A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Doenças Exantemáticas Daniel Damiani, 2011.. Conceitos Gerais Sarampo Rubéola Varicela Zoster Toxoplasmose Mononucleose Infecciosa (EBV) Roséola (Exantema.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Doenças Exantemáticas Daniel Damiani, 2011.. Conceitos Gerais Sarampo Rubéola Varicela Zoster Toxoplasmose Mononucleose Infecciosa (EBV) Roséola (Exantema."— Transcrição da apresentação:

1 Doenças Exantemáticas Daniel Damiani, 2011.

2 Conceitos Gerais Sarampo Rubéola Varicela Zoster Toxoplasmose Mononucleose Infecciosa (EBV) Roséola (Exantema Súbito) Eritema Infeccioso Escarlatina Citomegalovírus Enteroviroses (Coxsackie A e B) Doença de Kawasaki

3 Exantema Manchas eritematosas cutâneas disseminadas. Desaparecem à digitopressão. Rubeoliforme ou Escarlatiforme. Eritema Decorrente da vasodilatação cutânea. Desaparece à digitopressão. Petéquias Reflexo de lesão vascular. Não desaparecem à digitopressão. Conceitos Gerais

4 Invasão e multiplicação direta do agente na própria pele (varicela). Lesão vascular (meningococcemia). Ação de toxinas (escarlatina). Reação imunoalérgica com repercussão cutânea (enterovírus). Mecanismos de Erupção Cutânea

5 Redução progressiva de casos no Brasil devido a vacinação. Doença infecciosa, altamente contagiosa. Vírus RNA, Paramyxovírus. Idade: 5-10 anos. Fisiopatologia: Reservatório: HOMEM. Contágio por via aérea. Vírus contamina linfócitos T e B = imunossupressão temporária. Vírus alcança os pulmões: pneumonia /bronquite viral, podendo evoluir para bacteriana. Complicações: otite média bacteriana; pneumonia bacteriana, encefalite. Sarampo

6 Clínica: Febre (> 38,5°C), coriza, conjuntivite, tosse. Lacrimejamento, fotofobia. Exantema característico: Céfalo-caudal. Retroauricular Pescoço. Mancha de Koplik (24-48h antes do exantema). Sarampo

7 Laboratório: Não são necessários exames específicos. Vírus pode ser isolado no sangue, urina ou secreções. IgM (+) indica fase aguda da infecção. Tratamento: Apenas sintomáticos. Hidratação. Vitamina A. Isolamento: até 5 dias do início do exantema. Profilaxia: Vacinação. Doença de notificação compulsória. Sarampo

8 Vírus RNA - Togavírus, sensível ao calor, pH extremo. Envolvimento pré-natal: Oftalmológico: catarata, retinopatia e glaucoma congênito. Cardíaca: PCA, estenose pulmonar (valvar e arterial). Neurológica: microcefalia, retardo mental, meningoencefalite. Fonte de infecção: HOMEM. Contato: direto, através de gotículas de secreções nasofaríngeas. Fisiopatologia: Incubação 2-3 semanas. Contágio: poucos dias antes até 5-7 dias após o exantema. Vírus invade os linfonodos. Rubéola

9 Clínica: Exantema: máculo-papular que inicia-se na face... descendo para o tronco. Linfonodomegalia generalizada: aparece 1 semana antes do exantema. Febre: geralmente baixa. Artralgia e Poliartrite. Complicações: Encefalite ou trombocitopenia. Diagnóstico: Clínico. Sorologia: IgM (+). Tratamento: Sintomáticos. Evitar contato com gestantes. Rubéola

10 Doença aguda, altamente contagiosa. Reservatório: HOMEM. Herpes zoster é causado pela reativação da varicela-zoster, presente nos gânglios nervosos sensitivos dorsais. Transmissão: 1-2 dias antes do surgimento das vesículas até 5 dias após. Eliminação do vírus pelo trato respiratório. Transmissão intra-uterina: síndrome da varicela congênita (contágio no 4-5º mês de gestação). RCIU, Microcefalia, Coriorretinite, Catarata, Alterações Cerebrais. Varicela Zoster

11 Clínica: Febre, cefaléia, anorexia, mal-estar, dor abdominal. Rash cutâneo após 24-48h dos sintomas prodrômicos. Exantema pruriginoso: tronco, couro cabeludo ou face (poupa planta e palmas). Vesículas com líquido claro, pústulas, crostas. Lesões em diferentes estágios de evolução. Infecções secundárias: S. pyogenes e S. aureus. Varicela Zoster

12 Complicações: Pneumonia viral. SARA. Acometimento Neurológico: ataxia, Guillain-Barré, Meningite Asséptica, Mielite Transversa. Síndrome de Reye. Tratamento: Analgésicos e Antitérmicos. Anti-Histamínicos. Soluções Antissépticas. Antibióticos (infecções secundárias). Aciclovir 800mg dividido em 5 doses por 7 dias. Profilaxia: Vacinação: Varilix®, Varivax®. Imunização Passiva (VZIG): Ig hiperimune anti-VCZ (grávidas susceptíveis) Isolamento: desde 2 dias antes do exantema até desaparecer lesões. Varicela Zoster

