A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS DEPARTAMENTO DE MÚSICA E ARTES CÊNICAS CURSO DE TEATRO - LICENCIATURA Professora: Marina de Oliveira História do Teatro.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS DEPARTAMENTO DE MÚSICA E ARTES CÊNICAS CURSO DE TEATRO - LICENCIATURA Professora: Marina de Oliveira História do Teatro."— Transcrição da apresentação:

1 UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS DEPARTAMENTO DE MÚSICA E ARTES CÊNICAS CURSO DE TEATRO - LICENCIATURA Professora: Marina de Oliveira História do Teatro IV Beckett e o Teatro do Absurdo

2 Teatro do absurdo - Expressão criada, em 1961, pelo teórico Martin Esslin, para definir o teatro proposto por autores como Samuel Beckett, Eugène Ionesco, Arthur Adamov e Jean Genet, entre outros. - Tem seu auge na década de 1950.

3 Características do teatro do absurdo

4 Reage contra a camisa-de-força do realismo, apresentando situações inusitadas ou ilógicas; Esperando Godot, 1956

5 Não pretende contar uma história, mas comunicar uma configuração de imagens poéticas; Não pretende contar uma história, mas comunicar uma configuração de imagens poéticas;

6 Tende a ter uma estrutura circular, terminando como começou ou progredindo apenas para uma crescente intensificação da situação inicial; Tende a ter uma estrutura circular, terminando como começou ou progredindo apenas para uma crescente intensificação da situação inicial; montagem da Boa Companhia de 2007, Centro Cultural São Paulo

7 Não propõe teses nem debate proposições ideológicas; Não propõe teses nem debate proposições ideológicas;

8 Expressa trágica sensação de perda diante do desabamento de certezas absolutas; Expressa trágica sensação de perda diante do desabamento de certezas absolutas;

9 Apresenta uma linguagem que não tem sentido convencional. No lugar da lógica discursiva, instaura-se a lógica poética da associação ou da assonância, abrindo uma nova dimensão no palco; Apresenta uma linguagem que não tem sentido convencional. No lugar da lógica discursiva, instaura-se a lógica poética da associação ou da assonância, abrindo uma nova dimensão no palco; Paris, France, 1 June 1956: Jean Martin (L) and Albert Remy in the play 'Waiting for Godot'

10 Transcende as categorias da tragédia e da comédia, combinando o riso com o terror; Transcende as categorias da tragédia e da comédia, combinando o riso com o terror;

11 Homem é confrontado com a realidade última de sua condição; Homem é confrontado com a realidade última de sua condição; Esperando Godot, 1956

12 Paradoxalmente, toca a esfera religiosa ou, melhor dizendo, a dimensão metafísica; Paradoxalmente, toca a esfera religiosa ou, melhor dizendo, a dimensão metafísica;

13 Alguns influenciadores da estética absurda James Joyce (1882 – 1941) James Joyce (1882 – 1941) Alfred Jarry - Ubu rei (1896) Alfred Jarry - Ubu rei (1896) O surrealismo O surrealismo Franz Kafka (1883 – 1924) Franz Kafka (1883 – 1924) Albert Camus ( ) Albert Camus ( ) O cubismoa pintura abstrata O cubismo e a pintura abstrata A descrença religiosa ou o ceticismo do homem após duas guerras mundiais A descrença religiosa ou o ceticismo do homem após duas guerras mundiais

14 Diferença entre a perspectiva absurda e a existencialista raciocínio extremamente lúcido logicamente construído repúdio aberto dos recursos racionais Sartre e Camus apresentam a sua noção da irracionalidade da condição humana sob forma de raciocínio extremamente lúcido e logicamente construído, enquanto o Teatro do Absurdo procura expressar a sua noção da falta de sentido da condição humana e da insuficiência da atitude racional por um repúdio aberto dos recursos racionais e do pensamento discursivo.

15

16

17 Waiting for Godot Production at the Salzburger Festspiele, Landestheater, Salzburg, 1970;

18 Waiting for Godot Production at Ha'Teatron Haleumi Habimah in Tel-Aviv, 1968; designed by Igael Tumarkin and directed by Yossi Yzraely

19 Samuel Beckett (1906 – 1989)

20 Fontes ESSLIN, Martin. O teatro do absurdo. Rio de Janeiro: Zahar, ESSLIN, Martin. O teatro do absurdo. Rio de Janeiro: Zahar, Imagens da internet. (algumas sem referência) Imagens da internet. (algumas sem referência)


Carregar ppt "UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS DEPARTAMENTO DE MÚSICA E ARTES CÊNICAS CURSO DE TEATRO - LICENCIATURA Professora: Marina de Oliveira História do Teatro."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google