A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

QREN Quadro de Referência Estratégia Nacional PO FACTORES DE COMPETITIVIDADE PO POTENCIAL HUMANO PO VALORIZAÇÃO DO TERRITÓRIO* Os PO regionais do continente,

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "QREN Quadro de Referência Estratégia Nacional PO FACTORES DE COMPETITIVIDADE PO POTENCIAL HUMANO PO VALORIZAÇÃO DO TERRITÓRIO* Os PO regionais do continente,"— Transcrição da apresentação:

1

2

3 QREN Quadro de Referência Estratégia Nacional PO FACTORES DE COMPETITIVIDADE PO POTENCIAL HUMANO PO VALORIZAÇÃO DO TERRITÓRIO* Os PO regionais do continente, cujo co-financiamento comunitário é assegurado pelo FEDER, tendo como autoridades de gestão dos PO regionais do continente PO regional equivalente do QCA III, são: Norte, Centro, Lisboa, Alentejo, Algarve * PO DAS REGIÕES AUTÓNOMAS dos Açores e da Madeira * PO ASSISTÊNCIA TÉCNICA* PO COOPERAÇÃO TERRITORIAL*

4 Para equacionar apresentar uma candidatura Preparar os documentos oficiais da empresa; Ler a Informação geral de enquadramento; Analisar e discutir a estratégia da empresa (e sobretudo) que passos / Investimentos serão necessários; Estar atento aos avisos, Analisar o aviso de concurso mais conveniente.

5 Neste momento está já disponível

6 Neste momento está já disponível (cont.)

7 PO FACTORES DE COMPETITIVIDADE SI I&DT Sistema de Incentivos à Investigação e Desenvolvimento tecnológico SI Inovação Sistema de Incentivos à Inovação SI Qualificação PME Sistema de Incentivos à Qualificação e Internacionalização

8 PO FACTORES DE COMPETITIVIDADE SI I&DT Sistema de Incentivos à Investigação e Desenvolvimento tecnológico Individual (uma empresa) Conjuntos (Públicas, Associações Empresariais ou Entidades do SCT*) Cooperação (apresentado por uma PME ou consórcio liderado por PME, que se proponha desenvolver um projecto de cooperação interempresarial ) Projecto simplificado Individuais (uma empresa) Co-promoção (parceria entre empresas ou entre estas e entidades do SCT) Núcleos e centros de I&DT SI Inovação Sistema de Incentivos à Inovação SI Qualificação PME Sistema de Incentivos à Qualificação e Internacionalização Empresas (Novos bens e serviços, Novos Processos, Expansão) incluindo Projectos de Empreendedorismo Qualificado

9 SI Qualificação PME Individual (uma empresa) Conjuntos (Públicas, Associações Empresariais ou Entidades do SCT*) Cooperação (apresentado por uma PME ou consórcio liderado por PME, que se proponha desenvolver um projecto de cooperação interempresarial ) Projecto simplificado

10 Qualificação de PME_Individual Objectivos e Prioridades Os projectos deverão visar a promoção da competitividade das PME através do aumento da produtividade, da flexibilidade e da capacidade de resposta e presença activa no mercado global, através da utilização de factores dinâmicos da competitividade.

11 Tipologia de Investimentos Seleccionar uma área ou mais (tipologia de investimento); Se pretende área internacional ou várias regiões fazer candidatura autónoma

12 E.. Que despesas (exemplos) Criação, Moda & Design Todos os investimentos respeitantes à criação de marcas, insígnias e colecções próprias e melhoria das capacidades de moda e design. Desenvolvimento e Engenharia de Produtos, Serviços e Processos Todos os investimentos respeitantes à melhoria das capacidades de desenvolvimento de produtos, processos e serviços, designadamente pela criação ou reforço das capacidades laboratoriais Organização e Gestão e Tecnologias de Informação e Comunicação Todos os investimentos respeitantes à introdução de novos modelos ou novas filosofias de organização do trabalho, reforço das capacidades de gestão, introdução de TIC, redesenho e melhorias de Layout e acções de Benchmarking.

