A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Universidade Federal do Espírito Santo Centro Tecnológico Departamento de Engenharia Civil Perspectivas Janine Gomes da Silva, Arq. M.Sc Engenharia Civil.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Universidade Federal do Espírito Santo Centro Tecnológico Departamento de Engenharia Civil Perspectivas Janine Gomes da Silva, Arq. M.Sc Engenharia Civil."— Transcrição da apresentação:

1 Universidade Federal do Espírito Santo Centro Tecnológico Departamento de Engenharia Civil Perspectivas Janine Gomes da Silva, Arq. M.Sc Engenharia Civil

2 Objetivos Prof. Janine Gomes da Silva Introdução aos conceitos gerais sobre perspectivas Descrever as diferenças, vantagens e desvantagens entre a representação em vistas múltiplas, em projeções oblíquas, em perspectiva e em projeções centrais; Linhas isométricas e Linhas não isométricas Superfícies oblíquas Curvas irregulares Circunferências

3 Tipos de projeções geométricas planas Prof. Janine Gomes da Silva

4 Tipos de projeções geométricas planas Prof. Janine Gomes da Silva

5 Perspectivas Prof. Janine Gomes da Silva Perspectiva é a representação gráfica dos objetos tridimensionais Ela pode ser feita de várias maneiras, com resultados diferentes, que se assemelham mais ou menos à visão humana

6 Universidade Federal do Espírito Santo Centro Tecnológico Departamento de Engenharia Civil Perspectiva Isométrica Janine Gomes da Silva, Arq. M.Sc Engenharia Civil

7 Os três pontos de fuga encontram-se no infinito Mantém as proporções do objeto (iso-mesma; métrica-medida) Raios visuais paralelos entre si As arestas paralelas são traçadas paralelas no desenho, independentemente da sua inclinação Perspectiva Isométrica

8 Prof. Janine Gomes da Silva O objeto se situa num sistema de três eixos coordenados Os 03 eixos formam entre si ângulos de eixo é considerado vertical 02 eixos formam ângulos de 30 0 com a horizontal

9 Perspectiva Isométrica x y z Prof. Janine Gomes da Silva Prolongamento dos eixos X e Y a partir do ponto O, no sentido contrário, formando ângulos de 30° com a horizontal. O eixo Z (vertical) permanece inalterado Todas as arestas de altura, largura e profundidade são traçadas sobre eles ou paralelas a eles

10 Perspectiva Isométrica Perspectiva isométrica real ou exata Perspectiva isométrica simplificada

11 Perspectiva Isométrica Real ou Exata Utiliza-se um coeficiente de redução (0,816) nos eixos x e y Os valores de x e y deverão ser multiplicados por 0,816 A cotagem – dimensões reais Apenas o desenho sofre redução das dimensões (eixos x e y)

12 Perspectiva Isométrica Simplificada Colocam-se nos eixos as medidas reais do objeto Obtém-se um desenho semelhante ao da perspectiva exata Porém, ligeiramente maior Técnica mais usada do que a Real

13 Universidade Federal do Espírito Santo Centro Tecnológico Departamento de Engenharia Civil Perspectiva isométrica Construção das peças Janine Gomes da Silva, Arq. M.Sc Engenharia Civil

14 Perspectiva isométrica Escolha posição

15 Perspectiva isométrica Processos de construção Malha isométrica A partir de vistas ortogonais

16 Perspectiva Isométrica Largura, altura e comprimento Prof. Janine Gomes da Silva Cada eixo coordenado corresponde a uma dimensão dos objetos:

17 Perspectiva Isométrica Construção Prof. Janine Gomes da Silva

18 Perspectiva Isométrica Construção

19 Prof. Janine Gomes da Silva Perspectiva Isométrica Construção

20 Prof. Janine Gomes da Silva Perspectiva Isométrica Construção

21 Prof. Janine Gomes da Silva Perspectiva Isométrica Construção

22 Prof. Janine Gomes da Silva Perspectiva Isométrica Construção

23 Prof. Janine Gomes da Silva Perspectiva Isométrica Construção Tracejar linhas ocultas

24 Universidade Federal do Espírito Santo Centro Tecnológico Departamento de Engenharia Civil Perspectiva isométrica Construção das peças – Malha isométrica Janine Gomes da Silva, Arq. M.Sc Engenharia Civil

