZIA, DIARRÉIA NOTURNA, HISTÓRIA FAMILIAR DE DII, D. ULCEROSA PÉPTICA, NEOPLASIAS, DOR QUE DESPERTA A CRIANÇA, ARTRITE, DOENÇA PERIRETAL, PERDA INVOLUNTÁRIA DE PESO, DESACELARAÇÃO DO CRESCIMENTO LINEAR, PEBERDADE RETARDADA, FEBRE INESPECÍFICA, SÍNDROME MICCIONAL, ERITEMA NODOSO, MASSA PALPÁVEL, HÉPATO-ESPLENOMEGALIA, DOR À PRESSÃO NOS ÂNGULOS COSTOVERTEBRAL OU NA COLUNA VERTEBRAL ( ADAPTADO PELO PROTOCOLO DIAGNÓSTICO-TERAPÊUTICO EM GASTROENTEROLOGIA/HEPAT. E NUTRIÇÃO PEDIÁTRICA-ESPANHA 2010.

6 8- ATENTAR PARA OS TRANSTORNOS FUNCIONAIS: 8.1- DISPEPSIA FUNCIONAL: 3,5- 27% DOR OU DESCONFORTO PERSISTENTE OU RECORRENTE NO ABDÔMEN SUPERIOR, NÃO ALIVIADA PELA DEFECAÇÃO E SEM RELAÇÃO COMFREQUÊNCIA EVACUATÓRIA, SEM EVIDÊNCIA DE INFLAMAÇÃO, ALT ANATÔMICAS, NEOPLASIAS EM CRIANÇAS ABAIXO DE 10 ANOS, HISTÓRIA FAMILIAR DE ÚLCERA PÉPTICA, SINTOMAS EXACERBADOS QUE ALTEREM A QUALIDADE DE VIDA VER NECESSIDADE DE EDA ( J. PED. GASTR. AND NUTRITION-MAY, 2010). 8.2: SÍNDROME DO INTESTINO IRRITÁVEL: 22-45%: 04-18ANOS: DESCONFORTO OU DOR ABDOMINAL ASSOCIADO COM 02 OU MAIS DOS SEGUINTES CRITÉRIOS :MELHORA COM A DEFECAÇÃO; ASSOCIADO COM ALT. NA FREQUÊNCIA EVACUATÓRIA; ASSOCIADO COM ALTERAÇÃO NO FORMATO DAS FEZES E SEM EVIDÊNCIA DE ALT. NEOPL., ANAT. INFLAMATÓRIAS.

7 8.3:MIGRÂNEA ABDOMINAL: EPISÓDIOS PAROXÍSTICOS DE DOR INTENSA, PERIUMBILICAL QUE DURAM DE 01 HORA OU MAIS NOS ÚLTIMOS 12 MESES COM INTERVALOS DE SEMANAS A MESES. ASSOCIAÇÃO COM 02 OU MAIS DAS MANIFESTAÇÕES: ANOREXIA, NÁUSEAS, VÔMITOS, CEFALAGIA, FOTOFOBIA, PALIDEZ SEM EVIDÊNCIA DE PROCESSOS NEOPL, INFECCIOSOS,ANAT. N.B: AFASTAR PROCESSOS OBSTRUTIVOS, UROLÓGICOS, PANCREATITE RECORRENTE, DESORDENS METABÓLICAS ( PORFIRIA ) 8.4:DOR FUNCIONAL: PODE OCORRER 01 VEZ POR SEMANA, DURAÇÃO DE 02 MESES, CRITÉRIOS INSUFICIENTES PARA ENQUADRÁ-LA EM OUTROS TGI. AUSÊNCIA ALT. ANAT,NEO... SÍNDROME DA DOR ABDOMINAL FUNCIONAL: DOR ABDOMINAL FUNCIONAL QUE INTERFERE COM A ATIVIDADE NORMAL DIÁRIA E SINTOMAS SOMÁTICOS ADICIONAIS ( CEFALÉIA, DORES NOS MEMBROS E DIFICULDADE PARA DORMIR ).

