A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Cérebro Telencéfalo Diencéfalo Funções COGNITIVAS Funções AFETIVASFunções AFETIVAS razão, lógica, raciocínio, gnoses, praxias, linguagem, atenção, memória.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Cérebro Telencéfalo Diencéfalo Funções COGNITIVAS Funções AFETIVASFunções AFETIVAS razão, lógica, raciocínio, gnoses, praxias, linguagem, atenção, memória."— Transcrição da apresentação:

1

2

3 Cérebro Telencéfalo Diencéfalo Funções COGNITIVAS Funções AFETIVASFunções AFETIVAS razão, lógica, raciocínio, gnoses, praxias, linguagem, atenção, memória possibilitam conhecer o mundo, tanto o mundo externo quanto o próprio mundo do sujeito. Ex.: razão, lógica, raciocínio, gnoses, praxias, linguagem, atenção, memória funções afetivas englobam também funções afetivas Processos afetivos Afetividade expressosemoçõessentimentos. expressos na forma de emoções e de sentimentos. geram/dão origem sensações ou experiências subjetivas vivenciadas acontece no mundo exterior si próprio. geram/dão origem as sensações ou experiências subjetivas vivenciadas perante o que acontece no mundo exterior ou em si próprio. processamento cortical:processamento cortical: percepção, memória, expectativa. alterações fisiológicas:alterações fisiológicas: - vegetativas- vegetativas (freqüência respiratória e cardíaca, contração/dilatação vasos sanguíneos, sudorese, mobilidade dos intestinos dor de barriga - motoras- motoras (expressões corporais e faciais) expressão visceral da afetividade

4 00:44 Cérebro Telencéfalo 6º. Lobo ou Sistema: Límbico6º. Lobo ou Sistema: Límbico Diencéfalo açãopensamento memóriapercepçã Toda ação, pensamento, memória, percepção etc. cognitivosaspectos cognitivos e afetivosaspectos afetivos Funções COGNITIVAS Funções COGNITIVAS e Funções AFETIVASFunções AFETIVAS são responsáveis fatos em si sentimos Além da lembrança dos fatos em si, recordamos também o que sentimos no momento. ATENÇÃOATENÇÃO MOTIVAÇÂOMOTIVAÇÂO

5 ATENÇÃO ATENÇÃO MEMÓRIA MEMÓRIA FUNÇÕES EXECUTIVAS FUNÇÕES EXECUTIVAS GNOSIA GNOSIA PRAXIA PRAXIA LINGUAGEM LINGUAGEM focalização dos canais sensoriais ou cognitivos;É um mecanismo de focalização dos canais sensoriais ou cognitivos; capaz de facilitar a ativação de certas vias ou regiões cerebrais de modo a colocar em 1º. plano a sua operação, e em 2º. plano a operação de outras regiões. atenção sensorial percepção seletiva A atenção sensorial ou percepção seletiva se dá quando focalizamos a atividade cerebral em estímulos sensoriais (um som, uma luz); atenção mental cognição seletiva. Quando a atividade cerebral é focalizada em um processo mental, como um cálculo matemático, uma lembrança, um pensamento, ela é denominada atenção mental ou cognição seletiva. (ver funções executivas mais adiante). deficiência atencional Comprometimentos pré-frontais e parietais posteriores de distinta etiologia podem levar a uma deficiência atencional (hipoprosexia).

6

7

8 Atenção Automática – Orientação Exógena Atraçãodo olhar para o estímulo incongruente antes de uma decisão consciente Efeito pop out (a imagem salta aos olhos) Captação automática da Atenção ATENÇÃO ATENÇÃO MEMÓRIA MEMÓRIA FUNÇÕES EXECUTIVAS FUNÇÕES EXECUTIVAS GNOSIA GNOSIA PRAXIA PRAXIA LINGUAGEM LINGUAGEM

9 Atenção Automática – Orientação Exógena desencadeada prontamente de forma quase inevitável, por eventos ambientais inéditos, surpreendentes ou incongruentes; não há um esforço consciente e voluntário no direcionamento atencional, mas apenas uma reação de captura da atenção gerada pelo estímulo áreas subcorticais Controlada por áreas subcorticais, Ex. modalidade visual: via retino-tectal [retina colículos superiores (mesencéfalo)] Exemplo ATENÇÃO ATENÇÃO MEMÓRIA MEMÓRIA FUNÇÕES EXECUTIVAS FUNÇÕES EXECUTIVAS GNOSIA GNOSIA PRAXIA PRAXIA LINGUAGEM LINGUAGEM Atenção sensorial ou Percepção seletiva Atenção sensorial ou Percepção seletiva Atenção mental ou Cognição seletiva Atenção mental ou Cognição seletiva

10 Atenção Voluntária – Orientação Endógena direcionamento de nossos recursos de processamento para dada fonte de informação intencionalmente; apresenta um componente consciente para sua realização; usado para tarefas mais complexas ou não familiares; demandam recursos de processamento desempenho concomitante de duas tarefas resulta em interferência; Controlada por áreas corticais Exemplo Facilitação TESTE Stroop (arquivo) ATENÇÃO ATENÇÃO MEMÓRIA MEMÓRIA FUNÇÕES EXECUTIVAS FUNÇÕES EXECUTIVAS GNOSIA GNOSIA PRAXIA PRAXIA LINGUAGEM LINGUAGEM Atenção sensorial ou percepção seletiva Atenção sensorial ou percepção seletiva Atenção mental ou Cognição seletiva Atenção mental ou Cognição seletiva

