A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Once a new technology rolls over you, if youre not part of the steamroller, youre part of the road Stewart Brand Co-Founder and Managing Director Global.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Once a new technology rolls over you, if youre not part of the steamroller, youre part of the road Stewart Brand Co-Founder and Managing Director Global."— Transcrição da apresentação:

1

2 Once a new technology rolls over you, if youre not part of the steamroller, youre part of the road Stewart Brand Co-Founder and Managing Director Global Business Network

3 » Tecnologia (do grego τεχνη "técnica, arte, ofício" e λογια "estudo") é um termo que envolve o conhecimento técnico e científico e as ferramentas, processos e materiais criados e/ou utilizados a partir de tal conhecimento.

4 » A história da tecnologia é quase tão antiga quanto a história da humanidade: uso de ferramentas de caça e de proteção. » Ela tem embutida a cronologia do uso dos recursos naturais, porque, para serem criadas, todas as ferramentas necessitaram, antes de qualquer coisa, do uso de um recurso natural adequado. » Segue uma progressão das ferramentas simples e das fontes de energia simples às ferramentas complexas e das fontes de energia complexas.

5 FOGO Madeira, argila, rocha Armas, cerâmica, tijolos, cimento. Fornalha Metal derretido Ligas (bronze) Alimentos e recursos naturais

6

7 » Alain Touraine (1969): o conhecimento e a informação passam a constituir elementos chaves na produção na era pós-industrial; » Daniel Bell (1973); » Manuel Castells (2001): uma sociedade que faz o melhor uso possível das tecnologias de informação e que toma esta como elemento central da atividade humana;

8 » A informação é sua matéria-prima; » Os efeitos das novas tecnologias têm alta penetrabilidade; » Predomínio da lógica de redes; » Flexibilidade; » Crescente convergência de tecnologias. (Castells, 2000)

9 mudam as tecnologias formas de ensino » (...) mudam as tecnologias, mas também muda o mundo que devemos estudar, e precisam mudar as próprias formas de ensino. A informática não é apenas a chegada de novas máquinas. E, neste caso, não resolve sequer a mentalidade do manual de instruções: a compreensão das novas dinâmicas ainda está em plena construção. (Ladislaw Dowbor, 2000, p. 17)

10

11 HISTÓRIA DA TECNOLOGIA NA EDUCAÇÃO

12

13

14 » Baseada em texto e mediada por computador; » Possibilidades de interação MANY-TO-MANY; » Independente de tempo e lugar; » Permite longas distâncias; » Distribuída por meio de links hipermidiáticos; (WARSCHAUER, s.d.)

15

16

17 » Computer-assisted language learning; » Ensino de línguas mediado por computador; » Concebida na década de 1950, implementada nas décadas de 1960 e 1970, nos EUA; » Pesquisa o impacto do computador no ensino e aprendizagem de línguas, tanto materna quanto estrangeiras (LEFFA, 2006)

18

19 » Facilidade de acesso; » Atividades centradas no aluno em um ambiente centrado no aluno; » Instruções curtas e claras; » Programas ou ambientes que atendam às necessidades do aluno e do currículo; » Adequação das condições e objetivos; » Mediação do professor; » Constante avaliação do trabalho realizado para novas adequações; » Constante aperfeiçoamento por parte do professor; (CALVO, 1997)

20

21 Sala de aula tradicional Cultura de ensinar Cultura de aprender Autonomia

22 encontrou dificuldades em abrir mão do controle da sala de aula tradicional alunos encontraram igual dificuldade Gunawardena (1992) relata que, ao decidir adotar para sua prática pedagógica online um modelo centrado no aluno, na interação e cooperação entre participantes, encontrou dificuldades em abrir mão do controle da sala de aula tradicional e percebeu que alguns alunos encontraram igual dificuldade em assumir responsabilidade pela sua própria aprendizagem e solicitaram apoio constante. (TAVARES, 2000)

23 adultosintimidados presos às suas certezas computadordesafio controle sobre a máquina Há adultos que se sentem intimidados pelo computador pois, segundo Carvalho (2000), estão presos às suas certezas e temem colocá-las em risco. O computador representa um desafio e como tal exige dominação, ou seja, o adulto sente a necessidade de ter controle sobre a máquina.

