A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

S EMINÁRIO U NDIME R ECIFE, 27 DE OUTUBRO DE 2010 A VALIAÇÃO COMO FERRAMENTA DE GESTÃO P AULA L OUZANO F RANCISCO S OARES.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "S EMINÁRIO U NDIME R ECIFE, 27 DE OUTUBRO DE 2010 A VALIAÇÃO COMO FERRAMENTA DE GESTÃO P AULA L OUZANO F RANCISCO S OARES."— Transcrição da apresentação:

1 S EMINÁRIO U NDIME R ECIFE, 27 DE OUTUBRO DE 2010 A VALIAÇÃO COMO FERRAMENTA DE GESTÃO P AULA L OUZANO F RANCISCO S OARES

2 R OTEIRO Importância da avaliação em larga escala para a gestão educacional Pressupostos e funcionamento da avaliação O uso da avaliação Gerencial Pedagógico

3 M ARCOS NA GESTÃO EDUCACIONAL 1995 – SAEB Coloca aprendizado no centro do debate educacional 2005 – Prova Brasil Dá visibilidade à escola como locus da aprendizagem IDEB Cria um sistema de accountability

4 P ORQUE AVALIAÇÃO EM LARGA ESCALA É IMPORTANTE ? Garantir direito à educação = direito à aprender Se não há aprendizado, não há atendimento dos direitos educacionais dos alunos Cabe ao Estado verificar o atendimento desse direito identificando TODOS e CADA UM dos indivíduos, sujeitos do direito à educação

5 C OMO VERIFICAR O ATENDIMENTO AO DIREITO ? Há vagas para todos? Censo Demográfico. Há recursos suficientes? Dados de orçamento. Há funcionamento regular? Dados Escolares: faltas, alocação alunos, material didático, clima escolar. Há aprendizado? – Avaliação em larga escala (Prova Brasil).

6 A PRENDER O QUE ? Aprendizado contempla várias competências e habilidades: cognitivas (ex. linguagens), pessoais (ex. autonomia), sociais (ex. conviver com diferenças). Há diversos paradigmas: Delors, PISA/OECD, Constituição Federal Avaliação em larga escala: Foco nas habilidades cognitivas

7 O QUE MEDIR ? Art Serão fixados conteúdos mínimos para o ensino fundamental, de maneira a assegurar formação básica comum e respeito aos valores culturais e artísticos, nacionais e regionais. É sobre esse núcleo comum que as avaliações em larga escala, como a Prova Brasil, são organizadas.

8 P OR QUE UM PADRÃO ÚNICO ? O sistema educacional brasileiro deve ser analisado usando-se uma métrica comum a todos os alunos porque a expectativa deve ser a mesma para todos.

9 O RGANIZAÇÃO DA P ROVA Muitos Itens: 370 questões 21 cadernos Blocos Balanceados Incompletos – BIB

10 A PRESENTAÇÃO E USO DOS RESULTADOS Como sintetizar os resultados de forma útil? Uso gerencial IDEB Nível socioeconômico Uso pedagógico Os níveis de aprendizado como proposta de solução.

11 I NDICADORES G ERENCIAIS IDEB – pondera pela reprovação Nível Socioeconômico – pondera pelas diferenças entre os alunos

12 N ÍVEL S OCIOECONÔMICO Síntese de Indicadores de Renda, Educação, Ocupação. O questionário contextual da Prova Brasil 2007 permite seu cálculo.

13 U SO PEDAGÓGICO 1. Estabelecer níveis de desempenho 2. Estabelecer pontos de corte 3. Estabelecer metas para cada nível de proficiência 4. Apresentar os resultados segundo este critério 5. Fazer interpretação pedagógica dos resultados 6. Transpor habilidades para itens concretos 7. Monitorar resultados segundo os níveis estabelecidos 8. Ir além da interpretação: apoiar o uso dos resultados pelas escolas

14 E STABELECER N ÍVEIS DE D ESEMPENHO Abaixo do Básico ou Insuficiente Básico Proficiente ou Adequado Avançado

15 E STABELECER P ONTOS DE C ORTE

16 E STABELECER M ETA

17 A PRESENTAR OS R ESULTADOS SEGUNDO ESTE CRITÉRIO Recife Níveis de Aprendizado QuartaOitava META LeituraMatemáticaLeituraMatemática Insuficiente38,148,339,453,85,0 Básico44,139,051,341,425,0 Proficiente16,011,68,13,745,0 Avançado1,81,11,21,125,0

18 Q UAL É A MELHOR ESCOLA ? ESCOLAMÉDIA NÍVEL (%) Abaixo Básico BásicoAdequadoAvançado

19 F AZER I NTERPRETAÇÃO P EDAGÓGICA Compreender as relações de causa e conseqüência entre idéias em uma tirinha. Compreender, em uma tirinha o sentido de uma palavra. Recuperar informações explícitas, com auxílio de imagens, em cartazes. Localizar informação implícita no texto em um bilhete eletrônico. A BAIXO DO B ÁSICO

20 F AZER I NTERPRETAÇÃO P EDAGÓGICA Selecionar legenda apropriada para uma foto de revista. Localizar informação explícita em um texto narrativo simples. Identificar o tema ou assunto principal do texto. Recuperar a informação explícita do texto. Identificar personagem de uma narrativa literária simples. Identificar o efeito de sentido produzido em um texto pelo uso intencional de recursos expressivos gráfico-visuais. B ÁSICO

21 F AZER I NTERPRETAÇÃO P EDAGÓGICA Recuperar informação do texto, localizando o locutor e o interlocutor por marcas lingüísticas. Localizar e organizar, na seqüência em que aparecem, itens de informação explícita, distribuídos ao longo de um texto. Interpretar o efeito de sentido que provoca o humor. Estabelecer relações lógico-semânticas entre partes do texto que dão coesão às idéias. A DEQUADO

22 F AZER I NTERPRETAÇÃO P EDAGÓGICA Inferir o assunto principal de um texto, com base em informações contidas em título, subtítulo ou corpo do texto. Identificar os possíveis elementos constitutivos da organização interna de um bilhete pessoal. Identificar marcas de variação lingüística de natureza social ou geográfica, no léxico de um texto literário narrativo. Identificar o efeito de sentido produzido em um texto literário pelo uso intencional de pontuação expressiva (interrogação, exclamação, reticências etc.). A VANÇADO

23 N ÍVEL A DEQUADO – 4 SÉRIE T RANSPOR HABILIDADES PARA ITENS CONCRETOS

24 % DE A LUNOS A BAIXO DO A DEQUADO - REDE ESTADUAL DE SP M ONITORAR RESULTADOS SEGUNDO NÍVEIS

25 % DE A LUNOS A BAIXO DO A DEQUADO - REDE ESTADUAL DE SP M ONITORAR RESULTADOS SEGUNDO NÍVEIS

26 A LÈM DA INTERPRETAÇÃO DOS DADOS : U SO DOS RESULTADOS PELAS ESCOLAS 1. Compreender resultados: estudo detalhado das planilhas de resultados das avaliações. 2. Buscar outras evidências que corroboram ou não estes resultados 3. Buscar causas objetivas e não genéricas para os problemas. 4. Identificar o que fazer, pedagogicamente, para tirar os alunos dos níveis mais baixos e colocá- los nos níveis de desempenho mais altos. 5. Apoiar escolas na melhoria do seu ensino

27 Paula Louzano


Carregar ppt "S EMINÁRIO U NDIME R ECIFE, 27 DE OUTUBRO DE 2010 A VALIAÇÃO COMO FERRAMENTA DE GESTÃO P AULA L OUZANO F RANCISCO S OARES."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google