11 Atenção Voluntária – Orientação Endógena Sistema Atencional Posterior = direcionamento da atenção: seleciona a localização de um estímulo específico entre muitos e desloca a atenção de um estímulo a outro. áreas associativas (ex. córtex parietal posterior) + áreas subcorticais (ex. mesencéfalo, núcleo pulvinar do tálamo) VOLTAR ATENÇÃO ATENÇÃO MEMÓRIA MEMÓRIA FUNÇÕES EXECUTIVAS FUNÇÕES EXECUTIVAS GNOSIA GNOSIA PRAXIA PRAXIA LINGUAGEM LINGUAGEM

12 00:08

13 Emoção (estar)Emoção (estar)Sentimento (ser)Sentimento (ser) Aparece de maneira brusca e espontâneas, passageiras Surge de maneira lenta, são duradouros Manifestações orgânicas mais intensas Ex. mãos suadas, agitação, choro, riso (expressão visceral da afetividade) Pouco efeito nos órgãos, Manifestações orgânicas pouco intensas Muito difíceis de esconderFáceis de esconder. Mais intensoMais suave Interferem mais na razão e no comportamento Interferem menos na razão e no comportamento Alegria, tristeza, medo e raiva como emoções fundamentais Funções AFETIVASFunções AFETIVAS espécie de linguagem por meio da qual da qual expressamos nossas percepções internas O Erro de Descartes: emoção excessiva compromete a razão; emoção reduzida empobrece a vida.

14 Funções AFETIVASFunções AFETIVAS espécie de linguagem por meio da qual da qual expressamos nossas percepções internasPrimárias são observáveis praticamente desde o nascimento, parecem estar ligadas às necessidades instintivas de sobrevivência. Ex. medo, a cólera e a alegria. 2ª. Aprendidas ao longo da vida: 2ª. Aprendidas ao longo da vida: o amor, a tristeza, a paixão, o desprezo, a vergonha, a surpresa. Emoções//Sentimentos Os mesmos nomes que usamos para designar as emoções podemos usar também para os sentimentos. Exs. o amor pode começar como uma forte emoção e ao longo do tempo ir se transformando em sentimento mais estável e duradouro. sentimento de amizade, é um estado que vai se construindo ao longo do tempo, numa intensidade que não é refletida fortemente no organismo. AFETIVIDADE

15 Funções AFETIVASFunções AFETIVAS espécie de linguagem por meio da qual da qual expressamos nossas percepções internasAFETIVIDADE Emoções//SentimentosAFETOS Humores ou estados de ânimo A B C A B C A B C A B C eufórico deprimido A B C A B C < variação de humor > variação de humor AFETIVIDADE Funções AFETIVASFunções AFETIVAS

16 00:11 A B C A B C A B C A B C A B C eufórico deprimido eufórico deprimido A B C > variação de humor A B C A B C < variação de humor > variação de humor A: B: C:

17

18 Comparação das teorias sobre as emoções de James-Lange e Cannon-Bard.

19

20 HIPOTÁLAMOHIPOTÁLAMO alterações neurovegetativas periféricas. CÓRTEX CEREBRAL CÓRTEX CEREBRAL experiências subjetivas de medo, raiva, tristeza, alegria, etc.

21 MOTIVAÇÃO Todos nós temos experiência de nos dedicarmos com mais empenho aos assuntos de que gostamos e que nos são agradáveis. Prazer, alegria >> + motivação >> maior empenho dedicação AFETIVIDADEdesencadeia os impulsos motivadores ou inibidoresdesencadeia os impulsos motivadores ou inibidores motivacionais primários:motivacionais primários: essenciais à sobrevivência da espécie ou do indivíduo, tais como fome, sede e sexo. ESTADOS DE NECESSIDADE OU DE DESEJO

22

23

24

25 integração das informações: sensoriais e mnemônicas (comparação de experiências sensoriais passadas e presentes) atribuição de significado às percepções (impressões subjetivas) cognitivas e emocionais discernir as conseqüências de nossas ações futuras (antecipar o futuro, fazer previsões) estabelecer planos, metas e objetivos motivação ATENÇÃO ATENÇÃO MEMÓRIA MEMÓRIA FUNÇÕES EXECUTIVAS FUNÇÕES EXECUTIVAS GNOSE GNOSE PRAXIA PRAXIA LINGUAGEM LINGUAGEM DORSO- LATERAL 2 Cingulado Anterior 4 ORBITO- FRONTAL 3 VENTRO- MEDIAL planejamento, organização e regulação da atividade motora controle, regulação e integração de atividades cognitivas raciocínio e pensamento memória de imediata atenção mental ou cognição seletiva focalização da atividade cerebral em um processo mental mediar, controlar e regular o comportamento emocional controle do impulso ajuste social do comportamento (adequação de comportamentos às circunstâncias) Propriedade Emergentes Percepção consciente de si e do mundo ao seu redor Criatividade, Imaginação e Humor Julgamento moral Estrutura da personalidade 01:1 1

26

27 >

28 A

29

30 >

31 M

32

33 >

34 K

35

36 <

37 S

38

39 >

40 U

41

42 <

43 B

44

45 >

46 K

47

48 >

49 E

50 VOLTAR


Carregar ppt "Cérebro Telencéfalo Diencéfalo Funções COGNITIVAS Funções AFETIVASFunções AFETIVAS razão, lógica, raciocínio, gnoses, praxias, linguagem, atenção, memória."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google