A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Rio de Janeiro, 24 de Julho de 20061 VITEC – Vice-presidência de Tecnologia da Informação INFORMAÇÃOINFORMAÇÃO TECNOLOGIATECNOLOGIA DA ALINHANDO TI A NECESSIDADES.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Rio de Janeiro, 24 de Julho de 20061 VITEC – Vice-presidência de Tecnologia da Informação INFORMAÇÃOINFORMAÇÃO TECNOLOGIATECNOLOGIA DA ALINHANDO TI A NECESSIDADES."— Transcrição da apresentação:

1 Rio de Janeiro, 24 de Julho de VITEC – Vice-presidência de Tecnologia da Informação INFORMAÇÃOINFORMAÇÃO TECNOLOGIATECNOLOGIA DA ALINHANDO TI A NECESSIDADES DE NEGÓCIOS ALINHANDO TI A NECESSIDADES DE NEGÓCIOS

2 Rio de Janeiro, 24 de Julho de Números da CAIXA Estrutura de Contratação (Abordagem) Modelo adotado - Motivadores. - Políticas. - Estrutura. Novo Modelo de Fábrica de Software Objetivos do Encontro Gerente Nacional (61)

3 Rio de Janeiro, 24 de Julho de Informações Gerais Banco Social Banco Fomento Banco Comercial Agências e Postos de Atendimento: Postos de atendimento Eletrônico: Correspondentes Bancários – Casas Lotéricas: Outros Correspondentes Bancários: Salas de Auto-atendimento: Total: ,6 milhões de clientes 100 mil colaboradores

4 Rio de Janeiro, 24 de Julho de TI - Ativos Grande Porte Plataforma Intermediária Baixa Plataforma Ativos distribuídos pela rede: Estações de Trabalho: Servidores: Impressoras: Notebooks: M ainframe (Mips) RISC (Processadores) 546 Armazenamento (Tb)

5 Rio de Janeiro, 24 de Julho de TI – Suporte Regional Ambiente Descentralizado

6 Rio de Janeiro, 24 de Julho de VITEC DIREX DESENV Des RJ Des BR Des SP ArquiteturaTecnológicaProd Prod RJ Prod BR Prod SP TI – Estrutura Colaboradores OPERAÇÕES Des Relacionamento ArquiteturaSolução

7 Rio de Janeiro, 24 de Julho de Proposta: Estabelecer políticas, padrões e procedimentos para a contratação e a gestão do relacionamento com as contratadas, no processo desenvolvimento e manutenção de sistemas. Objetivos: Transferir processos suplementares a quem os tem como atividade fim, adquirindo, com isto, o acesso a serviços especializados do mercado e a possibilidade de manter o foco em atividades fim e estratégicas; Internalizar conhecimento de alto nível e ou especialização de negócio; Estabelecer parcerias em matérias não dominadas; Agilizar o processo produtivo com internalização de produtos, subprodutos ou tecnologias já dominadas pelo mercado. Abordagens: Contratações por Natureza de Serviços Contratações de Projetos Especiais de Negócios Contratações de Projetos baseados em Tecnologias Específicas Modelo de Contratação Estrutura

8 Rio de Janeiro, 24 de Julho de Finalidade: Provimento de soluções ou parte de soluções destinadas a suportar áreas de negócio. Deve proporcionar a participação de empresas dos mais variados portes. Deve ser adotado sempre que identificadas as seguintes oportunidades: Internalizar conhecimento de alto nível e ou especializado de negócio. Estabelecer parcerias em matérias não dominadas. Agilizar o processo produtivo com internalização de produtos, ou subprodutos já dominados pelo mercado. Sempre que se tratar de sistema de missão crítica, deverá ser prevista a transferência de tecnologia para as equipes técnicas da Caixa, capacitando-as a, ao final do contrato, manter e produzir a solução.transferência de tecnologia Novo Modelo de Terceirização Contratação de Projetos Especiais de Negócios

