A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

5º CONGRESSO DE CIÊNCIAS FARMACÊUTICAS RIOPHARMA INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS Profa. Eline Matheus.

Cópias: 1
5º CONGRESSO DE CIÊNCIAS FARMACÊUTICAS RIOPHARMA INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS Profa. Eline Matheus.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "5º CONGRESSO DE CIÊNCIAS FARMACÊUTICAS RIOPHARMA INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS Profa. Eline Matheus."— Transcrição da apresentação:

1

2 5º CONGRESSO DE CIÊNCIAS FARMACÊUTICAS RIOPHARMA INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS Profa. Eline Matheus

3 INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS MEDICAMENTOS ALIMENTOS TABACOÁLCOOL Profa. Eline Matheus RIOPHARMA 2007

4 INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS Profa. Eline Matheus RIOPHARMA 2007 INTERAÇÃO MEDICAMENTOSA É O FENÔMENO FARMACOLÓGICO ONDE OS EFEITOS DE UM FÁRMACO PODEM SER MODIFICADOS PELA ADMINISTRAÇÃO ANTERIOR OU CONCOMITANTE A OUTRO. (McInnes et al, 1988)

5 INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS Profa. Eline Matheus RIOPHARMA 2007 A IMPORTÂNCIA DE UMA INTERAÇÃO DEVE SER ANALISADA CASO A CASO LEVANDO-SE EM CONTA SUAS CONSEQÜÊNCIAS CLÍNICAS, ISTO É, A RELAÇÃO RISCO-BENEFÍCIO PARA O PACIENTE.

6 INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS Profa. Eline Matheus RIOPHARMA 2007 AS INTERAÇÕES OCORREM COM MAIS FREQÜÊNCIA EM PACIENTES QUE FAZEM USO DE MEDICAÇÃO CONTÍNUA PARA DOENÇAS CRÔNICAS.

7 INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS Profa. Eline Matheus RIOPHARMA 2007 O QUE DEVE SER AVALIADO? FATORES LIGADOS AO PACIENTE FATORES LIGADOS AO FÁRMACO

8 INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS Profa. Eline Matheus RIOPHARMA 2007 FATORES DO PACIENTE Genéticos Doenças Alimentação Meio Fumo Álcool

9 INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS Profa. Eline Matheus RIOPHARMA 2007 FATORES DO FÁRMACO Dose Duração Esquema posológico Vias de administração Formas farmacêuticas

10 INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS Profa. Eline Matheus RIOPHARMA 2007 TIPOS DE INTERAÇÕES 1.FARMACOTÉCNICA 2.FARMACOCINÉTICA 3.FARMACODINÂMICA

11 INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS Profa. Eline Matheus RIOPHARMA 2007 quando os fármacos interagem na própria forma farmacêutica (reação físico-química) implicando em inativação de um ou todos eles. FARMACOTÉCNICA

12 REAÇÕES DE OXI-REDUÇÃO: atropina + permanganato vitamina C + sulfato ferroso REAÇÕES DE PRECIPITAÇÃO: tetraciclina + cátions ADSORÇÃO: carvão ativado + alcalóides INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS Profa. Eline Matheus RIOPHARMA 2007

13 INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS Profa. Eline Matheus RIOPHARMA 2007 FARMACOCINÉTICA quando ocorre ALTERAÇÃO DA CONCENTRAÇÃO do fármaco no sítio de ação.

14 INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS Profa. Eline Matheus RIOPHARMA 2007 FARMACODINÂMICA quando um fármaco ALTERA A AÇÃO FARMACOLÓGICA de outro sem alterar sua concentração no sítio de ação.

15 INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS Profa. Eline Matheus RIOPHARMA 2007 FARMACOCINÉTICA

16 INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS Profa. Eline Matheus RIOPHARMA 2007 ABSORÇÃO DISTRIBUIÇÃO BIOTRANSFORMAÇÃO EXCREÇÃO ETAPAS

17 INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS Profa. Eline Matheus RIOPHARMA 2007 ABSORÇÃO ALTERAÇÃO DA MOTILIDADE GASTROINTESTINAL FORMAÇÃO DE SUBSTÂNCIAS INSOLÚVEIS ALTERAÇÃO DE pH

18 FORMAÇÃO DE SUBSTÂNCIAS INSOLÚVEIS FORMAÇÃO DE SUBSTÂNCIAS INSOLÚVEIS INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS Profa. Eline Matheus RIOPHARMA 2007 TETRACICLINA, ÁCIDO SALICÍLICO + ALUMÍNIO, CÁLCIO, MAGNÉSIO, BISMUTO, FERRO E ZINCO WARFARINA, DIGOXINA + COLESTIRAMINA

19 INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS Profa. Eline Matheus RIOPHARMA 2007 ESTÔMAGO AINEs, BARBITÚRICOS + ANTI-ÁCIDOS (-) ANFETAMINAS, EFEDRINA E QUINIDINA + ANTI-ÁCIDOS (+) ALTERAÇÃO DE pH

