A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Posicionamento do Paciente Aluna: Larissa Araujo.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Posicionamento do Paciente Aluna: Larissa Araujo."— Transcrição da apresentação:

1 Posicionamento do Paciente Aluna: Larissa Araujo

2 Posição básica: Cirurgião Posição básica: Cirurgião Posicionamento que protegerá o paciente dos riscos inerentes às excentricidades posicionais : Anestesiologista Posicionamento que protegerá o paciente dos riscos inerentes às excentricidades posicionais : Anestesiologista Obter uma posição intermediária entre o que o paciente pode tolerar e a necessidade da equipe cirúrgica para bom acesso ao capo operatório. Obter uma posição intermediária entre o que o paciente pode tolerar e a necessidade da equipe cirúrgica para bom acesso ao capo operatório.

3 Correto alinhamento dessas regiões Estabilidade e Fixação CabeçaTroncoMembros

4 Conforto do paciente Deve ficar numa posição que seria razoavelmente tolerável se estivesse acordado. Deve ficar numa posição que seria razoavelmente tolerável se estivesse acordado. Evitar pressão sobre tecidos finos ou proeminências ósseas. Evitar pressão sobre tecidos finos ou proeminências ósseas. Abdução extrema de braço compressão da circulação por opressão direta dos vasos axilares Abdução extrema de braço compressão da circulação por opressão direta dos vasos axilares

5 ALTERAÇÕES CARDIOVASCULARES Decúbito dorsal: Decúbito dorsal: do Débito Cardíaco e da do Débito Cardíaco e da perfusão sistêmica MMII abaixo do nível do coração. _Céfalo-aclive: pressão de perfusão cerebral conforme grau de elevação da cabeça. A pressão venosa fica subatmosférica na cabeça e pescoço.

6 _Céfalo-declive: a pressão das veias cerebrais aumenta conforme o gradiente abaixo do coração. Cefaléia rápida e intensa. Cefaléia rápida e intensa. Há do débito cardíaco. Há do débito cardíaco. Aumenta consumo de O 2 pelo miocárdio Aumenta consumo de O 2 pelo miocárdio Em cardiopatas: dor anginosa e isquemia. Usar para hipotensão? Aumenta DC ativa baroceptores (carotídeos e aórticos) vasodilatação periférica hipotensão orgânica Usar para hipotensão? Aumenta DC ativa baroceptores (carotídeos e aórticos) vasodilatação periférica hipotensão orgânica

7 Decúbito ventral: Decúbito ventral: Compressão das vísceras, compressão de vasos mesentéricos e paravertebrais. _Céfalo-declive:Congestão facial e em pescoço, edema conjuntival. _Céfalo-aclive: do DC a 20-40% do volume sistólico do volume sistólico do tônus simpático do tônus simpático Ativação S. Renina-Angiotensina-Aldosterona. Volume sanguíneo intra-torácico diminui e a reserva vascular pulmonar pode duplicar.

8 ALTERAÇÕES RESPIRATÓRIAS Decúbito dorsal: Decúbito dorsal: No indivíduo desperto: queda de 300ml do volume pulmonar total e 200ml da capacidade vital. No indivíduo desperto: queda de 300ml do volume pulmonar total e 200ml da capacidade vital. Queda do volume expiratório de reserva (elevação do diafragma por vísceras, congestão venosa pulmonar e flexão dos ombros diminuição da eficácia dos músculos respiratórios). Queda do volume expiratório de reserva (elevação do diafragma por vísceras, congestão venosa pulmonar e flexão dos ombros diminuição da eficácia dos músculos respiratórios).

9 Céfalo-declive: a árvore vascular pulmonar recebe volume extra de 600ml porção dorsal do pulmão com pressão venosa > pressão alveolar capacidade vital Céfalo-declive: a árvore vascular pulmonar recebe volume extra de 600ml porção dorsal do pulmão com pressão venosa > pressão alveolar capacidade vital Área com menor complacência redistribui- ção dos gases para áreas subesternais volume sanguíneo menor. Céfalo-aclive: volume inspiratório menos restrito pelo peso abdominal, menos esforço, menos pressão inspiratória Céfalo-aclive: volume inspiratório menos restrito pelo peso abdominal, menos esforço, menos pressão inspiratória Capacidade residual funcional e menor efeito shunt.