25 Perspectiva Isométrica Malha Isométrica Prof. Janine Gomes da Silva Artifício de desenho cuja finalidade é possibilitar a produção de rascunhos gráficos muito próximos da perspectiva isométrica precisa (feita com instrumentos) Malha de triângulos eqüiláteros formada por retas paralelas aos eixos Eixos isométricos

26 Prof. Janine Gomes da Silva Perspectiva Isométrica Linhas isométricas

27 Prof. Janine Gomes da Silva Perspectiva Isométrica Superfícies oblíquas

28 Prof. Janine Gomes da Silva Perspectiva Isométrica Superfícies oblíquas

29 Universidade Federal do Espírito Santo Centro Tecnológico Departamento de Engenharia Civil Perspectiva isométrica Construção das peças – A partir de vistas ortogonais Janine Gomes da Silva, Arq. M.Sc Engenharia Civil

30 Prof. Janine Gomes da Silva Traçado a partir de vistas Método do sólido envolvente – linhas isométricas 1 0 diedro de projeção

31 Prof. Janine Gomes da Silva Traçado a partir de vistas Método do sólido envolvente – linhas isométricas VF VS VLE 1 0 diedro de projeção

32 Traçar os eixos isométricos Parte-se da Vista Frontal Construção do paralelepípedo – sólido envolvente Prof. Janine Gomes da Silva Traçado a partir de vistas Método do sólido envolvente – linhas isométricas Exercício

33 Prof. Janine Gomes da Silva Traçado a partir de vistas Método do sólido envolvente – linhas isométricas

34 Prof. Janine Gomes da Silva Traçado a partir de vistas Método do sólido envolvente – linhas isométricas

35 Prof. Janine Gomes da Silva Traçado a partir de vistas Método do sólido envolvente – linhas não isométricas

36 Prof. Janine Gomes da Silva Traçado a partir de vistas Método do sólido envolvente – linhas não isométricas

37 Prof. Janine Gomes da Silva Traçado a partir de vistas Método do sólido envolvente – linhas não isométricas

38 Prof. Janine Gomes da Silva Traçado a partir de vistas Método do sólido envolvente – linhas não isométricas

39 Prof. Janine Gomes da Silva Traçado a partir de vistas Método do sólido envolvente – linhas não isométricas Exercício

40 Prof. Janine Gomes da Silva Traçado a partir de vistas Método do sólido envolvente – linhas não isométricas Exercício

41 Prof. Janine Gomes da Silva Traçado a partir de vistas Método do sólido envolvente – ângulos

42 Prof. Janine Gomes da Silva Traçado a partir de vistas Método do sólido envolvente – ângulos

43 Prof. Janine Gomes da Silva Traçado a partir de vistas Método do sólido envolvente – ângulos

44 Prof. Janine Gomes da Silva Traçado a partir de vistas Método do sólido envolvente – ângulos Exercício

45 Prof. Janine Gomes da Silva Traçado a partir de vistas Método do sólido envolvente – superfícies oblíquas

46 Prof. Janine Gomes da Silva Traçado a partir de vistas Método do sólido envolvente – superfícies oblíquas

47 Prof. Janine Gomes da Silva Traçado a partir de vistas Método do sólido envolvente – superfícies oblíquas

48 Prof. Janine Gomes da Silva Traçado a partir de vistas Método do sólido envolvente – superfícies oblíquas

49 Universidade Federal do Espírito Santo Centro Tecnológico Departamento de Engenharia Civil Perspectiva Isométrica Circunferências – Método da Oval Janine Gomes da Silva, Arq. M.Sc Engenharia Civil

50 Círculo isométrico Prof. Janine Gomes da Silva A perspectiva isométrica do círculo será uma elipse inscrita em cada face do cubo isométrico Como a construção da elipse não pode ser executada pelos instrumentos usuais substituiremos a elipse verdadeira por uma falsa elipse, uma oval regular, que pode ser construída com o compasso