24 A TECNOFOBIA (PERINA, 2003) » Ansiedade sobre atuais ou futuras interações com os computadores ou tecnologia com eles relacionada; » Atitudes negativas globais sobre computadores, suas operações e seu impacto social;

25 Cultura de ensinar Postura Pedagógica Competência tecnológica Infra- estrutura da escola PPP Medo do desconhecido Crenças

26 Atividades pedagógicas com o uso da Internet: perda de tempo diante de um cronograma apertado a ser cumprido. Aula expositiva: mais fácil e rápida para ser preparada e desenvolvida, com menos trabalho e mais segurança. Atividades com a Internet: vantagem apenas para usar nos momentos em que há "sobra de tempo" e não se tem mais o que fazer com os alunos, ou para suprir a falta de algum professor. (ROTENBERG, 2002)

27 (...) a importância de permanentes discussões pedagógicas, sob orientação, direcionamento e incentivo dos coordenadores, com troca de ideias e experiências entre professores e coordenadores, de uma disciplina e entre as diversas disciplinas(...) (ROTENBERG, 2002)

28

29 » Exposição – resistência; » Adoção – integração e apoio; » Adaptação – uso mais frequente; » Apropriação – entendimento; » Invenção – novas abordagens;

30 » Computacional; » Tecnológico/Informacional; » Multimidiático; » Interacional;

31

32

33 Físicos: acesso à informação em menor tempo, conveniência; Psicológicos: motivação, estímulo, ludicidade, preservação da face, redução de stress e ansiedade, estratégias de auto instrução, auto confiança, independência ; Cognitivos: performance, variedade e diversidade, input e output mais rico, modelagem, quebra do fluxo linear de instrução, aprendizagem situada/contextualizada, experiência;

34 Financeiros: alto custo educacional; Sociais: condições educacionais injustas; isolamento social; ameaça à equidade da educação; competência tecnológica insuficiente; imprevisibilidades;

35 A TEORIA QUE ORIENTA O USO DA TECNOLOGIA

36 » Raízes na psicologia e na filosofia; » Noção do organismo como ativo; » O conhecimento é uma construção humana de significados, que procura fazer sentido do seu mundo; » JEROME BRUNER: aprendizagem é um processo ativo, que consiste na construção de relações conceituais e significado a partir de informações e experiências já existentes no repertório do aluno (BRUNER, 1960); » A construção do conhecimeno resulta da atividade: experiência; » Aprendizagem é ancorada pelo contexto;

37 » SEYMOUR PAPERT: reconstrução pessoal do construtivismo; » Se um homem tem fome, você pode dar- lhe um peixe, mas é melhor dar-lhe uma vara e ensiná-lo a pescar. » Mediação tecnológica;

38 ...a tecnologia não é um enfeite e o professor precisa compreender em quais situações ela efetivamente ajuda no aprendizado dos alunos. (ALMEIDA, s.d. para Revista Nova Escola)

39 Mediação pedagógica Desenho instrucional Interação Presença social Colaboração

40

41

42

43

44 » Blogs » Wikis » Skype » Second Life » Voicethread – comentários de voz Voicethread » Suítes integradas ou salas de aulas virtuais(Elluminate) » Fóruns de discussão » Bate-papo » Image-based discussions (Flickr) » Group-based software (Sharepoint or Groove) » Lista de discussão » Redes sociais: Facebook, Edmodo, GrouplyEdmodoGrouply » Social bookmarking: del.icio.us

45

46

47

48 WEB 3.0 WEB 3.0: » inovação focada mais nas estruturas dos sites e menos no usuário. » Pesquisa-se a convergência de várias tecnologias que já existem e que serão usadas ao mesmo tempo, num grande salto de sinergia. » World Wide Web World Wide Database (base de dados mundial)

49

50 PENSANDO EM TECNOLOGIA NA SALA DE AULA Twitter Facebook

51 Plano de aula com uso do

52 TWITTER 1. Quem conta um conto, aumenta um tuite! Comece uma história – de aventura, terror, romance, etc. – com um tuite. Peça para os alunos continuarem o conto de onde você parou pelo microblog. Use uma hashtag em comum (#conto, por exemplo) e acompanhe a história pelo Você também pode unir o conto completo usando o site

53 2. Uma aula em 140 caracteres Em vez de requisitar grandes resumos ou artigos, peça para os alunos resumirem os principais tópicos da aula em tuites; é uma dica que testa a memória assim como o poder de síntese!

54 3. Enquetes na Web Em vez de fazer uma pergunta ao vivo e ver somente uma ou duas mãos levantarem, use o site para motivar mesmo os alunos mais tímidos a darem suas opiniões.

55 4. Tuites históricos Peça para os alunos criarem contas de Twitter para figuras históricas, como Getúlio Vargas e Pinheiro Machado, e elaborar replys e RTs entre os personagens.

56 5. O que os outros estão comentando? Ao estudar assuntos polêmicos, atuais ou populares, peça para a turma monitorar o que se está falando sobre o assunto no Twitter. Os sites e são boas ferramentas para esse tipo de atividade. Elabore discussões a respeito das opiniões captadas na mídia social.

57 Trabalho com síntese e coesão textual: produzindo mini contos no Twitter


Carregar ppt "Once a new technology rolls over you, if youre not part of the steamroller, youre part of the road Stewart Brand Co-Founder and Managing Director Global."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google