A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Porque usar O que é Estrutura baseada em linguagem videográfica Estrutura baseada em linguagem videográfica Conceito e lógica semelhante Conceito e.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Porque usar O que é Estrutura baseada em linguagem videográfica Estrutura baseada em linguagem videográfica Conceito e lógica semelhante Conceito e."— Transcrição da apresentação:

1

2 Porque usar

3

4 O que é Estrutura baseada em linguagem videográfica Estrutura baseada em linguagem videográfica Conceito e lógica semelhante Conceito e lógica semelhante ao hipertexto ao hipertexto Relações dialógicas Relações dialógicas entre autor e usuário entre autor e usuário

5 Agora é a hora Evolução do computador processador octuplo Evolução do computador processador octuplo Custo era alto agora é barato Custo era alto agora é barato Avanços em rede protocolos banda larga Avanços em rede protocolos banda larga Armazenamento CD, DVD, BluRay, HDV, sítios Armazenamento CD, DVD, BluRay, HDV, sítios Compressão, descompressão MPEG4 (h.264) Compressão, descompressão MPEG4 (h.264) Tempo real maior motivação Tempo real maior motivação 64 GB

6 Experiencial Experiencial Reações à eventos que nos rodeiam sem esforço Reações à eventos que nos rodeiam sem esforço Comportamento especializado Comportamento especializado Componente chave no desempenho eficiente Componente chave no desempenho eficiente Surge rapidamente, sem esforço Surge rapidamente, sem esforço Seduz a confundir ação com raciocínio Seduz a confundir ação com raciocínio Divertimento, não substituem participação ativa Divertimento, não substituem participação ativa Novas experiências, mas sem novas idéias Novas experiências, mas sem novas idéias Necessário esforço para reflexão Necessário esforço para reflexão Modos de cognição (Normam, 1993; Chambel, 2005)

7 Reflexiva Reflexiva Comparação Comparação Contraste Contraste Raciocínio Raciocínio Tomada de decisão Tomada de decisão Conduz a novas idéias Conduz a novas idéias Respostas inovadoras Respostas inovadoras Requer alguma estrutura e organização Requer alguma estrutura e organização Modos de cognição (Normam, 1993; Chambel, 2005)

8 Diferenciação cognitiva (Chambel, 1999) Estilos de aprendizagem Estilos de aprendizagem Reflexivo Reflexivo Pragmático Pragmático Teórico Teórico Ativista Ativista Fases do processo de aprendizagem Fases do processo de aprendizagem Conceptualização Conceptualização Construção Construção Diálogo Diálogo

9 Mídia e Aprendizagem Mídia afeta a forma (Normam, 1993) Mídia afeta a forma (Normam, 1993) Leitura Leitura Controla ritmo e reflexão Controla ritmo e reflexão Lenta e difícil, requer treino e prática Lenta e difícil, requer treino e prática Raciocínio reflexivo Raciocínio reflexivo Isolado, não permite composição Isolado, não permite composição Televisão Televisão Fácil, não requer treino e esforço mental Fácil, não requer treino e esforço mental Não há tempo para reflexão Não há tempo para reflexão Nos torna passivos (Mander, 1999) Nos torna passivos (Mander, 1999)

10 Porque usar Imagem é mais um tipo de dados (Negroponte, 1996) Imagem é mais um tipo de dados (Negroponte, 1996) Novos programas (Boyle, 1997) Novos programas (Boyle, 1997) Comunicação gráfica (Preece et al, 1994) Comunicação gráfica (Preece et al, 1994) Aplicação MM destaque (Cooper et al, 1996) Aplicação MM destaque (Cooper et al, 1996) Nova fusão de Som e Imagem (Bartolemé, 1999) Nova fusão de Som e Imagem (Bartolemé, 1999) Nova forma de Tempo e Espaço (Chambel, 2001) Nova forma de Tempo e Espaço (Chambel, 2001) Criativo e educativo ideal para erado PC (Monet, 1996) Criativo e educativo ideal para erado PC (Monet, 1996) Arte do século XXI (Armes, 1999) Arte do século XXI (Armes, 1999)