8 PRINCIPAIS ENFERMIDADES ORGÂNICAS RELACIONADAS COM DOR ABDOMINAL CRÔNICA: INTOLERÂNCIAS ÀS DISSACARIDASES, CONSTIPAÇÃO, H. PYLORI, D.CELÍACA, PARASITOSES ( GIÁRDIA, CRIPTOSPORIDIUM, B. HOMINIS ), INFECÇÃO BACTERIANA ( C. DIFFICILE ), ITU, HIDRONEFROSE, ESTENOSE DA JUNÇÃO PIELO- URETRAL, LITÍASE, DRGE, D.PÉPTICA, COLITES E ESOFAGITES EOSINOFÍLICAS, MÁ-ROTAÇÃO INTESTINAL, DUPLICAÇÃO INTESTINAL, INVAGINAÇÃO RECORRENTE, ESTENOSES, CISTO DE OVÁRIO, GRAVIDEZ, ENFERMIDADES HÉPATO-BILIARES, PANCRÁTICAS, METABÓLICAS ( INTOXICAÇÃO POR CHUMBO, D. MELLITUS, AMINOCODOPATIAS), ABUSO FÍSICO OU SEXUAL ( EMERGENCY MEDICINE 38 ( 5 ):11-18, 2006)- 3 MILHÕES DE CRIANÇAS POR ANO-DOR DE CABEÇA, INSÔNIA, DEPRESSÃO, DOR ABDOMINAL

9 INVESTIGAÇÃO LABORATORIAL: ( ANALES DE PEDIATRIA CONTINUADA, 2006 COM REVISÃO EM 2010-PROTOCOLO ) PRIMEIRO NÍVEL: HEMOGRAMA, BIOQUÍMICA SANGUÍNEA, VHS, EAS/UROCULTURA, EPF SEGUNDO NÍVEL: US ABDOMINAL, PÉLVICA TERCEIRO NÍVEL: EDA COM BIÓPSIAS E PESQUISA DE H. PYLORI, Ph METRIA DE 24 HORAS, TTL, TRÂNSITO INTESTINAL, ENEMA OPACO, MANOMETRIA ANORETAL, COLONOSCOPIA, TC DE ABDÔMEN, CÁPSULA ENDOSCÓPICA, LAPAROSCOPIA.

10 TRATAMENTO: DISPEPSIA FUNCIONAL: DIETÉTICO: RETIRAR CAFEÍNA, ALIMENTOS GORDUROSOS, PICANTES, BLOQUEADOR H2, IBP, SUCRALFATO, PROCINÉTICOS, ANTIDEPRESSIVOS ( SEM EVIDÊNCIA DE BENEFÍCIOS ). S. DO INTESTINO IRRITÁVEL: DIETÉTICO: FIBRAS, NÃO RESTRINGIR A LACTOSE, INTERVENÇÃO SOBRE OS FATORES PSICOSOCIAIS, INIBIDORES DE RECAPTAÇÃO DA SERONTONINA, ANTI-DEPRESSIVOS DOR ABDOMINAL FUNCIONAL: MANTER RELAÇÃO DE CONFIANÇA: PAI, CRIANAÇA; MODIFICAÇÃO DIETÉTICA, INTERVENÇÃO SOBRE OS FATORES PSICOSOCIAIS, ANTIDEPRESSIVOS TRCÍCLICOS ( CITALOPRAM: RESULTADOS FAVORÁVEIS ) MIGRÂNEA: EVITAR ALIMENTOS DESENCADEANTES ( GOMA DE MASCAR, EXCESSO DE CARBOIDRATOS, ESTÍMULOS LUMINOSOS, TERAPIA, PROPRANOLOL, CIPROHEPTADINA, SUMATRIPTAN.

11 PONTOS A ENFATIZAR: ATENTAR PARA SINAIS E SINTOMAS DE ALARME- PRIORIDADE; A PRESENÇA DE UMA HISTÓRIA PSICOSOCIAL NÃO DESCARTA ORGANICIDADE


Carregar ppt "DOR ABDOMINAL CRÔNICA E RECORRENTE Dr. Paulo Matos de Castro."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google