9 Rio de Janeiro, 24 de Julho de Finalidade: Provimento de soluções ou parte de soluções suportadas por tecnologias específicas. Deve ser adotado sempre que identificadas as seguintes oportunidades: Internalizar conhecimento de alto nível ou especialização em tecnologias específicas disponíveis no mercado. Estabelecer parcerias em matérias não dominadas. Agilizar o processo produtivo. Algumas tecnologias que justificam este tipo de licitação: GED – Gerenciamento Eletrônico de Documentos Workflow Datamart, Datawarehouse Gerenciamento de portais Bancos de dados DB2, IDMS, ORACLE, SYBASE, CACHÉ Arquitetura SOA(Service-oriented Architecture) Etc. Novo Modelo de Terceirização Contratação de Projetos Baseados em Tecnologias

10 Rio de Janeiro, 24 de Julho de Proposta: Estabelecer políticas, padrões e procedimentos para a contratação e a gestão do relacionamento com as contratadas, no processo desenvolvimento e manutenção de sistemas. Objetivos: Transferir processos suplementares a quem os tem como atividade fim, adquirindo, com isto, o acesso a serviços especializados do mercado e a possibilidade de manter o foco em atividades fim e estratégicas; Internalizar conhecimento de alto nível e ou especialização de negócio; Estabelecer parcerias em matérias não dominadas; Agilizar o processo produtivo com internalização de produtos, subprodutos ou tecnologias já dominadas pelo mercado. Abordagens: Contratações por Natureza de Serviços Contratações de Projetos Especiais de Negócios Contratações de Projetos baseados em Tecnologias Específicas Modelo de Contratação Estrutura

11 Rio de Janeiro, 24 de Julho de Tendências de Mercado: Novas composições de contrato para prestação de serviços especializados pelo mercado. Serviços externos para alavancar competências e dar flexibilidade ao processo de atendimento Maior foco na Gestão dos Relacionamentos em razão do aumento na complexidade dos modelos. Novo Modelo de Fábrica de Software Motivadores

12 Rio de Janeiro, 24 de Julho de Participação de um maior número de empresas. Participação de empresas de médio e pequeno porte. Especialização nos serviços prestados. Melhoria da qualidade. Aumento da produtividade. Otimização do controle Padronização dos procedimentos. Melhor relação custo benefício para a CAIXA Racionalização de gastos Novo Modelo de Fábrica de Software Diretrizes

13 Rio de Janeiro, 24 de Julho de Finalidade: Provimento de serviços vinculados ao processo de desenvolvimento e/ou manutenção de sistemas. Deve ser adotado sempre que identificadas as seguintes oportunidades: Estabelecer parcerias. Racionalizar custos. Explorar oportunidades do mercado. Manter as equipes internas com foco em projetos críticos e/ou atividades principais e estratégicas. Agilizar e/ou flexibilizar o processo produtivo. Melhorar a qualidade dos processos e produtos. Sempre que se tratar de projeto de missão crítica, deverá ser mantido sob a responsabilidade da Caixa todo processo que envolva aspectos relacionados à inteligência do negócio e à arquitetura da solução. Novo Modelo de Fábrica de Software Contratação por Natureza de Serviços

14 Rio de Janeiro, 24 de Julho de ANTEPROJETO PLANEJAMENTO MÉTRICAS ANÁLISE CONSTRUÇÃO MASSA TESTES PROJETO PLANO TESTES TESTE UNITÁRIO TESTE SISTEMA INTEGRAÇÃO AUDITORIA INTEGRAÇÃO AUDITORIA TESTE ACEITAÇÃO CASOS TESTES IMPLANTAÇÃO MANUTENÇÃO O que terceirizamos? Terceirizar Categoria A Terceirizar Categoria A Quão bem é feito? Terceirizar Categoria B Terceirizar Categoria B Internalizar Negócio, Arquitetura Internalizar Negócio, Arquitetura GESTÃO O que fazemos? TESTE PERFORMANCE INDICADORES ESTIMATIVAS RECONTAGENS