13 Comum nos lactentes e pré-escolares (6-18 meses de vida). Incomum < 6 meses devido aos Ac maternos. Vírus DNA Herpes hominis 6 e 7. Exantema maculopapular de curta duração após um período prodrômico com febre (3-4 dias). Fisiopatologia: Transmissão pelo contato interpessoal por secreções orais. Clínica: Incubação: 9-10 dias. Febre alta, linfonodomegalia, diarréia, otite catarral leve, tonsilas palatinas hiperemiadas. Encefalites são raras. Roséola (Exantema Súbito)

14 Diagnóstico: Clínico. Isolamento viral. Sorologia: IgM (+). Tratamento: Sintomáticos. Boa resposta in vitro ao Ganciclovir. Roséola (Exantema Súbito)

15 Doença exantemática benigna, causada pelo Parvovírus B19 (DNA). Fisiopatologia: Contágio pelas vias aéreas superiores. Tropismo por células da medula óssea. Antígeno P dos precursores eritróides são receptores para o parvovírus B19. Clínica: Exantema facial + palidez perioral – (face de bofetada). Exantema torna-se manchas vermelhas maculopapulosas e simetricamente distribuídas nas extremidades superiores e inferiores. Lesões regridem centralmente dando um aspecto rendilhado. Após semanas o ressurgimento das lesões pode ocorrer: frio, trauma, calor,... Eritema Infeccioso

16 Outras doenças causadas pelo Parvovírus B19: PTI, Kawasaki, LES, Miocardite, Aplasia Medular. Púrpura de Hennoch Schönlein, PAN. Hidropsia fetal. Diagnóstico: Redução dos reticulócitos. Redução da Hemoglobina. IgM (+) sugere infecção aguda. Elevação de alfa-FP em gestantes indica crise aplástica fetal. Tratamento: Maioria não necessita de tratamento. Imunoglobulina IV. Transfusão de hemoderivados. Eritema Infeccioso

17 Causada pelo Streptococcus pyogenes, produtor de toxinas pirogênicas. Escarlatina associa-se mais comumente à faringite. Transmissão por fômites, contato interpessoal e animais domésticos. Mais comum em escolares. Após 24h de tratamento não há mais transmissibilidade. Clínica: Febre alta (39-40ºC), calafrios, vômitos, prostração. Cefaléias, amigdalite e dor abdominal. Exantema surge 12-24h após; textura áspera, tipo confluente. Tonsilas palatinas hiperemiadas, edemaciadas, com petéquias, recoberta por exsudato. Língua inicialmente esbranquiçada torna-se hiperemiada (em framboesa). Exantema acomete o corpo todo em 24h. Palidez perioral (sinal de Filatov). Petéquias em área de flexão (sinal de Pastia). Escarlatina

18 Sinal Pastia Sinal Pastia

19 Diagnóstico: Clínico. Swab do orofaringe + cultura. Dosagem: ASLO e ou anti-DNAse. Tratamento: Objetivo é evitar complicações: otite média, GNDA, FR e abscessos. Penicilina Benzatina dose única ou Macrolídeo. Escarlatina

20 CMV é um vírus DNA, da família do herpes vírus. Único hospedeiro: HOMEM. Transmissão: Forma Horizontal: saliva, contato sexual, sêmen, urina. Forma Vertical: intra-útero, canal de parto e leite materno. Sangue e hemoderivados. CMV fica armazenado nos leucócitos, podendo ser reativado. Clínica: Variam de acordo com as condições clínicas do hospedeiro: imunossupressão. Síndrome da mononucleose infecciosa: febre prolongada, hepatite. Pneumonia viral, colite e retinite. Citomegalovírus

21 Diagnóstico: Isolamento do CMV (urina, faringe, leucócitos periféricos). Detecção do DNA viral (PCR). Tratamento: Apenas indicado em situações especiais: Retinite: Ganciclovir oral e intra-ocular. Transplantados de MO / Pneumonia: Ganciclovir + Imunoglobulina IV anti-CMV. Manifestações clínicas: Ganciclovir 10mg/Kg/dia 12/12h. Foscarnet em resistentes ao Ganciclovir. Profilaxia: Higiene das mãos. Evitar amamentação cruzada. Citomegalovírus