10 Decúbito ventral: compressão do diâmetro ântero-posterior da parede torácica, redução das dimensões pulmonares da complacência pulmonar Decúbito ventral: compressão do diâmetro ântero-posterior da parede torácica, redução das dimensões pulmonares da complacência pulmonar Paciente anestesiado: isso geral aumento de trabalho em ventilação espontânea ou elevadas pressões inspiratórias em ventilação controlada riscos de barotrauma e suas seqüelas. Paciente anestesiado: isso geral aumento de trabalho em ventilação espontânea ou elevadas pressões inspiratórias em ventilação controlada riscos de barotrauma e suas seqüelas.

11 Decúbito lateral Decúbito lateral em pulmão inferior: em pulmão inferior: Há aumento do volume-minuto Há aumento do volume-minuto Aumento da ventilação alveolar Aumento da ventilação alveolar Queda da capacidade residual de ventilação (atelectasias) Queda da capacidade residual de ventilação (atelectasias) Aumento da absorção de O 2 Aumento da absorção de O 2 Por desvio de estruturas mediastinais, peso arcabouço costal e peso visceral abdominal. Por desvio de estruturas mediastinais, peso arcabouço costal e peso visceral abdominal. Ventilação preferecial para pulmão superior. Ventilação preferecial para pulmão superior.

12 Complicações Decúbito dorsal: Decúbito dorsal: Hipotensão postural depressão dos mecanismos de vasocompensação Hipotensão postural depressão dos mecanismos de vasocompensação Necrose isquêmica de pontos de pressão Necrose isquêmica de pontos de pressão Lesão do plexo cervical hiperextensão da cabeça Lesão do plexo cervical hiperextensão da cabeça Alopécia Alopécia Compressão costoclavicular Compressão costoclavicular Lesão do nervo radial e ulnar Lesão do nervo radial e ulnar Lesões do braço, dos dedos Lesões do braço, dos dedos Lombalgia Lombalgia Lesão perineal Lesão perineal Síndrome do compartimento inferior Síndrome do compartimento inferior

13 Decúbito lateral: Decúbito lateral: Hipotensão Hipotensão Lesão do plexo braquial Lesão do plexo braquial Síndrome do estreito torácico Síndrome do estreito torácico Lesão de olhos e de ouvidos Lesão de olhos e de ouvidos Lesões das mamas Lesões das mamas Coluna instável Coluna instável Compressão do tórax e do mediastino Compressão do tórax e do mediastino Compressão abdominal, perineal Compressão abdominal, perineal Lesão de estomas viscerais Lesão de estomas viscerais

14 Céfalo-aclive: Céfalo-aclive: Embolia aérea Embolia aérea Hipotensão Hipotensão Edema de face, de língua, de pescoço (obstrução linfática e venosa) Edema de face, de língua, de pescoço (obstrução linfática e venosa) Lesão do nervo ciático (semi-sentados) Lesão do nervo ciático (semi-sentados) Tetraplegia (hiperflexão) Tetraplegia (hiperflexão) Istabilidade térmica Istabilidade térmica

15

16 Nefrolitomia em decúbito lateral: Crista ilíaca inferior é colocada sobre a dobradiça inferior da mesa cirúrgica, com porção caudal inclinada cerca de graus para baixo,mantendo flanco e tórax na horizontal. Coloca-se um apoio elevado (coxim) sob a crista ilíaca inferior, aumentando a flexão lateral para melhor acesso à loja reanal. Cuidados: acúmulo venoso, disfunção ventilação-perfusão estrita vigilância.

17 Em decúbito ventral:

18 OBRIGADA!


Carregar ppt "Posicionamento do Paciente Aluna: Larissa Araujo."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google