15 Rio de Janeiro, 24 de Julho de Caracteriza-se pela divisão do processo de desenvolvimento e manutenção de sistemas em objetos específicos, com menor escopo e tamanho, de forma a garantir a independência e transparência dos processos terceirizados A.PROCESSO PRINCIPAL (Desenvolvimento e Manutenção)PROCESSO PRINCIPAL (Desenvolvimento e Manutenção Desenvolvimento e manutenção Sustentação Programação B.PROCESSO DE SUPORTE E AFERIÇÃO DE QUALIDADEPROCESSO DE SUPORTE E AFERIÇÃO DE QUALIDADE Métricas Qualidade e conformidade Suporte avançado Novo Modelo de Fábrica de Software Contratação por natureza de serviços Estrutura do Modelo Critérios para contratação

16 Rio de Janeiro, 24 de Julho de Composto dos sub-processos com características de desenvolvimento e manutenção dos sistemas Processo principal Desenvolvimento e manutenção de sistemas Parcial ou total, observando a metodologia adotada pela CAIXA Sustentação De sistemas em produção, no que diz respeito a plantão, manutenções, cabendo à CAIXA a deliberação quanto às manutenções evolutivas Programação Atividades de codificação de aplicativos; É recomendável sua aplicação em todo tipo de projeto Novo Modelo de Fábrica de Software Contratação por Natureza de Serviços

17 Rio de Janeiro, 24 de Julho de Composto dos sub-processos com características voltadas à qualidade dos produtos desenvolvidos. Processo de Suporte e Aferição de Qualidade Métricas Atividades inerentes à mensuração do tamanho de demandas de desenvolvimento e manutenção de sistemas Atividades afetas à definição, coleta e divulgação de indicadores de qualidade e conformidade de sistemas Qualidade e conformidade Serviço técnico especializado de qualidade e testes de sistemas, coleta de dados com geração e análise de indicadores e suporte para os processos de qualidade e testes de sistemas desenvolvidos pela CAIXA ou por empresa contratada para este fim Suporte avançado Prestar serviços de suporte especializado ao processo de desenvolvimento e manutenção de sistemas (Administração de Dados, Monitoração de desempenho, Suporte a inovação) Novo Modelo de Fábrica de Software Contratação por Natureza de Serviços

18 Rio de Janeiro, 24 de Julho de Critérios para Contratação – Técnica e Preço Novo Modelo de Fábrica de Software Ambiente Plataforma Intermediária – Mumps/Cachê Sustentação (Previsão em Outubro/2006) Programação: Java/J2EE Ambiente WEB – Internet / Intranet COBOL Plataforma Baixa ou Intermediária Plataforma Mainframe - IDMS Plataforma Mainframe - DB2 Desenvolvimento e Manutenção A Suporte avançado/Serviço especializado Qualidade e Conformidade (Teste) Métrica B HORAS PONTOS DE FUNÇAO HORAS

19 Rio de Janeiro, 24 de Julho de Novo Modelo de Fábrica de Software Detalhamento do Objeto Ênfase na tecnologia predominante, mas deverá dominar todas as demais Contratação de empresa para prestação dos serviços especializados de desenvolvimento, manutenção e documentação de sistemas de informação que tenham como arquitetura predominante Sistema Operacional de Grande porte e Gerenciador de Banco de Dados (SGDB) relacional (DB2) para desenvolvimento de rotinas Batch e On-line, conforme ambiente operacional especificado neste Projeto Básico, com vistas a atendimento aos núcleos de desenvolvimento de sistemas localizados em Brasília, Rio de Janeiro e São Paulo, num total estimado de (duzentos e cinqüenta e seis mil) Pontos de Função, durante a vigência do contrato. Ambiente de Grande Porte – DB2 (Objeto) Define a Metodologia e a Arquitetura do Ambiente de Desenvolvimento Índice de Erros, Métricas, Prazo de Atendimento, Alteração de Escopo Requisitos Técnicos da Contratada (desenvolvimento remoto)