20 INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS Profa. Eline Matheus RIOPHARMA 2007 ALTERAÇÃO DA MOTILIDADE GASTROINTESTINAL AUMENTO DA MOTILIDADE: METOCLOPRAMIDA e ERITROMICINA DIMINUIÇÃO DA MOTILIDADE: ANTICOLINÉRGICOS e OPIÁCEOS

21 INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS Profa. Eline Matheus RIOPHARMA 2007 DISTRIBUIÇÃO VOLUME APARENTE DE DISTRIBUIÇÃO FORMA LIVRE E LIGADA A ALBUMINA COMPETIÇÃO E DESLOCAMENTO

22 INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS Profa. Eline Matheus RIOPHARMA 2007 FRAÇÃO LIVRE DO FÁRMACO NO SORO HUMANO ANTICOAGULANTES: WARFARIN 0.5% BIS-HIDROXICUMARINA 1% ANTIINFECCIOSOS: OXACILINA 8% SULFISOXAZOL 10% ANTIINFLAMATÓRIOS: FENILBUTAZONA 3% INDOMETACINA 10% ÁCIDO SALICÍLICO 18% CARDIOVASCULARES: PROPRANOLOL 7% DIAZÓXIDO 9% SISTEMA NERVOSO CENTRAL: DIAZEPAM 1% AMITRIPTILINA 4% IMIPRAMINA 4% CLORPROMAZINA 4% FENITOÍNA 10% DIURÉTICOS: FUROSEMIDA 3% CLOROTIAZIDA 5% HIPOGLICEMIANES ORAIS: TOLBUTAMIDA 5% CLORPROPAMIDA 13%

23 FRAÇÃO LIGADA % % 80% Ampicilina Antipirina Canamicina Cicloserina Cefalosporinas Etanol Fenobarbital Cloranfenicol Digoxina Lincomicina Nitrofurantoína Penicilinas Pentobarbital Quinina Secobarbital Tetraciclinas Ácido mefenâmico Ácido nalidíxico Anticoagulantes orais Anfotericina Ácido acetilsalicílico Clofibrate Diazepam Digitoxina Hidroclorotiazida Indometacina Fenilbutazona Estrógenos INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS Profa. Eline Matheus RIOPHARMA 2007

24 INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS Profa. Eline Matheus RIOPHARMA 2007 Droga A 90% de ligação Droga A 80% de ligação Droga B 90% de ligação Droga A 10% livre Droga A 20% livre COMPETIÇÃO E DESLOCAMENTO

25 INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS Profa. Eline Matheus RIOPHARMA 2007 VOLUME DE DISTRIBUIÇÃO

26 INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS Profa. Eline Matheus RIOPHARMA 2007 VOLUME DE DISTRIBUIÇÃO (Vd) 1. Fármacos confinados ao compartimento plasmático: O volume do plasma é 0.05 L/Kg do peso corporal; Heparina e Warfarina 2. Fármacos distribuídos no compartimento extracelular: O volume extracelular total é 0.2 L/Kg do peso corporal; Compostos polares; Baixa lipossolubilidade. 3. Fármacos distribuídos através da água corporal: Água total do corpo é 0.55 L/Kg do peso corporal; Compostos apolares; Alta lipossolubilidade. Vd = Q / Cp

27 INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS Profa. Eline Matheus RIOPHARMA 2007 WARFARINA + FENILBUTAZONA ou CLOFIBRATO HEMORRAGIA TOLBUTAMIDA + FENILBUTAZONA ou SALICILATOS COMA HIPOGLICÊMICO TIROXINA + CLOFIBRATO HIPERTIROIDISMO DIGOXINA + VERAPAMIL ou QUINIDINA INTOXICAÇÃO DIGITÁLICA FENITOÍNA + FENILBUTAZONA AUMENTO DOS NÍVEIS SÉRICOS DA FENITOÍNA

28 INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS Profa. Eline Matheus RIOPHARMA 2007 BIOTRANSFORMAÇÃO CYPs: INDUÇÃO ENZIMÁTICA: INIBIÇÃO ENZIMÁTICA: a concentração do fármaco e seu efeito

29 SCIENCE & MEDICINE – JANUARY/FEBRUARY 1998 Philip D. Hansten INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS Profa. Eline Matheus RIOPHARMA 2007

30 INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS Profa. Eline Matheus RIOPHARMA 2007 LOCAIS: fígado (sistema microssomal hepático e não-microssomal) enterócitos estômago pulmão sangue OBJETIVOS: inativação da substância aumentar a polaridade - hidrossolubilidade - facilitar a eliminação CONSEQUÊNCIAS: ativação (o metabólito é mais ativo que o fármaco) mais tóxico (o metabólito é mais tóxico que o fármaco)

31 INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS Profa. Eline Matheus RIOPHARMA 2007 ENZIMAPOLIMORFISMOSUBSTRATOSINIBIDORESINDUTORESCYP2C9raroIbuprofenoFenitoínaTolbutamidaWarfarinAmidaronaCimetidinaFluconazolZafirlukast Barbitúricos BarbitúricosCarbamazepinaRifamicina ENZIMAPOLIMORFISMOSUBSTRATOSINIBIDORESINDUTORESCYP1A2-CafeínaClozapinaTeofilinaCiprofloxacinaFluvoxaminaMexiletinaZileuton CarbamazepinaFumo

