A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Observação de aula "Entrar na classe para analisar as interações entre os alunos e o professor requer planejamento e quebra de resistência. Gustavo Heidrich.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Observação de aula "Entrar na classe para analisar as interações entre os alunos e o professor requer planejamento e quebra de resistência. Gustavo Heidrich."— Transcrição da apresentação:

1 Observação de aula "Entrar na classe para analisar as interações entre os alunos e o professor requer planejamento e quebra de resistência. Gustavo Heidrich

2 O papel da coordenação pedagógica é melhorar a prática docente na formação continuada na escola. E, para saber das necessidades da equipe para ensinar melhor, quem exerce essa função tem inúmeros recursos: Analisar o planejamento das atividades, As produções dos alunos; O resultado das avaliações... Contudo, existe uma ferramenta que vai direto ao ponto e permite um conhecimento mais estreito dos problemas didáticos: é a observação feita na sala de aula.

3 O objetivo dessa ferramenta de formação é analisar as interações que são construídas entre o professor, os estudantes e os conteúdos trabalhados. Muitas vezes, o próprio docente não percebe que uma pequena mudança em sua prática pode levar a resultados mais positivos - e uma pessoa de fora tem mais facilidade para apontar um caminho. O C P, vai saber como romper eventuais barreiras para usar a observação da sala de aula como uma ferramenta formativa.

4 Demonstrar uma competência; Partilhar um sucesso; Explorar formas alternativas de alcançar objetivos curriculares; Aprender; Apoiar um colega; Avaliar o progresso; Reforçar a confiança; Estabelecer laços. O UTRAS FINALIDADES DA OBS. DE AULA

5 Diagnosticar aspectos e/ou dimensões do conhecimento e da prática profissional a trabalhar/melhorar; Estabelecer as bases para a tomada de decisão fundamentada sobre o processo ensino-aprendizagem; Proporcionar o contato e a reflexão sobre as potencialidades e limitações de diferentes abordagens, estratégias, metodologias e atividades. A LÉM DISSO...

6 No contexto internacional, a observação de aula assume diferentes tipologias: Informais Formais T IPOS DE OBSERVAÇÃO DE AULA

7 São visitas de curta duração (15 a 20 min); Focam-se em aspectos específicos: metodologias de ensino, gestão do tempo, interação com os alunos. Pode envolver o agendamento de futuras observações, principalmente quando é detectado algum problema. O BSERVAÇÃO I NFORMAL

8 Não discriminar os professores; Observar frequentemente; Focar a observação; Desanuviar o ambiente; Valorizar os sucessos; Fornecer Feedback; Estimular as observações por convite. O RIENTAÇÕES PARA OBSERVAÇÃO INFORMAL

9 Incluem uma reunião de preparação e planejamento da observação; Deixa claro os focos específicos e os procedimentos da observação; Na sessão pós-observação, promove a discussão e reflexão crítica sobre os acontecimentos observados e identificação dos aspectos positivos e aspectos a melhorar; Permite a avaliação global do processo. O BSERVAÇÃO F ORMAL

10 A ideia é simples: você entra na classe, assiste a uma aula, faz anotações e, com base nelas, tem mais segurança para planejar os encontros de formação e orientar os professores, certo? Certo. Só que não é tão simples assim: alguns docentes sentem seu espaço invadido com a presença de um observador. É preciso criar um clima e uma cultura em que a parceria no desenvolvimento profissional esteja acima de melindres pessoais. Como dar os primeiros passos e quebrar resistências

11 O primeiro passo: Conversar com toda a equipe nos encontros coletivos, esclarecendo que os principais objetivos são: Montar a pauta de formação continuada com base nas necessidades de ensino e conhecer bons exemplos de prática didática que mereçam ser compartilhados com a equipe. Q UEBRANDO RESISTÊNCIAS...

12 Obs.: É bom consultar cada um dos professores para ver se eles topam receber você. Mesmo quando todos estão acostumados a essa rotina, é importante avisar o professor quando a visita será realizada. Envolver os professores na elaboração da pauta também pode ser um procedimento útil para quebrar resistências, pois eles mesmos podem indicar em que pontos necessitam de ajuda e de soluções didáticas.

13 Estabelecer um cronograma de observação; Deixar claro os critérios de observação; Para diminuir a ansiedade, ao terminar cada observação, o coordenador deve conversar com os docentes, mas a verdadeira devolutiva vem depois da análise que ela faz do que viu e dos outros registros do professor. Compromisso formativo

14 No fim, cada docente recebe um relatório sobre as observações do coordenador e as devidas sugestões e considerações. No segundo encontro individual, conversam novamente sobre a prática do professor, o CP faz as orientações teóricas e traçam um planejamento, que fica registrado no relatório como um compromisso formativo entre eles.

15 O espaço da sala de aula é do professor! Só ajude se for solicitado... Atenção à postura dentro da sala de aula

16 Ofereça uma devolutiva de qualidade, que venha a acrescentar... Inicie o bate-papo citando tudo de positivo que você viu, demonstrando com isso que reconhece o bom trabalho feito. Em seguida, trate dos pontos que precisam ser melhorados. Devolutivas consistentes apontam caminhos

17 Não se esqueça de ouvir o professor, que certamente vai expor as dificuldades que encontra e as necessidades que ele tem para colocar em uso as propostas feitas por você.

18 Ao realizar o Feedback, adapte o questionamento a cada professor; Fomente a reflexão através da exploração de situações hipotéticas e cenários alternativos: Quais as alternativas possíveis? Como gostaria de alcançar estes objetivos? Que medidas deveria ter tomado para... Que tipo de apoio gostaria de ter tido? Q UESTIONE...

19 Ficar anotando tudo que o professor fala; Não estabelecer contato visual; Distrair-se enquanto o professor fala (olhar disperso); Falar sobre outros assuntos; Inferir e concluir precipitadamente; Conversar em locais tumultuados; Expressões faciais e corporais que exprimem reprovação... E VITAR...

20

21 Todo processo formativo é sempre conflituoso. O coordenador só conquista o respeito do grupo quando o docente percebe que as devolutivas têm resultados positivos na maneira de ensinar e, consequentemente, no desempenho dos alunos. Fátima Camargo (USP)

22 Anote os erros e as dúvidas apresentados pelos alunos e verifique se o professor consegue fazer com que as dificuldades individuais sejam oportunidades de avanço para todo o grupo. Os erros e as intervenções dos professores também podem ser registrados para a tematização da prática durante os encontros coletivos e os individuais. F AZER DO ERRO UMA OPORTUNIDADE DE ENSINAR

23 O resultado final desse processo deve ser um planejamento de formação para o professor e para toda a equipe docente. Acreditar nessa perspectiva pressupõe encarar o educador como um profissional capaz de construir as próprias estratégias de ensino com base na reflexão sobre a prática.

24 Fonte: formacao.pdf REIS, P. Observação de aulas e avaliação do desempenho docente. Ministério da Educação CCAP. Lisboa. Disponível em: Organização: SRE - Quirinópolis formacao.pdfwww.ccap.min-edu.pt


Carregar ppt "Observação de aula "Entrar na classe para analisar as interações entre os alunos e o professor requer planejamento e quebra de resistência. Gustavo Heidrich."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google