51 Construção do círculo isométrico Prof. Janine Gomes da Silva Exercício

52 Construção do círculo isométrico Prof. Janine Gomes da Silva

53 Construção do círculo isométrico Prof. Janine Gomes da Silva

54 Construção do círculo isométrico Prof. Janine Gomes da Silva

55 Construção do círculo isométrico Prof. Janine Gomes da Silva

56 Construção do círculo isométrico Prof. Janine Gomes da Silva Exercício

57 Construção elementos circulares e curvos Traçar um quadrado auxiliar em perspectiva, na posição em que o círculo deve ser desenhado

58 Traçar as diagonais A1C1 e B1D1 que se cortam em O1 Traçar pontos médios dos losangos (pontos M, N, Q, N – pontos de tangência da elipse) Construção elementos circulares e curvos

59 Com o centro em D1 e raio D1M1 traça-se o arco M1N1 da elipse, ultrapassando um pouco essas extremidades (idem centro em B1, etc.) Construção elementos circulares e curvos

60 O arco M1N1 determina 1 sobre B1D1 Centro em O1 e raio em O1 1, marcam-se os pontos 3 e 4 sobre a diagonal A1C1 (terceiro e quatro pontos de curvatura da elipse) Construção elementos circulares e curvos

61 Partindo de B1 e D1 traçam-se as semi-retas B1 3 e B1 4; D1 3 e D1 4, que determinam os pontos de concordância dos grandes arcos de centro 3 e 4 Construção elementos circulares e curvos

62 Com centro em 3, raio 3-5, traça-se o pequeno arco que, após cortar a diagonal A1C1, ao encontrar com a semi-reta B1 3 (ponto 6), concorda com o grande arco Q1P1 Construção elementos circulares e curvos

63 Prof. Janine Gomes da Silva 1.Construir a estrutura em perspectiva isométrica (30º). 2.Traçar as diagonais de cada face 3.Traçar as mediatrizes de cada face Unir os pontos médios à aresta oposta a ele Construção elementos circulares e curvos

64 Prof. Janine Gomes da Silva Construção elementos circulares e curvos

65 Universidade Federal do Espírito Santo Centro Tecnológico Departamento de Engenharia Civil Perspectiva Isométrica Circunferências – Método 02 Janine Gomes da Silva, Arq. M.Sc Engenharia Civil

66 Universidade Federal do Espírito Santo Centro Tecnológico Departamento de Engenharia Civil Perspectiva Isométrica Cilindro Janine Gomes da Silva, Arq. M.Sc Engenharia Civil

67 Construção do círculo isométrico Prof. Janine Gomes da Silva 5.Para as curvas menores: ponta seca nos pontos 1 e 2 da figura, abertura do compasso nos pontos médios (A) 6.Para as curvas maiores: ponta seca nos pontos 3 e 4, abertura do compasso nos pontos médios (A).

68 Construção do círculo isométrico Prof. Janine Gomes da Silva 7.Para desenhar o cilindro, basta repetir o procedimento na face oposta do cubo e unir os pontos de tangência 5, 6, 7 e 8.

69 Construção do círculo isométrico Prof. Janine Gomes da Silva 8.Para dar idéia de volume podem ser utilizadas hachuras volumétricas

70 Prof. Janine Gomes da Silva Construção elementos circulares e curvos

71 Universidade Federal do Espírito Santo Centro Tecnológico Departamento de Engenharia Civil Perspectiva Isométrica Curvas irregulares Janine Gomes da Silva, Arq. M.Sc Engenharia Civil

72 Prof. Janine Gomes da Silva Traçado a partir de vistas Método do sólido envolvente – curvas irregulares

73 Prof. Janine Gomes da Silva Traçado a partir de vistas Método do sólido envolvente – curvas irregulares

74 Prof. Janine Gomes da Silva Traçado a partir de vistas Método do sólido envolvente – curvas irregulares

75 Universidade Federal do Espírito Santo Centro Tecnológico Departamento de Engenharia Civil Perspectiva Isométrica Cotagem Janine Gomes da Silva, Arq. M.Sc Engenharia Civil

76 Cotagem Prof. Janine Gomes da Silva

77 Cotagem Prof. Janine Gomes da Silva

78 Referências Prof. Janine Gomes da Silva trica_TRAZADO.pdf


Carregar ppt "Universidade Federal do Espírito Santo Centro Tecnológico Departamento de Engenharia Civil Perspectivas Janine Gomes da Silva, Arq. M.Sc Engenharia Civil."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google