22 Causada por vírus cujo habitat é o intestino: Coxsackie A e B, Enterovírus e Echovírus. Assintomático na grande maioria dos casos. Etiologia: RNA vírus: 23 tipos de Coxsackie A; 6 tipos de Coxsackie B, 29 tipos de Echovírus23 e 4 tipos de Enterovírus. Incubação: 3-6 dias, exceto conjuntivite hemorrágica (24-72h). Transmissão fecal-oral e vertical (parto). Clínica: Febre, resfriado comum, faringite, herpangina, estomatite; Pneumonia, pleurodínia epidêmica; Exantema macular, papular, petequial (lembra meningococcemia), vesicular. Síndrome mão-pé-boca. Meningite asséptica, encefalite, Guillain-Barré. Vômitos, diarréia, dor abdominal e hepatite. Enteroviroses (Coxsackie A e B)

23 Diagnóstico: Leucopenia com linfocitose. Isolamento viral: orofaringe ou swab retal. Sorologia específica (FC, ELISA, PCR). Tratamento: Sintomático. Gamaglobulina IV (em imunodeficiências). Profilaxia: Cuidados e higiene. Enteroviroses (Coxsackie A e B)

24 Doença febril que acomete < 5 anos. Vasculite de pequenos e médios vasos. Associado ao comprometimento das artérias coronárias. Etiologia desconhecida. Clínica: Febre: 5 ou mais dias, remitente, 38-40°C. Congestão ocular bilateral, uveíte anterior, conjuntivite. Exantema polimorfo: surge no 1º-5º dia pós febre; tronco e extremidades. Eritema e edema palmo plantar, descamação periungueal. Linfadenopatia cervical não supurativa. TGI: dor abdominal, diarréia, náusea e vômitos, disfunção hepática (icterícia), pancreatite. Rinorréia, dispnéia, tosse, otite média, pneumonia. Irritação, meningite asséptica, paralisia facial, convulsão e hemiplegia. Doença de Kawasaki

25 Diagnóstico: Clínico. Laboratório: Anemia normocítica/normocrômica. Leucocitose com desvio à esquerda. Plaquetas: normais/elevadas. VHS e PCR aumentados. ECO: obrigatório!!!! Repetir em 4-8 sem. Tratamento: Gamaglobulina IV 2g/Kg em dose única ou fracionada. Salicilatos: AAS ou AAS + Dipiridamol. Trombolíticos em trombos coronários. Doença de Kawasaki

26

27 Toxoplasma gondii. Transmissão por via oral: carne, galinha, porco mal cozidas. Clínica: Assintomáticas (70% dos casos). Clínica assemelha-se a mononucleose infecciosa: febre, linfadenopatia, hepatoesplenomegalia. Tonsilas recobertas por exsudato. Exantema maculopapular róseo, morbiliforme poupando palmas e plantas. Encefalite, cegueira e pneumonia por Toxoplasma. Toxoplasmose

28 Diagnóstico: Sorologia ELISA IgM (+) ou aumento 4x títulos de IgG. Tratamento: Sulfadiazina mg/Kg/dia por 3-4 semanas. Pirimetamina 1mg/Kg/dia. Ácido Folínico 5mg 3x/sem. Profilaxia: Higiene adequada dos alimentos. Higiene com animais (gatos). Toxoplasmose

29 Causada pelo Epstein-Barr vírus (DNA). Doença do Beijo; Mononucleose Infecciosa; Doença das Mil Faces. Linfocitose com linfócitos atípicos. Mononucleose-Like: HBV, CMV, Toxoplasma, HIV, rubéola, adenovírus. Infecção exclusiva do humano. Transmissão: Saliva. Sangue. Secreção vaginal / sexual. Mononucleose Infecciosa (EBV) Henri Toulouse-LautrecHenri Toulouse-Lautrec, 1892

30 Clínica: Incubação: dias. Febre, cansaço, linfadenopatia generalizada (móveis, não aderidos aos planos profundos); Dor de garganta, faringite, tonsilas com exsudato branco-acinzentado; Petéquias no palato; Esplenomegalia; Hepatomegalia; Exantema maculopapular (comumente que usaram ATB terapia: amoxicilina, penicilina ou ampicilina). Complicações: Mais temida é a rotura esplênica (rara). Síndrome da Alice no País das Maravilhas (metamorfopsias). Meningite, mielite transversa, paralisia facial, Guillain-Barré. Mononucleose Infecciosa (EBV)

31 Diagnóstico: Linfocitose com linfócitos atípicos. Leucocitose. Ac Heterófilo (Anticorpo de Paul-Bunnel): aglutinação de hemácias de carneiro a uma diluição > 1:40. Ac Anti-EBV IgM e IgG. Tratamento: Sintomático. Paracetamol ao invés de AAS (associação com Sd. De Reye). Evitar traumas esplênicos (esportes de contato) até o final da doença. Prednisona em casos graves: 1mg/Kg/dia VO por 1 semana. Mononucleose Infecciosa (EBV)


Carregar ppt "Doenças Exantemáticas Daniel Damiani, 2011.. Conceitos Gerais Sarampo Rubéola Varicela Zoster Toxoplasmose Mononucleose Infecciosa (EBV) Roséola (Exantema."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google