32 INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS Profa. Eline Matheus RIOPHARMA 2007 ENZIMAPOLIMORFISMOSUBSTRATOSINIBIDORESINDUTORESCYP2D6 Ausente em 8% dos brancos e em 1% dos asiáticos CodeínaFluoxetinaMetoprololAmiodaronaCimetidinaFluoxetinaParoxetinaQuinidinaRitonavir não é muito susceptível à indução não é muito susceptível à indução ENZIMAPOLIMORFISMOSUBSTRATOSINIBIDORESINDUTORESCYP2C19 Ausente em 20% dos asiáticos, em 4 a 8% dos negros e em 3% dos brancos DiazepamLansoprazolOmeprazolFluconazolFluoxetinaOmeprazol Barbitúricos BarbitúricosRifamicina

33 INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS Profa. Eline Matheus RIOPHARMA 2007 ENZIMAPOLIMORFISMOSUBSTRATOSINIBIDORESINDUTORESCYP2E1-ParacetamolÁlcoolIsoniazida Álcool agudo DissulfiramIsoniazida Álcool crônico Isoniazida ENZIMAPOLIMORFISMOSUBSTRATOSINIBIDORESINDUTORESCYP3A4-AlprazolamCarbamazepinaCiclosporinaErgotaminaFelodipinaLovastatinaSaquinavirTerfenadinaTriazolam Alcalóides da Vinca ClaritromicinaCiclosporinaEritromicinaItraconazolCetoconazolRitonavirIndinavirVerapamilZafirlukastBarbitúricosCarbamazepinaGriseofulvinaFenitoínaPrimidonaRifamicinaTroglitazona

34 INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS Profa. Eline Matheus RIOPHARMA 2007 A INDUÇÃO AINDA PODE AUMENTAR A TOXICIDADE DE UM FÁRMACO DEVIDO A PRODUÇÃO DE UM METABÓLITO TÓXICO. O ÁLCOOL E OS BARBITÚRICOS ACELERAM A BIOTRANSFORMAÇÃO DO PARACETAMOL, FORMANDO O METABÓLITO BENZOQUINONAIMINA QUE É HEPATOTÓXICO. INDUÇÃO ENZIMÁTICA

35 INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS Profa. Eline Matheus RIOPHARMA 2007 INIBIÇÃO ENZIMÁTICA ALLOPURINOL + MERCAPTOPURINA (IMUNOSSUPRESSOR) AÇÃO IMAO + ANFETAMINA ou TIRAMINA EXACERBAÇÃO DO SISTEMA NERVOSO SIMPÁTICO DISSULFIRAM ou METRONIDAZOL + ÁLCOOL SÍNDROME ACETALDEÍDICA: FACE VERMELHA E QUENTE, DOR DE CABEÇA, DIFICULDADE RESPIRATÓRIA, NAUSEAS, VÔMITOS, SUDORESE, DOR NO PEITO.

36 Metabolização da FELODIPINA pela CYP3A4 INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS Profa. Eline Matheus RIOPHARMA 2007

37 INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS Profa. Eline Matheus RIOPHARMA 2007 EXCREÇÃO INIBIÇÃO DA SECREÇÃO TUBULAR REABSORÇÃO TUBULAR

38 INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS Profa. Eline Matheus RIOPHARMA 2007 DROGA PENICILINA INDOMETACINA CEFALOSPORINAS DIGOXINA ÁCIDO NALIDÍXICO INIBIDOR PROBENICIDA SULFONAMIDAS ÁCIDO ACETILSALICÍLICO VERAPAMIL E QUINIDINA DIURÉTICOS TIAZÍDICOS, INDOMETACINA E DICUMAROL INIBIÇÃO DA SECREÇÃO TUBULAR

39 INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS Profa. Eline Matheus RIOPHARMA 2007 REABSORÇÃO TUBULAR ALCALINIZAÇÃO DA URINA BICARBONATO ou LACTATO DE SÓDIO ACIFICAÇÃO DA URINA ÁCIDO ASCÓRBICO ou CLORETO DE AMÔNIA

40 INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS Profa. Eline Matheus RIOPHARMA 2007 FÁRMACO ÁCIDOS FENOBARBITAL SALICILATOS FENILBUTAZONA ÁCIDO NALIDÍXICO ACETAZOLAMIDA BÁSICOS ANFETAMINAS QUINIDINA IMIPRAMINA AMITRIPTILINA NICOTINA MORFINA EXCREÇÃO NA URINA ÁCIDA NA URINA BÁSICA DIMINUI AUMENTA AUMENTA DIMINUI