13 E.. Que despesas (exemplos) Qualidade Todos os investimentos respeitantes à certificação, no âmbito do Sistema Português da Qualidade (SPQ), de sistemas de gestão da qualidade, certificação de produtos e serviços com obtenção de marcas bem como a implementação de sistemas de gestão pela qualidade total. Inovação Todos os investimentos associados à aquisição de serviços de consultoria e de apoio à inovação bem como à certificação, no âmbito do SPQ, de sistemas de gestão da investigação, desenvolvimento e inovação (IDI). Diversificação e Eficiência Energética Todos os investimentos associados ao aumento da eficiência energética e diversificação das fontes de energia com base na utilização de recursos renováveis.

14 Crítico numa candidatura [A, B,C,F > 1] = > 3; > 4 Assegurada dotação [Na cooperação a continuidade];

15 Qualificação PME_Projecto Conjunto Objectivos e Prioridades visar a promoção da competitividade das PME, designadamente a sua capacidade de resposta e presença activa no mercado global, através do desenvolvimento de um programa estruturado de intervenção num conjunto de PME. O programa deverá apresentar soluções comuns e coerentes face a um conjunto de problemas ou oportunidades a explorar, claramente identificadas e justificadas, no quadro de um grupo homogéneo de empresas a envolver.

16 Qualificação de PME_Projecto em Cooperação Objectivos e Prioridade Os projectos deverão visar a promoção da competitividade das PME através do aumento da produtividade, da flexibilidade e da capacidade de resposta e presença activa no mercado global, através da utilização de factores dinâmicos da competitividade.

17 Tipologia de Investimentos Seleccionar uma área ou mais (tipologia de investimento); Se pretende área internacional ou várias regiões fazer candidatura autónoma

18 Inovação Novos bens e serviços Novos Processos Expansão Projecto de Empreendedorismo Qualificado

19 NOVOS BENS E SERVIÇOS, NOVOS PROCESSOS E EXPANSÃO (ACTIVIDADES EM CRESCIMENTO) Objectivos e Prioridades Produção de novos bens, serviços e processos que suportem a sua progressão na cadeia de valor e o reforço da sua orientação para os mercados internacionais (inclui produtos, serviços, processos e métodos que foram desenvolvidos de forma pioneira pela empresa ou resultantes de transferência de conhecimento). É condição necessária, que seja implementada, –no caso de inovação de produto, ser introduzida no mercado; e –no caso de inovação de processo, organizacional ou de marketing, ser utilizada na empresa. Para o apoio destes projectos, as exigências são graduadas em função da dimensão das empresas. Assim, para se considerar que se está perante uma inovação, a condição mínima a observar é que o produto, serviço, processo, método organizacional ou de marketing seja novo (ou significativamente melhorado) para a empresa, –no caso de PME, sendo desejável que seja novo para o Mercado/ Sector/ Região; –no caso de Grandes Empresas que seja novo para o Mercado/ Sector/ Região, sendo desejável que seja novo para o País. Podem ainda ser objecto de candidatura os projectos de expansão de produção de uma empresa em actividades de alto conteúdo tecnológico ou em mercados de elevado potencial de crescimento.

20 Tipologia de Investimentos a. Produção de novos bens e serviços ou melhorias significativas da produção actual através da transferência e aplicação de conhecimento; b. Adopção de novos, ou significativamente melhorados, processos ou métodos de produção, de logística e distribuição, bem como métodos organizacionais ou de marketing; c. Expansão de capacidades de produção em actividades de alto conteúdo tecnológico ou com procuras internacionais dinâmicas. Escolher e justificar o enquadramento do projecto nestas tipologias Atribuição de majoração para Empreendedorismo Feminino, e jovem

21 Apenas LVT (e neste aviso) são excluídas Aquisição de máquinas e equipamentos directamente relacionados com o desenvolvimento do projecto, designadamente nas áreas da gestão, da produção, da comercialização e marketing, das comunicações, da logística, do design, da qualidade, da segurança e saúde, do controlo laboratorial, da eficiência energética e do ambiente, em particular os de tratamento e/ou valorização de águas residuais e emissões para a atmosfera, valorização, tratamento ou destino final de resíduos, redução de ruído para o exterior e de introdução de tecnologias eco-eficientes para a utilização sustentável de recursos naturais Aquisição de equipamentos informáticos relacionados com o desenvolvimento do projecto Construção de edifícios, obras de remodelação e outras construções, desde que directamente relacionadas com o exercício da actividades, assim como a aquisição de material circulante que se traduza em si mesmo numa actividade de animação declarada de interesse para o turismo Despesas de investimento em projectos de remodelação ou ampliação de empreendimentos turísticos explorados em parte ou na totalidade em regime de direito de habitação periódica, de natureza real ou obrigacional

22 Empreendedorismo Qualificado Objectivos e Prioridades Os projectos deverão promover a inovação no tecido empresarial através do estímulo ao empreendedorismo qualificado, incluindo o empreendedorismo feminino. Apoia-se a criação de novas empresas ou de empresas com menos de 3 anos de actividade classificadas como PME.