11 WWW WWW Diferentes mídias Diferentes mídias Elevada interatividade Elevada interatividade Correio eletrônico Correio eletrônico Sistemas de notícias Sistemas de notícias Ilimitadas aplicações Ilimitadas aplicações Hipermídia Hipermídia Navegação Navegação Suporte à pesquisa de informação Suporte à pesquisa de informação Mídia e Aprendizagem

12 Hipervídeo (Chambel, 2005; Sawhney, 1986) Hipervídeo (Chambel, 2005; Sawhney, 1986) Usuário controla ritmo Usuário controla ritmo Escolhe o que vê Escolhe o que vê Avança, recua e para quando quer Avança, recua e para quando quer Faz anotações Faz anotações Compara Compara Relaciona com outros materiais Relaciona com outros materiais Usa a WWW Usa a WWW Mídias Móveis Mídias Móveis Mídia e Aprendizagem

13 Hipervídeo Hipervídeo Dimensão espacial e temporal Dimensão espacial e temporal Semântica definida Semântica definida Novos conceitos e suporte a navegação Novos conceitos e suporte a navegação Aspectos estéticos Aspectos estéticos Retórica Retórica Mídia e Aprendizagem Chambel, 1999 Gessler, 1995 Liestol, 1994 Sawney, 1996

14 Aplicações abertas Aplicações abertas Aluno toma a iniciativa Aluno toma a iniciativa Tem liberdade de ação Tem liberdade de ação Acomoda diferentes situações Acomoda diferentes situações Diversos estilos de aprendizagem Diversos estilos de aprendizagem Suporte à Aprendizagem Nielsen, 1995 Gessler, 1995 Liestol, 1994 Sawney, 1996

15 ConcepçãoConcepção Desenho conceitual Desenho conceitual Estruturação do conteúdo – currículo Estruturação do conteúdo – currículo Estruturação das interações – pedagogia Estruturação das interações – pedagogia Desenho da apresentação Desenho da apresentação Estrutura holística – características perceptivas Estrutura holística – características perceptivas Expectativa Expectativa Unidade e harmonia – componentes individuais Unidade e harmonia – componentes individuais Reconhecimento de padrões Reconhecimento de padrões Clareza Clareza Simplicidade Simplicidade Boyle, 1997 Reeves e Harmon, 1994 Reeves e Reeves, 1997 Summer e Taylor, 1998 Taylor et al. 1997

16 UtilizaçãoUtilização Funcionalmente integrado ao contexto Funcionalmente integrado ao contexto Integração de meios Integração de meios Máximo controle ao aluno Máximo controle ao aluno Funções similares ao vídeo Funções similares ao vídeo

17 Hiper-HitchcokHiper-Hitchcok

18 Hiper-HitchcokHiper-Hitchcok Segmentação

19 Hiper-HitchcokHiper-Hitchcok

20 StoryspaceStoryspace

21 VideoClix

22 VideoClicx

23

24

25 Claudio Afonso Baron Tiellet Professor adjunto 4 - Médico Veterinário Mestre em Tecnologia da Informação Doutorando em Informática na Educação - UFRGS Universidade Federal de Santa Maria,RS, Br. Obrigado!

26 Sítio

27 Outros autores Bruner, D.L., 1986 Bruner, D.L., 1986 Narrativo: histórias, drama e experiências Narrativo: histórias, drama e experiências Paradigmático: científico, lógico Paradigmático: científico, lógico James, W., 199_ James, W., 199_ Narrativo: descritivo e contemplativo Narrativo: descritivo e contemplativo Raciocínio Raciocínio Laurel, B., 1993 Laurel, B., 1993 Experiencial Experiencial Produtivo Produtivo


Carregar ppt "Porque usar O que é Estrutura baseada em linguagem videográfica Estrutura baseada em linguagem videográfica Conceito e lógica semelhante Conceito e."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google