41 INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS Profa. Eline Matheus RIOPHARMA 2007 FENOBARBITALANFETAMINA

42 INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS Profa. Eline Matheus RIOPHARMA 2007 FARMACODINÂMICA

43 INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS Profa. Eline Matheus RIOPHARMA 2007 SINERGISMO = EFEITOS SEMELHANTES ADIÇÃO mecanismos semelhantes SOMAÇÃO mecanismos diferentes POTENCIAÇÃO efeito é maior

44 INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS Profa. Eline Matheus RIOPHARMA 2007 ANTIPARKINSONIANOS, ANTIDEPRESSIVOS TRICÍCLICOS, ANTIPSCÓTICOS ÁLCOOL, ANTIEMÉTICOS, ANTI-HISTAMÍNICOS, HIPNÓTICOS e SEDATIVOS ANTIDEPRESSIVOS GENTAMICINA E CEFALOSPORINAS VERAPAMIL E BLOQUEADOR FENITOÍNA E CIMETIDINA METILDOPA E SALBUTAMOL ATIVIDADE ANTICOLINÉRGICA DEPRESSÃO DO SNC NEFROTOXICIDADE DEPRESSÃO MIOCÁRDICA NEUTROPENIA HIPOTENSÃO

45 INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS Profa. Eline Matheus RIOPHARMA 2007 ANTAGONISMO = EFEITOS OPOSTOS FISIOLÓGICO por mecanismos diferentes ADRENALINA E ACETILCOLINA FARMACOLÓGICO competitivo (reversível e irreversível) e não-competitivo HISTAMINA E ANTIHISTAMÍNICOS HISTAMINA E ADRENALINA

46 INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS Profa. Eline Matheus RIOPHARMA 2007 FÁRMACO A SULFONAMIDAS BRONCODILATADOR BARBITÚRICOS E BENZODIAZEPÍNICO HIPNÓTICOS PILOCARPINA FARMACO B pABA OU PROCAÍNA BLOQUEADOR NÃO-SELETIVO ANFETAMINAS CAFEÍNA ANTICOLINÉRGICO RESULTADO DA INTERAÇÃO ATIVIDADE DA SULFA ATIVIDADE BRONCODILATADORA EFEITO ESTIMULANTE EFEITO HPNÓTICO EFEITO DO ANTICOLINÉRGICO

47 INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS Profa. Eline Matheus RIOPHARMA 2007 FIBRILAÇÃO ATRIAL: QUINIDINA + PROPRANOLOL FÓRMULA PARA EMAGRECER FÓRMULA A ANFETAMÍNICOS FÓRMULA B 1.DIURÉTICO (POUPADOR DE K+?) 2.LAXANTE 3.BENZODIAZEPÍNICO 4.BLOQUEADOR e/ou 5.HORMÔNIO TIREOIDIANO ICC: CARDIOTÔNICOS + DIURÉTICOS

48 INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS Profa. Eline Matheus RIOPHARMA 2007 ANTIMICROBIANOS BACTERICIDA + BASTERIOSTÁTICO CORTICÓIDES SÃO INDUTORES ENZIMÁTICOS DESTROEM A FLORA INTESTINAL = FATORES VITAMINA K DEPENDENTES

49 INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS Profa. Eline Matheus RIOPHARMA 2007 PENICILINAS, CEFALOSPORINAS, FLOXACINAS + ANTI-ÁCIDOS = PENICILINAS + DIURÉTICOS POUPADORES DE K+ = HIPERCALEMIA METRONIDAZOL, CEFALOSPORINAS + ÁLCOOL = síndrome aldeídica

50 INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS Profa. Eline Matheus RIOPHARMA BENZODIAZEPÍNICO = efeito sedativo + ANTIÁCIDOS = absorção do antipsicótico + ANTICONVULSIVANTES = níveis séricos do AP + ANTIARRÍTMICOS = efeito depressor do miocárdio + ANTICOLINÉRGICOS = efeito anticolinérgico + ANTIDEPRESSIVOS = níveis séricos do AP + ANTIHIPERTENSIVOS = efeito hipotensor + CIMETIDINA = níveis séricos do AP + ANFETAMÍNICOS,LEVODOPA, BROMOCRIPTINA = antagonismo + LÍTIO = neurotoxicidade + TABACO = níveis séricos do AP ANTIPSICÓTICOS

51 INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS Profa. Eline Matheus RIOPHARMA 2007 BENZODIAZEPÍNICOS INTERAÇÕES NÃO RELEVANTES: + ANTICONCEPCIONAIS + BLOQUEADOR NEURO MUSCULAR + ANESTÉSICO LOCAL + ANTICOLINÉRGICOS + IMAO + ANTIINFLAMATÓRIOS + HORMÔNIOS ESTEROIDAIS INTERAÇÕES RELEVANTES: + ANOREXÍGENOS = antagonismo + BLOQUEADORES BETA = depuração do BZD + XANTINAS = efeito sedativo e ansiolítico