23 Tipologia de investimentos Tipologia de Investimentos Apoia à criação de empresas ou projectos de empresas nascentes (até 3 anos), classificadas como PME, dotadas de recursos humanos qualificados ou que desenvolvam actividades em sectores com fortes dinâmicas de crescimento Quando estiverem em causa empresas de micro e pequena dimensão, constitui condição de acesso que se encontrem classificadas em ramos de actividade económica transaccionáveis ou serviços internacionalizáveis, em especial no empreendedorismo feminino, ou não o estando, que o peso dos trabalhadores com grau de habilitação escolar igual ou superior a 4 no ano pós-projecto, seja de pelo menos 10%. Quando estiverem em causa empresas de média dimensão, o projecto deverá cumprir, pelo menos, duas das seguintes condições: a. O peso dos trabalhadores com grau de habilitação escolar igual ou superior a 4 no ano pós-projecto é de pelo menos 15%; b. O peso das actividades de investigação e desenvolvimento no volume de negócios da empresa no ano pós-projecto é pelo menos 3%; c. Desenvolver actividade em sector com forte dinâmica de crescimento. O promotor deverá, em sede de candidatura, justificar o seu enquadramento em sector com forte dinâmica de crescimento. Está prevista uma majoração para Empreendedorismo feminino e para o Empreendedorismo Jovem

24 Empreendedorismo Qualificado O limite mínimo de despesa elegível é de euros. Uma candidatura por promotor (excepto quando abranja várias regiões, neste caso uma por região) O promotor deverá, justificar o seu enquadramento em sector com forte dinâmica de crescimento; Majoração para projectos de empreendedorismo jovem e feminino

25 atenção Micro e Pequenas empresas Condição de Acesso: Estarem classificadas em ramos de actividade económica transaccionáveis ou serviços internacionalizáveis, ou não o estando, que o peso dos trabalhadores com grau de habilitação escolar igual ou superior a 4 no ano pós- projecto, seja de pelo menos 10%. Excepto para Empreendedorismo jovem e Eficiência Colectiva Médias Empresas Duas de três: a. O peso dos trabalhadores com grau de habilitação escolar igual ou superior a 4 no ano pós-projecto é de pelo menos 15%; b. O peso das actividades de investigação e desenvolvimento no volume de negócios da empresa no ano pós-projecto é pelo menos 3%; c. Desenvolver actividade em sector com forte dinâmica de crescimento.

26 I & DT Empresas –Individuais (uma empresa) –Co-promoção (parceria entre empresas ou entre estas e entidades do SCT) –Projectos Mobilizadores –Vale I&DT (concedido a PME para aquisição de serviços de I&DT a entidades do SCT qualificadas para o efeito, através da atribuição de um crédito junto destes Organismos I&DT Colectivo (Projectos de I&DT promovidos por associações empresariais ) Criação e Reforço de Competências Internas de I&DT Valorização de I&DT (Projectos demonstradores)

27 I&DT_Empresas Projectos Individuais realizados por uma empresa; Projectos em Co-promoção realizados em parceria entre empresas ou entre estas e entidades do SCT, as quais, em resultado da complementaridade de competências ou de interesses comuns no aproveitamento de resultados de actividades de I&DT, se associam para potenciarem sinergias ou partilharem custos e riscos. Projectos Mobilizadores de capacidades e competências científicas e tecnológicas, com elevado conteúdo tecnológico e de inovação e com impactes significativos a nível multisectorial, regional, cluster, pólo de competitividade e tecnologia ou da consolidação das cadeias de valor de determinados sectores de actividade e da introdução de novas competências em áreas estratégicas de conhecimento, visando uma efectiva transferência do conhecimento e valorização dos resultados de I&DT junto das empresas, realizados em co-promoção entre empresas e entidades do SCT; Vale I&DT, concedido a PME para aquisição de serviços de I&DT a entidades do SCT qualificadas para o efeito, através da atribuição de um crédito junto destes Organismos.