20 Rio de Janeiro, 24 de Julho de Experiência da empresa em área compatível com o objeto do Projeto Básico (instituição financeira, tecnologia similar, prestação de serviços no Brasil, etc). SUPORTE SUPORTE Certificados atestando a qualidade da empresa, existência e uso de processos e ferramentas, etc. Produtividade, volume de serviço em contratos similares. SUPORTE SUPORTE Certificação de profissionais da empresa, garantia do serviço, filiais, contingência. Novo Modelo de Fábrica de Software Planilha Técnica

21 Rio de Janeiro, 24 de Julho de Novo Modelo de Fábrica de Software Pontuação Técnica - Exemplo EXIGÊNCIADETALHES QT PONTOS Comprovou experiência na prestação de serviços de desenvolvimento e manutenção de sistemas de informações para Instituições financeiras, em projetos de, no mínimo PF ou horas, nos últimos 24(vinte e quatro) meses anteriores ao mês de abertura da presente concorrência. 02 projetos (OBRIGATÓRIO)0 a partir de 3 (três) projetos a licitante terá 1 (um) ponto por projeto. 1 COMPROVAÇÃO Atestado de que executou o serviço de forma satisfatória.

22 Rio de Janeiro, 24 de Julho de Novo Modelo de Fábrica de Software Plataforma Baixa ou Intermediária , ,00 Plataforma Mainframe , ,00 Plataforma Mainframe -IDMS , ,00 MUMPS/CACHE , ,00 WEB (Internet / Intranet) , ,00 Desenvolvimento e manutenção de Sistemas ,00 SERVIÇOS Volumes Dispêndios Quantidade Horas Vr. Hora Estimada (R$) Vr. PF Estimado (R$) Valores Totais (R$) Quantidade PF COBOL , ,00 J2EE , ,00 Programação de Sistemas ,00

23 Rio de Janeiro, 24 de Julho de C aracterísticas Principais: Transição de serviços (futuros contratos) Obrigatoriedade de transferência de conhecimento 30 % do pagamento ao final Ambiente remoto e/ou segregado (acesso através de link) Índice aceitável de defeitos = 0,2 erros por PF (acima multa) Tabela de prazos máximos aceitáveis; Exigência de Supervisor de contrato na MZ Gerente de Projeto dedicado para projeto acima de PF Exigência de Metodologia de Gerência de Projetos Exigência de profissionais certificados Garantia considerada na pontuação técnica Novo Modelo de Fábrica de Software

24 Rio de Janeiro, 24 de Julho de Desenvolvimento e Manutenção Desenvolvimento e Manutenção Novo Modelo de Fábrica Cenário Futuro

25 Rio de Janeiro, 24 de Julho de Novo Modelo de Fábrica de Software Dificultadores Nebulosidade das normas – Instabilidade (mudanças de interpretação) – Lacunas (supridas por extensão) Pouca maturidade para contratar e gerir contratos de TI – Carência de visão sistêmica (relacionamento) – Carência de metodologias – Carência de especialistas em ITSourcing (concurso/treinamento) – Nebulosidade da relação custo/benefício – Métricas em evolução (SLA) A Lei 8.666/93 impede ou engessa a utilização de SLA? Não impede, mas impõe restrições: – Definição do objeto (Regras do jogo claras) – Remuneração controlada e prevista – Restrita aos termos do Edital e Contrato – Impessoalidade e registro

26 Rio de Janeiro, 24 de Julho de VITEC – Vice-presidência de Tecnologia da Informação INFORMAÇÃOINFORMAÇÃO TECNOLOGIATECNOLOGIA DA Gerente Nacional (61) Brasilia-DF


Carregar ppt "Rio de Janeiro, 24 de Julho de 20061 VITEC – Vice-presidência de Tecnologia da Informação INFORMAÇÃOINFORMAÇÃO TECNOLOGIATECNOLOGIA DA ALINHANDO TI A NECESSIDADES."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google