52 INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS Profa. Eline Matheus RIOPHARMA 2007 ANALGÉSICOS AAS: + ANTICOAGULANTES ORAIS = hemorragia + ANTIDIABÉTICOS ORAIS = hipoglicemia + CORTICÓIDES = efeitos ulcerogênicos + VALPROATO = toxicidade pelo valproato PARACETAMOL: + ÁLCOOL = hepatotoxicidade + ANTICONVULSIVANTES = hepatotoxidade DIPIRONA: + CUMARÍNICO = ação dos anticoagulantes + BARBITÚRICOS = efeito analgésico + ANTIÁCIDOS = ABSORÇÃO

53 INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS Profa. Eline Matheus RIOPHARMA 2007 HIPNOANALGÉSICOS + HIPOTENSOR = efeito aumentado + DEPRESSORES DO SNC = idem + ANTICOLINÉRGICO = aumenta o efeito constipante + CIMETIDINA = aumenta a ação dos opiáceos

54 INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS Profa. Eline Matheus RIOPHARMA 2007 APARELHO CARDIOVÁSCULORENAL DIURÉTICOS:FUROSEMIDA + AMINOGLICOSÍDEOS = ototoxicidade + COLESTIRAMINA = absorção dos diurético + DIGITÁLICO = perda de potássio + LÍTIO = de 25 a 40% da concentração do lítio HIPOTENSORES DE AÇÃO CENTRAL: ALFA-METILDOPA E CLONIDINA = deprimem o SNC

55 INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS Profa. Eline Matheus RIOPHARMA 2007 BLOQUEADORES DO CANAL DE CÁLCIO: DILTIAZEM, CARDIZEM, VERAPAMIL E NIFEDIPINA + DIGOXINA = níveis séricos do digitálico DILTIAZEM + CARBAMAZEPINA = níveis séricos da carbamazepina + BARBITÚRICOS = níveis séricos dos bloqueadores

56 INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS Profa. Eline Matheus RIOPHARMA 2007 ABEFEITO absorção menor [ ] prejudicado distribuição menor [ ] prejudicado biotransformação maior [ ] exacerbado excreção maior [ ] exacerbado absorção maior [ ] exacerbado distribuição maior [ ] exacerbado biotransformação menor [ ] prejudicado excreção menor [ ] prejudicado

57 INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS Profa. Eline Matheus RIOPHARMA 2007 MEDICAMENTO + FITOTERÁPICOS

58 INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS Profa. Eline Matheus RIOPHARMA 2007 Agnocasto: AGONISTA DOPAMINÉRGICO Kava-Kava: DEPRESSOR DO SNC Ioimbina: BLOQUEADOR ALFA-2 Psílio: AUMENTA O PERISTALTISMO

59 INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS Profa. Eline Matheus RIOPHARMA 2007 Erva-de-São João: INDUTOR ENZIMÁTICO Erva-de-São João e Ginseng : CONTÊM GLICOSÍDEOS CARDIOTÔNICOS Ginseng: INIBE A ACETILAÇÃO DOS IMAOs Ginkgo Biloba: INIBE A CYP3A4

60 INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS Profa. Eline Matheus RIOPHARMA 2007 Matricária Camomila: SUPRIME A PRODUÇÃO DE PGs Abacateiro, Alcachofra, Angélica, Bétula, Carqueja, Cavalinha, Chapéu-de-couro, Cipó-cabeludo, Hibisco, Quebra-pedra, Salsa-parrilha e outras: AUMENTAM O FLUXO URINÁRIO, O QUE CONTRIBUI PARA A INTOXICAÇÃO PELO LÍTIO

61 INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS Profa. Eline Matheus RIOPHARMA 2007 Angélica sinésis (dong quai): RICO EM FITOCUMARÍNICOS Ipriflavona: INIBE AS CYPs Hortelã-Pimenta: BLOQUEIA CANAIS DE Ca++

62 INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS Profa. Eline Matheus RIOPHARMA 2007 MEDICAMENTO + ALIMENTOS

63 INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS Profa. Eline Matheus RIOPHARMA 2007 DIMINUIÇÃO DA ABSORÇÃO LEITE E DERIVADOS/FRUTAS/LEGUMES/HORTALIÇAS AUMENTO DO pH GÁSTRICO; DIMINUIÇÃO DA SOLUBILIDADE; COMPLEXAÇÃO; QUELAÇÃO; DA BIODISPONIBILIDADE: ÁCIDO ACETILSALICÍLICO AMPICILINA BISMUTO CIPROFLOXACINA ISONIAZIDA NORFLOXACINA PENICILINA V RIFAMPICINA TETRACICLINAS FARMACOCINÉTICA ABSORÇÃO

64 INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS Profa. Eline Matheus RIOPHARMA 2007 DIETA HIPERLIPÍDICA DIMINUIÇÃO DA SOLUBILIZAÇÃO; DIMINUIÇÃO DA BIODISPONIBILIDADE : DIDANOSINA ERITROMICINA (ESTEARATO) MISOPROSTOL ZIDOVUDINA DIETA HIPERGLICÍDICA DIMINUIÇÃO DA PERMEABILIDADE DA MUCOSA INTESTINAL POR INTERFERÊNCIA DOS GRUPOS ALCÓOLICOS DOS AÇÚCARES; DA BIODISPONIBILIDADE: ÁCIDO ACETILSALICÍLICO INDINAVIR TEOFILINA DIETA HIPERPROTÉICA AUMENTO DA COMPETIÇÃO COM OS AMINOÁCIDOS PELO TRANSPORTE DA MUCOSA INTESTINAL ; DIMINUIÇÃO DA BIODISPONIBILIDADE : LEVODOPA METILDOPA

