A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Empreendimentos Internacionais – Aula XII Prof. Hélio Antonio Teófilo da Silva. Ms 1 Estratégias e Empresas Globais.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Empreendimentos Internacionais – Aula XII Prof. Hélio Antonio Teófilo da Silva. Ms 1 Estratégias e Empresas Globais."— Transcrição da apresentação:

1 Empreendimentos Internacionais – Aula XII Prof. Hélio Antonio Teófilo da Silva. Ms 1 Estratégias e Empresas Globais

2 A globalização aumentou a velocidade, freqüência e magnitude com que as empresas de diversos setores econômicos podem acessar os mercados internacionais em busca de consumidores. Organizar uma empresa em escala global é um desafio Posicionamento estratégico Capacidade organizacional Requisitos Alinhamento de atividades de valor agregado em base mundial Alto grau de coordenação e integração Atenção às necessidades de cada mercado Implementação de processos padronizados 2 Empreendimentos Internacionais XII Prof. Hélio Antonio Teófilo da Silva. Ms

3 Estratégia : é um plano de ação que canaliza os recursos de uma empresa de modo que ela possa diferenciar-se efetivamente de seus concorrentes e atingir metas específicas e viáveis. Estratégia no contexto Internacional : Consiste em um plano para que uma empresa se posicione de forma positiva em relação à concorrência e configure suas atividades de valor agregado em escala Global; 3 Empreendimentos Internacionais XII Prof. Hélio Antonio Teófilo da Silva. Ms uma estratégia no contexto internacional deve contribuir Forte visão internacional Aplicação de recursos escassos em âmbito global Participar de maiores mercados Estabelecer parcerias internacionais Tomar ações competitivas em relação a rivais globais Configurar atividades de valor agregado em escala mundial

4 Os gestores devem buscar desenvolver em um dado momento e ao mesmo tempo, eficiência de escala global, flexibilidade multinacional e a capacidade de inovar e alavancar conhecimento em nível mundial. Eficiência: a empresa deve desenvolver eficientes cadeias de suprimento Flexibilidade: a empresa deve desenvolver flexibilidade mundial para administrar riscos e oportunidade específicos de cada país ( A diversidade e a volatilidade no cenário internacional. Aprendizagem: a empresa deve criar a capacidade de aprender com a exposição e explorar a aprendizagem em nível mundial. Ex: A Procter & Gamble desenvolveu uma capacitação especial de tecnologia de amaciantes, porque a água na Europa contém mais minerais do que a dos Estados Unidos. 4 Empreendimentos Internacionais XII Prof. Hélio Antonio Teófilo da Silva. Ms O sucesso internacional é amplamente determinado pelo grau em que uma empresa atinge suas metas de eficiência, flexibilidade e aprendizagem.

5 Empreendimentos Internacionais XII A estrutura de integração-responsividade A integração global refere-se à coordenação das atividades da cadeia de valor da empresa por todos os países, para atingir eficiência, sinergia e fertilização cruzada em âmbito mundial com o propósito de tirar proveito máximo das semelhanças entre eles. Para atingir essa integração é necessário que o objetivo da empresa tenha a flexibilidade ( responsividade local) para atender as necessidades específicas dos consumidores de cada país. 5 Empresa Adaptação às necessidades, ao cenário e a estrutura de distribuição Consumidores Prof. Hélio Antonio Teófilo da Silva. Ms

6 Empreendimentos Internacionais XII Diversos são os fatores que levam uma empresa a tornar-se localmente responsiva, embora sofra a constante pressão para coordenar suas atividades entre países com o objetivo a integração total. Pressões para a Responsividade Local: 1.Recursos naturais únicos à empresa 2.Diversidade de necessidades dos consumidores locais 3.Diferença de canais de distribuição 4.Concorrência local 5.Diferenças culturais 6.Requisitos e regulamentações do governos anfitrião 6 Prof. Hélio Antonio Teófilo da Silva. Ms

7 Pressões para a Integração Global: 1.Economias de escala 2.Capitalização da convergência das tendências de consumo e das necessidades universais 3.Atendimento uniforme para clientes globais 4.Global sourcing de matéria-prima, componentes, energia e mão de obra 5.Concorrência Global 6.Disponibilidade da mídia que alcance consumidores em múltiplos mercados 7 Empreendimentos Internacionais XII A integração total considera que projetar inúmeras versões do mesmo produto básico para cada mercado somente aumentará os custos gerais e deve ser evitado. Prof. Hélio Antonio Teófilo da Silva. Ms

