A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

LINGUAGEM Filosofia. Filosofia é a batalha entre o encanto de nossa inteligência mediante a linguagem. Ludwig Wittgenstein.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "LINGUAGEM Filosofia. Filosofia é a batalha entre o encanto de nossa inteligência mediante a linguagem. Ludwig Wittgenstein."— Transcrição da apresentação:

1 LINGUAGEM Filosofia

2 Filosofia é a batalha entre o encanto de nossa inteligência mediante a linguagem. Ludwig Wittgenstein

3 O QUE É A LINGUAGEM? É o que nos torna capazes de externar pensamentos por meio de um estilo próprio de comunicação. Faz parte do convívio humano. Entre algo dito e o seu significado existem algumas diferenças. Pode ser expressa pela forma do: MYTHOS: relação com fantasia, uma explicação carregada de significado religioso. LOGOS: palavra que exprime o pensamento, fruto de um conhecimento racional. OBJETIVO: COMUNICAÇÃO.

4

5

6 O ser humano inventou a linguagem para satisfazer a sua profunda necessidade de se queixar.

7 SURGIMENTO DA LINGUAGEM A linguagem seria natural ao homem ou fruto de uma construção social? O sentido dada as palavras são construções sociais regidas por leis específicas de cada localidade. A discussão, as palavras, as demonstrações verbais são um campo privilegiado da filosofia. Por se afastarem do sentido comum das palavras, os filósofos teriam criado problemas insolúveis. O filósofo teria a tarefa de livrar o mundo do atoleiro a que alguns conceitos o levaram. A filosofia da linguagem tornou-se um campo de estudos privilegiados entre os séculos XIX e XX.

8

9 Bertrand Russel ( ) Filósofo, lógico e matemático, defendia que os conceitos de linguagem refletem um pouco de casa uma dessas áreas. Afirmava que o homem se esquecia de analisar separadamente o sentido e o significado das proposições que faz no dia a dia. Tal ação poderia levá-lo a cometer erros e confusões nas interpretações. A solução seria empregar o atomismo lógico: Possibilidade de fazer uma análise lógica da linguagem, da mesma maneira que se analisa o átomo, a fim de estabelecer uma linguagem simples de interpretação clara.

10 As ideias de Russell sofreram críticas, pois o conceito se aplicava em proposições simples. (A tinta é verde!) A linguagem humana apresenta uma série de possiblidades que não se restringem às especificações do atomismo lógico. Entretanto a lógica não conseguiria explicar as possibilidades da linguagem comum. Tentativa de limitar o que é uma característica do ser humano se viu frustrada.

11

12 Ludwig Wittgenstein Dedicou-se à construção de uma estrutura lógica que pudesse definir, organizar e solucionar os problemas próprios desse campo de estudo. A linguagem não seria uma tradutora fiel do mundo real, ela deve ser entendida no seu contexto social. Muito do que era real, nem sempre seria perfeitamente traduzido na linguagem, que passou a ser encarada e analisada no seu contexto social. O filósofo dedica-se ao uso correto das palavras, sendo passível de acusação de usá-las em benefício próprio (retórica), confundindo os outros. A linguagem é como uma caixa de ferramentas.

13 Gilbert Ryle ( ) Crítico ao dualismo cartesiano; Seus estudos visam às análises de conceitos mentais. Para ele, a tarefa da filosofia é tornar claros os conceitos e ideias. Para o filósofo há mais de uma forma de descrever as coisas, não se pode impor apenas uma descrição. Enigmas filosóficos: quando a identificação não é fácil, e exige-se uma análise, surgem os enigmas.

14 John Austin ( ) Defendia o estudo sobre a maneira como as palavras são usadas para se obter seus significados. Os confrontos entre a filosofia e a visão popular são causados pela incompreensão de uma linguagem comum, em geral, por parte dos filósofos.

15 O estudo da linguagem Formada por língua (idioma) (regras e peculiaridades que identificam uma pessoa como um ser pertencente a um território) e a fala (diz respeito à maneira como cada indivíduo usa a língua) – traço pessoa. Linguística, no século XX, estabeleceu novos conceitos sobre a língua e a linguagem, a saber: Língua (formada por alguns elementos: signo, significado e significante)

16 O estudo da linguagem LÍNGUA SIGNOS: São símbolos gráficos que utilizamos (alfabeto) SIGNIFICADO: são os conteúdos que os signos carregam com eles (científicos, literários, afetivos, religiosos). Deus é fiel! SIGNIFICANTE: É um grupo de signos organizados, mediante os quais o significado é expresso (palavra, frase, oração)

17 O estudo da linguagem O Sujeito falante é dotado de duas aptidões: Conhecimento da língua; (competência) Modo individual de seu uso; (perfomance) As peculiaridades das línguas se impõem. Ler poema da página 05.

18 Problemas com a linguagem Qualidade da escrita; Empobrecimento atual das palavras; Nos impedem de saber o que está sendo dito ou escrito.

19 Conceitos, símbolos e linguagem Linguagem simbólica: Oferece ao cérebro uma linguagem imediata do que se quer transmitir. (metáforas) Linguagem conceitual: o sentido dos signos é restrito, se limita a interpretação de um aspecto apenas. Tenta explicar o mundo estabelecendo seu sentido, ocupando-se do presente e o do necessário.

20 AGENDA Traduzir no caderno, o poema Língua Portuguesa, p.05 da apostila, para uma linguagem simples e entendível, de acordo com o seu entendimento. Responder as questões da apostila, páginas: 04, 05, 06 e 07.

21


Carregar ppt "LINGUAGEM Filosofia. Filosofia é a batalha entre o encanto de nossa inteligência mediante a linguagem. Ludwig Wittgenstein."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google