28 I&DT_Empresas Objectivos e Prioridades Os projectos deverão corresponder a projectos de I&DT promovidos por empresas, compreendendo actividades de investigação industrial e/ou de desenvolvimento experimental, conducentes à criação de novos produtos, processos ou sistemas ou à introdução de melhorias significativas em produtos, processos ou sistemas existentes.

29 I&DT Empresas: Tipologia A modalidade de projecto a apoiar, inserida na tipologia I&DT Empresas, é a seguinte: –Projectos Individuais –As candidaturas com investimentos localizados nas regiões NUTS II Lisboa ou Algarve não deverão incluir investimentos localizados em outras NUTS II.

30 I&DT_Colectiva Projectos de I&DT promovidos por associações empresariais que resultam da identificação de problemas e necessidades de I&DT partilhados por um conjunto significativo de empresas, designadamente ao nível de um determinado sector, cluster, pólo de competitividade e tecnologia ou região, sendo os resultados largamente disseminados pelas empresas dos agregados em causa;

31 Criação e Reforço de Competências : Núcleos e Centros –Núcleos de I&DT, promovidos por empresas PME, visando desenvolver na empresa de forma sustentada competências internas de I&DT e de gestão da inovação, através da criação de unidades estruturadas com características de permanência e dedicadas exclusivamente a actividades de I&DT; –Centros de I&DT, promovidos por empresas que já desenvolvem de forma contínua e estruturada actividades de I&DT, visando o aumento do esforço de I&DT para além das linhas de investigação quotidianas normais da empresa.

32 Elegibilidade das despesas Despesas com pessoal técnico do promotor dedicado a actividades de I&DT, incluindo bolseiros de entidades do SCT, com bolsa integralmente suportada pela entidade promotora; Despesas de investigação contratada e patentes adquiridas a fontes externas ou por estas licenciadas, a preços de mercado, e que se traduzam na sua efectiva endogeneização por parte do promotor; Matérias-primas e componentes necessárias para a construção de instalações piloto ou experimentais e ou de demonstração e para a construção de protótipos; Aquisição de serviços a terceiros, incluindo assistência técnica, científica e consultoria; Aquisição de instrumentos e equipamento científico e técnico imprescindível ao projecto e que fiquem afectos em exclusividade à sua realização durante o período de execução do projecto; Aquisição de software especifico para o projecto; Despesas associadas à formulação de pedidos de patentes, modelos de utilidade e desenhos ou modelos nacionais, no estrangeiro pela via directa nas administrações nacionais, comunitários, europeus e internacionais, designadamente taxas, pesquisas ao estado da técnica, anuidades e honorários de consultoria em matéria de Propriedade Industrial; Despesas com a promoção e divulgação dos resultados de projectos de inovação de produto ou de processo com aplicação comercial junto do sector utilizador final ou de empresas alvo; Despesas com missões internacionais directamente imputáveis ao projecto e comprovadamente necessárias à sua realização; Despesas com o processo de certificação do Sistema de Gestão da Investigação, Desenvolvimento e Inovação, designadamente honorários de consultoria, formação e instrução do processo junto da entidade certificadora; Despesas com a intervenção de técnicos oficiais de contas ou revisores oficiais de contas Imputação de custos indirectos (metodologia a definir)

33 Neste momento ESTÃO ABERTAS CANDIDATURAS …..

34 E finalmente … o que deve ainda saber Explicar o PORQUÊ se enquadra nesta fase Continua a necessitar de juntar documentos para caracterizar empresa, sócios/accionistas, Classificação e distribuição dos Recursos Humanos Historial e análise SWOT Principais produtos / mercados Previsões vendas, compras e prestação de serviços (até 2013) DR Históricos e Previsionais Estrutura de Financiamento e Explicação dos mesmos Pode apresentar balanço intercalar Certificado por um ROC Não tem o problema de versões anteriores com limite de caracteres baixos Atenção que validação de erros não impede que os haja (tipo duração do projecto, se colocar 100 anos, ele não detecta erro porque foi colocada data de início e de fim Na cooperação tem logo que identificar empresas parcerias explicar o porquê da parceria Explicitar critério a critério de análise


Carregar ppt "QREN Quadro de Referência Estratégia Nacional PO FACTORES DE COMPETITIVIDADE PO POTENCIAL HUMANO PO VALORIZAÇÃO DO TERRITÓRIO* Os PO regionais do continente,"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google