65 INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS Profa. Eline Matheus RIOPHARMA 2007 AUMENTO DA ABSORÇÃO DIETA HIPERLIPÍDICA AUMENTO DA SOLUBILIZAÇÃO; AUMENTO DA BIODISPONIBILIDADE: ALBENDAZOL CARBAMAZEPINA FENITOÍNA GRISEOFULVINA NIFEDIPINA NITROFURANTOÍNA TEOFILINA

66 INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS Profa. Eline Matheus RIOPHARMA 2007 DIETA HIPERPROTEÍCA DIMINUIÇÃO DA ELIMINAÇÃO PRÉ-SISTÊMICA; AUMENTO DA BIODISPONIBILIDADE: HIDRALAZINA LABETALOL METOPROLOL PROPRANOLOL FARELO DA AVEIA, PECTINA, MUCINA AUMENTO DA SOLUBILIDADE; AUMENTO DA BIODISPONIBILIDADE: LOVASTATINA LEITE AUMENTO DA LIPOSSOLUBILIDADE E DA BIODISPONIBILIDADE: CEFUROXIMA NABUMETONA

67 INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS Profa. Eline Matheus RIOPHARMA 2007 ALBENDAZOL – alimentos ricos em gordura aumentam 4 vezes CARBAMAZEPINA DILTIAZEM FENITOÍNA - alimentos ricos em carbohidratos GRISEOFULVINA HIDRALAZINA ITRACONAZOL LABETALOL LÍTIO LOVASTATINA - alimentos ricos em fibra MEBENDAZOL METOPROLOL METOXALEN NITROFURANTOÍNA PROPOXIFENO PROPRANOLOL FÁRMACOS QUE TEM ABSORÇÃO NA PRESENÇA DE ALIMENTOS

68 INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS Profa. Eline Matheus RIOPHARMA 2007 NO ESTADO DE SUBNUTRIÇÃO, A HIPOALBUMINEMIA AUMENTA A COMPETITIVIDADE ENTRE MEDICAMENTO E NUTRIENTE PELOS SÍTIOS LIGANTES DA ALBUMINA, O QUE RESULTA NO AUMENTO DA FRAÇÃO LIVRE, FARMACOLOGICAMENTE ATIVA. DISTRIBUIÇÃO COMPETIÇÃO E DESLOCAMENTO

69 INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS Profa. Eline Matheus RIOPHARMA 2007 UMA DIETA PREDOMINANTEMENTE PROTÉICA PROMOVE O AUMENTO DA ATIVIDADE DAS CYPs E A MEIA- VIDA DO FÁRMACO, ENQUANTO A DIETA RICA EM CARBOHIDRATOS E LIPÍDEOS LEVA À DIMINUIÇÃO DA ATIVIDADE ENZIMÁTICA E O DA MEIA-VIDA. CYPs X MEIA-VIDA BIOTRANSFORMAÇÃO

70 INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS Profa. Eline Matheus RIOPHARMA 2007 DIETA HIPOPROTÉICA E HIPOGLICÍDICA DIMINUIÇÃO DA ATIVIDADE ENZIMÁTICA DA CYP; AUMENTO DA MEIA-VIDA PLASMÁTICA;AUMENTO DA BIODISPONIBILIDADE: BARBITÚRICOS TEOFILINA OXAZEPAM DIETA HIPERPROTÉICA E HIPOGLICÍDICA AUMENTO DA ATIVIDADE ENZIMÁTICA DO CYP; DIMINUIÇÃO DA MEIA-VIDA PLASMÁTICA; DIMINUIÇÃO DA BIODISPONIBILIDADE E DO EFEITO TERAPÊUTICO : ATENOLOL ANTIPIRINA

71 INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS Profa. Eline Matheus RIOPHARMA 2007 COUVE E REPOLHO AUMENTAM A ATIVIDADE ENZIMÁTICA; DIMINUIÇÃO DA BIODISPONIBILIDADE: ANTIPIRINA FENACETINA BROCÓLIS, COUVE, REPOLHO, NABO, RABANETE, ERVILHA VERDE, ESPINAFRE, LENTILHA, MILHO, CENOURA, TOMATE, BETERRABA, BATATA, SOJA, FARELOS, GERME DE TRIGO, MEL, FÍGADO, CARNE VERMELHA, GEMA, ALGA MARINHA RICOS EM VITAMINA K. ANTAGONIZAM O EFEITO DOS ANTICOAGULANTES ORAIS: CUMARÍNICOS