8 Estratégias distintas decorrentes da estrutura integração-responsividade 8 Empreendimentos Internacionais XII FRACO FORTE FRACOFORTE Pressão para integração global Pressão para responsividade local Estratégia de replicação doméstica Mais provável em setores multidomomésticos Estratégia de replicação doméstica Mais provável em setores multidomomésticos Estratégia Global Mais provável em setores globais Estratégia Global Mais provável em setores globais Estratégia multidoméstica Mais provável em setores multidomésticos Estratégia multidoméstica Mais provável em setores multidomésticos Estratégia Transnacional Mais provável em setores globais Estratégia Transnacional Mais provável em setores globais Estrutura Prof. Hélio Antonio Teófilo da Silva. Ms

9 Estratégias a.Estratégia de replicação doméstica: a empresa considera os negócios internacionais como uma capítulo à parte, e secundário, de seus negócios domésticos. b.Estratégia Multidomésticas: é aquela pela qual uma empresa internacional delega considerável autonomia ao gestor de cada país permitindo-lhe atuar de forma independente e buscar responsividade local. Produtos e serviços são cuidadosamente adaptados às necessidades específicas de cada país. Os gestores de tendem a desenvolver visão, cultura e processos que divergem de modo substancial dos da matriz. 9 Empreendimentos Internacionais XII Prof. Hélio Antonio Teófilo da Silva. Ms

10 Estratégias c.Estratégia Global: com ela a matriz detém substancial controle sobre suas operações em cada país, visando minimizar a redundância e obter a máxima eficiência, aprendizagem e integração mundial. Esta estratégia tem sido facilitada pela convergência das necessidades e preferências dos consumidores ao redor do mundo, a crescente aceitação de marcas globais, a crescente difusão de tecnologia uniforme, os efeitos integradores da Internet e do comércio eletrônico, a integração por meio de blocos econômicos, etc. d.Estratégia Transnacional: é uma visão coordenada de internacionalização em que a empresa busca ser mais responsiva às necessidades locais. Implica em uma abordagem flexível: padronizar onde for possível; padronizar onde for apropriado. 10 Empreendimentos Internacionais XII Prof. Hélio Antonio Teófilo da Silva. Ms

11 Empreendimentos Internacionais XII. Estrutura Organizacional (Centralização X Descentralização) A estrutura organizacional refere-se às relações hierárquicas dentro da empresa. A escolha do envolvimento da matriz ou da subsidiária no processo decisório se dá em função da natureza do produto, da natureza das operações dos concorrentes e do porte, bem como da importância estratégica das operações no exterior Centralizada: a matriz retém considerável nível de autoridade e controle. Descentralizada: a multinacional delega substancial autonomia e tomada de decisão às subsidiárias de cada país. 11 IMPORTANTE Embora uma estratégia seja o plano de ação, uma empresa necessita de uma estrutura composta por pessoas, recursos e processos para implementar esse plano. IMPORTANTE Embora uma estratégia seja o plano de ação, uma empresa necessita de uma estrutura composta por pessoas, recursos e processos para implementar esse plano. Prof. Hélio Antonio Teófilo da Silva. Ms

12 Empreendimentos Internacionais XII 12 Contribuição de subsidiárias e matrizes Uma subsidiária é o principal contribuinte das seguintes atividades: Uma matriz é o principal contribuinte das seguintes atividades: Responsabilidade compartilhada entre matriz e subsidiária Vendas Marketing Pesquisa de mercado local Gestão de Recursos Humanos Cumprimento das leis e regulamentos Planejamento de capital Preços de transferência Lucratividade Global Com liderança da subsidiaria Estratégia geográfica Desenvolvimento de produtos e serviços locais Suporte técnico e SAC Compras locais Com liderança da matriz: Estratégia corporativa geral Desenvolvimento de produto global Atividade básica de P&D Global sourcing de produtos Desenvolvimento de gestores globais Prof. Hélio Antonio Teófilo da Silva. Ms

13 Empreendimentos Internacionais XII Estrutura descentralizada (divisão por região geográfica) A divisão geográfica é um plano organizacional em que o controle e a tomada de decisões são descentralizadas ao nível de cada região geográfica, com gerentes responsáveis pelas operações regionais. 1. Estrutura de um Departamento de Exportação: 13 Presidente Administração geral P&D Manufatura TI Logistica Marketing Departamento de exportação Prof. Hélio Antonio Teófilo da Silva. Ms

14 Empreendimentos Internacionais XII 2.Estrutura por região geográfica As vantagens da estrutura por região geográfica incluem a capacidade de atingir um equilíbrio entre a integração global e a adaptação local em nível regional. O foco regional pode desviar a atenção da administração regional das questões globais, tais como desenvolvimento e gestão de produtos. 14 Presidente Vice-presidente américa do norte Vice-presidente América do sul Vice-presidente América do sul Vice-presidente Europa e oriente médio Vice-presidente Europa e oriente médio Vice-presidente Asia e África Vice-presidente Asia e África Prof. Hélio Antonio Teófilo da Silva. Ms


Carregar ppt "Empreendimentos Internacionais – Aula XII Prof. Hélio Antonio Teófilo da Silva. Ms 1 Estratégias e Empresas Globais."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google