72 INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS Profa. Eline Matheus RIOPHARMA 2007 QUEIJO, FÍGADO, ARENQUE EM CONSERVA, CARNES E PEIXES DEFUMADOS, ENLATADOS, EXTRATO DE CARNE, CHUCRUTE, MOLHO DE SOJA, ABACATE, BANANA, IOGURTE, FIGO EM LATA, UVA-PASSA, CHOCOLATE, VINHO, CERVEJA ALIMENTOS RICOS EM TIRAMINA = PRODUZ AUMENTO DA LIBERAÇÃO DE CATECOLAMINAS => HIPERTENSÃO E TAQUICARDIA. PRECISAM DAS MAOs PARA BIOTRANSFORMAÇÃO; NÃO PODEM SER INGERIDOS COM INIBIDORES DAS MAOs: CLORGILINA SELEGILINA FENELZINA IPRONIAZIDA MOCLOBEMIDA TRANILCIPROMINA

73 INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS Profa. Eline Matheus RIOPHARMA 2007 CARNE VERMELHA grelhada em carvão 900 mg de fenacetina (cada valor corresponde a média para 9 indivíduos)

74 INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS Profa. Eline Matheus RIOPHARMA 2007 DIETA HIPOPROTÉICA DIMINUIÇÃO DA EXCREÇÃO RENAL: ALLOPURINOL BANANA, FIGO, TOMATE, PESSEGO, AMEIXA SECA, LARANJA E GERMEN DE TRIGO, ÁGUA DE COCO RICOS EM POTÁSSIO; CAUSAM RETENÇÃO DE POTÁSSIO E RISCO DE DISTÚRBIOS CARDÍACOS. NÃO PODEM SER INGERIDOS COM DIURÉTICOS POUPADORES DE K+ ESPIRONOLACTONA e EPLERENONA AMILORIDA TRIANTERENO EXCREÇÃO

75 INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS Profa. Eline Matheus RIOPHARMA 2007 BACON, CARNES E PEIXES SALGADOS, SALAME, PRESUNTO, MORTADELA, COPA, SALSICHA, ALIMENTOS SALGADOS RICOS EM SÓDIO; AUMENTAM A PERDA DE POTÁSSIO; PROMOVEM RETENÇÃO DE LÍQUIDOS, AUMENTO DO RISCO DE HIPOKALEMIA E HIPERTENSÃO QUANDO INGERIDOS COM DIURÉTICOS NÃO POUPADORES DE K+: ÁCIDO ETACRÍNICO FUROSEMIDA HIDROCLOROTIAZIDA DIETA HIPERLIPÍDICA DIMINUIÇÃO DA EXCREÇÃO RENAL E AUMENTA O t1/2 : DIAZEPAM (EV)

76 INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS Profa. Eline Matheus RIOPHARMA 2007 DIETA ALCALINA (LEITE E DERIVADOS; VEGETAIS) AUMENTO DO pH URINÁRIO; AUMENTO DA IONIZAÇÃO; DIMINUIÇÃO DA REABSORÇÃO TUBULAR; AUMENTO DA EXCREÇÃO: MEDICAMENTOS ÁCIDOS : ACETAZOLAMIDA ÁCIDO ACETILSALICÍLICO ÁCIDO ETACRÍNICO AMINOGLICOSÍDEOS ANTICOAGULANTES ORAIS BARBITÚRICOS CEFALOSPORINAS CLOROTIAZIDA CLORPROPAMIDA OXIFENILBUTAZONA FUROSEMIDA INDOMETACINA PENICILINAS PROBENECIDA SULFONAMIDAS

77 INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS Profa. Eline Matheus RIOPHARMA 2007 DIETA ALCALINA AUMENTO DO pH URINÁRIO; DIMINUIÇÃO DA IONIZAÇÃO; AUMENTO DA REABSORÇÃO TUBULAR; DIMINUIÇÃO DA EXCREÇÃO: MEDICAMENTOS BÁSICOS: AMITRIPTILINA ANFETAMÍNICOS CLOROQUINA ISOPROTERENOL IMIPRAMINA MEPERIDINA MORFINA NORTRIPTILINA PROCAÍNA QUINIDINA TEOFILINA TOLAZOLINA

78 INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS Profa. Eline Matheus RIOPHARMA 2007 DIETA ÁCIDA (CARNE, FRANGO, PEIXE, FRUTOS DO MAR, TOUCINHO, OVO, AMENDOIM, MILHO, LENTILHA, FARINÁCEOS, AMEIXA) DIMINUIÇÃO DO pH URINÁRIO; DIMINUIÇÃO DA IONIZAÇÃO; AUMENTO DA REABSORÇÃO TUBULAR; DIMINUIÇÃO DA EXCREÇÃO: MEDICAMENTOS ÁCIDOS DIETA ÁCIDA DIMINUIÇÃO DO pH URINÁRIO; AUMENTO DA IONIZAÇÃO; DIMINUIÇÃO DA REABSORÇÃO TUBULAR; AUMENTO DA EXCREÇÃO: MEDICAMENTOS BÁSICOS

79 INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS Profa. Eline Matheus RIOPHARMA 2007 MEDICAMENTO + ÁLCOOL

80 INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS Profa. Eline Matheus RIOPHARMA 2007 CH 3 CH 2 OH Etanol INDUTOR ENZIMÁTICO INIBIDOR ENZIMÁTICO AGUDO CRÔNICO

81 INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS Profa. Eline Matheus RIOPHARMA 2007 MEIAS-VIDAS PLASMÁTICAS DE TRÊS FÁRMACOS EM ALCOOLISTAS CRÔNICOS EM ALCOOLISTAS CRÔNICOS (*) = Indivíduos com consumo mínimo de 250mg de etanol durante pelo menos 6 meses, mas que se mantiveram abstêmios por vários dias antes da realização do teste. FÁRMACO TOLBUTAMIDA WARFARINA FENITOÍNA CONTROLES 5, ALCOOLISTAS(*) 2,

82 INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS Profa. Eline Matheus RIOPHARMA 2007 MODIFICAÇÕES FARMACOCINÉTICAS ABSORÇÃO : DOSES PEQUENAS pode aumentar a velocidade de absorção por melhorar o fluxo sanguíneo GI; DOSES ALTAS diminuição da velocidade de absorção por causar espasmo pilórico devido a irritação GI. AUMENTO DA SECREÇÃO ÁCIDA bebidas com baixo teor alcoólico (cerveja e vinho) DIMINUIÇÃO DA SECREÇÃO ÁCIDA bebidas com alto teor alcoólico (destilados)

83 INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS Profa. Eline Matheus RIOPHARMA 2007 DISTRIBUIÇÃO: DIMINUIÇÃO DA TAXA DE ALBUMINA (alcoólico crônico) aumenta o Volume de distribuição de vários medicamentos; O ÁLCOOL MODIFICA A PERMEABILIDADE DA MEMBRANA facilita a difusão de fármacos (diazepam, pentobarbital e l-dopa) no SNC; AUMENTA O DÉBITO CARDÍACO facilita a distribuição de fármacos.

84 INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS Profa. Eline Matheus RIOPHARMA 2007 BIOTRANSFORMAÇÃO: INGESTA AGUDA inibe o sistema citocromo P450 INGESTA EXCESSIVA (> 200g de álcool/dia) e crônica aumenta a atividade do citocromo P450 e da citocromo redutase causa hipertrofia do retículo endoplasmático liso do hepatócito, com aumento de 5-10 vezes no nível da CYP2E1, contribuindo para a tolerância metabólica ELIMINAÇÃO: INIBE A SECREÇÃO DO HAD aumenta a excreção renal de medicamentos ALCOOLISMO CRÔNICO retenção de água diminui a excreção de fármacos

85 INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS Profa. Eline Matheus RIOPHARMA 2007 MODIFICAÇÕES FARMACODINÂMICAS AUMENTO DO EFEITO SEDATIVO DE VÁRIOS FÁRMACOS DE AÇÃO CENTRAL: ANSIOLÍTICOS ANTIDEPRESSIVOS NEUROLÉPTICOS ANTICOLINÉRGICOS ANTIHIPERTENSIVOS ANTIHISTAMÍNICOS POTENCIALIZA A ATIVIDADE DOS HIPOGLICEMIANTES O etanol interfere com a gliconeogênese hepática, causando hipoglicemia.

86 INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS Profa. Eline Matheus RIOPHARMA 2007 MEDICAMENTO + TABACO

87 INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS Profa. Eline Matheus RIOPHARMA 2007 TABACO Nicotiana tabacum N N CH 3 NICOTINA

88 INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS Profa. Eline Matheus RIOPHARMA 2007 COMPONENTES: a combustão do tabaco gera aproximadamente 4000 compostos em quantidades detectáveis (BENZOPIRENO = INDUTOR ENZIMÁTICO) o tabaco contém 0.2 a 5% de NICOTINA (INDUTORA ENZIMÁTICA) detectável no cérebro 8 segundos após a inalação; um simples cigarro produz nível de concentração plasmática de aproximadamente 25.5 ng/mL;

89 INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS Profa. Eline Matheus RIOPHARMA 2007 BIOTRANSFORMAÇÃO

90 INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS Profa. Eline Matheus RIOPHARMA 2007 EFEITO DO TABAGISMO SOBRE ALGUNS PARÂMETROS FARMACOLÓGICOS FENACETINA Pico de nível plasmático ( g/mL): 2,2 (Controle) 0,4 (Fumantes) TEOFILINA t ½ plasmática (h) : 7,0 (Controle) 4,3 (Fumantes) depuração (mL/min) : 45 (Controle) 100 (Fumantes) WARFARINA t ½ plasmática (h) : 51 (Controle) 38,1 (Fumantes)

91 Maria Eline Matheus Farmacêutica Professora de Farmacologia Departamento de Farmacologia Básica e Clínica Laboratório de Inflamação e Óxido Nítrico Bloco J - sala 10/12 - tel.: Centro de Ciências da Saúde Universidade Federal do Rio de Janeiro


Carregar ppt "5º CONGRESSO DE CIÊNCIAS FARMACÊUTICAS RIOPHARMA INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS Profa. Eline Matheus."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google